Etiqueta: qualidade de vida

Queres Saber o Sentido Da Vida? Para a Frente!

Queres Saber o Sentido Da Vida? Para a Frente!

 

Levantar se Da Cama Para Começar Mais Um Dia Deveria Ser Motivo de PRAZER e ENTUSIASMO na nossa vida?

 

Para algumas pessoas, porém isso parece mais um sacrificio.

Elas já se levantam cansadas e desanimadas para enfrentar mais um dia de batente.

Quem se sente assim, provavelmente perdeu o contato com o seu ideal de vida.

Sem uma meta à qual dedicar a sua existência, o ser humano dificilmente encontra motivação para fazer as coisas, para prosperar, para realizar sonhos.

Só quem tem um  Ideal (visão)  pode conhecer a Verdadeira Realização pessoal.

Um Ideal de vida é querer “ser” alguma coisa:

  • Um Médico reconhecido na sua especialidade;

  • Uma esteticista que adora deixar as clientes mais bonitas;

  • Uma empregada doméstica prendada;

  • Um pedreiro caprichoso;

  • Uma mãe e mulher Presente

  • Um canalizador Competente;

  • Um artista talentoso;

  • Uma cozinheira que delicia os outros com as seus pratos;

  • Um empresário próspero;

  • Uma dona de loja onde as pessoas gostam de comprar;

  • Uma vendedora de Sucesso;

Uma pessoa motivada a “ser” alguma coisa orienta, naturalmente as suas ações em direção ao seu Ideal

Se alguém  quer atingir o Cume de uma montanha, mesmo que não saiba como fazê-lo, vai procurar os caminhos que a levem até lá.

Uma pessoa com uma visão clara da vida é objetiva, sabe o que tem de fazer e considera o”fazer” como um meio para alcançar a sua meta.

Depois de idealizado na nossa mente, tudo é possivel

 

Quem tem um ideal, tem tendência a investir em si mesmo e a considerar conhecimentos adquiridos como o seu grande patrimônio.

Pode perder o emprego, ou ter que mudar de cidade ou mesmo de país, mas facilmente se adapta às novas situações, porque sabe quem é e conhece o seu valor.

Para alguém orientado a “ser”, os bens que tem ou a posição que acaba por conquistar, vêm como consequência daquilo que se é.

Quando temos e perseguimos um Ideal de vida, o “ter” é só um resultado natural do “ser”.

Adorei aprender isto, pois nem sempre foi uma realidade na minha vida.

Eu acredito que todos somos divinamente destinados a ser algo, todos temos dons, mas infelizmente nem todas as pessoas conseguem realizar o seu ideal de vida, nem tão pouco descobrem o que andam cá a fazer.

Quando somos crianças, costumamos dizer o que queremos ser quando formos “grandes”, conforme crescemos, vamos nos ajustando às exigências do nosso mundo competitivo, incorporando os valores e todos os condicionamentos sociais que nos levam a dar prioridade ao “ter”:

  • Ter uma carreira;
  • Uma casa
  • O carro do ano
  • O melhor telemóvel do mercado

Muitas vezes a pressão do “fazer para ter” afasta nos do nosso Ideal de Vida e quando damos por nós, estamos a fazer tudo menos o que deviamos para conseguir ir ao encontro desse Ideal, right?

Não vivas emocionalmente agarrado ao dinheiro
Não vivas emocionalmente agarrado ao dinheiro

O Problema de orientar a nossa existência para o “ser” é que ficamos muito dependentes e apegados ao que temos.

No mundo atual, em que a corrupção continua em grande escala, em que o dinheiro não passa de um “monte” de números na memória de um computador, em que as coisas são cada vez menos palpaveis, , e tudo muda tão rapidamente e constantemente, basear a realização pessoal no “ter” conduz nos facilmente à preocupação, à insegurança e à incerteza quanto ao futuro.

Passa se a vida numa corrida contra o tempo, num esforço constante de fazer coisas para “ter” cada vez mais, de modo a que nos sintamos seguros.

Mas é importante saber que quanto mais temos, mais é preciso fazer para manter o que temos.

A viver assim, nenhuma fortuna é capaz de nos proporcionar realização e plenitude.

E quando chegamos aos 50 ou 60 anos, por muito bem sucedidos que tenhamos sido na nossa vida de fazer para ter, sentimos que falta algo.

[fancy_box id=5]

Como estás a conduzir a tua vida:

Baseado no Ser ou no Ter?

[/fancy_box]

 

Se tu és daquelas pessoas que perdeu o Ideal da vida, ao tentares enquadrar te neste jogo da sobrevivência Social, , gostava que soubesses que a qualquer momento é possivel tomares o caminho que te leva ao cume da tua montanha.

O teu Ideal de vida está ligado ao que tu tens prazer em fazer e à visão mais grandiosa que tens de ti mesmo(a)

[fancy_box id=2]

Por um momento, volta ao teu estado de simplicidade em que vivias quando eras criança e pergunta te:

– ” O que eu quero ser quando for grande”?

– O que eu sonho ser na vida?

O teu Ideal está ligado aos teus talentos(dons) e capacidades com que foste abençoado(a) ao nascer.

[/fancy_box]

Tens com certeza muitas coisas que fazes com mais facilidade e espontaneidade, pois recebes te de Deus, os dons para seres o que é o teu destino e assim realizares te.

Lembro me que quis ser advogada, pois não gosto de injustiças e achei que poderia defender muitas pessoas, desmotivei quando vi as imensas leisssss que tinhamos de saber, (risos)

Também quis ser Jornalista, pois gosto muito de falar e achei que era uma  forma de passar a mensagem. 

Depois quis ir para a tropa. Ainda fiz os testes, mas não me identifiquei nada com aquele excesso de autoridade exercida sobre as patentes mais baixas.

Quis ser muita coisa e experimentei muita coisa, e tudo me encaminhou para chegar onde estou hoje, como blogueira profissional e terapeuta de reiki, depois de ter estado muitos anos a trabalhar como empregada e a ser vista como um número por todos os patrões por onde passei.

[fancy_box id=2]

Reconhece a tua vocação.

Pergunta te:

– “O que para mim, é natural fazer?”

– “Quais são as minhas habilidades?”

[/fancy_box]

Tens de compreender que por muito naturais e desenvolvidos que sejam os teus talentos, é preciso aperfeiçoa-los.

É preciso desenvolver técnicas.

Tu podes ter o melhor ouvido para a musica, mas precisas aprender a ler partituras e a tocar o instrumento

– E isso, quando nasces, não sabes. Aprendes.

Acredita que se estiveres no caminho que te leva à realização do teu Ideal, os factos e as circunstâncias da vida vão te “empurrar” para a frente, aconteceu comigo de uma forma bastante natural, quando comecei a fazer as perguntas que coloquei acima.

Não te limites, ou desanimes caso não vejas, em determinado momento, as soluções para as dificuldades que surgirem.

Mantém te firme na tua escolha e a vida te trará, com toda a certeza, tudo o que precisas, mas se continuas a resistir, parece que nada vai dar certo, mas é Deus a testar te, para saber se é isso que realmente queres.

– Não tens tempo para ler? Tu é que fazes o teu tempo e certamente arranjarás um jeito.

Gostavas de começar um negócio com pouco dinheiro, mas não sabes como começar?

Acredita que alguém te pode ajudar, e se não puder, continua a procura, vais encontrar um que te sirva e te satisfaça todas as tuas necessidades.

As portas abrem se para quem sabe o que quer, assume o papel que lhe cabe neste mundo e tem FÉ.

Só tu podes saber o que é melhor para ti, certo?

Que tenhas discernimento nas tuas escolhas.

Não te deixes contaminar pelo pessimismo e pela amargura das outras pessoas, nem te deixes influenciar pelos modelos de Sucesso Alheio.

Sucesso e Fracasso são fatores muito relativos.

Avalia te em relação à tua realidade e não te compares aos outros.

Por fim, não tenhas medo de experimentar.

Se tu não te permitires experimentar, nunca vais saber no que as coisas vão dar… É como teres uma ideia brilhante e não aproveitares para transformá-la em rendimento, ou porque não sabes, ou porque não acreditas que ela possa ser tão boa assim

Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te
Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te

As oportunidades que temos na vida não aparecem por acaso, pelo menos é o que tenho aprendido ao longo desta minha caminhada

Há sempre um propósito por trás delas.

Não deixes de te focar em ti e no teu ideal de vida.

Termino com uma pequena história sobre o sentido da vida e que espero que consigas tirar a melhor parte para ti.

[fancy_box id=1]

As sandálias do discípulo fizeram um barulho especial nos degraus da escada de pedra que levavam aos porões do velho convento.

Era naquele local que vivia um homem muito sábio.

O jovem empurrou a pesada porta de madeira, entrou e demorou um pouco para acostumar os olhos com a pouca luminosidade. Finalmente, ele localizou o ancião sentado atrás de uma enorme escrivaninha, tendo um capuz a lhe cobrir parte do rosto.

De forma estranha, apesar

do escuro, ele fazia anotações num grande livro, tão velho quanto ele.

O discípulo se aproximou com respeito e perguntou ansioso pela resposta:

Mestre, qual o sentido da vida?

O idoso monge permaneceu em silêncio.

Apenas apontou um pedaço de pano, um trapo grosseiro no chão junto à parede.

Depois apontou seu indicador magro para o alto, para o vidro da janela, cheio de poeira e teias de aranha.

Mais do que depressa, o discípulo pegou o pano, subiu em algumas prateleiras de uma pesada estante forrada de livros.

Conseguiu alcançar a vidraça, começou a esfregá-la com força, retirando a sujeira que impedia a transparência.

O sol inundou o aposento e iluminou com sua luz estranhos objetos,  instrumentos raros, dezenas de papiros e pergaminhos com misteriosas anotações.

Cheio de alegria, o jovem declarou:

– Entendi mestre.

Devemos nos livrar de tudo aquilo que não permita o nosso aprendizado.

Buscar retirar o pó dos preconceitos e as teias das opiniões que impedem que a luz do conhecimento nos atinja. 

Só então poderemos enxergar as coisas com mais nitidez.

Fez uma reverência e saiu do aposento, a fim de comunicar aos seus amigos o que aprendera.

O velho monge, de rosto enrugado e ainda encoberto pelo largo capuz, sentiu os raios quentes do sol a invadir o quarto com uma claridade a que se desacostumara.

Viu o discípulo se afastando, sorriu levemente e falou:

Mais importante do que aquilo que alguém mostra é o que o outro enxerga. 

Afinal, eu só queria que ele colocasse o pano no lugar de onde caiu.

[/fancy_box]

Vou repetir o que o sábio disse:

Mais importante do que aquilo que alguém mostra é o que o outro enxerga. 

 

Se andas à procura de mudar o sentido da tua vida, vê o Webinario Grátis que me permitiu hoje transformar me na minha melhor versão e fazer aquilo que mais amo e inspirar outros a fazer o mesmo.

Vê se pode ser para ti:

 http://bit.ly/webinar-pt-smt

 

Vive uma vida Fantástica em busca do sentido da tua vida

~Sandra

Skype: sandra.galao

Não Te Parece Que Este Assunto é IMPORTANTE em A Mudança está DENTRO de SI

Não Te Parece Que Este Assunto é IMPORTANTE em A Mudança está DENTRO de SI

Aqui estamos nós para a Oitava Conversa do desafio de 28 dias a blogar em “A Mudança está DENTRO de SI”, que teve Inicio  AQUI.

Nesta Conversa vão existir perguntas e respostas que podem ser consideradas disparates, espero que expandas a mente e venhas descobrir como podes fazer a diferença na vida de outras pessoas começando por TI.

Muito bem, estamos no caminho certo. Não tenho duvidas que estas questões lhe terão despertado a curiosidade.

Despertar o interesse é uma coisa. Mudar o mundo é outra. É disso que se trata. Fiquei consigo até aqui para que me dissesse: – “Agora saia e converse sobre Sete Perguntas básicas” É só isso? Esperava mais.

Não o censuro por pensar assim.

Não parece uma solução muito eficaz para os problemas prementes, pois não? Posso dizer-lhe uma coisa?

São as conversas, pequenas conversas, que dão inicio a grandes Revoluções.

E olhe que estamos a falar aqui da Conversa do Século.

É a conversar que mudamos as mentalidades das pessoas e as ajudamos a tomar decisõesAs conversas em redor destas questões incisivas podem desencadear um movimento global que gere significativos desenvolvimentos sociais capazes de mudar verdadeiramente o mundo.

Faço parte desta nova História Cultural.
Faço parte desta nova História Cultural.

 

 O Impacto Do Diálogo Simples

Deixe-me aqui partilhar algo de Margaret J. Wheatley, autora de turning to One Another: Simple Conversations to Restore Hope to the Future (2002)

Margaret J. Wheatley

Trata-se de uma famosa consultora em comportamento organizacional.

Fez doutoramento na Universidade de Harvard, possui um mestrado em pensamento sistémico pela Universidade de Nova iorque e tem desenvolvido o seu trabalho em todos os continentes, em praticamente todo o tipo de organizações.

Por outras palavras, Meg sabe do que fala. Diz o seguinte:

– “Não há forma mais Poderosa de iniciar Mudanças sociais significativas do que iniciando uma conversa.”

Caramba. Nem que lhe pagasse teria conseguido uma afirmação que se adequasse melhor àquilo que estou a explicar.

Numa artigo de 2002 da Utne Reader, Weathley observou que: “a conversa genuína é uma forma intemporal e fiável para se pensar em conjunto.

Antes da existência de salas de aulas, reuniões ou grupos de apoio, havia pessoas que se juntavam para falar.

“Ainda para mais é algo que todos sabemos Fazer. E é algo que muitas pessoas estarão ansiosas por recuperar.

Estamos sedentos de conversas. As pessoas querem contar as suas histórias e conhecer as dos outros.

Estamos a despertar para uma prática antiga, uma forma de reunião que todos conhecemos profundamente.

[fancy_box id=2]

“A Mudança não acontece porque alguém anuncia o Plano.

A Mudança começa no interior de um sistema, quando algumas pessoas reparam em algo que já não toleram ou quando reagem ao sonho de alguém sobre o que é possível.

[/fancy_box]

Sabes que mais, fizemos isso nos anos 60. Nessa época, falávamos muito a sério. Pensávamos  nos nossos filhos, estávamos preocupados com o Planeta, organizávamos ocupações, Fazíamos marchas de protesto, pensávamos com uma antecedência de Sete Gerações… e falávamos, falávamos, falávamos.

Mas, na verdade parece que temos retrocedido desde então.

Pelo menos nesse tempo podíamos Conversar.

Hoje, parece que há menos tolerância, menos aceitação, menos vontade de ouvir um ponto de vista contrário; mais terríveis divisões, mais discórdias.

A Geração da “Paz e do Amor” bem que tentou e onde é que isso nos levou?

Mais do que nunca, sem dúvida que hoje em dia existe uma polarização da sociedade. Mas é disso mesmo que estou a falar.

O que você fez nos anos 60 trouxe nos aqui.

Excelente, agora a culpa é minha.

Não é isso. Quero dizer que os louros são seus. Seus e de muitos outros da geração de 60 que ajudaram a concretizar o Fim de uma Era.

A polarização é o resultado natural de tudo isso. Trata-se do sinal de que uma era está mesmo a chegar ao fim.

O final, de era pode não ter acontecido com a rapidez que desejava há 40 anos, mas, acredite, esse foi o impulso que lançou a bola de neve pela encosta abaixo.

Agora, já é uma Avalanche.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

As eras sempre chegaram ao fim com divisões mais acentuadas entre pontos de vista, entre as ideias  de ontem e as esperanças de amanhã, pois é no final das eras que aqueles que não conseguem abandonar a Antiga História Cultural se sentem mais ameaçados, e se agarram com todas as forças .

 

Muitos dos que entre nós são um pouco mais velhos falam muitissimo nos anos 60.

Sentávamos-nos e falávamos pelos cotovelos, por vezes até o sol raiar.

E assim começou uma mudança de 50 anos na forma de pensar da Humanidade.

Fazer um barco dar uma volta de 180º é um processo demorado.

A Humanidade não podia tê-lo feito mais depressa visto não possuir as ferramentas de amplificação e a “fixação” que existe hoje em dia.

Não éramos capazes de fazer ouvir as nossas palavras nem de “fixá-las”.

Não existia o facebook , Twitter, Youtube e Myspace.

Não tinhamos emails, nem SMS, nem tão pouco motores de busca.

Todo esse mecanismo das redes sociais foi usado em 2011 para amplificar e “fixar” conversas individuais, tendo resultado, como já referi, na mudança absoluta dos Governos de alguns países.

Essas poderosas e amplas ativações e mobilizações teriam sido completamente impossíveis nos anos…

As nossas pequenas conversas podem crescer; as conversas comunitárias podem globalizar se.

Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO
Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO

Além disso, temos ainda mais pessoas a quererem juntar-se.

Temos a juventude. Temos as pessoas nas casas dos 20, 30, e 40 anos. Ora, imagine-nos a todos a alinharmos nessa ação.

Imagine ainda que cada pessoa envolvida em grupos de discussão vai para casa, senta-se ao computador e partilha com a comunidade das redes sociais tudo o que acabou de ouvir e explorar.

De repente, uma conversa entre quantro ou seis pessoas pode tornar-se numa conversa entre quatrocentas ou seiscentas pessoas.

O que fizemos nos anos 60 foi um Bom Começo.

Foi o “começo do começo”.

No entanto, o que se está a passar agora é o Começo com Maiúsculas.

O objetivo do Movimento das Conversas passa por envolver 250 milhões de pessoas na Conversa do Século., num período de 3 a 4 anos.

Hoje em dia o Poder da Comunicação de massas foi aproveitado pelas próprias massas.

E é aí onde reside a diferença. Além disso também não tinhamos as Sete Perguntas Básicas.

Mas acha mesmo que um simples convite para conversar, mesmo nos dias de hoje e numa época de ligações electrónicas, podrá atrair 250 milhões de pessoas para um diálogo?

Se o facebook consegue atrair 500 milhões para falarem daquilo que tomaram ao pequeno almoço, metade desse número poderá certamente ser Motivada a falar de assuntos que realmente importam.

Tudo o que bastará para re-escrever a nossa História Cultural será alcançar a massa critica , nas energias em redor da ideia.

Temos de alcançar um determinado nível no número que esteja minimamente interessada na suas vidas e no Futuro da Humanidade para dispensarem tempo a Explorar aquilo em que todos acreditamos, para depois  proporem aquilo em que poderemos acreditar que possa produzir resultados diferentes.

Impressionam me as palavras de Robert Kennedy:

“Se os tempos que atravessamos são dificeis e desconcertantes, também é verdade que nos apresentam desafios e são criadores de oportunidades”.

Não basta entender ou ver com clareza.

[fancy_box id=1]

“Há aqueles que olham para as coisas tal como são e perguntam: PorquÊ? 

Eu sonho com coisas que nunca existiram e pergunto: Porque não?

[/fancy_box]

 

O Problema não é que as pessoas não tenham vivido aquilo em que acreditam. O problema é que têm mesmo vivido assim.

Essa é uma afirmação muito forte.

As pessoas tem crenças muito arreigadas.

As principais são as crenças de que existimos separados de Deus, de que existimos separados uns dos outros, de que nascemos separados uns dos outros, de que não “temos o suficiente” para sermos felizes, de que precisamos de competir uns com os outros para termos o suficiente, de que é necessário um grande crescimento da economia para produzirmos o suficiente e de que temos de fazer algo para “ganharmos” o direito de ocupar espaço no Planeta, de dizer o que pensamos, de ter o nosso quinhão, de dar a nossa oferenda – e, acima de tudo, de estar junto de Deus no Paraíso.

qual é o teu motivo

 

Tudo deriva daqueles dois primeiros pensamentos: que Deus existe separado de nós e que existimos separados uns dos outros…

(Tive esta conversa real num programa de rádio recentemente. Respondi como está abaixo).

Parece que eu e vocÊ temos uma visão diferente de quem e do que é Deus.

 

Certamente que sim.

Julga que Deus existe fora de si e eu digo que você é Deus – Deus e todos nós – Somos Um só.

Digo também que a ideia de que Deus existe à parte de nós está no topo da lista de crenças que Provocam a Infelicidade da Humanidade.

Como assim? Como é que a Crença de que Deus é Grandioso, é bondoso, pode causar Infelicidade à Humanidade?

Peço perdão.  Não queria dar a entender que Deus não é Grandioso nem bondoso.

Disse, simplesmente, que Deus não está separado de nós ou que não é “outro” diferente de nós.

 

Está a dizer-me que isto é o mais “grandioso” e o “melhor” que se pode esperar de Deus, é isso? 

Deus não é alguém ” diferente” de nós, por isso NÓS somos “Deus” que devemos adorar?

Essa é forte.

É algo que não posso aceitar.

Acreditamos que os seres humanos poderiam sentir que são tão grandiosos e bondosos quanto Deus se ao menos parassem de dizer a si próprios que não é possível…

Não podemos ser tão grandiosos e bondosos quanto Deus. Não podemos e pronto. Isso é ser arrogante.

Sei que acredita nisso e respeito a opinião, mas pergunto me se não se tratará de uma questão de escala.

Não sei se estou a perceber. Agora perdi-me.

 

Bem, eu percebo que não podemos ser tão grandiosos quanto Deus, isso seria Impossível. Uma gota de água do oceano não é um Oceano.

Isso mesmo.

Mas é igual ao oceano, só que uma parte mais pequena.

Assim a gota e o oceano são a mesma coisa . E proporcionalmente ao seu tamanho, a gota pode ser tão grandiosa quanto o Oceano.

Mas permita que lhe faça uma pergunta.

Como julga que seria o mundo se “adorássemos” realmente outras pessoas como se fossem Deus? Acha que as guerras aumentariam ou diminuiriam?

Acha que teríamos mais discussões, mais luta, mais terror, mais violência, ou teríamos menos?

Não é isso que está em causa.

Ai, não é? Então o que é?

O que está em causa é que a forma de diminuir a violência e as guerras, e de conseguirmos um mundo melhor é escutar o que Deus diz e não tentarmos ser Deus. O problema da Humanidade é que é muito egocêntrica e não ao contrário!

Quer que andemos por ai a pensar que somos Deus?

Haja paciência.

Deixe-me tentar uma abordagem diferente. Sinto vontade de salientar que muitos seres humanos não são felizes. Na verdade, a maior parte não é feliz. Nisso estamos de acordo, certo?

Certo, nisso estamos de acordo. O mundo é uma confusão.

Assim sendo, vivemos numa sociedade cujos membros explodem de frustração e raiva para se defenderem, pois ficam desnorteados. Sentem que vivem num mundo que não para de atacar – ou,  pelo menos, de impedi-los.

Impede os de terem o que querem.

A maior parte das pessoas não vê a Humanidade como contribuinte para a criação desse mundo.

Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te
Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te

 

O que podemos fazer nas conversas globais que aqui sugiro é falarmos continuamente de quem somos e da nossa capacidade de Recriar o mundo, bastando para tal aceitarmos a mais plena verdade sobre quem somos.

Se está para ai a referir-se que devíamos andar por ai a proclamar que somos   ” Deus”, desculpe, mas não serei capaz. Consigo apoiar a tentativa de fazer do mundo um lugar melhor, mas não posso apoiar que andemos por aí a deizer disparates.

Agradeço a honestidade. Mas como George Bernard Shaw indicou:

“Todas as Grandes Verdades começam como Blasfémias”.

Bem sei que o que aqui está a ser dito (que somos todos Divinos) vai contra a noção da atual História Cultural, do nosso entendimento atual . Viola os nossos valores. Abana nos.

Chega até a causar irritação. No que me diz respeito, analiso sempre com atenção as ideias que me enfurecem.

A raiva é o primeiro sinal de que talvez estejas a deparar me com algo que não quero encarar; de que sou capaz de estar a enfrentar algo que desafia alguam das minhas ideias fundamentais.

Não acontece sempre, mas descobri que se verifica muitas vezes quando alguém diz algo ou propõe algo que me enfurece.

Por isso não viro costas a uma ideia que me deixa zangado.

Enfrento-a de peito aberto. Exploro-a

Talvez aja algo ali para mim. Talvez encontre algo que precise analisar com mais atenção.

Caso contrário, Que mal faz?

Se nada mais fiz para reafirmar a minha crença prévia e acreditarainda com mais fervor, não será isso positivo?

É por isso que aqui proponho que não tenhamos receio de dizer alguns “disparates”  de vez em quando, pois integrando as nossas conversas em torno desses pensamentos podemos chegar a algo que faça “sentido”, ou então… podemos descobrir que o “disparate” não era disparate nenhum…

Por exemplo, gostaria de lembrar que parte do problema da humanidade nos dias que correm é o conjunto errado de prioridades que assumiu.

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • Pequenas conversas dão inicio a grandes revoluções
  • A mudança começa quando algumas pessoas tomam consciência de algo que já não conseguem tolerar ou quando reagem ao sonho de alguém de que é possivel.
  • As opiniões vincadamente divergentes, tal como as que se veem maioritariamente no mundo de hoje, são sinais claros de que uma era está prestes a acabar.
  • A raiva é um bom indicador de que pode haver algo que tem de analisar com mais atenção.

A FAZER:

  • Faça uma lista das ultimas 5 opiniões, comentários ou ideias das quais se lembra de ter discordado veemente, Volte a analisá-los e veja se encontra algo importante que a Vida lhe esteja a tentar dizer.
  • Recorra ao facebook, Twitter, Youtube, Myspace e outras redes sociais para espalhar a palavra acerca da Conversa Global e do respetivo site em:

www.theglobalconversation.com

[/fancy_box]

E assim chega ao fim mais uma conversa desafiadora, que espero que te esteja a ser útil.

Lembrando te sempre que estamos aqui para Viver a vida na sua plenitude e ser Feliz.

Vemos-nos amanhã, desejando te um dia Iluminado…

Sandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tiveste Medo, mamã?

Tiveste Medo, mamã?

Esta é uma pergunta dificil, não achas?

Mais à frente vou contar te porque este artigo tem o titulo “Tiveste Medo, mamã? Mas primeiro vamos lá falar um pouco sobre MEDOS.

Porque Temos tantos MEDOS?

Vou neste artigo abordar o Medo:

  • Medo de Errar

  • Medo de Fracassar

  • Medo de Arriscar.

Talvez este seja um dos Medos mais presentes no nosso tempo, um tempo em que se vive num império do medo, além dos acima mencionados, há também

  • Medo do Sucesso

  • Medo de Perder o emprego

  • Medo de não saber educar os filhos

  • Medo do futuro

  • Medo, medo, medooooooooooooooooooooo…

Isso tem de Mudar para o nosso bem e das pessoas que nos Rodeiam.

Há pessoas que não gostam, não querem reflectir sobre o que mais as assusta e as impede de avançar…

Preferem ignorar e acreditar que NUNCA se vai realizar ou que  pode ACONTECER para elas…

É normal… É uma forma de nos protegermos, mas acontece que se nunca enfrentarmos os nossos MEDOS, nunca, mas mesmo NUNCA os vamos ultrapassar, isso eu garanto te.

Na minha opinião, o ideal é que se encare o MEDO, que o analisemos (porque os temos), que o ennfrentemos e que percebamos de que forma o podemos SUPERAR.

Por exemplo, as pessoas que têm medo de andar de carro, porque tiveram um acidente e ficaram com “trauma”, ou uma avaria que lhes fez ficar paradas no meio do transito, e a confusão gerada foi demais para a sua mente?!

São Situações que fazem agumas pessoas ficarem com Medo, com muito medo

Acredito que estas pessoas podiam tentar novamente, mesmo que mais devagar, numa estrada onde há pouco trânsito para superarem esse trauma/medo, mas infelizmente não é o que acontece na maioria das vezes. Desistem e deixam que o MEDO as controle.

Quantas e quantas pessoas não acabam por boicotar a própria vida, deixando de fazer coisas que gostam e que precisam devido a essa fobia de andar de carro?

Vou contar te uma situação que me meteu muito MEDO e ainda hoje fico um pouco receosa, mas que resolvi que devia encarar, pois não gostei nada da sensação de estar fora de controle, e não saber o que fazer!

É isso que o MEDO nos faz: PARALISA NOS. Não Permitas!

[fancy_box id=2]

Quando tirei a carta, tinha 19 anos, no dia seguinte fui logo dar uma volta com a minha mãe, que ficou a dar me tantas instruções que acabei por bater num carro! E jurei que não voltava a andar de carro com ela até ter muita experiência e assim foi.

Uma semana depois a minha mãe emprestou me o carro dela para ir ter com o meu marido (namorado na altura) que morava a 25kms e parei numa pequena subida (parecia enorme) num cruzamento, e quando tive oportunidade de me meter à estrada o carro simplesmente começou a andar para trás, olhei pelo espelho e vi um taxi e mais dois carros atrás do taxi, que começaram a buzinar me e fizeram com que ficasse mais nervosa, a minha perna tremia e estava cheia de MEDO de bater no taxi!

Tentei acalmar me mas o que é certo é que aquelas buzinadelas estavam a colocar me mais nervosa, e comecei a pedir a Deus que me ajudasse, e ainda pensei em sair do carro e pedir ajuda, quando de repente um senhor do outro lado da estrada gritou:

Use o travão de mão, menina!

E eu pensei:

“Mas eu não aprendi a usar o travão de mão na escola para estas situações, como é que isso se faz??”

No momento era a única opção e lembrei me de observar o meu pai que tem muito esse hábito, e puxei o travão, coloquei a primeira e com a perna ainda a tremer, acelerei e o carro fez aquele hiii de quem está a acelerar mas não está a tirar o pé da embraiagem e não me perguntes como mas o carro lá começou a andar.

Ainda fui com a perna a tremer durante um tempo, mas lá me acalmei e sabes como resolvi essa situação, mas só passado algum TEMPO?

Fui para uma rua perto de casa que tem uma subida bem íngreme e raramente passam carros e estive a treinar o ponto de embraiagem.

Hoje, são poucas as subidas que me intimidam, mas sempre que encontro uma mais intensa (foto), pimba, o meu subconsciente vai até aquele dia, mas hoje como é mais consciente, penso: –  Calma Sandra, é só uma subida, na melhor das hipóteses, utilizo o travão de mão e chia sempre….Lol

Subida que ainda me deixa um pouco nervosa
Subida que ainda me deixa um pouco nervosa

[/fancy_box]

Sou uma pessoa que gosto de encarar os meus Medos, pois se assim não fosse, hoje

  • não estaria a conduzir, que é uma coisa que adoro;

  • não teria viajado tanto pelo Mundo;

  • não teria feito tantos disparates em Criança;

  • nem tão pouco estaria a desenvolver este FABULOSO negócio a partir de casa que me tem ajudado a crescer todos os dias como pessoa, a ser uma mãe mais presente, uma esposa mais dedicada, e um ser humano humano mais consciente.

Esta vertente deste negócio para o Desenvolvimento pessoal e Coach  faz me mesmo ACREDITAR que não podemos deixar que as nossas EMOÇÕES controlem as nossas AÇÕES.

Confesso te:

Eu sou uma pessoa que tenho muito poucos medos enraizados, o que me  fez fazer muitos disparates na idade do armário!

Conheço muitas pessoas que me confessaram que tem MEDO de tudo o que é desconhecido e o que é que eu fazia para não ter MEDO,  pois, sempre que esta questão surge só sei responder que  eu também tenho medos, só não deixo de fazer nada porque causa do MEDO, que é um Sentimento que nos Impede de Viver, e eu  ADORO VIVER.

 

Quando Alguém Tem Poder Sobre TI, Esse Alguém Controla a TUA Vida, sabes disso, right?

[fancy_box id=2]

Quando era criança tinha algum MEDO da minha mãe, que usava a autoridade e o PODER que dizia ter sobre mim e a minha irmã mais velha, como todas as mães, e metia me MEDOS  tão estranhos que eu não queria ACREDITAR que existissem, eu aprontava(aprontava muito), era muito gozona e a minha mãe batia me, ralhava e dizia que já não sabia mais o que fazer comigo,  sentia-me tão mal e não entendia porque ela não me dava abraços, nem miminhos, era só o que eu precisava, mas ela não entendia e  muitas vezes não  conseguia controlar esse MEDO, e engolia o choro (como ela ordenava), mas lembro me  uma vez de estar a apanhar, e gritava muito:

Eu vou dizer ao Policia porque TU não podes bater me assim que EU sou muito pequenina.

E a minha mãe respondia a tentar apanhar me:

– Vai, sim. E depois ele levam te com eles para uma familia onde ainda te vão tratar pior, mas enquanto o policia não vem anda cá, que eu vou mostrar te a deixares de ser malcriada e a obedeceres me quando te mando fazer qualquer coisa..

A minha mãe sempre foi uma pessoa boa a “rogar pragas de mãe” lol

Cada mãe, faz o Melhor que sabe, ou pelo menos deveria, concordas?

[/fancy_box]

Não Sofras Por Uma Coisa Que Ainda Não Aconteceu.

Eu conheço muitas pessoas que sofrem  por antecipação!

Não fazem nada porque tem MEDO, e porque alimentam as suas mentes com muito “lixo tóxico”, verdade?

É incrível, deixarmos-nos dominar desta forma pelo MEDO! Pela media, pelos jornais, pela nossa Mente!

Quando vivemos focados no passado ou no futuro é isto que acontece!

Vivemos numa ANSIEDADE que não tem fim e com o coração sempre “apertado”!

Martirizamos-nos com pensamentos, mágoas, ressentimentos, culpas,  que nos magoam e nos deixam completamente atrofiados!

AMO a simplicidade das Crianças de andar para a frente,  “ouve” a história que te prometi contar no inicio deste post que me deram duas grandes Lições de Vida

tiveste medo, mama

[fancy_box id=2]

 Tiveste Medo, mamã?

Foi a pergunta que o meu filho Mateus me fez depois de um acidente que tivemos a caminho de casa dos meus pais, há umas 3 semanas, onde vínhamos a aprender as cores em Inglês, e chovia imenso e  ao sair da rotunda,  mas não me apercebi e só senti o carro a fugir para a esquerda e já não consegui controlar a direção do carro…

Assustei me e virei o volante para a direita com toda a força que tinha e o carro começa a fazer um pião, fiquei sem controle e…

…O carro subiu uns pilares pequenos de cimento que estavam em cima do passeio, e quando pensei que o carro se pudesse voltar, pensei nos meus meninos e pedi aos meus anjos da guarda que o carro não se voltasse e o carro parou! Gratidão.

Fiquei com a parte da frente do carro no passeio e o resto na faixa de rodagem… Foi tudo tão rápido.

E perguntei:

– Estão bem, meninos? A luana respondeu: – É.

– O que aconteceu mamã? Perguntou o Mateus.

– Tivemos um acidente, filho, mas está tudo bem.

Espera aqui um bocadinho que a mamã vai ver se saímos daqui- disse eu a sair do carro e a ver os estragos.

Houve um carro que parou mais a frente onde apareceu uma moça nova, a dizer-me que devia de chamar o reboque.

O quê? – pensei, e comecei a imaginar o stress todo que seria se isso tivesse que acontecer, hora do almoço, ter que chamar o meu pai para vir buscar os meninos, trocar cadeiras…ups e stop

Fiz um reset a minha mente e fui ver porque ela dizia aquilo.

Espreitei e vi que a roda da direita, saia bem entre os pilares de cimento e a outra roda tinha mesmo de passar por cima, e disse:

– Acho que consigo tirar o carro, os pilares são tão pequenos, acreditava mesmo.

E voltei a entrar no carro, e quando tentei tirar novamente acelerei e ouvi, scratchhh, como se estivesse preso em algum sitio, e a moça a dizer outra vez:

Ai, se eu fosse a si parava e chamava o reboque senão é capaz de estragar isso tudo por baixo.

E voltei a sair novamente, olhei à volta e vi um carro dentro da rotunda a dar me suporte, e perguntei sem perceber quem estava dentro do carro

– É um homem que está ali dentro daquele carro?

– É, respondeu a moça.

E eu disse deixa me ver o que ele quer e peguei no triangulo, e coloquei a poucos metros do acidente, e fui ter com o senhor enquanto vestia o colete (não sei se sabes mas levas uma multa se não tiveres o colete de segurança vestido), fica a dica.

– A senhora sabe que tem que colocar o triângulo aqui onde eu estou estacionado para avisar os carros que forem entrar na rotunda? – disse me o homem

– Pois, não sabia! Sabe, é que é a primeira vez que tenho um acidente destes, disse eu, nervosa por ter os meus meninos no carro, estar a chover a potes e ser hora do almoço…

-Voçê não consegue tirar o carro dali? Perguntou o homem

E eu respondi muito depressa, esperançosa:

– Consigo , não consigo? A senhora que ali está acha que posso “rebentar” com peças por baixo, mas acho que nem é assim tão alto.

– Dê um cheirinho com a embraiagem e vai ver que sai. Vá lá que eu dou lhe cobertura aqui mais um bocadinho na rotunda.

Agradeci ao senhor pela Gentileza e estava tão certa que ia conseguir que arrumei o triângulo e disse para a moça:

– Sabe, aquele senhor acha que isto é muito baixo, e que sai bem, e eu vou tentar mais uma vez, porque concordo com ele, e vi que o plástico que estava a fazer o scratchh, era no sitio onde colocamos o macaco, e pensei:

“Aqui eu não fico”. Estava molhada que nem um pinto!

E meti a marcha atrás, pé na embraiagem e depois de passar aquele plástico, o carro saiu sem qualquer problema,

Disse Adeus aos senhores e lá fui, ainda sem perceber muito bem, como aquilo me tinha acontecido, mas Feliz porque tinha conseguido.

E, agora a parte mais interessante e SURPREENDENTE da História:

O meu filho perguntou quando já íamos a caminho e ainda estava a digerir aquilo Tudo:

– Mamã, tiveste MEDO?

Parei um segundo perante a pergunta, ía responder que sim, mas  respondi o que realmente senti:

Não filho,  fiquei nervosa porque NUNCA me tinha acontecido nada assim.

E ele vira -se muito rápido e diz:

– Então podemos continuar a aprender o Inglês? (era o que estávamos a fazer antes do acidente)

– Comecei a rir e respondi:

– Claro que Sim, meu filho, e não pude deixar de me sentir GRATA por tudo ter acabado bem.

As crianças são assim, a sua Simplicidade é simplesmente FANTÁSTICA, não achas?

Aprendo muito com os meus filhos, todos os dias. Gosto muito de observá-los…

[/fancy_box]

 

Adoro acompanhar o Crescimento dos meus Filhos
Todos Podemos Ser Livres Para Acompanhar o Crescimento Dos Nossos Filhos

Sabes, eu desde pequena sempre acreditei que estamos aqui para Sermos Felizes e não para sobreviver e Sofrer como oiço algumas pessoas dizerem e sofrerem…

»»»Eu  ACREDITO que estou aqui para Brilhar!

»»»Para influenciar POSITIVAMENTE  milhares de pessoas espalhadas pelo Mundo!

Isso nuca iria acontecer, se vivesse sempre cheia de MEDO, das circunstâncias que teimam em acontecer, right?

Lembra te, somos os criadores da nossa História e temos de ter a SABEDORIA de saber enfrentar os nossos Medos e Emoções, pois só assim estaremos preparados para Viver a Vida que merecemos e podemos dar o exemplo que os nossos filhos Precisam, concordas comigo?

As nossas dúvidas são traidoras e fazem nos perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, pelo simples medo de arriscar, conheço tantas histórias…

Fica a frase para reflexão se tiveres interesse em MUDAR de vida, mas não consegues por causa do MEDO, pensa Bem:

Tudo que é novo é um desafio, que representa Medo, receio, afinal é o “DESCONHECIDO”. Mas sabemos que o medo não vem de DEUS, portanto ele não te daria essa oportunidade se não tivesse certeza que TU és capaz!”

Lembra te que só TU tens o PODER de deixar o MEDO controlar ou não a Tua Vida.

Sabes quais foram as duas, na realidade três Lições de Vida,  que aprendi com estas histórias que aqui te contei:

  • Se Acreditas que és Capaz, não te deixes influenciar por terceiros e faz o que deves

  • Quando deixas que o Medo/Alguém controle a tua Vida, deixas de ter controlo de TI mesmo

  • Devemos levar a vida com mais Simplicidade, pensando e agindo como as crianças.

O medo Impede-nos de Viver, lembra te disso!

Sempre que tiveres com vontade de fazer alguma coisa e estiveres com Medo, vai com Medo mesmo! O medo tem medo da Ação!

Vive uma vida Fantástica!

~Sandra

Porque DECIDI começar um Negócio a partir de casa

Porque DECIDI começar um Negócio a partir de casa

Quando Tomei a Decisão De Me Tornar Mãe Empreendedora Online, com um Negócio a partir de Casa Não Sabia Muito Bem Ao Que Vinha, mas Acredito Que Atraimos O Que Pensamos.

Eu estava á procura de realizar me profissionalmente sem ter Patrão, isso era um facto, depois de tantos anos a trabalhar para outros, DECIDI que não queria voltar a sujeitar me a patrões donos da verdade, a sistemas que não nos permitem expandir a nossa mente, nem sermos criativos.

Nem a horários fixos/rotativos, nem filas de trânsito, muito menos  a um ordenado fixo mas miserável.

Muda de Zona. Só custa o primeiro passo
Muda de Zona. Só custa o primeiro passo

 

Eu sempre acreditei que tive muita sorte, pois mesmo quando andei iludida e a vestir uma camisola que não me pertencia, sempre fiz aquilo que gosto, nunca me queixei muito, e sempre aproveitei todas as situações da minha vida como lições, grandes Lições.

Só no final é que já fazia um sacrificio tão grande que fui de baixa médica, com inicio de uma depressão.

Eu trabalhei durante muitos anos como empregada por conta de outros, mas gostava muito de ser coordenadora de linhas de montagem, e sempre fiz o meu trabalho com muito prazer e adorava estar sempre a aprender coisas novas, e a formar pessoas novas, e a melhorar o processo.

Fiz isso durante 10 anos, e depois de uma greve,  fui “convidada” a sair e estive 4 anos como “robô” com Software desatualizado, desculpa, software muito avançado…ahahah, desculpa não resisti.

Felizmente, aproveitei bem essa altura da minha Vida, e conheci muitas pessoas que sei que fiz a diferença na Vida delas, assim como muitas pessoas fizeram (algumas ainda fazem) a diferença na minha vida.

O Que Eu já Sabia e o Que Sabia Que Não Sabia Quando Iniciei Com o Meu Negócio a Partir de Casa

[fancy_box id=6]

  1. Sabia que Não ia Ter Patrão;
  2. Sabia que vinha aprender formação na área da Era Digital (Nova Era)
  3. Sabia que sabia muito pouco do assunto de internet Marketing
  4. Sabia que estava disposta aprender e a seguir orientações de quem já mostrou que resulta
  5. Sabia que não queria viver um futuro de incertezas
  6. Sabia que quero Educar os meus filhos no conforto
  7. Não sabia que vinha aprender a ser uma Empreendedora Independente
  8. Não sabia que tinha competências Inconscientes
  9. Sabia que tinha de mudar muitas coisas nas minhas rotinas

[/fancy_box]

 

E o mais Importante, sabia que quem me ia Orientar é Uma pessoa que admiro muito, o meu mentor Rui Gabriel, que eu já seguia há  mais de 6 anos, e me Identifico completamente com a Visão dele.

O que me fez prestar mais atenção nele, foi um ebook que ele lançou na altura que me iniciei em Marketing multinivel e o Rui estava na four life e tinham lançado o  magnet system, e ele oferecia o ebook aos subscritores da lista, nesta altura ainda nem sequer sonhava com a Empower Network,

Nesse ebook, estava lá uma história que o Rui conta que envolvia a Melissa, a esposa do Rui e uns canelones.

Ele contou com muita simplicidade como funcionava e como escolhiamos uma boa empresa de MLM (marketing de rede),  Adorei e um dia conto te, hehehe.

 

Muito grata ao meu mestre e Mentor Rui Gabriel
O dia em que conheci pessoalmente o meu mestre e Mentor Rui Gabriel, 27 de Novembro 2015 no  primeiro evento de desenvolvimento pessoal. Evento R-evolução

Sempre gostei de ler o que o Rui escreve, ele é um ser que veio fazer a diferença na Vida de outras pessoas, disso eu não tenho duvidas, pois já o faz a imenso tempo, falo dele sempre que falo de marketing, lol…

Tem uma frase que o Identifica muito BEM:

Um Grande Homem é Aquele Faz Com Que Outros Se Sintam Grandes Também

É verdade, não há muitos a fazerem nos sentir assim, Grandes e cheios de valor como somos na Realidade, mas que infelizmente não estamos formatados para isso e sim para pensarmos com a cabeça dos outros e a seguirmos a maioria. para Realizarmos os SONHOS dos outros…argh

Por isso é que nós aqui na Comunidade da Tribo e na Empower Network somos Gratos ao Rui pela sua generosidade, humildade, Luz e pela sua visão tão Grandiosa, da qual faço parte e que tu só vais saber se tiveres um blog e estiveres a ajudar outros a fazerem o mesmo.

COMEÇA AQUI

O que Procurava Quando Decidi Ser Uma Mãe Empreendedora?

Eu quando comecei esta caminhada no mundo on line, procurava uma Carreira, pois os 2 anos que estive em casa como mãe e dona de casa, mostraram me que não nasci para isso:
Adoro acompanhar o Crescimento dos meus Filhos
Adoro poder acompanhar o Crescimento dos meus Filhos

 Não nasci foi para ser dona de casa ;oD

Vim ser Empreendedora para arranjar uma ajudante, nestas tarefas
Vim ser Empreendedora para arranjar tambem uma ajudante, nestas tarefas

Voltei a Universidade, mas esta é a Universidade do Futuro

Aprendemos, Aplicamos e Ensinamos como montar negócio a partir de casa

Ajudamos te a descobrir a tua VOCAÇÂO, aquilo que mais sabes  Fazer e GOSTAS

e Transformamos isso em DINHEIRO

Não sei se sabes, mas é uma das Profissões mais bem Remuneradas do Futuro e do momento, para quem sabe o que faz, e faz o que sabe.

TU também podes APRENDER.

De certeza que quando começaste no teu primeiro trabalho/emprego tiveste de aprender, certo?

Erraste muito, ou pouco, conforme as tuas Capacidades de Aprendizagem, mas depois que Aprendeste, Hã? É como em tudo o que te propões aprender. Tens de passar pelo processo.

Aqui é parecido, a diferença é que é um negócio Teu, onde TU  decides até onde podes ir, onde podes expandir a tua mente e dar opinião para melhorar o processo, o que não acontece na maioria dos trabalhos, verdade?

Sou Mãe Empreendedora na àrea da formação Digital na Universidade da Tribo, juntamente com a empresa de afiliados, com os videos de treino da Empower Network, onde se aplicares o que vais aprendendo, não tens como não alcançares os teus os objetivos, e melhor estas apta(o) para ensinares outros a fazerem o mesmo, faz sentido?
[fancy_box id=1]
 A ideia da Universidade da Tribo, fundada pelo Rui Gabriel, Empreendedor Digital de Renome Internacional, é que qualquer pessoa comum que tenha interesse em mudar de vida, aprenda uma nova profissão, com um negócio próprio a partir de casa, onde vais descobrir a tua vocação, a tua melhor versão, e melhor que tudo: Viver sem Depender de SISTEMAS cheios de falhas e patrões exploradores.
[/fancy_box]
Aqui na Universidade,  todos tem a oportunidade de mostrar o seu melhor   
E tu?  Preferes ganhar bem e fazer algo que não gostas, ou não te importas de ganhar menos mas fazes aquilo que realmente sabes e Amas?
 Ainda existe uma terceira opção que eu desconhecia até vir aqui parar a este projeto!

Podes fazer o que mais gostas e ganhares muito DINHEIRO com isso, sabias?

Como em todos os negócios este não é diferente e requer de Muito ESFORÇO, DEDICAÇÃO e EMPENHO da tua parte.

Não Venhas ILUDIDO(A).

PODES Ganhar Muito DINHEIRO, mas tens de fazer a tua parte!

Lembra te que os resultados não são tipicos, podes ver rendimentos médios AQUI

Quando resolvi aprender a trabalhar com a nova Era digital, não percebia nada de internet Marketing,  eu só estava focada em prender uma nova profissão, para não voltar a ter patrão, eu estava desempregada e com dois filhos pequenos, sem saber muito bem como lidar com esta incerteza do futuro, agora que Deus me tinha abençoado com a minha menina.
Minhas estrelinhas
Minhas estrelinhas
Mas eu sou fã de uma frase de Confucio que concordo em pleno, por isso aqui estou
[fancy_box id=2]
“Quem encontra um trabalho que goste de fazer, jamais terá de trabalhar um único dia”
Concordas?

Encontra a tua vocação e não trabalhas nunca mais.

[/fancy_box]
Não há nada melhor na vida do que trabalhares naquilo que gostas mesmo de fazer, e se te pagarem muito bem por isso, melhor ainda, certo?
Tinha uma coisa bem clara em mim.
 
Não queria voltar a ter patrão, mas o que é certo é que voltei a ter, mais duas vezes até me decidir.
Um deles, durante 1 ano e meio, num infantário, em abril de 2011 onde choquei demasiado com a patroa e abanei demais o sistema familiar “perfeito”, ganhava muito mal para as funções que tinha, mas amava estar com as crianças.
Não faço de propósito para mexer com os sistemas, acontece com as minhas ações naturais, lol
bannercorreiodoblog-tnprt-131
Depois, tive outro em 2013 onde era um trabalho de emprego-inserção através do centro de emprego.
Quando me inscrevi tinha interesse em ir trabalhar numa escola com as crianças ( que adoro), mas como já não havia vaga aceitei este EMPREGO, onde o que recebia eram cerca de cento e poucos euros e o subsidio de desemprego, que não chegava aos 350. Trabalhava das 8h30 as 16h30.
Percebi que precisava de fazer algo, urgentemente. Pois aquele emprego a mim não me dizia nada.
Há pessoas que gostavam muito de ter este tipo de emprego, tenho a certeza, mas eu não!
Eu gosto de ação, aprender e sei que é preciso EDUCAR a nossa mente constantemente, eu sentia necessidade de me sentir útil, e ali naquele emprego tirando as poucas vezes que atendia alguém, não aprendia grande coisa, nem tão pouco me sentia útil.
Rapidamente, comecei a aproveitar o meu tempo “morto”:
Enquanto algumas colegas liam livros, outras jogavam no facebook, eu aproveitava para ouvir videos no youtube do segredo, da lei da atração, que sempre acreditei, mesmo que não soubesse que se chamava assim (famosas competências Inconscientes).
Já tinha lido o livro, aprendi algumas coisas e depois larguei,  mas foi nesta altura que me aprofundei mais no negócio que o Rui Gabriel fazia.
Lei da atração em Ação novamente.
Entendi que era um negócio, logo tem investimento 
Entendi que estava ligado a àrea da formação digital, sistema de afiliados (tipo Amazon).
E que eram os videos que me iam ensinar como ganhar dinheiro na internet e ter uma  nova profissão.
Isto passou se em  2013 e eu só DECIDI pegar no meu cartão e comprar o meu blog no dia 21 de Setembro de 2015, o dia de Aniversário do meu pai, no dia anterior o meu Mateus tinha feito três anos.
Nessa semana DECIDI iniciar o meu negócio a partir de casa para não ter novamente patrão, mesmo com alguns MEDOS e muitas EXPETATIVAS, mas um DESEJO muito mais Forte.

 E hoje oito meses depois de ter iniciado,  sabes o que mais me ENTUSIASMA neste projeto?

Não é o estar a GANHAR DINHEIRO ONLINE e Sim a Transformação que a minha pessoa teve e continua a ter, depois que me iniciei neste projeto, com uma vertente tão Voltada ao Desenvolvimento Pessoal e ao Crescimento Interior,

Foi nesta altura que fiz também o nivél II de Reiki nesta altura que está relacionado com a nossa Evolução Espiritual.

O Que Fiz?

Comecei AQUI

Depois?

Fui colocada nos Grupos de trabalho do skype e comecei a aprender com os audios e videos da Empower, com as formações, os hangouts e os eventos de Desenvolvimento Pessoal, e num instante Ganhei Competências e desenvolvi aptidões que até então não tinha, nem sabia que tinha, outras tinha e aperfeiçoei, outras ainda estou adquirir…

É um processo…

VÊ o nosso Manifesto AQUI, onde podes conhecer qual é a nossa Missão e os  valores que seguimos, quem SOMOS e para onde vamos.

Porque te conto tudo isto? Porque sei que também TU podes estar farta da Vida/Emprego que tens!

[fancy_box id=1]

Se sentes que estás numa situação que já não queres e já não deixa a tua vida avançar, pergunta te:

  • O que me impede de Mudar?
  • Porque não “chuto o balde” e faço o que sei que tenho de fazer?

Não resistas à Mudança, permite te descobrires quem realmente ÉS, e tudo o que podes alcançar se mudares a tua forma de pensares daquilo que realmente queres para a tua vida

[/fancy_box]

Sem Processo não Sucesso

A maioria desiste durante o processo, por pressões externas, outros porque  Acreditam que afinal é mesmo só para os outros, outros vem iludidos, a pensar que não precisam de fazer nada, precisas sim, e muito, são muitos os MOTIVOS que te fazem desisitir, e outros tantos que te Fazem COMEÇAR.
 
 
Apesar de no inicio ter estado a “resistir” de sair completamente da minha Zona de Conforto em algumas situações” fez me andar a escalar a Montanha errada durante algum Tempo, e o processo assim foi muito mais Intenso, as frustrações foram maiores, os erros também, mas o não ter desistido nos primeiros obstáculos tornou me mais forte, , e fez me RESISTIR AO PROCESSO que é intenso, mas muito GRATIFICANTE.
 
Cada um de nós tem as suas Capacidades, eu tenho as minhas CAPACIDADES, e adquiri MUITAS COMPETÊNCIAS a nível Pessoal e Profissionais desde que aqui estou.
 
Transformei me numa outra Pessoa, completamente Renovada!
 

Se EU fui Capaz, TU também és, não tenho duvidas disso.

Só tens de te DESAFIAR e ACREDITAR mais em TI

Gostavas de ter o teu Negócio, ser DONA(o) da tua VIDA e ter Mais Tempo para estares com a TUA Familia?
Está Disposto(a) a dar o TEU MELHOR para que as Coisas Aconteçam, sabendo que vais ter sempre suporte?
Começa AQUI e depois  fala comigo Skype: sandra.galao
Faz dos teus dias, dias Magnificos como TU.
 ~Sandra
%d bloggers like this: