Etiqueta: missão de vida

Como Ganhei Aversão à Disciplina?

Como Ganhei Aversão à Disciplina?

Começo hoje um artigo sobre Disciplina, lançado  pela minha colega e amiga Chus que lidera o novo desafio #BlogChallenge300 da qual aceitei fazer parte para me poder disciplinar mais um pouco.

As perguntas que ela achou pertinente que respondêssemos num novo artigo foram:

– Qual é a tua experiência com a disciplina?

Eu respondo contando como ganhei aversão a palavra DISCIPLINA e como foi difícil para mim perceber a importância da mesma na minha vida.

Descobri da pior forma que irei contar te ao longo deste artigo.

Em criança fui educada na base da autoridade, da Imposição e do Medo (Suposto Respeito)  por parte da minha mãe, que como foi criada em alguns colégios de freiras e padres que mandam e quem lá está obedece, sempre quis impor a verdade que tinha sobre a forma que devemos ser e viver , e eu como criança diferente que sempre me senti, “comprei” uma Guerra com ela, ao não aceitar de ânimo leve todas as coisas importantes que devia aprender, e tudo aquilo (a disciplina principalmente) que ela me quis ensinar e que eu decidi não achar importante aprender, porque achava que ela me estava a impor e não que fosse importante para a vida, risos…

E lá em casa tínhamos mesmo de aprender a ter disciplina senão a colher de pau e os castigos entravam em ação!

Tinhamos uma escala (tipo horário escolar) com as tarefas diárias que devíamos fazer depois de virmos da escola, (eu e as minhas irmãs) .

Eu primeiro ía tagarelar com as amigas e achava sempre que conseguia chegar e limpar o pó, ou lavar a casa de banho antes que a minha mãe chegasse, mas o que é certo é que foram poucas as vezes que consegui fazê-lo, pois sempre que me apercebia que a minha mãe tinha chegado do trabalho primeiro que eu, ficava “montes” de tempo com a amiga Luisa por baixo do prédio “a tentar ver” o que ía dizer a minha mãe (desculpa)…

É verdade que eu tinha muito medo da minha mãe, pois impunha de uma forma que eu considerava absurda (até ver outras mães piores) a disciplina e a ordem!

Tudo tinha que ser da maneira da minha mãe e AI de nós que não obedecêssemos.

De três irmãs eu era sem dúvida a que dava mais trabalho, pois como não conseguia atenção em casa, “procurava” na escola sendo uma menina levada da breca, pois estava sempre a “discutir” com o sistema.

Pensava:

– Em casa não funciona mas aqui na escola não é muito melhor, os professores são uma seca e só querem debitar matéria.

E o meu comportamento só piorava…

Costumas IMPOR a Tua Vontade Quando Queres Mandar e Não te Obedecem?

Hoje, fazendo uma análise profunda de tudo o que já vivi e porque ainda tenho certos bloqueios, percebo que foi nessa altura que comecei a tomar uma grande aversão à disciplina e a tudo o que a minha mãe me tentava ensinar de forma autoritária.

Lembro me que uma das coisas que mais me enervava era ter que limpar aos dias estipulados, eu tinha a mania que era do contra….hehe! EU não queria era limpar então adiava sempre muito e discutia todas as regras impostas da D.Alice.

Uma das histórias que ainda hoje me lembro e me faz rir, foi quando tinha os meus 14 anos e estava no quarto a ler um dos meus livros de banda desenhada ou a fazer outra coisa qualquer e a minha mãe me chamava para ir buscar um copo de água (tipo criada), ela sentada a fazer o seu crochê e eu de Raiva dava sempre um Golo (risos) antes de lhe entregar o copo, normalmente não se apercebia, mas quando acontecia dar um golo maior e não voltava a encher fazia me voltar mesmo que jurasse de pés juntos que não tinha dado o golo….. Ups

Conto te estas minhas histórias pessoais para que comeces a analisar um pouco da tua história e da educação que tiveste, pois garanto te que muitas das tuas limitações e bloqueios veem do teu passado e das pessoas que tiveram influência na tua vida…

Vou passar hoje à 2ª segunda pergunta feita pela Chus no desafio de #BlogChallenge300…

– Tu és DISCIPLINADA?

Sendo O Mais sincera possível, não! Tenho muito para trabalhar, mas agora há uma coisa que eu hoje sei, que até bem pouco tempo não sabia, quer dizer não queria mesmo saber, risos…

Continuo muito indisciplinada, sou bem distraída, mas hoje sei que foi porque estive muito tempo a olhar para a disciplina como algo que uma conotação Negativa… e é agora onde digo:

– Ai se eu soubesse o que sei hoje…AHAHAHAH

Sabes que descobri que não foi só a minha mãe que me quis ensinar como é importante ter a tal da Disciplina…

Lembro me quando tinha os meus 11/12 anos de ter ido para o Atletismo, a minha mãe precisava urgentemente que eu me ocupasse, pois os disparates eram mais que muitos e apesar de ser uma mãe bem alerta, eu adorava ser malandra…

Só te sei dizer que já nem com os castigos e as tareias tinham muito efeito em mim… e mal sabia ela que ainda estava só no inicio da minha rebeldia!

Apesar de não ter gostado logo daquelas pequenas maratonas, consegui ficar um pouco Motivada com a velocidade, salto em comprimento, salto em altura, e adorava a estafeta e

Tinha um pouco de receio de saltar as barreiras…

Essa decisão de que me devia “ocupar” foi tomada depois da reunião com o diretor de turma no final de 85.

Tinha reprovado no 5º ano, com 3 negativas. Na altura ainda podíamos ir a conselho de turma para tentar que passássemos, mas quando me disseram que o comportamento seria um fator crucial para passar, pensei:

– Estou F… lixada! (na altura dizia muitos palavrões)

A reunião aconteceu e ouvi o meu diretor de turma dizer:

– A sua filha não é Burra, D.Alice pelo contrário até é muito inteligente, só que distrai se muito, não consegue estar sossegada na cadeira, e o pior de tudo, é que ainda destabiliza os outros…

…Sem falar nas faltas… (na altura os pais só eram alertados quando atingíamos metade das faltas),  Acredito que o melhor será repetir o ano. Finalizou.

E, olhei para a minha mãe e vi-a “fuzilar me” com os seu olhar gélido que me fazia tremer por dentro, cada vez que dava a entender que não era educada em casa…

Nem imaginas os castigos que tive nesse ano:

Desde fazer as tarefas todas de casa sozinha, não poder ir à praia, ainda me deu uma tareia para aprender a não ser malcriada e a perceber a obrigação que tinha de aprender a ler e a escrever (aprendi a escrever com a colher de pau ao lado)…

Eu e todos os adolescentes que fazemos isto, só queremos ser ouvidos pelos pais, professores e educadores, e eles normalmente só querem impor, e seguir a educação que tiveram e que acham que é a certa, concordas comigo?

Resolvi fazer um vídeo e responder te às duas últimas perguntas que a Chus nos colocou:

Tu achas que a disciplina é importante na tua vida?
Quais os benefícios que tens com a disciplina?

Sabes que desde que descobri que a DISCIPLINA é uma coisa boa e que posso ser indisciplinada dentro da disciplina, sinto me inspirada para poder partilhar contigo tudo o que tenho aprendido ao longo desta minha caminhada.

Não digo no vídeo onde te respondo às questões colocadas pela Chus, mas sou muito GRATA ao Rui Gabriel o fundador da Comunidade da Tribo, (para mim a melhor comunidade de empreendedores online em língua Portuguesa e Espanhola), pois foi Graças a ele, aos membros da Comunidade e a mim, claro (risos) que hoje faço aquilo que mais AMO e ajudo outras pessoas a fazerem o mesmo!

Nem sempre acreditei que fosse possível ser abundante de tudo incluído de dinheiro, mas depois que entrei neste projeto e conheci de perto pessoas comuns que apesar de terem muito dinheiro continuam a ser simples integras e de confiança, passei a acreditar e a ver  isso a acontecer comigo.

Não te vou mentir e dizer que é fácil o caminho de ser empreendedora, e se tiveres uma mente de empregada e estás cheia de crenças limitantes…

Todos temos  um processo que nem sempre é de rosas, mas é de muito Crescimento e cada um tem que haver a sua parte.

Quando decides que queres ter um futuro melhor, te comprometes a dar o teu melhor e dizes sempre sim a tudo o que sabes que te vai aproximar dos teus sonhos, acontecem coisas fantásticas na tua vida e na tua pessoa, isso garanto te pois aconteceu e acontece com todos os tribalistas aqui na Comunidade da Tribo e com as pessoas que são bem sucedidas.

Vive a vida Livre

~Sandra Galão

Porque temos tanto Medo de viver a vida na sua pleniude?

Porque temos tanto Medo de viver a vida na sua pleniude?

Porque temos tanto Medo de viver a vida na sua pleniude?

Vão sempre haver pessoas que estão a viver momentos de crise.

Perdidas no tempo e no Espaço, sem qualquer esperança no Futuro, à espera que algo de diferente aconteça, sem fazerem nada de diferente.

Também pensas assim?

ESQUECE,  não vai Acontecer nada, e tu sabes bem disso, não é verdade?

Precisas de sair do sofá, do computador, da frente da televisão, dessa zona onde não acontece nada de nada de diferente, quer dizer, ficas cada vez mais perdido e sem ação, não é?

Sei o que isso é!

Muitas pessoas continuam agarradas à televisão como se mais nada houvesse para fazer, é uma companhia, dizem me!

Alimentam a sua mente  ver as noticias sobre violência, pedofilia, crise, corruptos e problemas que infelizmente não controlamos, e só ajudam a sermos pessoas muito mais amedrontadas, com Medo por vezes  da própria sombra, e por isso deixam se ficar, em vez de irem  à procura de algo de novo para fazer de preferência que adorem, faz sentido?

Eu ainda “vejo” algumas noticias, o meu marido ainda não fez o desapego, normalmente conversamos mas ele ainda gosta de ter aquele barulho de fundo…. Lol.

É incrivel a quantidade de más noticias que passam, diria que 90% são noticias Ruins, infelizmente são as que vendem.

A televisão é um dos meios que Influencia a população que dela usufrui, para o bem e para o mal, mais para o mal, porque ” Vivem da desgraça dos outros”

– Não devia ser assim, pois não?

Tudo vem com um Propósito:

Construir e Destruir.

Todos temos o PODER de fazer a  nossa escolha;

Podemos fazer parte da SOLUÇÃO e não do PROBLEMA.

Resolvi fazer parte da Solução e hoje vejo muito pouca televisão;

  • Alguns bonecos com os meus filhotes que me ensinam muito.

  • E as tais noticias à hora do almoço, ou quando o marido está em casa a ver o futebol, os seus programas de pesca e culinária.

Não que eu tenha alguma coisa contra quem vê televisão, eu mesma já fui bem viciada na televisão, antes de começar este novo negócio de ser mãe empreendedora online em setembro de 2015!

Adorava ver series (Csi, Mentes Criminosas e outras) onde todos trabalhavam em equipa e me faziam sonhar com a Comunidade da Tribo… risos,  Saiu me agora…

Mas sempre pensei assim:

Acredito que somos mais fortes quando juntamos o melhor de cada um , seja em que área for, Politica, Religião, Empresas, Saúde,  em tudo na vida…

Hoje vejo o tanto tempo que podia ter investido mais em mim enquanto via as muitas novelas Brasileiras.

[fancy_box id=5]

Não pensei que fosse conseguir deixar de ver novelas completamente, mas é como qualquer vicio!

Um vicio é um hábito que se cria com outro, sabias?

Para que o possas largar, tens de ter uma ótima recompensa que valha o esforço, right? Ou então tens de apanhar um grande susto!

[/fancy_box]

Não me arrependo de ter passado tanto tempo viciada nas “minhas novelas Brasileiras”, pois aprendi muito com as mesmas e ajudaram me muito a saber o que quero da vida:

  • Aprendi que todo o tempo que empreguei em novelas, filmes e series serviram me para que hoje viva mais Alerta e com mais Conhecimento sobre certos assuntos que desconhecia.

  • Aprendi que temos de ter atitudes e sair da nossa Zona de conforto para que alguma coisa de diferente aconteça na nossa vida.

  • Aprendi que a nossa Vida está sempre em constante Mudança

  • Aprendi que temos de Dar muito primeiro para depois Receber

  • Aprendi que há muitas pessoas más, mas muito mais Boas, temos de aprender a conhecê-las.

  • Aprendi que temos de nos saber dar o devido valor para que nos respeitem.

  • Aprendi a Respeitar a Natureza e a agradecer

  • Sabermos colocar nos no lugar do Outro ( Não Faças aos outros aquilo que não gostarias que te fizessem a Ti)

Aprendi depois de ter deixado de ver novelas e tanta televisão que devemos investir mais tempo em nós e no nosso Futuro.

Durante a minha adolescência senti me muitas vezes perdida, por não saber o queria do meu futuro, e então qualquer caminho servia.

Coloquei me em muitas situações “estranhas” e perigosas tudo porque não sabia o que queria e então andava a experimentar tudo o que me aparecia pela frente e despertava a minha curiosidade.

Era uma adolescente muito Rebelde, uma Maria com as outras , dizia me a minha mãe, muitas vezes.

Como sabes, ou não, cresci num bairro Social, onde naturalmente a maioria dos jovens não tem um futuro muito promissor, deixamos nos levar uns pelos outros à procura de saber quem somos;

Fazemos coisas que nada tem a ver com a nossa pessoa, nem com os nossos valores!

Vou contar te aqui um episódio que se passou comigo na adolescência, nos meus 14 anos:

Incutimos que devemos querer tudo o que está na moda,  coisas de marca e tudo o que os nossos amigos ou colegas têm!

Na altura comecei a andar com a Celma e a Ema lá do vale de amoreira mas de outro bairro, tinha as conhecido na escola do Vale onde acabei por andar só um ano (muito más influências) .

Começou assim a aventura de quem não sabe quem é nem para onde vai:

 

[fancy_box id=1]

 

Quando me sentia Livre e Feliz
Quando me sentia Livre

Certo dia estava eu, a Celma e a Ema? a falar da roupa de marca, e que os nossos pais nunca tinham dinheiro para comprar nada e que assim nunca vamos conseguir ter roupa de marca, na altura as chevignons, Uniforme e C-17 é que estavam na “berra”.

E a Celma vira se e diz:

– Não é assim tão dificil teres umas calças de marca.

– Como assim, tu tens 20 contos  para comprar umas calças? – A minha mãe diz que tenho de trabalhar para poder comprar umas. Respondi!

Desconversou, e disse me que no dia seguinte iam “buscar” calças e que se eu quisesse saber como tambem ter umas, que estivesse no sitio tal, à hora combinada.

E assim foi, na hora combinada lá estava bem entusiasmada por ir ter umas calças novas.

Fomos as mesmas 3 do dia anterior.

Fomos até um bairro que ficava a 10km de distância e nunca mais me vou esquecer quando paramos na esquina daquele prédio onde as traseiras era só natureza  e a Celma diz-me:

– Estás a ver ai esse estendal (um R/C de chão cheio de calças e roupas de marca estendidas na corda)?

– Sim, o que é que tem?- Respondi sem perceber nada

– Vê as calças que te servem e tira umas para ti.

No momento fiquei chocada com o método usado, e argumentei, mas estavam lá umas C-17 e tirei, fiquei muito nervosa, pois sabia que não estava a fazer uma coisa certa, mas a vontade de ter umas calças foi maior e trouxe-as.

As calças pareciam que tinham sido feitas para mim, usei-as muito e disse a minha mãe quando as descobriu, que me tinham sido oferecidas por uma amiga porque não lhe serviam e não dava para trocar (tive de arranjar uma amiga para dizer isso).

A minha mãe sempre foi alerta, por isso não fiquei perdida.

Nunca mais voltei a andar em tais companhias, nem a roubar calças de ninguém.

Coloquei me no lugar da dona das calças e fiquei muito triste com a minha atitude.

Até hoje não dou muito valor as marcas, nem a pessoas que roubam, nem as mentiras.

[/fancy_box]

Sim,  fiz muitas coisas que não me orgulho, andava mesmo perdida. Hoje sei que fizeram parte do processo para estar onde estou.

Escuta esta história dois anos depois, onde continuava mais perdida que nunca:

[fancy_box id=2]

A minha mãe diz que quando tinha os meus 16 anos sentou se para conversar comigo, pois já não aguentava tantas queixas dos professores por causa do meu comportamento, e a falta de atenção nas aulas  e perguntou me:

Sempre Sonhei ser Livre
Sempre Sonhei ser Livre

Mãe: – O que queres fazer da tua vida?

Sandra- Não sei, mas não gosto de estudar – Respondi

Mãe: – Se não queres estudar vais ficar em casa a limpar a casa

Confesso que não me recordo nada desta conversa :0D

Sandra – Vais me pagar?

Mãe – Já te dou de comer, visto, calço te, dou te educação e ainda queres que te pague?

Sandra – Então, não vou trabalhar , tenho de receber, ou não? – Perguntei

Final da conversa:

Sem receber não estava disposta a ser a “Gata Borralheira” e voltei a estudar até ao 12ºano e depois quis ir trabalhar, a escola não me dizia nada.

[/fancy_box]

A minha mãe ficou triste por mais uma filha não querer ir para a faculdade.

Eu queria era ganhar dinheiro para ser “Independente”, comprar as minhas roupas e sair.

Via a minha irmã mais velha, que já trabalhava a comprar roupas e sapatos e também queria, pois não me emprestava nada.

O que te quero dizer com estas histórias é que muitas vezes na nossa vida, nos deixamos levar por más companhias, não pensamos por nós próprios!

Mas hoje sei que são tudo desafios que Deus  coloca na nossa vida a testar  nos para sabermos:

  • Quem realmente somos

  • Qual a nossa missão?

  • Qual o Valor que temos?

  • Qual o valor que temos para os outros?

  • Qual o nosso carater?

  • Queremos mesmo isto? (qualquer situação que se repita várias vezes)

E Como Podes Saber Se Estás no Caminho Certo?

diz sim a vida e escolhe o teu caminho

 

Falo te pela minha experiência de quem passou e ainda está a passar por desafios diários constantes a descobrir quem realmente Sou de Dentro para Fora.

A Minha Melhor Sugestão:

Acorda para a vida, e vê os sinais que te aparecem todos os dias, mas que continuas a ignorar, porque não te Sentes preparado(a) sabe se lá para o quê, ok?

Vais ver que assim que decidires sair dessa Zona de Conforto, que te irrita mas não te “expulsa” vais sentir te muito mais Feliz!

Para começares a Dizer sim à Vida, tens de envolver-te em qualquer coisa que gostes:

  • Um curso que já queres fazer há muito tempo, mas ainda não foste à procura de informação sobre o mesmo

  • Um livro que queres ler sobre um assunto que te interessa

  • Tirar a carta de condução

  • Um novo emprego, se continuas a achar que não tens perfil para empreendedor

  • Uma nova profissão se achares que chegou a hora de começar algo 

    completamente novo e rentável

 

E a verdade é que num instante começas a descobrir quem és e o que andas aqui a fazer;

E as oportunidades continuam a aparecer, e tu a aproveitá-las, sabendo que uma maratona de 10.000km começa com o primeiro passo

Tens consciência disso, certo?

A única coisa que tens de começar a fazer é  dizer SIM à vida,

Se parares de reclamar tanto e Agradeceres mais vais ver a tua vida mudar!

E depois nada te pára pois quando temos uma missão na vida, é ela que nos faz caminhar sem Medo de Errar.

Aproveita bem a vida, pois ela passa tão depressa que é uma pena ver tantas pessoas deixa la passar, sem que tenham feito nada para Mudar isso!

Estou aqui para te ajudar no que puder, espero no fundo do coração que decidas sair dessa Zona desconfortável e que não te leva a lado nenhum.

Pára de Viver a Vida dos outros, ou a vida que os outros querem que vivas, e procura um Motivo para Viveres a tua, e vais ver que deixas de estar perdido(a) no mesmo instante.

Precisas de dar o primeiro passo. Só tu podes fazê-lo!

Depois, estou aqui se achares que te posso ajudar

Acredito  que farás as escolhas mais acertadas para viveres uma vida fantástica, a vida que tu escolheste.

~Sandra

%d bloggers like this: