Etiqueta: evoluçao da alma

O Que Não Entendemos Sobre Nós Próprios Em A Mudança Está DENTRO de SI

O Que Não Entendemos Sobre Nós Próprios Em A Mudança Está DENTRO de SI

Olá, olá aqui estamos nós para a 12ª Conversa do desafio que Começou AQUI.

Como sabes todos os dias escrevo aqui uma nova Conversa do Livro “A Mudança está DENTRO de SI”.

REFLEXÕES PESSOAIS

As questões mais difíceis e significativas voltam sempre para nos inquietar. Por mais que nos dediquemos às coisas exteriores e materiais da vida, no final do dia, quando deitamos a cabeça na almofada e fechamos os olhos, voltamos sempre ao nosso EU Interior.

TERCEIRA QUESTÃO:

 

[fancy_box id=1]

Existirá algo que não conseguimos entender plenamente sobre nós, da nossa vida e do seu propósito, e cujo o entendimento mudaria a nossa Realidade para melhor e para sempre?

[/fancy_box]

Claro que sim.

Não compreendemos quase nada sobre nós próprios.

Nem sequer percebemos como pensamos ou o que nos leva a pensar da forma como o fazemos.

Não compreendemos quem somos nem onde estamos, como aqui chegámos e porque raio aqui estamos.

Não entendemos a nossa relação com Deus, a nossa relação uns com os outros, o nosso propósito de vida e… o mais lamentável de tudo…

Não compreendemos o Amor.

o que é o amor

Não entendemos porque tudo acontece na nossa Vida da forma que acontece e não sabemos como lidar com o que acontece quando realmente acontece.

Estamos completamente à deriva no que toca a explicar grande parte daquilo que sucede à nossa volta – e mesmo que encontremos uma explicação, não sabemos dar-lhe um uso funcional, colocá-la em prática .

A propósito, eu já me incluí neste grupo. Por isso consigo dar a resposta tão prontamente.

Lembro-me bem de quando não entendia e sei que ainda resta muito para entender.

Só aos 50 anos consegui perceber que o propósito fundamental  da minha  vida era recriar-me de novo na mais Grandiosa Visão que alguma vez tive acerca de Quem Sou .

Não sabia que cada AÇÃO é uma AÇÃO de auto-definição.

Quando , num momento de profunda ansiedade, perguntei a Deus porque não estava a minha vida a resultar, Deus Respondeu:

“É simples: – JULGAS Que A Tua Vida Tem Só A Ver Contigo.”

Foi-me dado a ver que a minha visão não tem nada a ver comigo, tem, sim, a ver com todas as pessoas cujas vidas toco –  e com a forma como o faço…

Quem dera que alguém me tivesse dito isto há 30 anos…

Não sabia que era Sagrado. Uma vertente Sagrada do próprio Sagrado, julguei que não era nada, que era mais pequeno do que um grão de areia no céu cósmico.

Foi então que Descobri Quem Verdadeiramente SouQuem Todos Somos – e o Que Estamos Aqui a Fazer, e foi isto que Mudou a minha Vida.

Descobri que nada sabia acerca das Verdades autênticas da vida.

Julguei que se tratava de:

  • Ter aquele carro,
  • Conquistar aquela mulher,
  • Ter determinado emprego,
  • Obter um diploma,
  • Casar,
  • Ter filhos,
  •  Ser aumentado,
  • Comprar um carro melhor,
  • Conseguir um emprego melhor,
  • Mudar para uma casa maior,
  • Ficar com o cabelo grisalho,
  • Ter netos,
  • Passar para o gabinete no último piso,
  • Ganhar o relógio da reforma,
  • Passar à reforma,
  • Comprar bilhetes para os cruzeiros,
  • Comprar o apartamento mais pequeno em troca da casa Grande,
  • Adoecer,
  • Ser alvo de comiseração e ir desta para melhor.

Era isto que eu pensava que a vida era.

Mais tarde, soube que tinha na Terra uma Missão Divina, ao serviço do propósito da Alma e que passara 98% do meu tempo ocupado com 98% de coisas que simplesmente não interessam.

[fancy_box id=5]

Agora já sei.

Como dizia o meu pai:

“A Velhice chega demasiado cedo, a sabedoria demasiado tarde”. 

E como a minha costumava dizer:

“Mais vale tarde do que nunca”.

[/fancy_box]

Será que existem coisas que a maior parte de nós não entende  acerca de nós próprios e acerca de quem Somos, e cujo o entendimento poderia alterar as nossas vidas para sempre e para melhor?

Claro que existem.

[fancy_box id=4]

PONTOS FULCRAIS:

  • Pouco entendemos acerca de nós próprios.
  • Não entendemos a nossa relação com Deus, a nossa relação com os outros, o nosso propósito de vida e, o que é mais triste não entendemos o amor.
  • Quando entendemos tudo isto, o nosso mundo muda, a nossa vida nunca mais volta a ser a mesma.

A FAZER:

Empreenda o trabalho da alma. Comprometa-se neste preciso momento, a dedicar 20 minutos por dia à alma. Prometa a si mesmo que o fará.

[/fancy_box]

E assim termina esta conversa bem intrigante, não achas te?

Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde
Olá sou eu a Sandra Galão, Sou uma menina rebelde e uma Mãe Empreeendedora Online de Sucesso.

Como sabes acredito na Lei da Atração e este livro não podia ter vindo parar às minhas mãos em outra altura.

Poder constatar que tudo o que sempre acreditei se está agora a concretizar, faz me sentir GRATA por todas as Escolhas que Fiz até hoje e por nunca ter parado de perguntar, mas porquê?

Quando ter permites conhecer, coisas e pessoas maravilhosas aparecem na tua vida para que consigas Realizar a Tua Missão na Terra.

Convido te a comentares aqui abaixo se já estás no teu processo, ou se estes artigos te tem inspirado a começares.

Muito Grata por continuares aí.

Vive uma Vida extraordinária

Sandra

 

 

Porque Milhões De Pessoas Não Alcançam a Tão Almejada Felicidade em A Mudança está DENTRO de SI

Porque Milhões De Pessoas Não Alcançam a Tão Almejada Felicidade em A Mudança está DENTRO de SI

E aqui vamos para a 10º Conversa: Lembro te que este desafio Começou AQUI

PRIMEIRA QUESTÂO:

REFLEXÕES PESSOAIS

Ao apresentar as respostas às Sete Perguntas Básicas também pretendo ajudá-lo a dar as suas respostas.

Lembre-se que estas respostas são somente as minhas respostas. Não tenho qualquer dúvida de que não existem respostas “adequadas” ou “certas” e estas perguntas ou respostas que se adequem a toda a gente.

Posso somente partilhar consigo aquilo que sinto que a minha alma diz.

PRIMEIRA QUESTÃO

[fancy_box id=1]

Como é possível que 6,9 mil milhões de pessoas digam que querem o mesmo (paz, felicidade, abundância, segurança e amor) e não o alcancem?

[/fancy_box]

Algumas pessoas responderam que esta situação existe porque nem todas as pessoas querem o mesmo.

Sugeriram que há quem  queira vingança ou violência e que seja tudo feito “à maneira delas”, a todo o custo.

Pois eu discordo. Acredito que no fundo do coração, todas as pessoas são maravilhosas.

Acredito que, no âmago de cada ser humano, não há quem deseje, em tempo algum, magoar os outros, mas por vezes há quem o faça por pensar que não consegue alcançar paz, felicidade, abundância, segurança e amor.

Querem o mesmo que nós, mas sentem que a vida, ou alguma condição da vida, não permite que o alcancem.

Por isso ficam… como hei-de dizer? …Enraivecidos.

Tal não justifica nem perdoa ações que magoam ou destroem – mas explica-as.

Acredito que bastava uma simples pergunta ou destroem – mas explica-as.

Acredito que bastava uma simples pergunta às pessoas enraivecidas para que acalmassem a raiva, evitando as explosões violentas que muitas vezes daí derivam.

Esta é a pergunta:

” O que lhe causa tanto sofrimento a ponto de julgar que tem de me magoar para sarar esse sofrimento?”

O poder de tal pergunta é impressionante .

Não é verdade que haja pessoas “naturalmente más”. As conversas com Deus deixaram isso bem claro.

Uma das declarações mais emocionantes deste diálogo, foi esta:

“Ninguém age de maneira imprópria face ao modelo que tem do mundo “.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Como  é possível que um mundo inteiro não consiga obter aquilo que insiste, em uníssono, querer?

É simples. O modelo que têm do mundo não permite.

Não me agrada estar sempre a bater na mesma tecla, mas a ideia tem de ficar marcada de forma permanentemente: a população  global continua a adotar uma História Cultural antiga, baseada em equívocos primitivos acerca da vida, de Deus, de quem somos e de como “são” neste mundo.

A maioria das pessoas recusa abdicar desta história, ainda que já se tenha revelado não só ineficaz como também autodestrutiva, já que a Humanidade se debate  há milénios para encontrar uma forma de viver em paz e harmonia.

A população mundial, agarrando-se a esta velha história com unhas e dentes, acredita e aprende que precisa de muito mais na sua vida para ser Feliz.

Mais À  frente nesta conversa justificarei que existe o suficiente de tudo o que precisamos neste Planeta para vivermos verdadeiramente felizes – basta encontrarmos uma forma de o partilhar.

O que nos poderia levar a partilhar não seria um novo sistema social, antes  um novo sistema de crenças.

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • No fundo do coração, todas as pessoas são maravilhosas.
  • Ninguém age de forma imprópria face ao modelo que tem do mundo
  • A Humanidade não consegue criar aquilo que diz desejar desesperadamente – paz, prosperidade, segurança, boa vontade, amor, alegria, realizaçãoo pessoal e harmonia – pois o modelo que tem do mundo impede que isso aconteça
  • A maioria das pessoas recusa a abdicar  deste modelo, mesmo que já se tenha provado ineficaz, além de autodestrutivo.
  • Não é preciso um novo sistema social, antes um novo sistema de crenças; ou seja, uma Nova História Cultural.

A FAZER:

  • Num papel, escreva o nome de 5 pessoas que conheça bem e com as quais “não simpatize muito” por circunstâncias que ocorreram ao longo da vida. Para cada uma dessas pessoas, escreva cinco razões que comprovem a afirmação de que, no fundo do coração, todas as pessoas são maravilhosas”
  • Faça mesmo o exercicio  que acabei de lhe pedir. Sentir-se-á bem, pois repará no que existe de bom nas outras pessoas, permitindo que as veja realmente ao colocar de lado a sua apreciação.
  • Teste a afirmação: “ninguém age de forma imprópria face ao modelo que tem do mundo“. Escreva três atitudes que tenha tomado na vida e que foram julgadas pelos outros como “impróprias”. Deixe um espaço a seguir a cada uma delas para adicionar algo mais tarde.
  • De seguida, pense atentamente no modelo do mundo que tinha na altura de cada “infração” e de que forma, em cada um de casos, permitiu que avançasse e agisse dessa forma. Ponha isso por escrito.
  • Da próxima vez que alguém o prejudicar ou irritar, pergunte a essa pessoa: ” O que lhe causa tanto sofrimento, a ponto de julgar que tem de me magoar para sarar esse sofrimento?”

[/fancy_box]

E assim chegamos ao fim de mais uma conversa, que poderá te ajudar a olhar para as pessoas que te rodeiam com outros olhos e com isso começares a olhar para TI de outra forma também.

Lembro-te que de nada resolve estares a ler estes artigos e não colocares ação, ou seja, fazeres os exercicios aqui propostos.

Todos nascemos para ser Livres e Felizes.

Vive uma vida extraordinária.

Sandra

 

Questões que é PRECISO Responder em a Mudança está DENTRO de SI

Questões que é PRECISO Responder em a Mudança está DENTRO de SI

7ª CONVERSA

QUESTÕES QUE É PRECISO RESPONDER?

Olá, olá, aqui estamos nós para a sétima conversa onde vai começar o verdadeiro desafio…

Escuta com ATENÇÃO, mas se ainda não viste o video no meu canal vê o video que eu fiz esta manhã antes de colocar o artigo no ar:

Muito bem. Os desafios começam agora.

Deixo aqui uma série de questões cujas respostas requerem CORAGEM.

Eu tenho Coragem, pois as únicas respostas que as pessoas podem oferecer são inquietantes – não importa quais sejam.

São as próprias perguntas que têm um teor inquietante.

(A menos que não seja assim, São inquietantes para aqueles que não querem mudanças, que não querem desafiar o presente.

No entanto, não inquietam aqueles que já estão preparados para dizer

“BASTA. Estamos fartos do estado atual do mundo.

Tem de haver outra forma.”)

Muito bem… Parto do princípio de que “alinha”, pois continua por aqui.

Boa.

A sério. Boa opção

A Maior Revolução

Estamos aqui a abordar perguntas e respostas que podem desencadear a maior revolução que este Planeta alguma vez já presenciou.

Ao pesquisar “revoluções” na wikipédia, surge um catálogo virtualmente interminaável de sublevações que começa com a revolta popular na cidade suméria de Lagash,cujo resultado foi a destronação do Rei Lugalanda, levando o reformador Urukagina ao trono em 2820 AC, e termina com as revoluções que depuseram Governos no mundo árabe em 2011.

Deixe que enumere parte da lista, de modo  a ficar com uma visão abrangente de como as pessoas deste mundo têm reagido à forma como são orientadas..

Ao longo da nossa História, temos assistido a centenas de revoltas e revoluções, incluindo a Queda do Império Romano, a Primeira Guerra da Independência Escocesa, a Revolução Americana, a Revolução Francesa, a revolução na Índia, a Revolta dos Boers, as revoluções por toda a América do Sul, as Revoluções Europeias de 1848; as revoluções recentes na Hungria, Jugoslávia, Haiti, a dissolução da União Soviética em 1991…

…Acreditem em mim. Esta é apenas uma pequena amostra de uma lista interminável.

Desde o inicio dos tempos que nos “revoltamos” agregando-nos em clãs e tribos e posteriormente, em nações.

Já pensou no significado disto?

Na sua opinião, qual é a causa? 

Porque será que não tem fim? 

Já agora, o que acha que poderia levar ao fim dessas revoluções?

Posso dizer lhe o que se trata.

Também posso dizer-lhe como pôr fim: por meio de uma Revolução Final.

Na verdade, este livro pretende mesmo chegar a essa resposta. O que tem causado todas essas revoluções ao longo dos séculos é o exposto abaixo.

terminar com o caos
Terminar com o Caos

 

Os seres humanos há muito que sabem claramente que a forma como a vida é “ditada” neste Planeta não é a forma como devia ser vivida.

Por isso desde sempre – há séculos e milénios -, as pessoas de todos os pontos do mundo têm-se mexido. 

Sempre quiseram uma nova forma de vida – Uma nova forma de se ser humano:

A forma que sabem que lhes foi atribuída.

As agitações prosseguiram até ao presente.

Até no momento que estou a escreve, pessoas de muitas partes da Terra, continuam a dizer NÃO!

Ao estado das coisas e a exigirem MUDANÇAS.

Estão dispostos a morrer por elas. TÊm morrido por elas. estão a morrer agora mesmo, enquanto lÊ estas palavras.

Mas estamos preparados, e como comunidade global, para que essas mortes cessem.

BASTA. Estamos Fartos.

Tem de haver uma forma melhor. Perguntamos nos porque razão aqueles que nos governam não entendem.

A verdade é que não entendem, dai a estarmos a assistir aquilo que aqui tem denominado de Reformulação da Humanidade.

Esta é uma Revolução que não pede as pessoas que morram pela causa, existe simplesmente que se questionem a si próprias e aos outros e, por este processo, mudem tudo para que, o fim, cessem as revoluções violentas.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Assim sendo, vamos atentar nas Sete Questões “Perigosas”.

Gosto de as agrupar em dois blocos.

Para mim, é mais fácil entendê-las desse modo. Por isso, dividi as naquilo que denomino de As Três Questões Persistentes e as Quatro Questões Fundamentais da Vida.

Não são rasteiras, pensadas para enganar ou levar alguém a fazer alguma coisa.

São perguntas genuínas colocadas (e terá de o fazer) com sinceridade, com o coração puro, não por uma questão de rectidão nem por se procurarem discussões.

São aqui descritas com delicadeza, pois reconheço que a maioria das pessoas, por todos os motivos que descrevi anteriormente, não se sente à vontade para discutir estes temas.

A estrutura de poder no nosso Planeta estava bem satisfeita com esta falta de à-vontade, pois uma exploração verdadeira e exaustiva das questões poderia levar a uma análise verdadeira e exaustiva do que estamos a fazer presentemente aqui – e que poderia resultar numa mudança verdadeira e exaustiva da forma como agimos… e da forma como fazemos as nossas escolhas.

No que respeita a estrutura de poder, se isso acontecesse seria o fim.

A vida como a temos vivido até aqui passaria à História.

As Sete Perguntas Básicas

As perguntas que se seguem, feitas no intimo da nossa alma e alargadas aos outros, poderão Mudar o mundo.

As três Questões Persistentes :

  1. Como é possivel que 6,9 mil milões de pessoas digam que queiram o mesmo ( Paz, Segurança Prosperidade, Felicidade e Amor) e não o consigam alcançar?
  2. Existirá algo que não conseguimos entender plenamente sobre Deus e a Vida e cuja a compreensão permitiria mudar tudo?
  3. Existirá algo que não conseguimos entender plenamente acerca de nós próprios, da nossa vida e do  seu propósito, e cujo o entendimento mudaria a nossa realidade para melhor e para sempre?

São questões Poderosas que merecem resposta.

Ao menos merecem que se façam essas perguntas. Mas haverá muita gente a fazê-las?

Os políticos colocam essas questões?

Não.

Presidentes e primeiros ministros reis e cabeças de estado?

Não.

Figuras religiosas?

Não.

Educadores?

Poucos.

Generais e almirantes?

Não.

Diretores de empresas e das industrias?

Não.

Pessoas que partilham uma casa?

Bem, sim, é provável. A partir de agora. Talvez. a partir de agora.

Pessoas comuns, como você e eu passaram a colocar estas questões por todo o mundo.

Quando acabarmos de fazer as primeiras três perguntas, poderemos então passar ás…

As Quatro Questões da Vida

  1. Quem sou?
  2. Onde estou?
  3. Porque estou onde estou?
  4. O que tenciono fazer quanto a isso?

Quando acredito que se possa ignorar estas questões e evoluir depressa.

Nenhum de nós conseguirá.

Temos de acabar com alguma confusão pessoal em redor destas perguntas, (há muitas outras questões na vida, mas estas são fundamentais), caso contrário passaremos os nossos dias e noites sem fazer ideia daquilo que fazemos, e pelo motivo pelo qual o fazemos.

É esta a situação atual das pessoas no Mundo.

E é esse o Motivo pelo qual o Mundo está como está.

Não consegui avançar na vida até responder às 4 questões fundamentais da vida (já agora, todos os dias respondo a essas perguntas. Por vezes, durante o dia, no decorrer dos acontecimentos. Estas questões não são unicamente informativas, são também transformadoras).

sete perguntas a serem respondidas

 

 

A primeira é a Chave. Destranca tudo. Convida nos a analisar com profundidade o maior dos mistérios:

O mistério da nossa Identidade. Não me refiro, obviamente ao nosso nome próprio.

Refiro me me a nossa identidade no cosmos.

Não há “resposta” certa a esta pergunta.

Há, tão só a sua resposta.

A segunda questão parece simples, mas a resposta pode não ser.

Onde Estou?

Onde se considera como ser vivo?

Ou seja, que lugar é este onde vivenciamos a nossa existência?

Como é que o realiza?

De que forma é que o integra na sua Realidade?

Não estou a falar da descrição fisica desse lugar (“vivo no Planeta Terra. É o terceiro planeta a contar do Sol…, ” etc.), mas do seu entendimento conceptual desse espaço.

É o lugar onde aprende, uma escola?

Considera o como o lugar onde é testado, uma sala de exames?

Será um lugar onde se prestam provas, onde se compete, como uma gigantesca pista de corridas ou um campo de jogos, onde uns ganham e outros perdem?

Não possui qualquer ponto de referência conceptual para este lugar, acabando por considerá-la apenas uma localização física, num sistema mais abrangente do Planetas, a rodopiarem em volta de uma estrela?

Que lugar é este onde nos encontramos?

A mente implora pela resposta… 

Onde Estou?

Uma vez mais, não há resposta certa a esta pergunta.

No entanto, até lhe dar uma espécie de resposta, não possuía qualquer estrutura conceptual na qual sustentará a minha experiência de vida.

Na sequência de tal estrutura, essas experiências pareciam-me desprovidas de sentido, pouco diferentes de uma formiga ou de uma mosca.

Senti que era somente uma forma de vida mais aprimorada.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Tinha uma esperança de vida e, salvo circunstâncias imprevistas, sabia que estaria cá por X  anos, mas que Lugar é este?

Segue-se a questão seguinte, ameaçadora:

Porquê?

Porque estou onde estou?

Porque não estou em outro lugar?

Haverá “outro Lugar”?

Qual é o objectivo de existir neste campo e neste lugar?

Haverá algum objetivo?

Quem determina esse objetivo?

Não sei como poderá uma pessoa avançar na sua evolução sem pensar nestas questões, dando-lhes algum tipo de resposta.

Muitas pessoas respondem com um curto e seco “sei lá” e ficam se por ai.

Eu não poderia fazer isso.

Também não encorajo nenhum verdadeiro estudante da vida a fazê-lo.

Se realmente não tiver resposta, incito-o a criar uma.

Ou seja, a decidir a resposta pela simples intenção.

Deste modo, viverá a sua vida de acordo com a intenção e não por predefinição

Uma vida por predefinição é uma vida que se vive de acordo com as respostas Predefinidas pela maioria das pessoas do mundo.

Espero que nenhum de vocês volte alguma vez a escolher viver a vida dessa forma.

A maioria de nós viveu dessa forma, pelo menos partes da vida, mas nunca mais precisaremos de o fazer se assim não o quisermos.

A ULTIMA QUESTÃO

Chegamos assim, à pergunta final.

Não só a pergunta final neste conjunto de Sete, mas aquela que poderia ser, metaforicamente:

A importante Questão Final da Vida.

Tenho respondido a todas as outras perguntas, é convidado a decidir:

O que tenciona Fazer?

Esta é sempre a derradeira questão da vida.

Em todas as situações, em todas as circunstâncias, em todos os momentos que a nossa experiência nos apresenta, a questão omnipresente e eterna é: O que tenciono Fazer?

A vida avança a prtir das suas intenções.É este o combustivel que move o motor da criação.

É crucial perceber que a vida não passa de energia.

Energia Organizada. Ora quem se encarrega dessa organização?

Nós, por mais surpreendente que isso seja.

A vida é energia pura que realiza um ciclo de retorno a si própria.

trabalho profundo na análise da alma
trabalho profundo na análise da alma

Ou seja, a vida é um processo que se alimenta a si próprio, é autossustentável, tem determinação própria e autocriação.

A vida só depende de si, só conta consigo e olha para si própria de modo a saber qual será a próxima expressão a adotar.

 

Trata se de uma verdade Universal, global e nacional, verifica-se a nível local e individual. É uma simples questão de proporção.

Assim, podemos ver o Universo a Tomar decisões sobre si Próprio deste modo, o nosso país a tomar decisões sobre si mesmo deste modo, a nossa cidade ou comunidade a tomar decisões sobre si própia deste modo e a nossa pessoa a tomar decisões sobre si própia.

A vida informa a Vida acerca da Vida por meio do próprio decurso da vida.

As infomações da Vida criam vida em formção.

Está constantemente  a formar se e a Re-formar-se, a moldar-se e a Re-moldar-se, a criar-se e a recriar-se  .

Na Verdade afunção da vida é recriá-lo de novo em cada momento áureo do presente, tornando-o na melhor versão da melhor visão que alguma vez teve de Quem é.

É tudo, em poucas palavras.

è isto que se passa aqui.

Toda a Humanidade está envolvida no processo.

Estamos a fazê-lo:

  • a nível político;
  • a nível económico;
  • a nível cultural;
  • a nível racial;
  • a nível Social;
  • a nível sexual;
  • a nível espiritual.

É tudo o que estamos a fazer e nada mais.

Isto é o que DEUS está a fazer.

DEUS está a recriar-se no único e singular momento que se chama Agora – e a vida é Deus, a fazer tudo isto.

A vida é Deus, a expressar-se numa multiplicidade infindável de formas. Você é uma das formas de Deus.

Todos nós somos informações de Deus. Portanto, somos Deuses… em formação.

[fancy_box ]

PONTOS FULCRAIS:

  • As Sete Perguntas Básicas são inquietantes . Esse é o seu Poder
  • As revoluções são uma forma de vida neste Planeta.
  • Tudo o que precisamos é de uma Revolução Final para acabar com tais convulsões sociais para sempre

A FAZER:

  • Leia as Sete Perguntas Básicas vezes sem conta até consguir recitá-las de cor.
  • Faça a si prórpio estas perguntas e vá até ao fundo da sua alma em busca das respostas .
  • Escreva as respostas num bloco de notas para que fiquem bem definidas e para que possa consultá-las ao longo do tempo – por exemplo, daqui a um ano – para conferir o que Mudou, ou se mudou alguma coisa, na sua perceção.
  • Esteja preparado para dar as respostas a que chegou ao analisar estas questões com outros.

[/fancy_box]

E assim chegamos ao fim de mais uma conversa bem desafiante;

Espero que respondas as perguntas e descubras como podes fazer a Diferença na Vida de outras pessoas começando pela Tua.

E vemos nos amanhã com a 8ª Conversa: Não lhe parece que este assunto é Importante?

A partir da Conversa de amanhã vou começar a colocar palavras mais simples nestes textos, pois Deus além de nos tratar por você ainda utiliza palavras que nem todas as pessoas entendem…

Lembro te sempre que Todos podemos ser Livres de tudo incluindo de dinheiro

Conquista a TUA Liberdade… Valoriza te Mais e vais ver coisas maravilhosas a acontecer na tua Vida.

Somos Capazes de muito mais do que ACREDITAMOS ser

Sandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É da Sua EVOLUÇÃO Que se Trata em A MUDANÇA está DENTRO de SI

É da Sua EVOLUÇÃO Que se Trata em A MUDANÇA está DENTRO de SI

Olá, olá aqui estamos nós para a nossa 6ª Conversa  do desafio 28 dias a blogar.

Ora vamos lá então a esta conversa que só te vai fazer sentido se acreditares na Evolução da alma.

Estas são as boas noticias:

Para influenciar o rumo da História da Humanidade não precisa de ser um orador ou um escritor de Sucesso, um apresentador de televisão, um dinamizador, um formador ou quem quer que julgue que tem de ser para marcar a diferença.

Não precisa de ser uma figura pública nem alcançar a superioridade espiritual, nem sequer de dedicar horas a fio e aplicar dinheiro a rodos.

Caso se decida aceitar o apelo, estará a trabalhar não só em prol da Humanidade em geral como também para seu próprio benefício.

Estas são as grandes noticias:

A sua participação na Evolução da espécie está relacionada com o trabalho que fizer com a sua alma.

evoluçao da alma

Falava a sério quando dizia que a Humanidade poderia ser uma conversa do paraíso que começa por um diálogo consigo próprio, questionando a crença anterior – todas as crenças que possa ter de si próprio e da própria vida.

Poderá, depois iniciar uma conversa semelhante com os outros. É este o Movimento das Conversas.

Adoro esta ideia de trabalhar com a minha alma para evoluir a nível pessoal…. mas como se consegue alcançar esse patamar a falar dessas matérias com os outros?

O trabalho da sua alma não se limita a si.

A alma também tem a tarefa de cuidar da alma dos outros.

De cuidar de todas as almas.

A sua alma compreende que, na verdade, existe Somente Uma Alma, individualizada sob inúmeras formas. Assim sendo, cuidar de todas as almas é cuidar de NÓS próprios; trabalhar em conjunto com  todas as almas é trabalhar com a nossa própria alma.

É por isso que o instinto de nos ajudarmos uns aos outros está inculcado nos genes; encontra-se no código da espécie.

Preocupamo-nos uns com os outros e fazemos o possível para o demonstrar. Temos um “contrato da alma”para que seja assim.

Estou absolutamente convencido de que todos e cada um de nós sente esse instinto.

[fancy_box id=1]

A sua participação na evolução da espécie está relacionada com o trabalho que fizer com a sua alma.

[/fancy_box]

Há uma forma muito fácil de demonstrar que nos preocupamos uns com os outros: iniciar com outras pessoas a mesma conversa animada e crucial que temos individualmente.

Por outras palavras, realizar a análise à alma pode tornar-se numa experiência solitária e não tem de ser assim.

Quando se inicia a análise, a pessoa pode mudar.

Quando um grupo analisa em conjunto a alma, esse grupo pode mudar. Quando toda  uma sociedade inicia conjuntamente a análise à alma, toda essa essa sociedade pode mudar.

Pouco depois, muda a cultura coletiva de muitas sociedades. Posteriormente, Todo o Mundo.

Tudo começa quando você se questiona intimamente, levando depois essas questões a outros.

A Escolha é SUA

É a isto que me refiro quando falo do “trabalho que faz com a sua alma”.

Essa é uma forma de trabalho da alma. Como é óbvio, não é única, embora possa ser poderosa, tão poderosa que tem a capacidade de transformar uma pessoa, uma sociedade, uma cultura e todo um mundo.

 Não lhe é “exigido” que faça todo este esforço, claro está.

Também não lhe é exigido que o faça de uma forma específica. Poderá concretizar esta tarefa com a sua alma individual ou poderá concretizá-la com a sua alma individual e com as almas coletivas de outros. A Escolha é SUA.

Como trabalha com a sua alma? Como consigo ligar me à alma para realizar a tal “análise”?

trabalho profundo na análise da alma
trabalho profundo na análise da alma

São perguntas pertinentes. Ninguém nos ensina na escolaPouco se escreve acerca do assunto. As igrejas abordam o tema muito superficialmente.

Aqui, iremos aprofundá-lo. Nesta conversa, partilharei consigo tudo  o que sei sobre a ligação com a alma, diariamente, de uma forma maravilhosa que o conduzirá à experiência da alma e lhe permitirá aceder à sua sabedoria

Por isso fique por aqui, Trata-se de um processo em três fases que já mudou a vida de muita gente.

Posso fazer-lhe uma pergunta que pode parecer arrogante?

Claro. Pergunte o que quiser.

Para si, quais são as bases de tudo? Está sempre referir as Sete Perguntas Básicas.

  • Quem as inventou?
  • De onde vieram?
  • O que as torna tão importantes?

Já agora, onde foi buscar os conceitos de “reformulação” e de “nova história cultural”?

A Base de Tudo neste Livro

Não é uma pergunta arrogante. É mais do que natural que queira saber. Por isso, agradeço a Oportunidade para explicar.

Há mais de 15 anos, passei, por uma experiência inspirada pelo Divino. Escrevi um livro sobre essa experiência a que dei o título: Conversas com Deus.

Esse livro criou um fenómeno no mundo editorial, a nível global, com vendas superiores a um milhão de exemplares, foi traduzido em 35 línguas e permaneceu na lista de mais vendidos do New York Times durante 137 semanas.

Desde então, foram editadas mais oito livros deste diálogo contínuo, seis dos quais também estiveram na lista de mais vendidos do Times.

Não pretendo com isto gabar-me, mas contextualizar o que tenho estado aqui a dizer – e tudo o que direi a seguir.

Deus trouxe uma mensagem de mudança ao nosso mundo e, tendo em conta o Sucesso dos livros da série Conversas com Deus, milhões de pessoas foram afetadas por essa mensagem. Há uma razão para isso. Não acontece por acaso.

A reformulação da Humanidade (recorde a definição de reformulação: a formular, reestruturar) está a decorrer e eu acredito que o projeto das Conversas de Deus também faz parte.

Quer isso dizer que sou, de certa forma um messias?

Não.

Significa que todos somos messias, já que a mensagem mais importante, mais expressiva e mais repetida  das Conversas com Deus é que todos nós estamos continuamente a Conversa com Deus, só que o nomeamos de outra forma.

Chamamos-lhe momentos de “inspiração.

  • Ou “intuição feminina”.
  • Ou “pressentimentos”.
  • Ou ideia Brilhante.
  • Ou profunda compreensão.
  • Ou Revelação.

Apelidamos certos encontros como “feliz acaso”, “coincidência” ou “Sorte”.

Negamos e voltamos a negar que podem mesmo interagir com o Divino, pois a nossa cultura ensina nos considerar indignos de tais experiências.

Na verdade, anunciar um contato direto com Deus é tido por muitos como uma autênctica heresia.

No entanto, ao longo da História da Humanidade, homens e mulheres viveram momentos de profunda ligação ao coração, alma e essência da vida, seja lá qual for o nome que lhe dermos.

Ao longo dos tempos, pessoas comuns sentiram despertares extraordinários que levaram ao conhecimento e a previsões.

Chegou o momento de exigirmos tudo isso, de darmos inicio a uma nova Conversa no nosso íntimo. E de alargarmos aos outros.

Chegou o Momento de Iniciar as Conversas Com a Humanidade

Hoje em dia por todo o lado as pessoas procuram sabedoria, clareza, soluções, na tentativa de descobrir o que correu mal connosco para agirmos desta maneira.

Andamos a matar-nos e a estropiar-nos uns aos outros, ignorando as carências desesperadas dos nossos companheiros humanos e o instinto básico de cuidarmos uns dos outros; arruinamos o Planeta apesar de afirmarmos que o amamos, constante e infinitamente a tentar alcançar Mais e Melhorenquanto centenas de milhares se revoltam por não terem o que os outros têm.

As conversas que proponho podem fornecer uma avenida para a sabedoria, uma estrada para a lucidez, um caminho para as soluções que tantos procuram.

Têm de ser verdadeiros diálogos e não simplesmente os ditames daqueles que julgam ter algo importante a dizer.

Devem ser introduções ao entendimento mútuo, e depois, à criação mútua.

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • A sua participação na evolução da espécie está relacionada com o trabalho que fizer com a sua alma.
  • Esse trabalho tem por base uma busca profunda ou, como chamamos uma “análise à alma”
  • O trabalho da alma não está limitado ao próprio, podendo implicar a elevação de todas as outras almas ao estado de paz e lucidez.
  • Não é obrigado a realizar qualquer destas tarefas.

 

A FAZER:

  • Envolva-se no processo de análise profunda da sua alma recorrendo às Sete Perguntas Básicas, descritas na conversa seguinte deste livro.
  • Tome iniciativa de fomentar o diálogo com os outros, centrado na forma como todos encaram estas questões.

[/fancy_box]

E assim chegamos ao final de mais uma conversa com Deus, lembra te que é importante se sentires que deves, participar nesta conversa, pois só participando poderemos fazer chegar esta mensagem a muitas mais pessoas que desejam o seu despertar mas não sabem como.

E deixo ficar o tema da próxima conversa: Questões que é preciso responder

Só nós temos o poder de alcançar a nossa Liberdade e sermos Felizes

Tem um dia MAGNIFICO com TU.

Muito grata por estares aí.

Sandra

 

 

A ATITUDE mais OUSADA da HUMANIDADE em A Mudança está DENTRO de SI

A ATITUDE mais OUSADA da HUMANIDADE em A Mudança está DENTRO de SI

Olá olá, aqui estamos nós para a nossa 5ª Conversa com Deus, no desafio 28 dias a blogar sem parar, onde nos é pedido que tomemos uma ATITUDE que até à data foram muito poucos os que Tiveram CORAGEM.

Ora vamos lá,

Envolve te e vais ver como podes TRANSFORMAR a tua Vida  e levá-la para outro patamar.

Vamos lá então:

Não sei bem de onde veio este artigo, mas alguém enviou por email e exprime, com inteligência e na perfeição, aquilo que quero transmitir:

[fancy_box id=5]

Havia uma tarefa importante a fazer e TODOS tinham a certeza de que ALGUÉM haveria de o fazer. Qualquer um podia tê-lo feito, mas NINGUÉM a fez. ALGUÉM zangou-se por causa disso, pois era trabalho de TODOS. Todos julgavam que Qualquer um podia ter feito, mas NINGUÉM se deu conta de que TODOS não o fariam.No final, TODOS culparam ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que TODOS poderiam ter feito.

[/fancy_box]

Convido -o a tomar uma decisão de não ficar “sem fazer nada” – Opte por fazer “algo”.

Espero não estar a ser demasiado repetitivo quando digo que a vida não será a mesma depois da Reformulação da Humanidade; porém, se todos fizermos “algo” as mudanças serão para melhor.

É verdade que algumas almas terão abandonado o nosso Mundo (e honramo-las profundamente pelo sacrifício que fizeram na vida atual pelo bem de todos), mas a maioria estará por cá e levará a evolução para a frente neste ambiente, ajudando no rescaldo dos acontecimento e fazendo-o de tal forma que as mudanças serão para melhor.

Pessoalmente, não tenho grandes dúvidas  de que você e eu faremos “algo”.

Estamos preparados para assumir a posição que nos foi atribuída, para segurarmos as pontas, para desempenharmos o nosso papel. Somos a maioria. Só precisamos que nos seja atribuida uma tarefa.

Muita gente não sabe aquilo que pode Fazer, por isso parte do principio que não consegue fazer nada. Isso não é verdade

[fancy_box id=2]

Grande parte de nós

está a adotar doutrinas

que não têm qualquer

fundamento de verdade

[/fancy_box]

Temos muitos assuntos para discutir e é isso que precisamos de fazer.

Será fácil e DIVERTIDO.

Trago mais boas noticias: Não estará sozinho(a).

Estamos aqui. Todos nós que estamos envolvidos nesta conversa.

Daqui a pouco escreverei sobre uma forma possivel de tirar partido do facto de estarmos aqui todos reunidos.

Depois poderemos perguntar em unissono: “PORQUÊ?”

O que levou às condições atuais no Planeta?

Ninguém está a fazer esta pergunta, pois já foi feita vezes sem conta, sem Grandes resultados, ou pior ainda, por se julgar que se conhece a resposta.

Alguns julgam que a resposta está relacionada com a sua doutrina politico de outras pessoas. Se ao menos as pessoas adotassem a sua doutrina politica, tudo se resolveria.

Outros julgam que a resposta está relacionada com a doutrina económica de outras pessoas. Se ao menos as pessoas adotassem a sua doutrina económica, tudo se resolveria.

Estão todos enganados.

A razão pela qual a nossa espécie continua sem capacidade de criar neste Planeta a vida que dizemos querer é a maioria estar a adotar doutrinas que não têm qualquer fundamento de verdade.

É isto que temos de parar de Fazer. É a nossa História Cultural que tem de Mudar.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Já usou a expressão “história cultural” umas quantas vezes. Ajude me a entender exatamente ao que se refere. Estava a referir-se Às nossas religiões, certo?

É muito mais do que isso.

Uma História Cultural é um conto extenso que narramos aos nossos filhos e que eles narram aos filhos deles, de “como é”, de “quem somos”, da “forma como tudo funciona” e da finalidade de tudo.

Trata se da história que nos foi contada a nós – e que foi contada aqueles que no-la contaram.

É a narrativa que ouvimos todos os dias das nossas vidas, de uma forma ou de outra.

[fancy_box id=2]

É o Conhecimento Transmitido de Geração em Geração.

É a Hipótese Herdada.

É a Suposição Comum.

É o Mito da Memória.

[/fancy_box]

É a história que nos dá as bases das religiões – bem como dos processos políticos, do sistema económico e de todas as formas de interação social.

Influencia as nossas vidas a todos os níveis: os rituais de namoro e de sedução, os hábitos sexuais, os modelos de acasalamento e casamento, as abordagens educativas, as amizades… Tudo.

Precisamente por ser tão Universal, é desta história que deviamos falar.

Contudo, é sobre isto que muita gente não quer falar.

Porquê?

Parece que sabem que é este o verdadeiro problema. O problema é a história deles.

No entanto consideram na sagrada, um conto narrado vezes sem conta que aceitam fervorosamente e ao qual não tencionam renunciar nem querem abandonar.

Fazê-lo equivaleria a abandonarem os antepassados, a desvalorizarem as tradições , a desonrarem a História.

Uma pastora maravilhosa cuja a igreja eu frequentava há quase 20 anos, a Reverenda Terry Cole-Wittaker, costumava perguntar nos sermões dominicais:

“A quem teriam de tirar a razão para ficarem vocês com ela?”

Que pergunta mais pertinente!!

As pessoas sabem que, se mudarem a sua história – a história do grupo ou a Individual – significa que mudaram de opinião sobre o que lhes foi dito de importante pelas pessoas importantes nas suas vidas.

Além disso, sabem como tal afetará a noção de quem são, do que está instituido, dos seus planos e estratégias para o destino que planearam.

Uma mudança tão Grande, é extremamente complicada para muitas pessoas. Talvez até para a maioria, que prefere manter tudo igual mesmo que o presente não seja o melhor, pois a mudança traz o desconhecido – e aquilo que não se conhece muitas vezes é temido.

É o Medo que IMPEDE a Mudança.

As pessoas podem não Gostar da situação atual, mas pelo menos sabem com o que contam.

Daí que o Diálogo pode levar a mudanças significativas que nem sempre seja bem recebido ou tolerado.

Julgo que vai além do simples Medo do desconhecido.

A humanidade parece estar presa… É urgente uma conversa para o paraíso.

 

Há Que Fazer O Que Nunca Foi Feito

vale a pena trocar o certo pelo duvidoso

Imagine uma conversa capaz de mudar tudo. Muitos – creio até até que a maioria – talvez nunca venham a ter essa conversa, a  menos que sejam convidados a tomar parte nela. É aí que conto consigo.

Mas o que poderá uma conversa revelar ou implicar a ponto de nos levar ao paraíso?

Seria uma conversa com muitas pessoas. Se centenas, digamos, milhares, muitos milhares, estivessem envolvidos na mesma conversa no seio dos seus pequenos grupos sociais, paróquias ou encontros familiares, onde quer que fosse, ou se muita gente começasse, de repente , a falar sobre o mesmo assunto nas redes sociais, por exemplo, esta conversa única envolvendo muitas pessoas em muitos lugares poderia, em última análise, dar origem ao paraíso na terra – de uma forma relativamente rápida.

A semente desta ideia surgiu quando uma conversava tranquilamente com algumas pessoas em Ashland, no Oregon, a passar cinco dias comigo e com a minha mulher por ocasião de um acontecimento a que chamamos Regresso a Casa.

(Cada ano um grupo diferente – entre seis a dez pessoas – reúne-se connosco durante cinco dias para refletir sobre a vida a um nível muito pessoal)

Foi durante o regresso a casa de Agosto de 2010 que alguém fez um comentário sobre o poder absoluto de algumas das questões que eu tinha estado a colocar durante as nossas conversas.

[fancy_box id=6]

Chamei-lhes as Sete Perguntas Básicas.

– O mundo inteiro devia ser convidado a colocar essas perguntas e a responder-lhes! – alguém exclamou.

– Sim – concordei – Às vezes parece me que se andássemos por aí a colocar estas Sete Perguntas básicas seríamos uma geração do paraíso.

A ressonância dessa frase atingiu-nos logo a todos. Depois de um silêncio pasmado, alguém do grupo, um britânico, disse:

Neale, isso devia ser dito por todo o lado. Podias dar inicio a um movimento global em redor deste tema.

E assim fizemos. Foi o que todos naquela sala fizeram, ali naquele momento.

Tinhamos tão-só de estimular toda a gente a ter uma conversa simples com o maior número possível de pessoas, colocando aquelas Sete perguntas básicas.

[/fancy_box]

A partir dessa ideia, criámos o chamado Movimento  das conversas.

Aquele homem do reino unido, Steve Minchin, tornou-se no coordenador Mundial voluntário do movimento. E é assim, meus amigos que acontece.

É assim que se começam Grandes que mudam o mundo.

Quer dizer, será que basta fazer as Sete perguntas?

Depois de uma profunda reflexão, eis a conclusão a que cheguei:

Sim, basta. Estas perguntas em particular estinmulam explorações de novas ideias acerca de quem somos, acerca da verdadeira finalidade da vida, sobre quem é Deus e acerca da verdadeira relação entre todos.

Além disso, o objetivo de uma tal conversa não seria marginalizar, ridicularizar nem abandonar crenças antigasmas simplesmente convidar à consideração de novas crenças.

Para considerarmos novas crenças, temos de fazer o que se faz nas ciências, na medecina, e na tecnologia, mas que ainda não tivemos coragem de fazer na religião nem em muitas outras questões de crença pessoal.

Temos de estar dispostos a questionar pressupostos anteriores.

Esta seria a ATITUDE mais ousada que a Humanidade poderia tomar no presente.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Uma fórmula que resulta

Seja em que área for, a mudança nunca é bem aceite. Como assinalou Max Plank, um dos pais da Fisica Quântica:

Uma nova verdade cientifica não triunfa porque convenceu os seus oponentes e fê-los ver a Luz, mas antes porque esses oponentes acabam por morrer e uma geração cresce já familiriazada com essa verdade.

Ou, de uma forma mais Bizarra: ” A ciência avança um funeral de cada vez”.

(Fonte: Wikiquotes: http://en.wikiquote.org/wiki/Max_Planck).

Ainda assim, mais tarde ou mais cedo, a ciência acaba por questionar o que esteve na origem de uma conclusão cientifica e  por chegar a mais respostas, a soluções ainda mais brilhantes, a resultados ainda mais magnificos.

Também acontece com a Medicina e o mesmo com a tecnologia.

É uma formula que resulta.

No entanto, com respeito Às respostas que retiramos da Religião e de outras Crenças Culturais, não importa quantos funerais foram realizados.

Não importa quantas gerações passaram. A maior parte das pessoas recusa questionar a hipótese anterior.

Na verdade, sabemos que muitos declararam que fazê-lo seria uma ato de apostasia.

É esta a Grande tragédia da Humanidade. É este o grande empecilho da nossa espécie.

Conseguimos avanços impressionantes, quase inacreditáveis, na tecnologia, medicina e ciência precisamente porque aqueles que se dedicam a estas disciplinas evitaram esse empecilho, mesmo que tivesse levado algum tempo.

Ao longo de décadas e séculos, mostraram se dispostos a fazer uma afirmação crucial que a maioria das pessoas ligadas Às crenças religiosas ou culturais não se atreve a fazer:

É bem possível que tudo o que julgamos saber esteja errado. Pelo menos, pode estar incompleto.

Se a Humanidade se envolvesse numa conversa global acerca das religiões, das crenças e da História Cultural, que começasse por esta afirmação essencial, essa conversa poderia resultar em novas ideias e dai poderiam surgir novas soluções que alcançariam os mesmos ou mais avanços da Medicina, da ciência e da tecnologia.

Poderiamos ter a vida com o qual sempre sonhámos, os resultados para os quais estávamos destinados, a experiência humana  para a qual fomos concebidos.

Constrói a Vida Que Tu Queres, utilizando os Recursos da Era Digital

Presentemente já são muitos os que estão a vivenciar estes resultados, a nível individual.

Seria mesmo maravilhoso se todos conversássemos!

Vou usar um tom mais urgente: TEMOS MESMO DE CONVERSAR.

Sem desavenças, sem brigas nem discussões, sem contradizer, contestar nem barafustar, simplesmente conversar;

– falar com paixão dócil;

-ouvir com mente aberta;

– partilhar com um coração tolerante e terno;

– explorar com um espírito generoso e concluir deixando um convite pleno de boa vontade para que a conversa não termine, para falar e voltar a partilhar, como parte de uma troca incessante que não tem de acabar.

O papel que estamos destinados a desempenhar

Agora quero dizer algo mais ousado.

Acredito aqui – À forma física, a este lugar chamado Terra, a este momento especifico e grave da história – para participar na evolução da nossa espécie.

Compreendo que tudo isto possa parecer pomposo, mas, acredito profundamente na sua veracidade. Não é única razão pela qual está aqui.

Está aqui por razões associadas à sua própria evolução, à sua própria experiência. O que no final de contas, se perceberá serem estas razões uma só.

Mas falemos. Vejamos o que pensa acerca disto.

Julga que chegou aqui, a este preciso momento, por acaso? Parece-lhe que os acontecimento que estão,  de certa a ocorrer à sua volta estão, de certa forma desordenados?

Acredita mesmo que o periodo da sua vida na terra neste momento crucial nãopassa de uma coincidência?

Está certo de que a sincronização perfeita da sua chegada com a chegada Deste Momento foi mero acaso?

Participa, responde.

Isto é o que eu Penso: não.

Não é assim que a vida funciona. Na vida, nada acontece por acaso. São os nossos desígnios para a vida que a fazem avançar.

Inclusive os nossos designios antes de nascermos.

Possuimos uma alma

janela-da-alma

Somos muito mais do que um corpo com uma mente, a “vida” vai muito para além dos limites da nossa atual encarnação física.

Se não acreditar no que acabei de dizer, será difícil aceitar, com facilidade e sem desconforto, a ideia de que parte da sua viagem na terra será dedicada a auxiliar a evolução da sua própria espécie.

Pode parecer uma tarefa gigantesca, fora do seu alcance, para além das suas capacidades, mas não é assim.

Está perfeitamente apto a prestar o auxilio que a vida lhe está a pedir.

Se estiver disposto a prestá-lo, poderá realmente -vou repetir:

AJUDAR A MUDAR O MUNDO.

Vê o video que Fiz hoje a falar sobre esta Conversa

[fancy_box id=5]

PONTOS FULCRAIS:

  • Se todos concordamos que não podemos ficar “sem fazer nada” durante a Reformulação da Humanidade, as mudanças que se avizinham serão para melhor.
  • Grande parte das pessoas tem adotado doutrinas que não tem qualquer fundamento de verdade.
  • É urgente questionar essas doutrinas.
  • Poderá tornar-se numa conversa do paraíso – se todos conversarmos entre nós
  • Está destinado a desempenhar um papel na evolução da espécie.

A FAZER:

  • Aprenda o mais possível sobre a antiga História Cultural para a podermos debater
  • Envie propostas para a nova História Cultural, visitando o site:

                   www.theglobalconversation.com

  • No seu grupo de conhecidos, fomente conversas sobre a HISTÓRIA ANTIGA E A NOVA HISTÓRIA – e em especial, coloque as Sete Perguntas Básicas que aqui discutiremos em breve

[/fancy_box]

E porque será que é tão dificil acreditar que TODOS podemos ser Livres e Felizes?

Até amanhã com a próxima Conversa:

É DA SUA EVOLUÇÃO QUE SE TRATA

Vive uma vida Extraordinária Como TU.

Sandra

 

Porquê e Quando em “A mudança está DENTRO de SI!”

Porquê e Quando em “A mudança está DENTRO de SI!”

2ª Conversa

«PORQUÊ»  E « QUANDO»: AS RESPOSTAS

Expande a tua mente e vamos lá a mais uma conversa com DEUS… Lembra te que isto é a transcrição do livro ” A Mudança está dentro de si”, as imagens são da minha autoria.

Ao olharmos para tudo o que está acontecer atualmente no Planeta é legitimo perguntarmos:

-” Isto tem mesmo de acontecer? Porque está tudo isto a acontecer?”?

A resposta é: sim, tem de acontecer. Tudo isto está acontecer porque é a própria vida a acontecer – e a vida é feita de ciclos, de acordo com uma fórmula.

Esta fórmula exige que a vida progrida por fases, com base nos princípios da funcionalidade, adaptabilidade e viabilidade.

fecham se os ciclos da vida
A vida é feita de ciclos

Sempre que a funcionalidade da vida, sob as suas muitas formas.fica ameaçada, adapta essa manifestação, tornando se viável, numa nova forma.

Não tenhas medo da Morte

Esta é a razão para a experiência humana que designamos como morte, 

A morte não é, de todo, o fim da vidamas sim a continuação desta através da adaptação da manifestação de uma determinada forma de vida, tornando essa vida viável numa nova forma.

Tal aplica se a tudo na vida. Nada “morre” e não é possível “matar” o que quer que seja.

Não é possível matar uma pessoa, não é possível matar um animal, não é possível matar uma planta.

[fancy_box id=2]

É importante entender isto, em especial nesta época, pois há quem tenha morrido e há quem vá morrer no decorrer desta Reformulação da Humanidade, pelo que é útil e tranquilizador saber que a morte não é um processo que ceifa a vida, mas antes um processo que muda uma vida.

[/fancy_box] 

Sentimos falta das pessoas que “morreram” -, temos imensas saudades – mas não é preciso chorarmos.

A nova forma que elas adotaram trouxe lhes grande regozijo.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Será que isto significa que é boa ideia pormos fim à nossa vida nesta forma atual?

É-me feita essa pergunta inúmeras vezes, por pessoas de vários publicos e culturas.

A minha resposta é sempre “não”. A partida da alma desta vida terrena nunca é triste, é sempre uma alegria, onde quer que aconteça e seja qual for o momento em que aconteça.

Porém, tal não significa que seja “boa ideia” sair, pura e simplesmente, desta vida fisica.

O programa da alma é aquele que está a ser cumprido aqui na terra e, caso se cumpra na totalidade, são cocriadas as circunstâncias, no entanto  jamais serão produzidos artificialmente pela mente.

Tal como a é uma alegria deixar o corpo terreno, também é uma alegria permanecer nele; se a vida física não é um prazer, é porque não a encaramos sob a perspectiva da alma, tentando ao invés, entendê-la com a mente.

A vida jamais fará sentido para a mente. Fará tão-só, sentido; da mesma forma, poderá apenas produzir felicidadeviável, a longo prazo, além de paz e alegria, quando encarada pela perspetiva da alma.

Sendo assim quando não se está feliz na vida, o truque não é abandonar o corpo, mas sim unir se à alma, o que pode conseguir se enquanto se está ainda na posse do corpo.

Contudo, a maior parte das pessoas não trás a alma para as suas experiências diárias

Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO
Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO

Antes de darmos esta conversa por terminada, dir-lhe-ei como fazê-lo.

Quando comunicar com a sua alma, entenderá plenamente o que se passa aqui – no nosso Planeta.

Ficará a saber que quando a capacidade de qualquer forma de vida adapta essa expressão, tornando a novamente viável. É desta forma que a vida se torna eterna.

Ora, não resta qualquer dúvida de que a expressão de vida que designamos como terra (que alguns começaram a denominar como Gaia) tem visto  comprometida a sua capacidade de progredir na expressão que apresenta nos dias de hoje.

As condições que levam a esta circunstância ameaçadora foram criadas, em parte, pelas formas de vida humanas que habitam a Terra.

Essas formas humanas, por sua vez, também viram ameaçada a sua própria expressão

[fancy_box id=2]

RESUMINDO:

Nem o Planeta nem os seus habitantes podem continuar como até agora.

Não se preocupe. Isso não acontecerá

[/fancy_box]

Tendo alcançado o limite da sua capacidade de criar viabilidade no ambiente terreno nestas condições atuais, o Ciclo da Vida está agora a fazer se sentir, adaptando todas as formas de vida deste ambiente, para que todas as expressões de vida existentes possam voltar a ser viáveis.

Por outras palavras, a vida na terra está a mudar para poder continuar.

O facto de estar a mudar representa a garantia de que irá permanecer.

Faço parte desta nova História Cultural.
Faço parte desta nova História Cultural.

 

É este o Porquê de tudo o que está a suceder. Antes de passar para o Quando, permitam me que explique de onde veio a pergunta que acabou de ser respondida.

VOZES DIVERGENTES

Uma conversa não é “conversa” se for um monólogo.

Desde o momento em que ponderei ter esta conversa consigo, por meio deste artigo(livro) soube que queria evitar uma peça oratória de uma única voz, um solilóquio, um sermão ou homilia.

Fica muito bem convidá-lo a mergulhar numa discussão online mas isso não muda o que está aqui a manifestar se – isso seria, efetivamente um monólogo.

A menos que não fosse.  A menos que conseguisse descobrir uma forma de converter o que poderia acabar por ser uma “palestra”  numa conversa real, precisamente nestas páginas.

Eis a ideia que tive: criar um diálogo” que se tivesse desenvolvido de conversas que já ocorreram.

Poderia aqui incluir os pensamentos, perguntas e comentários de outras pessoas que não os meus – apresentado nas suas vozes.

Há já algum tempo que partilho publicamente as ideias aqui exploradas.

No decorrer de uma extensa séir de palestras e workshops de fim de semana, participações em programas televisivos e convites para talk-shows, foram me colocadas questões extremamente dificeis e envolvi me em muitas trocas de ideias energéticas, atrevidas, por vezes exigentes e ocasionalmente agressivas – que sempre acolhi de bom frado, pois sabia que todas me seriam uteis.

Através delas percebi onde o meu raciocínio era confuso, onde a minha lógica era, quiçá, errónea, em que pontos os meus comentários acertavam no alvo e, no geral, de que forma as pessoas ponderavam essas mesmas questões.

Ao longo de 20 anos em que trabalhei na imprensa, treinei a minha mente para que recordasse tais encontros, muitas vezes palavra por palavra – sobretudo os mais memoraveis – e sabia que tinha a capacidade para dar vida à essência desses intercâmbios sem grande esforço.

Por isso pensei que, se aquilo que anotasse ao escrever este livro me avivasse memórias de uma dessas conversas, poderia então incluir a minha memória desse momento.

Assim este livro, não seria somente um monólogo, comigo a falar ininterruptamente com base no meu ponto de vista, e sim um “monoconversólogo” – um monólogo que inclui conversas derivadas de diálogos anteriores.

Conversas, não fossem só meras citações, mas que se inserissem no fluxo narrativo como se estivessem a acontecer no momento. Poderia dialogar com uma voz combinada de muitas pessoas que dialogaram comigo no passado.

Uma conversa com a Humanidade

Vamos aprender a ouvir?
Vamos aprender a ouvir?

 

Quanto mais pensava nisso, mais a ideia me agradava.

Decidi, então, avançar! Foi daí que surgiu a pergunta anterior.

Ouvirá muito mais desta voz composta? Quem é representado nestas trocas de ideias relembradas?

Bem as ideias aqui apresentadas, capazes de mudar vidas , advieram de pessoas de todo o mundo: da Dinamarca à Noruega, da Suécia à França. da Coreia do Sul à América do Sul, da Irlanda à Polónia, da Jamaica ao Japão… dos degraus de Machu Picchu aos degraus da grande Muralha da China, da Praça Vermelha em Moscovo à Praça do Vaticano em Roma, do outro lado do mundo  (Austrália e Nova  Zelândia) até bem acima  (Islândia), do centro da áfrica Ocidental à América Central, de todo o Reino Unido e dos Estados Unidos .

As questões e opiniões que ouvi nestes lugares e fontes refletem uma grande diversidade de culturas, meios, credos. convicções politicas e convenções sociais, criando um monoconversólogo animado e nada parcial.

Mais tarde,  quando acrescentar o seu ponto de vista na discussão online, teremos aquilo de que a nossa espécie poderá verdadeiramente beneficiar a partir deste momento: uma Conversa coma Humanidade.

Nas páginas que se seguem deparar-se-á com o que as pessoas de todo o mundo têm pensado e questionado sobre esta época conturbada e sobre as mensagens que partilho e que acredito serem capazes de Mudar o Mundo.

Apresentarei os pontos de vista sob a forma de diálogo, para que possa vivenciar as trocas de ideias quase como quando decorreram.

Voltemos, então, ao ponto em que ficamos….

Quando se deu a REFORMULAÇÃO

Várias previsões indicam que o momento do próximo grande passo evolutivo da nossa espécie é o presente.

Em retrospectiva, vimos que os Ciclos da Vida não são assim tão dificeis de prever. Já nas civilizações antigas as pessoas observam determinados ritmos nos acontecimentos.

Os sábios ouviam com atenção as histórias que passavam de geração em geração, e registavam os ciclos. Através das suas observações, calculavam o timing dos ciclos futuros.

Este cálculo é aquele que encontramos nos vaticínios de Nostradamus, nas profecias de grandes figuras religiosas por todo o mundo, nas previsões do Calendário Maia,, etc; Em que muitas apontam para este preciso momento na história da Humanidade, como sendo significativo.

A wikipédia diz-nos “que existem vários casos de profecias entre os povos nativo-americanos” e que “os Onondaga e os Hopi, entre outros, têm profecias que parecem relacionar se com a época que estamos agora a iniciar.

[fancy_box id=1]

Por exemplo, os Onondaga falam de um tempo em que não se poderá beber a água dos riachos. Este acontecimento, dizem, significará o inicio de um periodo a que chamam a grande Purificação, durante o qual os povos sofrerão grandes provações para que se purifiquem das influências corruptas que os assolaram.

onondaga

[/fancy_box]

“Esse periodo, diz o povo, será encarado como uma época de alegria, para aqueles que entendam o que está acontecer e o vejam como um tempo de purificação. Será um período de grande sofrimento para quem se agarrar as suas visões do mundo e aos seus estilos de vida.”

Ao ler esta profecia, fiquei com um brilho nos olhos e sorri de orelha a orelha, pois não teria dito melhor. É precisamente o que vim aqui dizer-lhe.

Aguarda nos um período de Júbilo.- Porém, será uma época que incluirá sofrimento, caso continuemos a insistir em manter a nossa visão do mundo e os nossos estilos de vida.

Veja o que a antiga visão do mundo produziu nos escassos meses que antecederam a publicação deste livro:

  • Vários paises viram o seu futuro alterado para sempre devido a Revoluções.
  • Outros países foram devastados pelas piores catástrofes naturais em décadas.
  • Várias pessoas por todo o mundo viram as suas vidas destroçadas por uma crise financeira global que teve inicio 24 meses antes.
  • bannercorreiodoblog-tnprt-131

Acrescente tudo o que aconteceu no nosso mundo desde entãoe é bem possível que consigamos entender o MOTIVO pela qual grande parte da Humanidade vê o futuro de uma forma inquieta, interrogando-se:

– Será isto o começo daquilo que o último mês do aguardado 2012 trará? O que nos espera em Dezembro de 2012 e dai para frente?

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • A Reformulação da Humanidade faz parte de um processo natural pelo qual a própria Vida se defende a si própria.
  • Neste momento seria benéfico que se desenrolasse uma conversa com a Humanidade.
  • O âmbito e a extensão de acontecimentos indicam- nos que a Reformulação da Humanidade já teve inicio, chegou o momento.

A FAZER:

  • Pense  Naquilo que o prende a uma visão antiga do mundo e a um  antigo estilo de vida. O que significa para si? O que sente?
  • Medite sobre o que se tem passado neste mundo e na sua vida entre o tempo de escrita deste livro (no inicio do verão de 2011) e a atualidade.
  • Questione se Parece estar a decorrer alguma “viragem”? Permita me uma sugestão: escreva um diário o que vai observando, como parte do processo pessoal.
  • Comece a pensar naquilo que colocaria numa nova História Cultural da Humanidade, caso lhe fosse pedido que a escrevesse. 
  • É aliás, o que lhe estou precisamente a pedir neste artigo/livro)

[/fancy_box]

E assim termino a terceira conversa, incentivando te a partilhares aqui e lá no web site  a tua opinião sincera!

Fica o video do dia de Hoje, e espero que estas conversas te ajudem na tua Evolução e no encontro do teu EU.

Só hoje apercebi me que o livro já foi escrito no verão de 2011, falando do futuro em Dezembro de 2012 e dai para a frente! Como foi o teu? Como tem sido dai para a frente?

Foi o MELHOR NATAL de todos os tempos: o primeiro com o meu filhote milagre

primeiro natal mateus

Deixo ficar qual vai ser a nossa 3ª conversa de amnhã

A única certeza que existe!

Vemos nos amanhã.

Vive uma Vida Extraordinária

Sandra

%d bloggers like this: