Etiqueta: escolhas acertadas

FELICIDADE é uma combinação de SORTE com ESCOLHAS Bem Feitas!

FELICIDADE é uma combinação de SORTE com ESCOLHAS Bem Feitas!

FELICIDADE é uma combinação de SORTE com ESCOLHAS Bem Feitas!

Com certeza já ouviste aquela expressão: “Ele teve foi sorte!
Em relação à mulher, marido, ao trabalho, aos negócios, à aparência…. e por aí….

Acreditas mesmo nisso? Que é só sorte?

Há cerca de um mês uma pessoa disse me que eu tinha tido muita Sorte com o marido que me calhou, já não era a primeira vez que ouvia alguém dizer-me aquilo, ri me e concordei, mas acrescentei:

– Mas olha que ele também teve muita sorte de ter “calhado” com uma mulher como eu, pois um relacionamento para dar certo não é feito só por um, e quando sabemos que estamos aqui para nos servirmos mutuamente, normalmente temos SORTE e comecei a rir-me, terminando ali a conversa.

Sempre acreditei que a vida que temos é uma escolha, pelo menos deveria ser, right?

É verdade que muitas vezes somos controlados por quem nos educa, pelos nossos companheiros de tal forma que nem nos apercebemos que podemos escolher e libertar nos, e eu pergunto te:

Consideras te uma Pessoa Livre?

Eu, sempre me considerei Livre, mesmo quando achava que a casa da minha mãe era uma prisão (drama de adolescente, risos) e recordo me tão bem de a ouvir dizer sempre que não respeitava às regras impostas:

– Quando fores Independente, tiveres o teu trabalho, ganhares o teu dinheiro e tiveres a tua casa fazes as tuas regras, enquanto estiveres aqui debaixo do meu teto quem dita as regras sou eu e o teu pai – dizia ela em tom bem alto e firme.

Lembro me que foram nesses momentos que me imaginei fora de casa e a viver com uma amiga (sonho que nunca se realizou).

Mas o sonho de sair de casa dos meus pais ou pelo menos de me sentir livre começou em Outubro de 1993 quando fiz a minha primeira viagem a França.

A minha tia Nela (irmã do meu pai) trabalhava em casa como costureira e estava a precisar de alguém de confiança para ajudá-la com os 3 filhos, um deles ainda com menos de 2 anos, e a minha mãe perguntou me se eu queria ir e que a minha tia ia pagar me pelo serviço, já que não quis ir para a Universidade e dizia a toda hora que queria era trabalhar!
Estava ali uma oportunidade, e a escolha era minha.

 

Já me tinha inscrito na Força áerea para ser oficial pois tinha o 12º ano, mas ainda ía demorar até que me chamassem e se me chamassem logo voltava (a minha mãe queria era que eu saísse ali do bairro e me afastasse das “más companhias”) mas eu tinha começado a sair com o meu atual marido e ainda hesitei e inventei umas desculpas, mas a minha mãe conseguiu convencer me e lá fui para a minha primeira viagem, a trabalho onde me senti muito livre, “responsável” e dona do meu nariz. Mas com algum medo daquela nova aventura que escolhi viver, risos…

Regressei de avião (para lá fui de autocarro), dois meses depois, porque fui chamada para fazer os psicotécnicos para a força aérea, convicta que não queria ser dona de casa, apesar de ter aprendido muitas coisas com a minha tia e sobre crianças!

Depois de fazer os testes, lembro me de ter ficado chocada com a autoridade que as patentes mais altas usavam com os soldados, achei um absurdo e foi quando me perguntei para que existem realmente este tipo de entidades?

Até hoje não sei a reposta.

 

Estive lá 3 três dias, e foi super interessante fazer testes que até hoje não voltei a repetir, e conhecer pessoas que me fizeram crescer.

Mas no final os resultados disseram que para ingressar na Força aérea tinha primeiro de ser soldado e ir subindo e escolhi(risos)  que afinal não era bem o que andava à procura, pois não gostei mesmo daquela “violência psicológica” do Eu mando e Tu Obedeces!

O Que Fazer Quando “alguém” ESCOLHE por Nós?

Acabei por ir trabalhar para uma fábrica em 1994 e estive lá durante 14 anos, onde no caminho ainda tentei algumas vezes, sair da minha zona de conforto e experimentar outros trabalhos, só que como gostava do que fazia (primeiros 10 anos), achava que ganhava bem, sentia me feliz, deixei me influenciar e fui-me deixando ficar na famosa zona de conforto.

Mas lá no fundo sentia que o meu Futuro não podia ser ali, já não tinha muito para aprender, e sentia me meio que inútil e sem uma visão clara do futuro, mas não fazia nada para mudar isso e o Universo “ajudou”.

Em 2004 fiz uma greve de 2 horas no local de trabalho, que aconteceu junto com as mudanças de chefes de departamento e saída de excelentes profissionais.

Nesse momento escolheram por mim e mandaram me para 1º turno e fui “convidada” a deixar o meu posto de Coordenadora, e iria também perder o subsidio (mas não retiraram logo)…

Mudei para um turno onde percebi que o meu Software estava demasiado avançado, e diverti me durante uns tempos, mas psicologicamente não estava nada bem, pois todos os dias inventava novas desculpas para não comparecer ao trabalho, não suportava aquela “forma de não fazer as coisas”…. Muito chefe a mandar e a focar se no que não importa, só mulheres a trabalhar juntas …
Tudo servia de desculpa, até levar um processo disciplinar oral e depois um bem real (trÊs dias para casa sem receber) por excesso de faltas, confesso te que não me apercebia que aquela “luta” que tinha comprado só me estava a prejudicar a mim, e comecei a entrar no sistema e logo a seguir em depressão , tudo sem me aperceber.

O meu marido é que me alertava sobre as escolhas que andava a fazer, e do meu estado deprimente, mas não queria saber, estava determinada a provar que o sistema estava cheio de falhas… E eu também, lol…

Dois anos depois de estar em “sofrimento” e a desaprender, retiraram me o subsidio de coordenação e foi aí que entrei na lista negra, pois das centenas de coordenadoras eu era a primeira a desafiar o sistema e a coloca-los em tribunal!

Passei a fazer os trabalhinhos que ninguém queria fazer, separar parafusos, contar peças Obsoletas, sempre isolada pois destabilizava demais…

Precisava Muito de Ocupar a Minha Mente, Senão ia Enlouquecer

Foi quando voltei a escolher ocupar me e comecei um curso online de Inglês no Wall Street Institute, e aproveitava a linha onde estava (testar DVD’s) para treinar com legendas e sem legendas, hehehe.

Ajudou me muito a ganhar vocabulário e a aperfeiçoar me, apesar de na altura ser só mesmo para ocupar me e expandir um pouco a mente…

Hoje, ouço diariamente  audios motivacionais do negócio que desenvolvo, ouço formações em Inglês e tenho algumas mentoras que só falam Inglês.

Para te resumir acabei por vencer o caso em tribunal, mas a empresa recorreu, e meses depois, em 2008, conheci a industria do Marketing Multinivel, fiquei Fascinada e fui de baixa e assim que soube que estavam a entrar em acordo, fiz chegar essa minha vontade aos recursos humanos que estavam desejosos de me ver fora dali e eu também já tinha visto a Luz no fundo do túnel!

Fui chamada no mesmo dia e sai de lá com uma indemnização Interessante e uma assinatura (obrigatória) para desistir do recurso que continuava em tribunal.

O advogado ainda me quis fazer dissuadir da minha decisão, pois a sentença estava mesmo quase a sair, risos… mas mostrei-lhe que a minha saúde estava em primeiro lugar, e ele teve que ceder mesmo que descontente com a minha escolha.

E foi uma das melhores escolhas que podia ter feito na minha vida, pois apesar de todas as regalias que tinha como: Ordenado certo ao fim do mês, com estabilidade a médio prazo, férias e 13º mês, seguro de saúde para empregado e família, quando mudei para o primeiro turno, vi com os meus próprios olhos que não trabalhava numa fábrica com 3 turnos, e sim em 3 fábricas diferentes, cada uma com os seus procedimentos e muita “foto para o Inglês ver”, se é que me faço entender, risos…

 

O sistema estava muito desatualizado, cheio de bugs e existiam muitos robôts que executam a tarefa, não podem pensar, nem expandir a mente, e eu jamais faria essa crueldade a mim mesma, depois de anos a formar pessoas a serem a sua melhor versão, argh!!!

Posso dizer-te com sinceridade, se um dia vesti a camisola e dei o meu melhor, aqueles dois últimos anos que antecederam a minha saída, não me despedi e só ía trabalhar porque seria Loucura demais sair de lá com uma mão na frente e outra atrás depois de tantos anos de dedicação e empenho, mas olha que ainda pensei nisso algumas vezes, e só não fui avante porque ouvi o meu marido e as pessoas “Lúcidas” à minha volta.

Sair dali mesmo sem qualquer expetativa do futuro, a começar um um negócio próprio (marketing Multinivel) que apesar de não ter vingado, me ajudou na altura a ter a certeza que a fábrica dos meus sonhos foi uma ilusão boa de viver e que me fez crescer muito como pessoa e profissional (hoje vejo isso)

Termino este artigo deixando te a pergunta para Reflexão e se sentires deixa ficar a tua opinião aqui abaixo nos comentários

  • Acreditas mesmo que é sorte ou somos nós que fazemos as nossas escolhas e determinamos o nosso Futuro?

Vive uma vida Fantástica a fazer escolhas que te ajudem a ter mais qualidade de vida!

~Sandra Galão

Queres Saber o Sentido Da Vida? Para a Frente!

Queres Saber o Sentido Da Vida? Para a Frente!

 

Levantar se Da Cama Para Começar Mais Um Dia Deveria Ser Motivo de PRAZER e ENTUSIASMO na nossa vida?

 

Para algumas pessoas, porém isso parece mais um sacrificio.

Elas já se levantam cansadas e desanimadas para enfrentar mais um dia de batente.

Quem se sente assim, provavelmente perdeu o contato com o seu ideal de vida.

Sem uma meta à qual dedicar a sua existência, o ser humano dificilmente encontra motivação para fazer as coisas, para prosperar, para realizar sonhos.

Só quem tem um  Ideal (visão)  pode conhecer a Verdadeira Realização pessoal.

Um Ideal de vida é querer “ser” alguma coisa:

  • Um Médico reconhecido na sua especialidade;

  • Uma esteticista que adora deixar as clientes mais bonitas;

  • Uma empregada doméstica prendada;

  • Um pedreiro caprichoso;

  • Uma mãe e mulher Presente

  • Um canalizador Competente;

  • Um artista talentoso;

  • Uma cozinheira que delicia os outros com as seus pratos;

  • Um empresário próspero;

  • Uma dona de loja onde as pessoas gostam de comprar;

  • Uma vendedora de Sucesso;

Uma pessoa motivada a “ser” alguma coisa orienta, naturalmente as suas ações em direção ao seu Ideal

Se alguém  quer atingir o Cume de uma montanha, mesmo que não saiba como fazê-lo, vai procurar os caminhos que a levem até lá.

Uma pessoa com uma visão clara da vida é objetiva, sabe o que tem de fazer e considera o”fazer” como um meio para alcançar a sua meta.

Depois de idealizado na nossa mente, tudo é possivel

 

Quem tem um ideal, tem tendência a investir em si mesmo e a considerar conhecimentos adquiridos como o seu grande patrimônio.

Pode perder o emprego, ou ter que mudar de cidade ou mesmo de país, mas facilmente se adapta às novas situações, porque sabe quem é e conhece o seu valor.

Para alguém orientado a “ser”, os bens que tem ou a posição que acaba por conquistar, vêm como consequência daquilo que se é.

Quando temos e perseguimos um Ideal de vida, o “ter” é só um resultado natural do “ser”.

Adorei aprender isto, pois nem sempre foi uma realidade na minha vida.

Eu acredito que todos somos divinamente destinados a ser algo, todos temos dons, mas infelizmente nem todas as pessoas conseguem realizar o seu ideal de vida, nem tão pouco descobrem o que andam cá a fazer.

Quando somos crianças, costumamos dizer o que queremos ser quando formos “grandes”, conforme crescemos, vamos nos ajustando às exigências do nosso mundo competitivo, incorporando os valores e todos os condicionamentos sociais que nos levam a dar prioridade ao “ter”:

  • Ter uma carreira;
  • Uma casa
  • O carro do ano
  • O melhor telemóvel do mercado

Muitas vezes a pressão do “fazer para ter” afasta nos do nosso Ideal de Vida e quando damos por nós, estamos a fazer tudo menos o que deviamos para conseguir ir ao encontro desse Ideal, right?

Não vivas emocionalmente agarrado ao dinheiro
Não vivas emocionalmente agarrado ao dinheiro

O Problema de orientar a nossa existência para o “ser” é que ficamos muito dependentes e apegados ao que temos.

No mundo atual, em que a corrupção continua em grande escala, em que o dinheiro não passa de um “monte” de números na memória de um computador, em que as coisas são cada vez menos palpaveis, , e tudo muda tão rapidamente e constantemente, basear a realização pessoal no “ter” conduz nos facilmente à preocupação, à insegurança e à incerteza quanto ao futuro.

Passa se a vida numa corrida contra o tempo, num esforço constante de fazer coisas para “ter” cada vez mais, de modo a que nos sintamos seguros.

Mas é importante saber que quanto mais temos, mais é preciso fazer para manter o que temos.

A viver assim, nenhuma fortuna é capaz de nos proporcionar realização e plenitude.

E quando chegamos aos 50 ou 60 anos, por muito bem sucedidos que tenhamos sido na nossa vida de fazer para ter, sentimos que falta algo.

[fancy_box id=5]

Como estás a conduzir a tua vida:

Baseado no Ser ou no Ter?

[/fancy_box]

 

Se tu és daquelas pessoas que perdeu o Ideal da vida, ao tentares enquadrar te neste jogo da sobrevivência Social, , gostava que soubesses que a qualquer momento é possivel tomares o caminho que te leva ao cume da tua montanha.

O teu Ideal de vida está ligado ao que tu tens prazer em fazer e à visão mais grandiosa que tens de ti mesmo(a)

[fancy_box id=2]

Por um momento, volta ao teu estado de simplicidade em que vivias quando eras criança e pergunta te:

– ” O que eu quero ser quando for grande”?

– O que eu sonho ser na vida?

O teu Ideal está ligado aos teus talentos(dons) e capacidades com que foste abençoado(a) ao nascer.

[/fancy_box]

Tens com certeza muitas coisas que fazes com mais facilidade e espontaneidade, pois recebes te de Deus, os dons para seres o que é o teu destino e assim realizares te.

Lembro me que quis ser advogada, pois não gosto de injustiças e achei que poderia defender muitas pessoas, desmotivei quando vi as imensas leisssss que tinhamos de saber, (risos)

Também quis ser Jornalista, pois gosto muito de falar e achei que era uma  forma de passar a mensagem. 

Depois quis ir para a tropa. Ainda fiz os testes, mas não me identifiquei nada com aquele excesso de autoridade exercida sobre as patentes mais baixas.

Quis ser muita coisa e experimentei muita coisa, e tudo me encaminhou para chegar onde estou hoje, como blogueira profissional e terapeuta de reiki, depois de ter estado muitos anos a trabalhar como empregada e a ser vista como um número por todos os patrões por onde passei.

[fancy_box id=2]

Reconhece a tua vocação.

Pergunta te:

– “O que para mim, é natural fazer?”

– “Quais são as minhas habilidades?”

[/fancy_box]

Tens de compreender que por muito naturais e desenvolvidos que sejam os teus talentos, é preciso aperfeiçoa-los.

É preciso desenvolver técnicas.

Tu podes ter o melhor ouvido para a musica, mas precisas aprender a ler partituras e a tocar o instrumento

– E isso, quando nasces, não sabes. Aprendes.

Acredita que se estiveres no caminho que te leva à realização do teu Ideal, os factos e as circunstâncias da vida vão te “empurrar” para a frente, aconteceu comigo de uma forma bastante natural, quando comecei a fazer as perguntas que coloquei acima.

Não te limites, ou desanimes caso não vejas, em determinado momento, as soluções para as dificuldades que surgirem.

Mantém te firme na tua escolha e a vida te trará, com toda a certeza, tudo o que precisas, mas se continuas a resistir, parece que nada vai dar certo, mas é Deus a testar te, para saber se é isso que realmente queres.

– Não tens tempo para ler? Tu é que fazes o teu tempo e certamente arranjarás um jeito.

Gostavas de começar um negócio com pouco dinheiro, mas não sabes como começar?

Acredita que alguém te pode ajudar, e se não puder, continua a procura, vais encontrar um que te sirva e te satisfaça todas as tuas necessidades.

As portas abrem se para quem sabe o que quer, assume o papel que lhe cabe neste mundo e tem FÉ.

Só tu podes saber o que é melhor para ti, certo?

Que tenhas discernimento nas tuas escolhas.

Não te deixes contaminar pelo pessimismo e pela amargura das outras pessoas, nem te deixes influenciar pelos modelos de Sucesso Alheio.

Sucesso e Fracasso são fatores muito relativos.

Avalia te em relação à tua realidade e não te compares aos outros.

Por fim, não tenhas medo de experimentar.

Se tu não te permitires experimentar, nunca vais saber no que as coisas vão dar… É como teres uma ideia brilhante e não aproveitares para transformá-la em rendimento, ou porque não sabes, ou porque não acreditas que ela possa ser tão boa assim

Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te
Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te

As oportunidades que temos na vida não aparecem por acaso, pelo menos é o que tenho aprendido ao longo desta minha caminhada

Há sempre um propósito por trás delas.

Não deixes de te focar em ti e no teu ideal de vida.

Termino com uma pequena história sobre o sentido da vida e que espero que consigas tirar a melhor parte para ti.

[fancy_box id=1]

As sandálias do discípulo fizeram um barulho especial nos degraus da escada de pedra que levavam aos porões do velho convento.

Era naquele local que vivia um homem muito sábio.

O jovem empurrou a pesada porta de madeira, entrou e demorou um pouco para acostumar os olhos com a pouca luminosidade. Finalmente, ele localizou o ancião sentado atrás de uma enorme escrivaninha, tendo um capuz a lhe cobrir parte do rosto.

De forma estranha, apesar

do escuro, ele fazia anotações num grande livro, tão velho quanto ele.

O discípulo se aproximou com respeito e perguntou ansioso pela resposta:

Mestre, qual o sentido da vida?

O idoso monge permaneceu em silêncio.

Apenas apontou um pedaço de pano, um trapo grosseiro no chão junto à parede.

Depois apontou seu indicador magro para o alto, para o vidro da janela, cheio de poeira e teias de aranha.

Mais do que depressa, o discípulo pegou o pano, subiu em algumas prateleiras de uma pesada estante forrada de livros.

Conseguiu alcançar a vidraça, começou a esfregá-la com força, retirando a sujeira que impedia a transparência.

O sol inundou o aposento e iluminou com sua luz estranhos objetos,  instrumentos raros, dezenas de papiros e pergaminhos com misteriosas anotações.

Cheio de alegria, o jovem declarou:

– Entendi mestre.

Devemos nos livrar de tudo aquilo que não permita o nosso aprendizado.

Buscar retirar o pó dos preconceitos e as teias das opiniões que impedem que a luz do conhecimento nos atinja. 

Só então poderemos enxergar as coisas com mais nitidez.

Fez uma reverência e saiu do aposento, a fim de comunicar aos seus amigos o que aprendera.

O velho monge, de rosto enrugado e ainda encoberto pelo largo capuz, sentiu os raios quentes do sol a invadir o quarto com uma claridade a que se desacostumara.

Viu o discípulo se afastando, sorriu levemente e falou:

Mais importante do que aquilo que alguém mostra é o que o outro enxerga. 

Afinal, eu só queria que ele colocasse o pano no lugar de onde caiu.

[/fancy_box]

Vou repetir o que o sábio disse:

Mais importante do que aquilo que alguém mostra é o que o outro enxerga. 

 

Se andas à procura de mudar o sentido da tua vida, vê o Webinario Grátis que me permitiu hoje transformar me na minha melhor versão e fazer aquilo que mais amo e inspirar outros a fazer o mesmo.

Vê se pode ser para ti:

 http://bit.ly/webinar-pt-smt

 

Vive uma vida Fantástica em busca do sentido da tua vida

~Sandra

Skype: sandra.galao

Porque temos tanto Medo de viver a vida na sua pleniude?

Porque temos tanto Medo de viver a vida na sua pleniude?

Porque temos tanto Medo de viver a vida na sua pleniude?

Vão sempre haver pessoas que estão a viver momentos de crise.

Perdidas no tempo e no Espaço, sem qualquer esperança no Futuro, à espera que algo de diferente aconteça, sem fazerem nada de diferente.

Também pensas assim?

ESQUECE,  não vai Acontecer nada, e tu sabes bem disso, não é verdade?

Precisas de sair do sofá, do computador, da frente da televisão, dessa zona onde não acontece nada de nada de diferente, quer dizer, ficas cada vez mais perdido e sem ação, não é?

Sei o que isso é!

Muitas pessoas continuam agarradas à televisão como se mais nada houvesse para fazer, é uma companhia, dizem me!

Alimentam a sua mente  ver as noticias sobre violência, pedofilia, crise, corruptos e problemas que infelizmente não controlamos, e só ajudam a sermos pessoas muito mais amedrontadas, com Medo por vezes  da própria sombra, e por isso deixam se ficar, em vez de irem  à procura de algo de novo para fazer de preferência que adorem, faz sentido?

Eu ainda “vejo” algumas noticias, o meu marido ainda não fez o desapego, normalmente conversamos mas ele ainda gosta de ter aquele barulho de fundo…. Lol.

É incrivel a quantidade de más noticias que passam, diria que 90% são noticias Ruins, infelizmente são as que vendem.

A televisão é um dos meios que Influencia a população que dela usufrui, para o bem e para o mal, mais para o mal, porque ” Vivem da desgraça dos outros”

– Não devia ser assim, pois não?

Tudo vem com um Propósito:

Construir e Destruir.

Todos temos o PODER de fazer a  nossa escolha;

Podemos fazer parte da SOLUÇÃO e não do PROBLEMA.

Resolvi fazer parte da Solução e hoje vejo muito pouca televisão;

  • Alguns bonecos com os meus filhotes que me ensinam muito.

  • E as tais noticias à hora do almoço, ou quando o marido está em casa a ver o futebol, os seus programas de pesca e culinária.

Não que eu tenha alguma coisa contra quem vê televisão, eu mesma já fui bem viciada na televisão, antes de começar este novo negócio de ser mãe empreendedora online em setembro de 2015!

Adorava ver series (Csi, Mentes Criminosas e outras) onde todos trabalhavam em equipa e me faziam sonhar com a Comunidade da Tribo… risos,  Saiu me agora…

Mas sempre pensei assim:

Acredito que somos mais fortes quando juntamos o melhor de cada um , seja em que área for, Politica, Religião, Empresas, Saúde,  em tudo na vida…

Hoje vejo o tanto tempo que podia ter investido mais em mim enquanto via as muitas novelas Brasileiras.

[fancy_box id=5]

Não pensei que fosse conseguir deixar de ver novelas completamente, mas é como qualquer vicio!

Um vicio é um hábito que se cria com outro, sabias?

Para que o possas largar, tens de ter uma ótima recompensa que valha o esforço, right? Ou então tens de apanhar um grande susto!

[/fancy_box]

Não me arrependo de ter passado tanto tempo viciada nas “minhas novelas Brasileiras”, pois aprendi muito com as mesmas e ajudaram me muito a saber o que quero da vida:

  • Aprendi que todo o tempo que empreguei em novelas, filmes e series serviram me para que hoje viva mais Alerta e com mais Conhecimento sobre certos assuntos que desconhecia.

  • Aprendi que temos de ter atitudes e sair da nossa Zona de conforto para que alguma coisa de diferente aconteça na nossa vida.

  • Aprendi que a nossa Vida está sempre em constante Mudança

  • Aprendi que temos de Dar muito primeiro para depois Receber

  • Aprendi que há muitas pessoas más, mas muito mais Boas, temos de aprender a conhecê-las.

  • Aprendi que temos de nos saber dar o devido valor para que nos respeitem.

  • Aprendi a Respeitar a Natureza e a agradecer

  • Sabermos colocar nos no lugar do Outro ( Não Faças aos outros aquilo que não gostarias que te fizessem a Ti)

Aprendi depois de ter deixado de ver novelas e tanta televisão que devemos investir mais tempo em nós e no nosso Futuro.

Durante a minha adolescência senti me muitas vezes perdida, por não saber o queria do meu futuro, e então qualquer caminho servia.

Coloquei me em muitas situações “estranhas” e perigosas tudo porque não sabia o que queria e então andava a experimentar tudo o que me aparecia pela frente e despertava a minha curiosidade.

Era uma adolescente muito Rebelde, uma Maria com as outras , dizia me a minha mãe, muitas vezes.

Como sabes, ou não, cresci num bairro Social, onde naturalmente a maioria dos jovens não tem um futuro muito promissor, deixamos nos levar uns pelos outros à procura de saber quem somos;

Fazemos coisas que nada tem a ver com a nossa pessoa, nem com os nossos valores!

Vou contar te aqui um episódio que se passou comigo na adolescência, nos meus 14 anos:

Incutimos que devemos querer tudo o que está na moda,  coisas de marca e tudo o que os nossos amigos ou colegas têm!

Na altura comecei a andar com a Celma e a Ema lá do vale de amoreira mas de outro bairro, tinha as conhecido na escola do Vale onde acabei por andar só um ano (muito más influências) .

Começou assim a aventura de quem não sabe quem é nem para onde vai:

 

[fancy_box id=1]

 

Quando me sentia Livre e Feliz
Quando me sentia Livre

Certo dia estava eu, a Celma e a Ema? a falar da roupa de marca, e que os nossos pais nunca tinham dinheiro para comprar nada e que assim nunca vamos conseguir ter roupa de marca, na altura as chevignons, Uniforme e C-17 é que estavam na “berra”.

E a Celma vira se e diz:

– Não é assim tão dificil teres umas calças de marca.

– Como assim, tu tens 20 contos  para comprar umas calças? – A minha mãe diz que tenho de trabalhar para poder comprar umas. Respondi!

Desconversou, e disse me que no dia seguinte iam “buscar” calças e que se eu quisesse saber como tambem ter umas, que estivesse no sitio tal, à hora combinada.

E assim foi, na hora combinada lá estava bem entusiasmada por ir ter umas calças novas.

Fomos as mesmas 3 do dia anterior.

Fomos até um bairro que ficava a 10km de distância e nunca mais me vou esquecer quando paramos na esquina daquele prédio onde as traseiras era só natureza  e a Celma diz-me:

– Estás a ver ai esse estendal (um R/C de chão cheio de calças e roupas de marca estendidas na corda)?

– Sim, o que é que tem?- Respondi sem perceber nada

– Vê as calças que te servem e tira umas para ti.

No momento fiquei chocada com o método usado, e argumentei, mas estavam lá umas C-17 e tirei, fiquei muito nervosa, pois sabia que não estava a fazer uma coisa certa, mas a vontade de ter umas calças foi maior e trouxe-as.

As calças pareciam que tinham sido feitas para mim, usei-as muito e disse a minha mãe quando as descobriu, que me tinham sido oferecidas por uma amiga porque não lhe serviam e não dava para trocar (tive de arranjar uma amiga para dizer isso).

A minha mãe sempre foi alerta, por isso não fiquei perdida.

Nunca mais voltei a andar em tais companhias, nem a roubar calças de ninguém.

Coloquei me no lugar da dona das calças e fiquei muito triste com a minha atitude.

Até hoje não dou muito valor as marcas, nem a pessoas que roubam, nem as mentiras.

[/fancy_box]

Sim,  fiz muitas coisas que não me orgulho, andava mesmo perdida. Hoje sei que fizeram parte do processo para estar onde estou.

Escuta esta história dois anos depois, onde continuava mais perdida que nunca:

[fancy_box id=2]

A minha mãe diz que quando tinha os meus 16 anos sentou se para conversar comigo, pois já não aguentava tantas queixas dos professores por causa do meu comportamento, e a falta de atenção nas aulas  e perguntou me:

Sempre Sonhei ser Livre
Sempre Sonhei ser Livre

Mãe: – O que queres fazer da tua vida?

Sandra- Não sei, mas não gosto de estudar – Respondi

Mãe: – Se não queres estudar vais ficar em casa a limpar a casa

Confesso que não me recordo nada desta conversa :0D

Sandra – Vais me pagar?

Mãe – Já te dou de comer, visto, calço te, dou te educação e ainda queres que te pague?

Sandra – Então, não vou trabalhar , tenho de receber, ou não? – Perguntei

Final da conversa:

Sem receber não estava disposta a ser a “Gata Borralheira” e voltei a estudar até ao 12ºano e depois quis ir trabalhar, a escola não me dizia nada.

[/fancy_box]

A minha mãe ficou triste por mais uma filha não querer ir para a faculdade.

Eu queria era ganhar dinheiro para ser “Independente”, comprar as minhas roupas e sair.

Via a minha irmã mais velha, que já trabalhava a comprar roupas e sapatos e também queria, pois não me emprestava nada.

O que te quero dizer com estas histórias é que muitas vezes na nossa vida, nos deixamos levar por más companhias, não pensamos por nós próprios!

Mas hoje sei que são tudo desafios que Deus  coloca na nossa vida a testar  nos para sabermos:

  • Quem realmente somos

  • Qual a nossa missão?

  • Qual o Valor que temos?

  • Qual o valor que temos para os outros?

  • Qual o nosso carater?

  • Queremos mesmo isto? (qualquer situação que se repita várias vezes)

E Como Podes Saber Se Estás no Caminho Certo?

diz sim a vida e escolhe o teu caminho

 

Falo te pela minha experiência de quem passou e ainda está a passar por desafios diários constantes a descobrir quem realmente Sou de Dentro para Fora.

A Minha Melhor Sugestão:

Acorda para a vida, e vê os sinais que te aparecem todos os dias, mas que continuas a ignorar, porque não te Sentes preparado(a) sabe se lá para o quê, ok?

Vais ver que assim que decidires sair dessa Zona de Conforto, que te irrita mas não te “expulsa” vais sentir te muito mais Feliz!

Para começares a Dizer sim à Vida, tens de envolver-te em qualquer coisa que gostes:

  • Um curso que já queres fazer há muito tempo, mas ainda não foste à procura de informação sobre o mesmo

  • Um livro que queres ler sobre um assunto que te interessa

  • Tirar a carta de condução

  • Um novo emprego, se continuas a achar que não tens perfil para empreendedor

  • Uma nova profissão se achares que chegou a hora de começar algo 

    completamente novo e rentável

 

E a verdade é que num instante começas a descobrir quem és e o que andas aqui a fazer;

E as oportunidades continuam a aparecer, e tu a aproveitá-las, sabendo que uma maratona de 10.000km começa com o primeiro passo

Tens consciência disso, certo?

A única coisa que tens de começar a fazer é  dizer SIM à vida,

Se parares de reclamar tanto e Agradeceres mais vais ver a tua vida mudar!

E depois nada te pára pois quando temos uma missão na vida, é ela que nos faz caminhar sem Medo de Errar.

Aproveita bem a vida, pois ela passa tão depressa que é uma pena ver tantas pessoas deixa la passar, sem que tenham feito nada para Mudar isso!

Estou aqui para te ajudar no que puder, espero no fundo do coração que decidas sair dessa Zona desconfortável e que não te leva a lado nenhum.

Pára de Viver a Vida dos outros, ou a vida que os outros querem que vivas, e procura um Motivo para Viveres a tua, e vais ver que deixas de estar perdido(a) no mesmo instante.

Precisas de dar o primeiro passo. Só tu podes fazê-lo!

Depois, estou aqui se achares que te posso ajudar

Acredito  que farás as escolhas mais acertadas para viveres uma vida fantástica, a vida que tu escolheste.

~Sandra

%d bloggers like this: