Etiqueta: comunidade tribo

A Fábula do Vendedor de Cachorro-Quente e a Crise

A Fábula do Vendedor de Cachorro-Quente e a Crise

Porque Será Que Enquanto Uns Choram,  Outros VENDEM LENÇOS?

A primeira vez que ouvi a fábula que te vou contar foi num evento de empreendedores, quando conheci  a indústria do  marketing de rede  em 2008 e ela representa bem a nossa realidade, e como por vezes arruinamos o nosso negócio porque acreditamos mais nos outros do que em nós e nos nossos produtos e serviços.

E assim começa a história e espero que tires a lição contida nela:

Um homem vivia à beira de uma estrada e vendia cachorro quente.

Ele não tinha rádio, não tinha televisão e nem lia jornais, mas produzia e vendia o melhor cachorro quente da região.

Ele se preocupava com a divulgação do seu negócio e colocava cartazes pela estrada, oferecia o seu produto em voz alta e o povo comprava e gostava.

As vendas foram aumentando e cada vez mais ele comprava o melhor pão e a melhor salsicha.

Foi necessário também adquirir um fogão maior para atender a grande quantidade de fregueses.

E o negócio prosperava a olhos vistos. O seu cachorro quente era o melhor!

VENCEDOR, ele conseguiu pagar uma boa escola ao filho.

O menino cresceu, e foi estudar Economia numa das melhores Faculdades do país.

Anos depois, finalmente, o filho já formado, voltou para casa, notou que o pai continuava com a vida de sempre, vendendo, agradando e prosperando e teve uma séria conversa com o pai:

Pai, então você não ouve rádio? Você não vê televisão? Não acessa a Internet e não lê os jornais? Há uma grande crise no mundo. A situação do nosso País é crítica. Está tudo um caos.

Depois de ouvir as considerações do filho Doutor, o pai pensou:

Bem, se o meu filho que estudou Economia na melhor Faculdade, lê jornais, vê televisão e internet, participa de redes sociais, e acha isto, então só pode estar com a razão, a coisa deve estar feia mesmo!

Com medo da crise, o pai procurou um Fornecedor de pão mais barato ( e é claro da pior qualidade).

Começou a comprar as salsichas mais baratas (que era, também, a pior).

Para economizar, parou de fazer cartazes de propaganda na estrada.

Abatido pela noticia da crise já não oferecia o seu produto em voz alta.

Tomadas essas providências, as vendas começaram a cair e foram caindo, caindo e chegaram a níveis insuportáveis e o negócio de cachorro quente do velho, que antes gerava recursos até para fazer o filho estudar Economia na melhor Faculdade faliu.

O pai, triste, então falou para o seu filho:

Você estava certo, meu filho, nós estamos no meio de uma grande crise. e comentou com os amigos,orgulhoso:

 Bendita a hora em que eu fiz meu filho estudar economia, ele me avisou da crise 

 

Moral da história:

O marketing é fundamental para o sucesso de um negócio, seja ele tradicional ou online.

Diante das situações, a pergunta que fica é:

Estamos no pior momento de todos os tempos, ou estamos a deixar de vender o nosso cachorro quente?

Como qualquer problema, as crises passam e a curto ou longo prazo outra surgirá, sabemos disso.

Mas isso não nos pode desanimar. Faz parte da vida de empreendedor, da economia e do mercado, right?

O que podemos fazer de melhor é encarar a crise de frente, mas sem deixar que ela influencie o nosso espírito inovador, criativo, empreendedor e produtivo.

Esquece lá a crise e dá espaço para novas ideias, só assim conseguirás ter o teu negócio sempre a prosperar e com os resultados que tu desejas

As Oportunidades aparecem para quem está DESPERTO para elas

 

Muitas vezes aqueles que tomam a decisão estão envolvidos em paradigmas e crenças que não lhes permite identificar onde estão as melhores oportunidades para poderem vencer na vida.

Deixam-se levar pela onda de pessimismo, da crise , o medo de trocar o certo pelo duvidoso, atrofiando todas as iniciativas em busca de soluções e ficam contaminados pela falta de perspectivas, e é aí onde culpam tudo e todos pelo seu fracasso, conheces alguém assim?

Eu conheço, infelizmente muitas, eu mesma, em muitas situações da minha vida no passado agi da forma que te descrevo acima.

Mas, com o tempo,  a vontade de vencer, de não ter mais patrão e de deixar um legado aos meus filhos, fez-me conhecer a Comunidade da Tribo, o grupo de empreendedores e empresários para o qual trabalho desde 2015 estes e tantos outros empreendedores de sucesso por aí, não se deixam abater e procuram sempre alternativas mesmo em tempo de crise,  empreendedores ousados, com determinação e coragem,  que sabem o seu caminho, o seu valor e nada, nem uma grande crise os abate.

– E Tu, como reages perante uma crise?

– És daquelas pessoas que és ousada e estás sempre em busca de novas soluções?

O grupo de empreendedores da qual faço parte com muito orgulho, pois estive lá quando renasceu das cinzas, mostra que, quando temos clareza naquilo que realmente queremos, na direção que queremos tomar,  não há crise que nos impeça de continuar o nosso processo.

Adoro a expressão tão verdadeira de um dos nossos valores:

Jogamos nos tabuleiros uns dos outros, retiramos o que cada um tem de melhor, partilhamos o que sabemos e tornamos nos na nossa melhor versão, todos os dias são dias de aprendizagem, seja ela qual for, um bom livro que te faça crescer, uma música que te faça sorrir, um blog que te faça inspirar,  mas não culpes os outros, muito menos  a Crise por tudo o que te acontece de errado

ARTIGO RELACIONADOA COMUNIDADE DE EMPREENDEDORES ANORMALMENTE BEM SUCEDIDOS – MISSÃO E VALORES

Se ainda não tens a vida que queres, a CULPA é só tua. Eu sei que é duro de ouvir, mas é a realidade, mas a boa notícia é que tem SOLUÇÃO e chama-se RESPONSABILIDADE, pela tua vida e escolhas.

Sabes porque digo isto sem medo de errar?

Pois também já quis mudar o mundo, eu tinha milhares de perguntas não respondidas e uma revolta imensa dentro de mim, culpava tudo e mais alguns por tudo de errado que me acontecia e só comecei a mudar isso quando comecei a mudar me a mim, aos meus comportamentos e às minhas atitudes, comecei a responsabilizar-me pelas minhas escolhas, mesmo que erradas e o mundo começou a mudar, quer dizer, eu comecei a ver o mundo com outros olhos.

Lembra-te para que algo de diferente aconteça, tens de sair da tua zona de conforto, aquela onde eu  também já estive durante muito tempo e onde vivia a vida de outras pessoas, sempre que investia o meu tempo a ver as “minhas” novelas brasileiras.

É verdade que aprendi imenso com todas elas, pois a maioria retratava algumas realidades que eu desconhecia, nomeadamente o tráfico humano, a exploração infantil, o saco azul e por aí…

Confesso te que nunca pensei que fosse deixar de ver novelas, pois era tão viciada!

A prova que a vida dá voltas, quando estamos dispostos a realizar os nossos sonhos mais profundos

A Escolha de continuar em busca de oportunidades ou ficar à espera que a crise passe é sempre nossa, lembra te que a energia precisa fluir, há que largar o velho, para deixar entrar o novo.

Não podemos fazer nada quanto a isso, por isso se chamam circunstâncias, mas com certeza as nossas atitudes perante as mesmas é que vão fazer toda a diferença, concordas?

Deixa ficar o teu comentário, partilha e vamos espalhar a mensagem:

A CRISE ajuda nos a SUPERAR os nossos LIMITES 😉

Tem um dia Fantástico e vive a vida LIVRE.

Sandra

 

 

 

 

O que tem a Tribo e a Empower em Comum com os Gansos?

O que tem a Tribo e a Empower em Comum com os Gansos?

Pessoas Que Compartilham Uma Direção Comum e Senso de Comunidade, Podem Atingir Os Seus Objetivos Mais Rápido E Fácil, sabias?

Já ouvi esta história há muitos anos, hoje ouvindo a novamente, fiquei muito Feliz por saber que nós,  os empreendedores da Comunidade da Tribo dos Power Bloggers , juntamente com a  Empower Network, (empresa de afiliados em Marketing Digital de alta qualidade) fundada pelo David Wood, um ex-mendigo, que se tornou milionário a ele e a milhares de pessoas,  trabalhamos como os Gansos e resolvi partilhar contigo este video e este artigo para que te inspires em algo, em alguém, sei lá, mas faz alguma coisa a essa vida que já não queres, dá um basta.

https://youtu.be/dcIl16__OUc

 

 Gostas te?

Adoro saber que estamos todos a “voar” no mesmo sentido, todos a tentar ajudar quando alguém está mais desmotivado, porque não está a ter os resultados que queria, ou porque não consegue inspirar se para fazer um artigo, ou uma página de captura, ou porque anda de volta do youtube e não consegue encontrar o que procura, e há sempre alguém “por perto” para ajudar, de alguma forma, mas aqui ninguém “voa” por ninguém, ia dar o exemplo que aqui ensinamos a pescar, não damos o peixe, mas como estamos a falar dos gansos (risos)…

Sim, estamos aqui para ganhar Dinheiro, muito dinheiro, ( podes ver os rendimentos médios no link mais abaixo), ter as vidas que sempre sonhamos, muitos já tem, cada um a seu ritmo, onde alguns vão ser “atingidos” e cair,  outros continuar e prosperar, mas esse não é o principal Motivo,  nós aqui oferecemos oportunidades e soluções, e jogamos nos tabuleiros uns dos outros.

Confesso te, Adoro esta expressão do “jogamos nos tabuleiros uns dos outros”, tudo para dizer que nos ajudamos mutuamente, mesmo que  não ganhemos dinheiro com essa pessoa, o que não é muito comum. pois não?

Algumas pessoas que conheço, querem  ganhar muito dinheiro num dia, sem recrutar ninguém, e sem vender nada, só se for para alguma pirâmide ou bolha, podes ter a certeza.  Não gosto disso.

Já fui malandra em criança e na adolescência, hoje o meu caminho é outro.

[fancy_box id=6]

 

Como diz o David Wood num dos videos de treino do Top Producer Formula:

Nós somos Solucionadores de Problemas

[/fancy_box]

Quantas vezes entramos em “crise” e depois já não sabemos que caminho devemos seguir,  começamos a duvidar, e de repente reparamos que há sempre alguém que nos “mostra” qual a direção que devemos seguir e que não estamos sozinhos, nunca!

Enquanto nós, Empreendedores, nos preocupamos em dar conteúdo de valor às pessoas que nos seguem, como tu, encorajando te a Mudar a Vida que já não queres, a Empower e a sua equipa fantástica, otimizam todos os dias o nosso veiculo (Blog) para que isso aconteça.

nosso mestre Rui Gabriel, em total sintonia com os lideres do nosso  grupo de trabalho no skype, e os lideres da Empower,  com tantas formações e hangouts de desenvolvimento pessoal, profissional e espiritualMotiva nos todos os dias com a sua forma brilhante e Humilde de Liderar, ensinando nos que todos somos lideres e todos somos seguidores, que aqui ninguém fica para trás e juntos vamos conseguir atingir os nossos objetivos e alcançar a vida que sempre sonhamos, ser Livres de tudo.

 

Desde que Desistir não seja uma opção, tudo vale até o easy button, que serve para aquele desafio que demorou a realizar se e no final até foi Fácil ” THAT WAS EASY . É bom para aprender a lidar com as frustrações.

Clica aqui e conhece o easy button
Clica aqui e conhece o easy button

Temos de  continuar  juntos a “voar” na mesma direção e aproveitar o que todos temos de melhor, cada um no seu processo. E como diz o Rui e muito bem:

Sem processo não há sucesso.

Espero que tires a grande Lição  que aqui se encontra e a uses no teu negócio, na tua vida, juntando te a pessoas que não desistem de ti, que acreditam no teu valor e te estão constantemente a desafiar e a mostrar que é possivel atingires os teus objetivos, desde que te deixes orientar por quem já percorreu o caminho e sabe o que faz e digas sim, sim…

 

Ninguém consegue ir a lado nenhum sozinho, precisamos sempre de arranjar os aliados e parceiros certos, e com isso Aprender, aplicar e ensinar, orientados por quem já sabe, seja em que área for, faz sentido?

Duas mentes Brilhantes, tem resultados fascinantes. vê os resultados possiveis. https://www.empowernetwork.com/income
Duas mentes Brilhantes, tem resultados fascinantes. Não são resultados tipicos, podes ver em:
https://www.empowernetwork.com/income

Mesmo que não concordes, é mesmo assim que funciona, sabias? Pelo menos até à data, (risos)

Mas presta a tenção para não te deixares enganar pelos malandros, eles também andam aí.

Se gostaste e está interessada(o) em dar um novo rumo à tua vida

[fancy_box id=5]

Adquire aqui o teu Blog

Vamos trabalhar  juntos, como os Gansos

[/fancy_box]

Muita Luz e Amor na tua Vida

DEVES SER A MUDANÇA QUE DESEJAS VER NO MUNDO

Junta te a mim no Skype:

sandra.galao

Claro que é Possivél
Claro que é Possivél
Tu é que tens a mania que és Boa!

Tu é que tens a mania que és Boa!

 

 

Se eu fui capaz. Tu também és. Basta que estejas disposto a Mudar
Se eu fui capaz. Tu também és. Basta que estejas disposto a Mudar

 

Como pude chegar a esta situação?

Fui Obrigada a deixar o meu posto de coordenadora depois de 10anos de dedicação, mudaram me de turno, passei a faltar à toa e cheguei às 10 faltas injustificadas, levei um processo disciplinar oral, outro bem real (fui 3 dias para casa sem receber), e no final coloquei a empresa em tribunal e depois de estar de baixa e não me conseguir ver lá novamente, tantos anos a vestir a camisola errada, Mudei de vida.

 

Como sabes este artigo é a continuação do artigo A fábrica dos meus sonhos.

Acabei o artigo a dizer que no dia 5 de Julho mudei para o 1º turno, agora como operária fabril, depois de ter sido convidada a deixar o meu posto de coordenadora, tudo porque resolvi aderir a uma greve e passei a saber mais soube os meus direitos.

Estás a imaginar as perguntas que as pessoas tinham, quando viram a tagarela em 1ºturno depois de tantos anos a coordenar e a armar-se em boa e apesar dos conflitos ser considerada mesmo boa coordenadora?

Foi uma mudança em tudo, eu e a maioria dos chefes eram todos novos, quando digo novos, é que vinham de outros departamentos, áreas e eram largados ali, como aquele que só foi “eleito” só para mudar a minha vida.

O meu chefe de 3ºt tinha passado a ser o meu novo chefe em 1º e o chefe do meu chefe era engenheiro de software e foi  começar um novo desafio, Ou seja, uma Mudança para todos nós.

Passei a ser  “tapa buracos” (faz de tudo um pouco ocupando o lugar das pessoas que faltam e os trabalhos que ninguém gosta nem quer fazer), pois sabia fazer as linhas todas e as que não sabia, rapidamente aprendia.  Tranquila.

 

Já não sou coordenadora mas a minha mente sim e o subsidio também

O meu chefe na altura chamemos lhe António disse me que iria deixar de receber o subsidio de coordenadora, e como te disse no outro artigo estava por tudo, disse que sim, mesmo sabendo que por lei não o podiam fazer…

Acabou por se confirmar mais tarde.

Quando recebi o meu 1ºrecibo de ordenado, fiquei chocada e tão triste apesar de ter recebido o subsidio de coordenação (incumprimento de procedimentos dos chefes)  recebi menos 200 e tal euros por causa do subsidio noturno,

Eu trabalhava da 0h00 as 8h.

Mais uma vez senti que não era aquela Mudança que estava à espera para mim

 

Foi uma mudança em tudo, eu e a maioria dos chefes eramos todos novos, quando digo novos, é que vinham de outros departamentos, áreas e eram largados ali, como aquele que só foi “eleito”  para mudar a minha vida nem sequer chegou a chefiar nada.

O meu chefe de 3ºt tinha passado a ser o meu novo chefe em 1º e o chefe do meu chefe era engenheiro de software e foi  começar um novo desafio, lidar com pessoas.

Ainda alertei o chefe “António durante 2 meses, que continuava a receber o subsidio de coordenação.

Depois fiquei na minha, eram mais que merecidos agora que presenciava em 1ºt as duvidas que tinha porque trabalhavam tão mal.

O grande  problema é deixarem tantas mulheres nas linhas, sem misturas masculinas e a coordenar, e cada uma tinha a sua forma de estar e ser.

Da profissional incompreendida à que só quer saber da aparência e da categoria.

Uma delas, a Susana que foi minha coordenadora durante um tempo dizia me muitas vezes, quando lhe perguntava porque nos deixava tão a vontade, ela dizia que não era policia para andar a ver se as pessoas cumpriam os procedimentos, pois as pessoas já são adultas e ela era uma coordenadora que fazia muitas vezes o papel de operária, que nos dava a produção diária e colocava os cartões para pedir material para a linha, fazia nos o timekeeping (presenças e faltas) e  pouco mais,

até as justificações das faltas eram as pessoas da linha que preenchiam, a coordenadora só ia buscar aos recursos humanos e colocava o código no sistema.

Posso dizer te que é muito boa pessoa e uma excelente profissional, fiquei contente de saber que conseguiu um lugar como administrativa nos recursos humanos, pois como coordenadora, não era de todo o lugar ideal para ela. 

Sabes que ao longo dos anos lidei com muitas pessoas de todas as maneiras e feitios e é de facto um assunto que eu entendo.

Pessoas, adoro pessoas, claro  fiz alguns inimigos e muito bons amigos

Boas amigas que fiz na Visteon. Muito grata por tudo
Alguma das boas amigas que fiz na Visteon. Muito grata por tudo
Adorei trabalhar com a Irina em contexto de novos desafios. Muito grata
Adorei trabalhar com a Irina em contexto de novos desafios e borga também. Muito grata
Que bom que não permitimos energias negativas na nossa Amizade. Todos diferentes, todos iguais
Que bom que não permitimos energias negativas na nossa Amizade. Todos diferentes, todos iguais
Tiramos esta foto no ultimo dia em 3º turno
Tiramos esta foto no ultimo dia em 3º turno

 

Desculpem me a sinceridade minhas senhoras coordenadoras e muitas especialistas (operárias)  foi muito mau, e contra mim falo que num instante me vi a ter as mesmas atitudes que criticava nas mulheres do 1ºt.

Faziam dos assuntos uma novela com cenas do próximo capitulo.

Nós as mulheres somos o máximo e muito poderosas quando focamos a nossa energia no que realmente importa, mas em contexto de trabalho de fábrica, esquece lá pois complicamos demais.

Vivi isso bem de perto e sei bem do que falo, e infelizmente a opinião é unânime, concordas?

Achei o máximo saber que podia comprar desde perfumes a rissóis, ouro, cremes, roupas, biquinis, cuecas e tudo o que possas imaginar.

A malta juntava se nos balneários por volta das 11h (hora do cigarrinho) e iamos fazer as encomendas ou comprar na hora…hehehe.
São todas mulheres empreendedoras, que fazem o que gostam, como eu e muitas nem se apercebem, outras sabem no até demais, o que as torna um  pouco malandras e perigosas para as pessoas mais ingenuas.

Parece  o mercado. Queres comprar?

Nunca tirei nenhuma foto para mais tarde  recordar

 

Mas o que Ando aqui a fazer?

Nesse mesmo ano em Outubro, já bem saturada de andar ali a ver como não fazer as coisas Comecei a questionar tudo e mais alguma coisa, pois a maioria das operárias faziam o trabalho tipo robots mesmo, só que como faltava formação e informação, “dava defeito” e apareciam muito rejeites na qualidade, não se fazia a produção constantemente e o chefão não tinha jeito nenhum com pessoas (ele chegou a reconhecer isso):

Mas por vezes não podemos recusar estes convites, disse-me

As reuniões (aquelas que eu fazia todos os dias antes de trabalhar) só tive a 1ª depois de meses e porque não paravam de aparecer rejeites de qualidade e fábricas

clica para saberes se a solução para o teu problema está aqui.

 

Lembro me de fazer o lugar das pessoas que faltavam na clean (local fechado onde eramos obrigadas a andar de óculos, tocas e luvas) e raramente fazerem a produção, tudo servia de desculpa.

[fancy_box id=3]

Conto te um pequeno episódio que ilustra bem isso.

A produção diária era de 120 clusters por hora, e as 8h50 já tínhamos os tais 120 (eu estava nas lentes a abastecer o testador) e a “vanessa” disse me para parar e eu perguntei:

– Porquê? se ainda faltam 10 minutos para terminar a hora

– Porque em 1ºT só fazemos a produção horária e já temos 2 ou 3 a mais.Ainda questionei que as 9h iriamos ao break e como todos os dias se perdiam clusters nessa hora já dava para compensar essas perdas ao que ela me respondeu:

– Oh Sandra já não estás em 3ºt e nós aqui só fazemos a produção horária e além do mais já nem és coordenadora, deixa esses pormenores para a coordenadora resolver.

Outra meteu-se na conversa e disse me: 

– Tu tens é a mania que és boa.

– Comecei a rir à gargalhada e respondi-lhe:

– A mania tens tu que só fazes bem para agradar sabe se lá quem, eu sou mesmo boa naquilo que faço, pois faço com brio e prazer.

[/fancy_box]

Nem estava a acreditar no que estava a ouvir, mas ela tinha razão, o problema é que a coordenadora é que não se preocupava e eu como já disse várias vezes, quando faço algo, dou sempre o melhor de mim e aquilo estava a complicar me com os nervos.

O pior é que só me complicava era a mim cada vez que questionava algo

Arranjei ali mais uma inimiga mesmo sem perceber

Fiquei impressionada, pela negativa como podes calcular.

Eu com a mania do perfeccionismo, habituada a motivar, partilhar opiniões, incentivar para o trabalho em equipa e cair de “páraquedas” no meio de gente má, que se preocupavam mais com a vida alheia (claro que não eram todas), do que com a produção e a qualidade

Trabalhei com excelentes profissionais, mas era impressionante a forma de estar da maioria.

Não sabiam mas também não tinham iniciativa para Aprender

Eu na altura ainda bem rebelde, com total confiança no meu trabalho e na minha pessoa mesmo despromovida, estava sempre a provocá-las e normalmente acabava em conflito.

 

Vem melhorar o teu processo, se estas cansada(o) do que usas
Vem melhorar o teu processo, se estas cansada(o) do que usas

Vou contar te mais um episódio, para perceberes porque não podia e não queria trabalhar com algumas pessoas, mesmo sendo obrigada, até este dia.

Passei me outra vez com tanta hipocrisia

[fancy_box id=3]

Fui chamada para fazer o lugar de uma pessoa na clean e lembro me de estar a abastecer a linha quando vejo a “Célia” que estava no sreening (teste final antes do pacote para cliente)

aparecer com um módulo que tinha um defeito que não me recordo qual era, e a Célia em vez de rejeitar o módulo e mandar para o técnico como diz o procedimento entregou o à pessoa (nova na linha) que tinha deixado passar o mesmo, diz ela com boas intenções???

Fiquei a observar (ainda me sentia coordenadora) o desfecho do tal modulo, e o que é certo é que fomos ao break (lanche) de 10m e o modulo ficou para ir para o testador e quando chegamos,

estava a coordenadora (inimiga) com o módulo na mão e a amiga Célia com uma cara de coitadinha ao lado da mesma, para irmos ter uma reunião para a coordenadora perceber porque motivo aquele (o tal) módulo tinha sido aprovado e depois voltou para o processo novamente, sem ter ido ao técnico.

Esperei a resposta e a Célia que só dizia que aquilo estava uma grande confusão aproveitei para dizer-lhe:

– Esta confusão toda só se gerou porque tu não cumpriste o procedimento, pois se tivesses rejeitado o modulo, nem sequer estariamos aqui, concordas?

– Pois, agora a culpa ainda é minha, dizia ela fazendo se de vitima.

– Pois é Célia, é mesmo tua, não tenhas duvidas nenhumas.

Na altura ainda não me sabia controlar e comecei aos berros, a dizer que ela devia era ter vergonha de ser tão maldoza e tão pouco profissional, pois com aquilo tudo a pessoa que deixou passar o rejeito é que ficou prejudicada, que injustiça.

E a coordenadora que é muito fraquinha a gerir pessoas,  nem sequer conseguiu perceber nada do que se tinha passado. Se queres que eu te diga, nem eu.

Mas achei uma cena muito triste e deprimente e pior uma constante.

[/fancy_box]

Nunca mais voltei a clean, soube mais tarde que a coordenadora foi fazer queixas minhas ao chefe, dizendo  que eu destabilizava demais as pessoas e que por isso não faziam a produção…

Claro que assim que tive oportunidade, disse-lhe claramente que se estava a meter com a pessoa errada e que antes de ela me tentar “entalar” que pensasse duas vezes… Naquela altura, eu ficava mesmo f…e num instante virava a rebelde do Vale da Amoreira

Fui salva pelo meu chefito João Carlos. Meu anjo da guarda

Estava a ultrapassar todos os meus limites de paciencia quando houve um problema de software  nos clusters do v227  na fábrica da Turquia e o João perguntou me se estava interessada em ir com a Rita (carinhosamente chamo  de Catita) resolver o problema.

UhUhUh Claro que sim. Lembro me que aceitei sem sequer falar com o meu Galão.

Precisava urgentemente de sair dali.

Uma viagem de 19 dias brutais, com imensas aventuras num país com uma cultura completamente diferente da nossa.

Hei de contar um dia destes, mas deixo uma dica se lá fores. A letra G lê-se C

Descobrimos depois de estarmos 2 horas a procura do geylam hotel quando na realidade é o Ceylam hotel, por isso ninguém conhecia… ahahaha. Sempre a Aprender.

Our guide and good friend. Thank you Murat
Our guide and a good friend. Thank you Murat
Conseguimos resolver todos os problemas e ainda passeamos, fizemos um banho turco, massagens e gastamos muito dinheiro, batemos com o carro alugado, perdemo nos 400km, fui multada por excesso de velocidade… e  no final correu tudo bem.
 
Quando regressei comecei a trabalhar  na linha RSE, o dvd para as carrinhas Vito com a Irina e o engenheiro Zé e Miguel, e o técnico Antonio e Rui, cada um com a sua função, era um processo muito complexo e demorado.
 
Só para teres ideia chegamos a levar 8h para fazer um módulo. Levava cerca de 60 parafusos e as ligações no inicio davam muitos erros de software
 
Mas eu e a Irina eramos um espetaculo a trabalhar, e modéstia à parte a equipa de engenheiros e técnicos também, eram também tratados como números infelizmente, mas tinhamos mesmo uma boa sintonia, e conseguiamos sempre ir além das nossas expectativas, e descobriamos muitas coisas que nem os entendidos ainda tinham entendido.
 
Hoje faz me lembrar o grupo onde estou hoje inserida a Comunidade da Tribo onde nos é permitido sonhar bem alto e mostrar todo o nosso real valor.
Tu também podes vir conhecer nos, teremos todo o prazer em te ajudar.

Num instante estávamos preparados para um novo desafio.

Fui convidada a ir buscar O DVD da fábrica de Espanha em Cadiz. onde fui com o meu colega engenheiro Miguel, que não gostava nada que eu estivesse toda à hora a tirar fotos e a falar tanto, rs.
 
Estivemos juntos uma semana. Foi uma semana bem diferente nesta viagem  pois a companhia também era diferente.
O Miguel é uma pessoa super inteligente (tipo cromo), muito timido, desconfiado, que não era muito fã de fotos, e com  um excelente coração.
 
A ultima vez que o vi foi no ano passado num passeio à figueirinha, disse me que já não estava lá na fábrica.
Yesss. Mais um que deixou de ser tratado como um número, Tem um valor que ele próprio desconhece, ou não.
Fomos conhecer a noite e jantar fora. Gostei muito da companhia.
Fomos conhecer a noite e jantar fora. Gostei muito da companhia.

TEM TUDO A VER COM O SISTEMA! NÓS NÃO SOMOS NÚMEROS

Comecei a sentir que já não fazia nada ali, comecei a faltar e cada vez que não tinha motivo, respondia põe motivo pessoal (que se não tiver um documento do que fomos fazer é falta injustificada). Já eram algumas.

Andava mesmo a ficar desnorteada e a entrar nas tais das depressões que não passam de falta de uma visão clara do futuro, de uma causa que vale a pena lutar.

Costumas Investir em TI?

[fancy_box id=3]

Comecei o meu curso de Inglês no instituto wall street no Barreiro, encontrei na internet á procura de uma solução para o meu dilema. Oferecem duas semanas para experimentar e assim foi

Gostei mesmo muito de o fazer, adorei as professoras, principalmente a Sónia e alguns professores que por la passaram e tinham tanto prazer no que faziam, e também por me dar flexibilidade de o poder fazer em casa.

Estava tudo muito bem estruturado.

Não sei porquê, mas não tenho nem uma foto de lá.

O curso era feito em casa, como opção e tinha de ir “a exame” fazendo os encounters e as aulas em grupo que nos ajudavam muito a passar de nivel, ás vezes era aldrabona(malandra) e preguiçosa com os exercicios dos livros ia muitas vezes as soluções, era mais fácil mas não traz nenhum sabor de conquista, de aprendizagem, concordas? Estamos a enganar nos a nós próprios…

Tentava estar sempre presente nas aulas de grupo, pois abordavamos assuntos bem interessantes e faziamos debates em Inglês, sobre homossexualidade, preconceitos…

Sempre que tentava ser aldrabona, contornar o sistema, lembrava me do episódio que conto no artigo Também vês como um Elogio?  e que estava a pagar bem pelo curso e mudava logo a minha postura. Rs

Hoje falo e entendo bem o inglês, uma questão de praticar, o que vou fazendo quando oiço audios de desenvolvimento pessoal em ingles…Its cool

[/fancy_box]

Em 2006, 2 anos depois de ter mudado de turno, e me ter tornado operária fabril novamente, e bem no mês do subsidio de férias fiquei possuida quando olhei para o meu recibo?

Tiraram me o subsidio de coordenação que tinha sido aumentado para 100 euros.

Qualquer dia tenho de pagar para trabalhar, pensei eu.

Não suporto quando me fazem de parva

Como deves de imaginar fui logo aos recursos humanos e a advogada Luisa quando me viu, já sabia porquê.

Voltei a fazer uma grande confusão, pois diziam que continuei a receber porque alguém (chefe) não cumpriu com o procedimento (muito grata).

Não queria saber, Depois do que tinha visto em 1ºturno era tipo um bónus pela dedicação.

Depois de falar com a diretora dos recursos humanos (sabe muito bem o que precisa de dizer, para nos tentar  convencer que o sistema está certo e a lei do lado deles)

Convenceu me um pouco, mas depois recebi uma “mensagem”,  falei com o sindicato e seguimos para tribunal

Fui logo para a lista negra, como deves imaginar, começou o pior dos infernos… nem eu imaginava que pudesse ser tão mau.

Se estás numa situação igual ou parecida com a minha, por favor liberta te, há sempre solução senão vais ficar doente…

Os procedimentos que até então ninguém cumpria, passaram a ser cumpridos à risca…

…Fui chamada aos recursos humanos por causa das faltas (mais algumas colegas), nunca tinha acontecido em tantos anos de trabalho, mas sabia que andava a faltar à toa, tinha 6 faltas injustificadas das 10 permitidas. 

Tinha de assinar um papel a dizer que estava ciente do processo disciplinar oral, dei uma de rebelde e perguntei?

– E se não assinar? O que acontece? 

Ficava registado que não o fiz… Lá sssinei

Fartei me de chorar nessa noite a pensar no que me estava a transformar?

Eu não era assim, eu tenho valores e principios. Onde ficou o discurso do brio profissional, assiduidade e pontualidade?

Pois, eu dizia as “minhas” pessoas que eram fundamentais para ficar ali.

Comecei a faltar mais ainda e a ser mais revolucionária, a ver todas as gafes do sistema e a provocar ruido, e a influenciar pessoas a pensar pois tinha muita força, pois eu acreditava naquilo que dizia.

Chegava atrasada porque ficava na palheta com quem encontrava no caminho do 3ºt e eu inconscientemente estava a entrar no sistema que já não acreditava e que me estava a prejudicar me gravemente.

Na altura eu queria era chamar a atenção, só que eu também era um número, mas continuava iludida… a dar me mais importância que a importância que tinha para eles

Pensei que conseguisse terminar a aventura neste artigo mas já vi que não, pois ao recontá-la aparecem sempre episódios interessantes, afinal foram 14 anos bem intensos e vividos.

Dava uma boa novela. hehehe.

Eu deixei de ver novelas brasileiras (sempre fui muito fã) quando aprendi a recontar a minha historia e sei que com ela posso ajudar e  inspirar outras pessoas que tenham verdadeiras histórias de vida, de superação e de valor, assim como tu que me acompanhas aqui e nas redes sociais.

Deves ser a Mudança que queres ver no mundo

 

Terei todo o gosto em ajudar te no que puder.

Voltarei com cenas dos próximos capitulos.

Muita Luz e Amor na tua vida

Podes sempre comentar ou tirar alguma duvida  abaixo no artigo ou se preferires encontra me no

skype: sandra.galao

Sandra Galão

 

 

%d bloggers like this: