Etiqueta: as sete perguntas basicas

Questões que é PRECISO Responder em a Mudança está DENTRO de SI

Questões que é PRECISO Responder em a Mudança está DENTRO de SI

7ª CONVERSA

QUESTÕES QUE É PRECISO RESPONDER?

Olá, olá, aqui estamos nós para a sétima conversa onde vai começar o verdadeiro desafio…

Escuta com ATENÇÃO, mas se ainda não viste o video no meu canal vê o video que eu fiz esta manhã antes de colocar o artigo no ar:

Muito bem. Os desafios começam agora.

Deixo aqui uma série de questões cujas respostas requerem CORAGEM.

Eu tenho Coragem, pois as únicas respostas que as pessoas podem oferecer são inquietantes – não importa quais sejam.

São as próprias perguntas que têm um teor inquietante.

(A menos que não seja assim, São inquietantes para aqueles que não querem mudanças, que não querem desafiar o presente.

No entanto, não inquietam aqueles que já estão preparados para dizer

“BASTA. Estamos fartos do estado atual do mundo.

Tem de haver outra forma.”)

Muito bem… Parto do princípio de que “alinha”, pois continua por aqui.

Boa.

A sério. Boa opção

A Maior Revolução

Estamos aqui a abordar perguntas e respostas que podem desencadear a maior revolução que este Planeta alguma vez já presenciou.

Ao pesquisar “revoluções” na wikipédia, surge um catálogo virtualmente interminaável de sublevações que começa com a revolta popular na cidade suméria de Lagash,cujo resultado foi a destronação do Rei Lugalanda, levando o reformador Urukagina ao trono em 2820 AC, e termina com as revoluções que depuseram Governos no mundo árabe em 2011.

Deixe que enumere parte da lista, de modo  a ficar com uma visão abrangente de como as pessoas deste mundo têm reagido à forma como são orientadas..

Ao longo da nossa História, temos assistido a centenas de revoltas e revoluções, incluindo a Queda do Império Romano, a Primeira Guerra da Independência Escocesa, a Revolução Americana, a Revolução Francesa, a revolução na Índia, a Revolta dos Boers, as revoluções por toda a América do Sul, as Revoluções Europeias de 1848; as revoluções recentes na Hungria, Jugoslávia, Haiti, a dissolução da União Soviética em 1991…

…Acreditem em mim. Esta é apenas uma pequena amostra de uma lista interminável.

Desde o inicio dos tempos que nos “revoltamos” agregando-nos em clãs e tribos e posteriormente, em nações.

Já pensou no significado disto?

Na sua opinião, qual é a causa? 

Porque será que não tem fim? 

Já agora, o que acha que poderia levar ao fim dessas revoluções?

Posso dizer lhe o que se trata.

Também posso dizer-lhe como pôr fim: por meio de uma Revolução Final.

Na verdade, este livro pretende mesmo chegar a essa resposta. O que tem causado todas essas revoluções ao longo dos séculos é o exposto abaixo.

terminar com o caos
Terminar com o Caos

 

Os seres humanos há muito que sabem claramente que a forma como a vida é “ditada” neste Planeta não é a forma como devia ser vivida.

Por isso desde sempre – há séculos e milénios -, as pessoas de todos os pontos do mundo têm-se mexido. 

Sempre quiseram uma nova forma de vida – Uma nova forma de se ser humano:

A forma que sabem que lhes foi atribuída.

As agitações prosseguiram até ao presente.

Até no momento que estou a escreve, pessoas de muitas partes da Terra, continuam a dizer NÃO!

Ao estado das coisas e a exigirem MUDANÇAS.

Estão dispostos a morrer por elas. TÊm morrido por elas. estão a morrer agora mesmo, enquanto lÊ estas palavras.

Mas estamos preparados, e como comunidade global, para que essas mortes cessem.

BASTA. Estamos Fartos.

Tem de haver uma forma melhor. Perguntamos nos porque razão aqueles que nos governam não entendem.

A verdade é que não entendem, dai a estarmos a assistir aquilo que aqui tem denominado de Reformulação da Humanidade.

Esta é uma Revolução que não pede as pessoas que morram pela causa, existe simplesmente que se questionem a si próprias e aos outros e, por este processo, mudem tudo para que, o fim, cessem as revoluções violentas.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Assim sendo, vamos atentar nas Sete Questões “Perigosas”.

Gosto de as agrupar em dois blocos.

Para mim, é mais fácil entendê-las desse modo. Por isso, dividi as naquilo que denomino de As Três Questões Persistentes e as Quatro Questões Fundamentais da Vida.

Não são rasteiras, pensadas para enganar ou levar alguém a fazer alguma coisa.

São perguntas genuínas colocadas (e terá de o fazer) com sinceridade, com o coração puro, não por uma questão de rectidão nem por se procurarem discussões.

São aqui descritas com delicadeza, pois reconheço que a maioria das pessoas, por todos os motivos que descrevi anteriormente, não se sente à vontade para discutir estes temas.

A estrutura de poder no nosso Planeta estava bem satisfeita com esta falta de à-vontade, pois uma exploração verdadeira e exaustiva das questões poderia levar a uma análise verdadeira e exaustiva do que estamos a fazer presentemente aqui – e que poderia resultar numa mudança verdadeira e exaustiva da forma como agimos… e da forma como fazemos as nossas escolhas.

No que respeita a estrutura de poder, se isso acontecesse seria o fim.

A vida como a temos vivido até aqui passaria à História.

As Sete Perguntas Básicas

As perguntas que se seguem, feitas no intimo da nossa alma e alargadas aos outros, poderão Mudar o mundo.

As três Questões Persistentes :

  1. Como é possivel que 6,9 mil milões de pessoas digam que queiram o mesmo ( Paz, Segurança Prosperidade, Felicidade e Amor) e não o consigam alcançar?
  2. Existirá algo que não conseguimos entender plenamente sobre Deus e a Vida e cuja a compreensão permitiria mudar tudo?
  3. Existirá algo que não conseguimos entender plenamente acerca de nós próprios, da nossa vida e do  seu propósito, e cujo o entendimento mudaria a nossa realidade para melhor e para sempre?

São questões Poderosas que merecem resposta.

Ao menos merecem que se façam essas perguntas. Mas haverá muita gente a fazê-las?

Os políticos colocam essas questões?

Não.

Presidentes e primeiros ministros reis e cabeças de estado?

Não.

Figuras religiosas?

Não.

Educadores?

Poucos.

Generais e almirantes?

Não.

Diretores de empresas e das industrias?

Não.

Pessoas que partilham uma casa?

Bem, sim, é provável. A partir de agora. Talvez. a partir de agora.

Pessoas comuns, como você e eu passaram a colocar estas questões por todo o mundo.

Quando acabarmos de fazer as primeiras três perguntas, poderemos então passar ás…

As Quatro Questões da Vida

  1. Quem sou?
  2. Onde estou?
  3. Porque estou onde estou?
  4. O que tenciono fazer quanto a isso?

Quando acredito que se possa ignorar estas questões e evoluir depressa.

Nenhum de nós conseguirá.

Temos de acabar com alguma confusão pessoal em redor destas perguntas, (há muitas outras questões na vida, mas estas são fundamentais), caso contrário passaremos os nossos dias e noites sem fazer ideia daquilo que fazemos, e pelo motivo pelo qual o fazemos.

É esta a situação atual das pessoas no Mundo.

E é esse o Motivo pelo qual o Mundo está como está.

Não consegui avançar na vida até responder às 4 questões fundamentais da vida (já agora, todos os dias respondo a essas perguntas. Por vezes, durante o dia, no decorrer dos acontecimentos. Estas questões não são unicamente informativas, são também transformadoras).

sete perguntas a serem respondidas

 

 

A primeira é a Chave. Destranca tudo. Convida nos a analisar com profundidade o maior dos mistérios:

O mistério da nossa Identidade. Não me refiro, obviamente ao nosso nome próprio.

Refiro me me a nossa identidade no cosmos.

Não há “resposta” certa a esta pergunta.

Há, tão só a sua resposta.

A segunda questão parece simples, mas a resposta pode não ser.

Onde Estou?

Onde se considera como ser vivo?

Ou seja, que lugar é este onde vivenciamos a nossa existência?

Como é que o realiza?

De que forma é que o integra na sua Realidade?

Não estou a falar da descrição fisica desse lugar (“vivo no Planeta Terra. É o terceiro planeta a contar do Sol…, ” etc.), mas do seu entendimento conceptual desse espaço.

É o lugar onde aprende, uma escola?

Considera o como o lugar onde é testado, uma sala de exames?

Será um lugar onde se prestam provas, onde se compete, como uma gigantesca pista de corridas ou um campo de jogos, onde uns ganham e outros perdem?

Não possui qualquer ponto de referência conceptual para este lugar, acabando por considerá-la apenas uma localização física, num sistema mais abrangente do Planetas, a rodopiarem em volta de uma estrela?

Que lugar é este onde nos encontramos?

A mente implora pela resposta… 

Onde Estou?

Uma vez mais, não há resposta certa a esta pergunta.

No entanto, até lhe dar uma espécie de resposta, não possuía qualquer estrutura conceptual na qual sustentará a minha experiência de vida.

Na sequência de tal estrutura, essas experiências pareciam-me desprovidas de sentido, pouco diferentes de uma formiga ou de uma mosca.

Senti que era somente uma forma de vida mais aprimorada.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Tinha uma esperança de vida e, salvo circunstâncias imprevistas, sabia que estaria cá por X  anos, mas que Lugar é este?

Segue-se a questão seguinte, ameaçadora:

Porquê?

Porque estou onde estou?

Porque não estou em outro lugar?

Haverá “outro Lugar”?

Qual é o objectivo de existir neste campo e neste lugar?

Haverá algum objetivo?

Quem determina esse objetivo?

Não sei como poderá uma pessoa avançar na sua evolução sem pensar nestas questões, dando-lhes algum tipo de resposta.

Muitas pessoas respondem com um curto e seco “sei lá” e ficam se por ai.

Eu não poderia fazer isso.

Também não encorajo nenhum verdadeiro estudante da vida a fazê-lo.

Se realmente não tiver resposta, incito-o a criar uma.

Ou seja, a decidir a resposta pela simples intenção.

Deste modo, viverá a sua vida de acordo com a intenção e não por predefinição

Uma vida por predefinição é uma vida que se vive de acordo com as respostas Predefinidas pela maioria das pessoas do mundo.

Espero que nenhum de vocês volte alguma vez a escolher viver a vida dessa forma.

A maioria de nós viveu dessa forma, pelo menos partes da vida, mas nunca mais precisaremos de o fazer se assim não o quisermos.

A ULTIMA QUESTÃO

Chegamos assim, à pergunta final.

Não só a pergunta final neste conjunto de Sete, mas aquela que poderia ser, metaforicamente:

A importante Questão Final da Vida.

Tenho respondido a todas as outras perguntas, é convidado a decidir:

O que tenciona Fazer?

Esta é sempre a derradeira questão da vida.

Em todas as situações, em todas as circunstâncias, em todos os momentos que a nossa experiência nos apresenta, a questão omnipresente e eterna é: O que tenciono Fazer?

A vida avança a prtir das suas intenções.É este o combustivel que move o motor da criação.

É crucial perceber que a vida não passa de energia.

Energia Organizada. Ora quem se encarrega dessa organização?

Nós, por mais surpreendente que isso seja.

A vida é energia pura que realiza um ciclo de retorno a si própria.

trabalho profundo na análise da alma
trabalho profundo na análise da alma

Ou seja, a vida é um processo que se alimenta a si próprio, é autossustentável, tem determinação própria e autocriação.

A vida só depende de si, só conta consigo e olha para si própria de modo a saber qual será a próxima expressão a adotar.

 

Trata se de uma verdade Universal, global e nacional, verifica-se a nível local e individual. É uma simples questão de proporção.

Assim, podemos ver o Universo a Tomar decisões sobre si Próprio deste modo, o nosso país a tomar decisões sobre si mesmo deste modo, a nossa cidade ou comunidade a tomar decisões sobre si própia deste modo e a nossa pessoa a tomar decisões sobre si própia.

A vida informa a Vida acerca da Vida por meio do próprio decurso da vida.

As infomações da Vida criam vida em formção.

Está constantemente  a formar se e a Re-formar-se, a moldar-se e a Re-moldar-se, a criar-se e a recriar-se  .

Na Verdade afunção da vida é recriá-lo de novo em cada momento áureo do presente, tornando-o na melhor versão da melhor visão que alguma vez teve de Quem é.

É tudo, em poucas palavras.

è isto que se passa aqui.

Toda a Humanidade está envolvida no processo.

Estamos a fazê-lo:

  • a nível político;
  • a nível económico;
  • a nível cultural;
  • a nível racial;
  • a nível Social;
  • a nível sexual;
  • a nível espiritual.

É tudo o que estamos a fazer e nada mais.

Isto é o que DEUS está a fazer.

DEUS está a recriar-se no único e singular momento que se chama Agora – e a vida é Deus, a fazer tudo isto.

A vida é Deus, a expressar-se numa multiplicidade infindável de formas. Você é uma das formas de Deus.

Todos nós somos informações de Deus. Portanto, somos Deuses… em formação.

[fancy_box ]

PONTOS FULCRAIS:

  • As Sete Perguntas Básicas são inquietantes . Esse é o seu Poder
  • As revoluções são uma forma de vida neste Planeta.
  • Tudo o que precisamos é de uma Revolução Final para acabar com tais convulsões sociais para sempre

A FAZER:

  • Leia as Sete Perguntas Básicas vezes sem conta até consguir recitá-las de cor.
  • Faça a si prórpio estas perguntas e vá até ao fundo da sua alma em busca das respostas .
  • Escreva as respostas num bloco de notas para que fiquem bem definidas e para que possa consultá-las ao longo do tempo – por exemplo, daqui a um ano – para conferir o que Mudou, ou se mudou alguma coisa, na sua perceção.
  • Esteja preparado para dar as respostas a que chegou ao analisar estas questões com outros.

[/fancy_box]

E assim chegamos ao fim de mais uma conversa bem desafiante;

Espero que respondas as perguntas e descubras como podes fazer a Diferença na Vida de outras pessoas começando pela Tua.

E vemos nos amanhã com a 8ª Conversa: Não lhe parece que este assunto é Importante?

A partir da Conversa de amanhã vou começar a colocar palavras mais simples nestes textos, pois Deus além de nos tratar por você ainda utiliza palavras que nem todas as pessoas entendem…

Lembro te sempre que Todos podemos ser Livres de tudo incluindo de dinheiro

Conquista a TUA Liberdade… Valoriza te Mais e vais ver coisas maravilhosas a acontecer na tua Vida.

Somos Capazes de muito mais do que ACREDITAMOS ser

Sandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

%d bloggers like this: