Etiqueta: amor incondicional

Ser Diferente é Normal?

Ser Diferente é Normal?

Enquanto Não Aceitares Quem És, Não Vais Cumprir Com a Tua Missão!

Eu Gosto de ser Diferente, afinal, de cópias o mundo está cheio!

Somos educados assim: a tentar ser igual a fulano e a beltrano, a ser comparado com “todos” os que nos rodeiam, e na maioria dos casos Obrigados a ser quem não somos, e a fazer o que não queremos, verdade?

Eu, desde que fui mãe do Mateus, em 2012 e 20 meses depois da Luana, duas crianças especiais, completamente diferentes uma da outra, mas que me escolheram a mim e ao pai João como cuidadores, orientadores e mestres, nesta jornada para que possamos evoluir juntos! Prometi a mesma que irei ser a mãe que não tive, e deixar os meus filhos serem quem realmente são.

São muitas as vezes que fico receosa e triste com alguns comportamentos que tenho, mas estou ciente que tenho de seguir o meu coração para me tornar na melhor versão e ajudá-los com a sua missão aqui na terra

São muitas as crianças especiais e diferentes que ai andam à espera de serem aceites por quem são, infelizmente, os pais, educadores, cuidadores, preferem chamar de seres esquisitos, rebeldes, crianças difíceis, mal educadas, revolucionárias, e há mesmo quem diga que não “batem bem da cabeça”…

Depois admiram-se dos comportamentos  menos corretos…

Sempre fui uma menina muito rebelde, por ser diferente, levei muita porrada e castigos, e fui educada na base da autoridade!

A minha mãe, minha amada mãe, que nunca soube o que era o amor, e por isso não soube dar, sei que fez muito sacrificios por nós, mas não foi uma mãe presente, foi uma mãe orientadora, que sempre trabalhou, e não deixou que nos faltasse nada, o dito essencial.

A minha mãe sempre foi autoridade lá de casa, sempre disse o que deviamos fazer e como o deviamos fazer, ficava tão danada com aquela imposição de regras…

Sabes que descobri neste meu processo, que tinha uma aversão à Disciplina,  imposta pela minha mãe, que me irritava tanto, que preferia levar porrada do que  fazer as coisas tão certinhas como ela achava que tinha de ser.

– Já não sei o que hei-de fazer a esta rapariga. Dizia ela vezes sem conta, sem perceber o que podia fazer com esta filha “difícil” e especial.

Nós Somos o Reflexo dos Nossos Pais (de quem nos educa e orienta ao longo da vida).

Tudo o que fazemos reflete-se nos nossos filhos, eles admiram-nos, e eu vejo isso hoje muito claramente nos meus filhos e já tinha visto em outras crianças, o que é certo é que o nosso subconsciente está sempre a absorver a informação como uma esponja, seja essa informação boa ou má, como viste no video…

Eu gosto muito de experimentar, testar para ver se tudo o que oiço corresponde à verdade. Porque falar todos podemos falar o que quisermos, por isso temos tantas crenças incutidas, já pensaste nisso?

Nós temos o dever de analisar e ver se faz sentido para nós, seguir o nosso sexto sentido, normalmente está sempre certo.

Deixo te uma sugestão de um exercicio que faço hoje em dia, mas que aprendi antes de ser mãe, quando tirei o curso de Técnica de Ação Educativa, com duas professoras Sensacionais, e que me Ensinaram muito na minha Evolução, que nem sempre foi consciente.

Faz como te sintas melhor, mas faz, se queres começar a entender quem são os teus filhos, refletidos nos teus exemplos;

O objetivo do exercicio é que comeces a ser mais consciente das tuas ações para que tenhas um filho que sabe quem realmente é e não uma cópia dos pais (Tu) que já tens crenças e hábitos incutidos dos teus pais e de todas as pessoas que influenciaram a tua personalidade…

O exercicio é simples, mas só se torna eficaz se for consciente:

[fancy_box id=1]

“Se tens filhos começa a observá-los com ATENÇÃO, vais perceber tantas coisas tuas, ações, “falas”, gestos que eles repetem e que nem sempre gostamos, e nem tão pouco sabíamos que  tínhamos”

[/fancy_box]

Eu nem sempre gosto do que vejo no meu filho Mateus que é também uma “versão Índigo da mãe, mas em masculino”.Mas tendo isso consciente ajuda-me a controlar melhor as minhas ações e os exemplos que quero dar, que nem sempre é fácil.

E se eu fui privada de mimo, carinho, diálogo, o Mateus aproveita-se da sua história para ter muito mimo (não sou contra muito mimo) mas faltam-lhe algumas regras, e isso faz com que por vezes, se torne um menino mimado sem Limites.

Não tenho a pretensão de ser a mãe perfeita, pois nem sei o que isso quer dizer,  mas quero sim ser uma mãe melhor todos os dias, aquela com que sempre sonhei, e sei que sendo presente na vida dos meus filhos e entendendo quais são as suas principais necessidades, vão crescer muito mais saudaveis e a saberem que são seres únicos, cheios de capacidades e sem problemas de assumirem quem são. Todos diferentes, todos iguais

Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo
Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo

Saber que estou aqui neste Planeta com uma Missão e que posso ajudar a inspirar outras pessoas que querem Muito descobrir quem são e mudar a sua forma de estar, de pensar, de agir, de julgar, de não se aceitar, de saber que tem o PODER,  faz me sentir que sou realmente abençoada, pois nem sempre quis acreditar nisso.

Temos uma forma muito estranha de justificar as nossas ações, tudo serve de desculpa, right?

Nem sempre percebi porque era tão Diferente da maioria das pessoas que conheci ao longo da minha vida, tão “aparências”, isso resultou em muitos conflitos ao longo do meu processo

Na realidade fui muito questionada sobre esta forma que chamava de expontânea e sobre este feito incomum.

“-Ou te amam  ou odeiam-te”, diziam me algumas amigas minhas!

Eu como Criança/adulta Índigo (mesmo não sabendo o que isso queria dizer) nunca deixei de Acreditar que podemos Fazer a Diferença na Vida de outras Pessoas,.

Não sabia que podíamos viver numa comunidade onde é permitido dar a opinião, participar, aprender  e ensinar os outros, ou seja Ir de encontro à nossa melhor versão, juntando o Melhor de todos Nós! 

 Sempre Soube Que Era Diferente, Mas Com Uma Conotação Negativa

Depois de me iniciar no nivel I do Reiki em 2010, foi quando descobri que era uma Criança Índigo, não fazia ideia do que isso queria dizer exatamente, o que sabia é que essas Crianças, nomeadamente EU tinhamos carateristicas que nos fazem ser Diferentes no meio de uma sociedade cheia de pessoas comuns.

Confesso-te que não fazia ideia que era um ser Iluminado com uma missão Grandiosa aqui no Planeta Terra, sabia que era diferente e estava sempre a querer saber o que devia fazer agora com aquela informação.

Quando descobri, quis saber mais, e comecei a pesquisar e a estudar muito, pois muitas das carateristicas destas crianças, faziam com  que andasse metida sempre em grandes conflitos, a impor a minha Verdade!

[fancy_box id=2]

Sabes que se aceitares que tens filhos especiais, diferentes, mesmo que algumas das suas atitudes pareçam de meninos “delinquentes” ou mimados sem limites, o processo de Educação e Evolução vai ser muito melhor e menos doloroso, tanto para quem educa como para quem é educado. 

O segredo é o diálogo, tens de esclarecer como são as coisas, quais são as regras a seguir, ouvir o que eles têm para dizer e  não fazeres comparações, nem impor o que acreditamos ser verdade, muito menos dizer que “somos”  malucas, “anormais”… Apesar de ser um pouco verdade… (eu a falar como criança)

[/fancy_box]

Vou propor-te aqui outro exercicio, que se o fizeres com honestidade, vai te ajudar a descobrires como és diferente das pessoas a quem te comparas, e que tens muitos padrões que podes e deves mudar para conseguires aceitar quem és, e entenderes melhor quem educas.

Qual a Finalidade de Sabermos Quem Somos?

Quando assumes quem és, vives muito mais Feliz e deixas de estar preocupada em agradar os outros, e a viver a vida que os outros querem que tu vivas, e começas a descobrir que és muito mais poderosa do que imaginavas!

Fica o exercicio que me tem ajudado muito a melhorar os meus defeitos, mas que grande parte nem considerava como defeito (por isso não conseguia melhorar). Risos…

Espero que te seja útil de alguma forma, aqui vai:

Escreve, grava (como te sentires melhor), todas as  qualidades e defeitos que tenhas e que te lembres (tens de ser o mais sincera possível, só tu vais ver).

Se não conseguires identificar nenhum defeito ou qualidade, toma coragem e pergunta com sinceridade às pessoas mais próximas e que te conhecem bem! Vais ficar surpreendida(o) com as respostas!

Escreve/grava coisas que gostas e não gostas de fazer, conquistas que te fizeram sentir orgulhosa(o), coisas que és mesmo bom/boa e que se calhar nunca olhaste para elas como tal, escreve muito sobre ti, e tudo aquilo que te lembrares que te ajudem a ir de encontro à pessoa que realmente és e não há pessoa que te transformas te.

Nem sempre gostamos daquilo que descobrimos sobre nós, a verdade é sempre dura para quem a ouve, e é por isso que poucas pessoas estão dispostas a desafiar-se, mas é uma forma de conseguirmos R-educar a nossa mente e sabermos educar os nossos filhos especiais, que só precisam de Atenção e muito Amor…

Claro que não és obrigada(o) a fazer os  exercicios que te propus, mas se chegas te até aqui, permite te e descobre quem és.

Ser Diferente, ajuda-te a destacares-te dos “normais”, sabias?

david wood

Como sabes, ou não, sou mãe de dois e empreendedora online, que trabalho a partir de qualquer lado que tenha uma ligação à internet, com a Empower Network (empresa de afiliados em treino e educação em Marketing Digital & Coach), juntamente com a Universidade da Tribo  que é uma comunidade de empreendedores, empresários e particulares de vários setores onde somos todos diferentes da maioria, porque fazemos o que a maioria não faz e por isso nos intitulamos como Empreendedores Anormalmente bem Sucedidos.

O que podes aqui aprender connosco além de te descobrires, é como podes ganhar dinheiro através da Internet, a fazeres aquilo que realmente Gostas, ajudar outros a fazer o mesmo, mas tens de te identificar com a nossa missão e os nossos valores, que são bem diferentes daquilo que estás habituada a ver no mercado, com toda a certeza.

 

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Não tenhas Medo daquilo que desconheces, nem do que podes descobrir sobre Ti, a vida é mesmo assim, um grande mistério, assim como nós mesmos, onde nos é permitido errar e aprender com esses mesmos erros, cair e levantar, dar dois passos atrás se for preciso, para poder dar um à frente e continuar…

O processo é estranho e diferente do que estás habituada(o) mas vais aprender tanto sobre Ti, sobre os teus sentimentos e emoções, e vais passar a aceitar os teus Filhotes como o maior presente e não como um Problema.

Ser Diferente é muito mais fixe do que ser igual aos outros, concordas?

Temos de passar pelo processo, pois só assim iremos perceber a nossa verdadeira Identidade, e é nesse processo que nem todos estão dispostos a passar, que descobres quem realmente és!

O processo nem sempre é simples, nem maravilhoso, o que faz com que muitas pessoas desistam da sua evolução, sem perceberem o quão Gratificante é!

A tua vida só se vai Transformar quando Tu te transformares perante a Vida que tens, quando começares a olhar de outra forma para Ti e tudo o que te rodeia, sem vergonha nem Medo de assumires aquilo que és e quem és.

[fancy_box id=6]

Como dizia Jim Rohn:

“Para que as coisas Mudem, Tu tens de Mudar primeiro”

[/fancy_box]

O momento é agora, se queres mudar, tens de fazer alguma coisa, sabes disso, não é?

Espero ter te sido útil, e que os exercicios aqui propostos te ajudem de alguma forma, contigo mesma, com  o relacionamento que tens com os teus filhos e com as pessoas que te rodeiam.

Lembra-te que nada acontece de um dia para o outro, é um treino diário, afinal foram muitos anos a não acreditar que somos Diferentes da maioria, e com muitas crenças e padrões que não nos pertencem.

E eu continuo a mesma ainda que completamente diferente.

Vive uma vida Fantástica sendo quem és!

Grata por estares ai.

Aprecio te muito

~Sandra

 

 

 

Como Identificar Crianças e Adultos ÍNDIGO?

Como Identificar Crianças e Adultos ÍNDIGO?

Consegues Imaginar te como um ser Iluminado?

Vou contar te aqui neste artigo o que aprendi  ao longo deste anos sobre as crianças Índigo, da melhor forma que puder fazê-lo e espero poder ajudar te de alguma forma!

R-descobri em 2010 quando me iniciei no nívelI de Reiki que sou uma criança/adulta índigo e que tenho uma missão, que até à data não percebia qual era e porque demorei muitos anos até aceitar o meu papel como ser Divino.

28 de Fevereiro de 2010
28 de Fevereiro de 2010

Sempre gostei muito de tudo o que tivesse a ver com as energias e tudo o que é esotérico, mas sem me aprofundar muito sobre o assunto.

Cheguei a ir a imensas cartomantes, mãe de santo e tantas outras formas de saber qual o nosso futuro, fiquei muito surpreendida quando soube que havia pessoas que iam a estes sitios para fazer mal aos outros?!?

Nunca nenhuma me disse que eu era um ser Divino, também é verdade que nunca perguntei, pois nem sequer sabia o que isso queria dizer, hehe…

Durante muitos anos andei perdida a tentar entender o meu papel aqui na terra, sempre fui a menina dos porquês, e levei muita porrada por estar sempre com a resposta na ponta da língua, fui carente de mimo, atenção e amor, o que fez com que enveredasse por caminhos pouco recomendáveis.

Cresci num bairro social e isso teve muita influência no meu desenvolvimento e crescimento, mas sempre acreditei nos anjos da guarda.

Os meus pais cresceram num ambiente onde também foram providos de Amor e carinho, e tinham a crença que para educarem bem deviam saciar as nossas necessidades básicas, assim como a maioria dos pais da minha geração e alguns desta:

  • comer

  • vestir

  • dar boa educação

  • orientar para estudar

Ao longo dos anos pesquisei muito sobre este assunto, pois sentia-me tão perdida, a fazer tantos disparates e sem saber porque não me conseguia encontrar, fui rotulada de:

  • malcriada,

  • criança difícil

  • mal educada

  • delinquente na idade do armário

  • hiperativa e com defice de atenção

  • distraída

  • conflituosa

  • arrogante

  • insensível

  • feitio incomum, entre outros…

Cheguei a roubar, mentir, manipular, enganar, fui muito má para a minha irmã mais velha, e tudo porque não tinha a atenção devida, nem o amor que todas as crianças devem ter para que cresçam saudaveis e equilibradas.

Sou uma Índigo com as suas careteristicas bem intensas e enraizadas em mim, e foi por não entender isso, durante anos que passei pelo processo que passei…

Apesar de tanta rebeldia e falta de amor, sempre muito Feliz, à minha maneira, sempre me senti livre de certa forma, sempre fui muito curiosa e uma Maria vai com as outras, mas sempre fiz tudo o que quis, sem pensar no que os outros vão pensar. Sabes porquê?

Porque no fundo eu sabia que era Especial e que tinha um papel importante aqui na terra… Assim como TU!

A minha mãe como nunca entendeu muito bem quem eu era, e porque tinha certos comportamentos, também passou um processo intenso, mas hoje é a mãe que sempre sonhei, ainda com dificuldades para o abracinho e para os beijinhos, mas muito mais aberta à nova Era e às mudanças e muito carinhosa com os netos.

Já, o meu paizão, só agora está a começar o seu grande processo da mudança de Crenças e Pensamentos Saudáveis.

P1040059

Ora escuta lá então quem são as crianças Índigo e vê se te identificas:

As Crianças Índigo são crianças espetaculares.

E estão aqui para ajudar na transformação social, educacional, familiar e espiritual de todo o planeta, independentemente de fronteiras e de classes sociais.

Elas possuem uma estrutura cerebral diferente no que toca ao uso da potencialidade dos:

  • Hemisférios esquerdo (pensamento lógico e competência Comunicativa), menos desenvolvido,
  • Hemisfério direito, (pensamemto simbólico e criatividade) mais desenvolvido.

Isso quer dizer que elas vão além do plano intelectual.

Elas exigem do ambiente à sua volta certas características que não são comuns nas sociedades atuais.

E elas vão agir, aliás, já estão agir, através do questionamento e transformação de todas as instituições rígidas que as circundam, começando pela família.

Famílias que se baseiam na imposição de regras, sem tempo de dedicação, sem autenticidade, sem explicações, sem informação, sem escolha e sem negociação.

Essas crianças simplesmente não respondem a essas estruturas rígidas, porque para elas é imprescindível haver opções, relações verdadeiras e muita negociação.

Elas não aceitam serem enganadas porque elas têm uma intuição para perceber as verdadeiras intenções dos adultos e não têm medo.

Portanto, intimidá-las não traz resultado, porque elas sempre encontrarão uma maneira de obter a verdade.

Sabes que a minha mãe inventava cada história mais absurda para me meter medo, que algumas surtiram o efeito que ela quis, mas a maioria das vezes, simplesmente não acreditava.

[fancy_box id=2]

A segunda instituição vulnerável à ação dos Índigos é a escola.

Hoje, o modelo de ensino é sempre imposto sem muita interação, um modelo feito para o hemisfério esquerdo do cérebro, o racional, o lógico, incompatível com os Índigos que naturalmente têm o hemisfério direito mais desenvolvido, o que lhes dá o grande poder intuitivo, a grande capacidade de percepção extra-sensorial.

Como elas possuem uma estrutura mental diferente, elas resolvem problemas conhecidos de uma maneira diferente, além de encontrar formas diferentes de raciocínio que abalam o modelo atual de ensino.
Assim, através do questionamento, elas influenciarão todas as demais instituições, o mercado de trabalho, a cidadania, as relações interpessoais, as relações amorosas, as instituições espirituais, pois elas são essencialmente dirigidas pelo hemisfério direito.

[/fancy_box]

Mas porquê índigo? Porque Crianças Índigo?

O nome: Criança Índigo refere-se à cor da sua aura, o azul-índigo, que indica uma aura de Mestre.

São crianças especiais que decidiram encarnar no nosso planeta com uma missão e um objetivo específico: são guerreiros, detonadores de sistemas!

Elas já vêm ao nosso planeta há bastante tempo.

Alguns até argumentam que Jesus e Budha eram índigos, pois a missão deles, numa escala global, era mudar a consciência da humanidade.

Comparando Buda e Jesus (1)
Nos anos setenta, começaram a vir em ondas.

Muitos deles… seres que hoje estão nos seus trinta…quarenta anos, a geração guerreira que começou a desafiar e a mudar os velhos sistemas.

Nos anos oitenta e noventa, mais e mais ondas de índigos chegaram, agora com uma sensibilidade e refinamento maiores ainda!

E no final dos anos noventa e início de dois mil eles estão ganhando a companhia das ” Crianças Cristal “ que chegam também como guerreiros… mas guerreiros espirituais!

Presentemente, nós estamos vendo uma geração de Mestres vindo para o nosso planeta, essas crianças fantásticas também chamadas de ” Crianças das Estrelas”.

Elas são a nossa esperança para o futuro, elas são a nossa esperança para o presente.

Mas como reconhecer um Índigo?

É fácil identificar um Índigo pela sua sensibilidade, criatividade, espiritualidade e padrões gerais de comportamento.

Como crianças, elas se parecem com todas as outras crianças, embora sejam frequentemente bonitas e com olhos penetrantes, o meu Mateus é sem dúvida uma criança Índigo, com carateristicas bem presentes;

Saber isso ajuda-me muito na forma como falo com ele, e me deixo guiar pelas suas ações, tentando sempre ver com os olhos dele.

Nem sempre quer entender, mas é muito inteligente, e é preciso é conhecê-los bem, para saber conduzi-los da melhor forma.

Fui presenteada por uma criança Índigo
Fui presenteada por uma criança Índigo

São sempre altamente inteligentes e cheias de perguntas e exigências.

Têm muita energia, são muito ativas, têm muita força de vontade e um senso forte do seu próprio valor e importância.

Sabem que são especiais e que estão aqui para fazer alguma coisa significativa. Possuem amigos “imaginários” e adoram fadas e golfinhos.

Golfinhos terapia siriana

A inteligência excepcional das crianças índigo pode ser exasperante para os adultos.

Ninguém lhes dirá o que fazer, elas quererão debater e negociar cada instrução, cada ordem, foi por isso que passei por tantas provações, pois os meus pais não faziam ideia porque eu era assim…

[fancy_box id=1]

Até que os pais aprendam que estão a ser ensinados e aprendam a respeitar o direito de escolha da criança e honrar essa escolha, eles continuarão a ser confrontados com lutas de poder e batalhas de força de vontade.

A maneira correta de lidar com um Índigo é de estar disposto a negociar, explicar, dar-lhe escolhas.

Ordens como  “Faça assim porque eu estou mandando” só produzirão hostilidade e indiferença. 

[/fancy_box]

Os Índigos geralmente não gostam nada-nada da escola.

criança carente

Ficam entediados pelo passo vagaroso e pelas tarefas repetitivas.

Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou a serem simplesmente ouvintes.

São hiperativos, distraem-se com facilidade, tendo baixo poder de concentração, sofri muito com estas careteristicas tão enraizadas, e o facto de as salientarem tantas vezes fez com que se entranhassem demais na minha alma.

Têm alta sensibilidade, parece que têm “picos” e não conseguem estar sentados e sossegados, a menos que estejam envolvidos em alguma coisa do seu interesse, sempre que achava a matéria uma seca arranjava maneira de ser mandada para a rua…

Por serem orientados pela parte direita do cérebro, quando adultos, são geralmente atraídos por atividades e ocupações que usam o hemisfério direito, como a música, a arte, a escrita, a espiritualidade.

Adoram cristais, Reiki, meditação e yoga.

São intensivamente leais aos seus amigos, acreditam em honestidade e comunicação nas relações.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Ficam frequentemente desconcertados com a desonestidade, a manipulação e outras formas de comportamento egoísta.

Uma das características-chave dos Índigos é frequentemente a sua ira.

Esta foi das carateristicas que mais me tem custado largar, apesar de estar mais controlada, de quando em vez, ainda vem ao de cima.

As figuras de autoridade não conseguem nada com as crianças Índigo.

Num nível profundo, elas não reconhecem a autoridade,

vi isto quando fui fazer testes para concorrer para a força aérea, estava com 19 anos e não gostei nada daquela forma de mandar dos graduados e o obedecer dos soldados.

Sabem que somos todos iguais e por isso ficam irritados, furiosos mesmo, com aqueles que se comportam ditatorialmente , quer sejam pais, professores ou patrões, foi por isso que decidi ter o meu negócio a partir da internet

São muito compassivos, amam os animais e qualquer forma de vida; têm muitos medos, como medo da morte e perda dos seres amados…

Eu, Sandra, raramente penso na morte e só bem recentemente passei a olhar para os animais com outros olhos, assim como a Natureza, e sou Grata por isso.

Se experimentam muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente, que é quando temos grandes crises existenciais e nos dizem que nunca vamos ser alguém na vida?!?

E Quando são mal Diagnosticados?

crianças diagnosticadas com hiperatividade

Um problema sério quando se trata de Crianças Índigo é o diagnóstico errado habitual dado aos índigos, catalogados como portadores de Transtorno do Déficit de Atenção ou do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Eu, também fui diagnosticada desta forma por uma psicóloga recomendada à minha mãe, para me acalmar, pois eu aprontava demais.

Com isso, dá-se medicação a elas, “adormecendo” toda a sua imensa potencialidade.

Que bom que a minha mãe nunca o fez e optou por me colocar a fazer desporto, escolhi o atletismo, não durei lá muito tempo, mas deu para me ocupar…

Essas crianças estão aqui para nos ajudar na transformação do mundo.

Esta mensagem é para TI que vieste aqui parar e continuas a ler o que estou a partilhar…

[fancy_box id=1]

Se tens um filho/filha que acredites que seja uma destas crianças especiais, não permitas que os mediquem, não vais resolver o problema, pois muitas vezes, a falta de compreensão e crença nestas crianças, faz com que “nos obriguem” (pais e educadores) a “adormecê-los, tudo porque não sabemos como lidar com estas crianças tão especiais…

Falo te como criança e adulta Índigo que SOU.

[/fancy_box]

Nós precisamos aprender com elas, principalmente escutando-as e observando-as. É a melhor Solução, não tenhas dúvidas disso.

brincar muito
As Crianças Índigo chegam aqui para nos dar um novo entendimento, são verdadeiros presentes para os pais, para o planeta e para o universo.

Descobri bem recentemente que fazemos um acordo com os nossos pais antes de encarnarmos, para que possamos vir então aprender e ensinar a viver a vida de outra forma.

Quando honramos estes pequeninos como presentes, nós vemos a sabedoria divina que eles trazem para ajudar a crescer a vibração do nosso Planeta.

O passo mais importante para entender e se comunicar com essas crianças é mudar a nossa forma de pensar a respeito delas, derrubando os nossos paradigmas para honrar os pequeninos como presentes ao invés de problemas.

Assim abriremos as portas para perceber a grande sabedoria que elas trazem.

Os pequeninos honrarão essa intenção, e um caminho para o entendimento aparecerá.

Até aqui, falamos dessas crianças maravilhosas, as Crianças Índigo, onde faço parte.

Serás tu um Índigo adulto?

Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo
Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo

A Informação abaixo foi retirada do site Casa Índigo

Se queres saber se és um índigo adulto analisa as afirmações que se seguem:

  • São muito criativos ainda que na escola não tenham tirado as melhores notas.

  • Têm algumas características que fazem parte de crianças índigo.

  • Apresentam alguns problemas de concentração e atenção (Sintomas de Desordem de falta de Atenção. Podem apresentar problemas para se concentrarem nas suas tarefas. Podem saltar de tema nas conversas (palestras, dissertações, etc.)

  • Têm uma verdadeira empatia por algumas pessoas e sentem-se bem com pessoas que tenham a sua vibração, mas têm, também, uma profunda intolerância pela estupidez.

  • São muito intuitivos, muito criativos e desfrutam fazendo coisas, mesmo que espalhem tudo à sua volta como um caos, sentem-se bem assim…mesmo que os outros reclamem da desordem.

  • É difícil para eles fazerem um trabalho repetitivo e obrigatório e sobretudo na escola recusavam-se a fazê-lo.

  • Vivem em constante mudança e têm, ainda hoje, problemas com a autoridade. Rejeitam, muitas vezes, a autoridade do professor ou mesmo dos pais quando procuravam impô-la. Questionaram-na e continuam questionando a autoridade.

  • Aprendem rapidamente e quando acham que já sabem o suficiente aborrecem-se e desinteressam-se pelos assuntos?

  • Se uma coisa ou um tema lhes interessa põem aí toda a sua atenção e não se importam de estar horas a fazer o mesmo.

  • Na escola parecia que tinham “picos” e não paravam quietos, quando a matéria não lhes interessava, não lhe servia para nada ou achavam que já sabiam o suficiente sobre o assunto.

  • Por vezes mostra ser extremamente sensíveis, ou emocionalmente instáveis, chorando ao mínimo motivo (sem protecção). Ou podem mostrar uma certa falta de emoção (protecção completa).

  • Por vezes revoltam-se com certas coisas ou pessoas, parecendo que têm problemas com a Ira.

  • Não compreendem e até se revoltam, ou irritam com os chamados sistemas ineficazes que consideram caducos: sistema político, educativo, médico, jurídico, etc.

  • Sentem uma verdadeira irritação e ira quando privam dos seus direitos e detestam que os observem ou controlem os teus passos, ficam irritados quando alguém está sempre a observá-los e a criticá-los.

  • Procuram o significado da vida e sentem uma vontade grande de mudar ou até melhorar o mundo aderindo, por vezes, à espiritualidade, a alguma religião ou a grupos ou livros de auto-ajuda.

  • Tiveram alguma experiência psíquica, premonições (ver anjos, seres extrafísicos, fantasmas…) experiências fora do corpo, ouvir ruídos ou vozes, etc.

  • É sensível à electricidade e por vezes os relógios não funcionam, as lâmpadas apagam-se quando passa por baixo deles, os aparelhos eléctricos funcionam mal ou queimam-se fusíveis ou rebentam lâmpadas… 

  • Já, alguma vez, tiveram consciência da existência de outras dimensões, de extraterrestres ou da existência de outras realidades paralelas.

  • São muito expressivos sexualmente, mas também podem recusar a sexualidade por aborrecimento ou para conseguirem uma ligação espiritual mais elevada. Podem explorar tipos alternativos de sexualidade.

  • Tiveram poucos ou nenhum exemplo índigo para imitar.

  • Se conseguem encontrar o seu equilíbrio podem transformar-se em indivíduos muito realizados, fortes, sãos e felizes.

[fancy_box id=2]

Sabes que tenho praticamente todas estas carateristicas,  mas consegui  encontrar o meu equilibrio, e sinto me muito GRATA por nunca ter desistido de descobrir quem realmente Sou, para agora poder ajudar outras pessoas como eu, talvez TU?

[/fancy_box]

E TU? Também te identificas te com algumas das tantas caraterísticas dos Adultos Índigo?

Mas existe mais… as Crianças Cristal estão a chegar!

Por volta do ano dois mil essas crianças começaram e encarnar na Terra.

Luana Galão. Criança Cristal
Luana Galão.  Será uma Criança Cristal

Elas representam o próximo passo na evolução humana.

Elas seguem as crianças índigo.

A Sua missão é completar o trabalho começado pelos índigos.

Elas também são detonadores de sistemas, são os guerreiros espirituais que vêm desmantelar e remover maneiras velhas e limitadas de pensar e elas vêm para começar o processo de renovação e reconstrução.

A missão primária de uma Criança Cristal é ensinar as maneiras de vida multi dimensional em harmonia, paz e amor.

Elas estão a chegar para nos ensinar como viver vidas emancipadas com o reconhecimento dos nossos plenos poderes.

Elas estão a chegar para nos ajudar a nos ligar novamente com as Energias Divinas. Elas representam o caminho futuro da raça humana.

E uma das dádivas mais mágicas delas para connosco é que elas são catalisadores para a nossa evolução:

– Várias crianças e adultos Índigo estão a fazer a transição para o estado Cristal com a ajuda da elevação energética que essas crianças fornecem pela mera presença delas na Terra…

Irei fazer outro artigo a falar mais das crianças Cristal, arco-íris, e tantos outros seres de Luz que chegam todos os dias ao nosso Planeta para nos ajudarem na nossa Evolução, mas que muitos pais/educadores/cuidadores continuam a desconhecer a sua existência e outras porque não acreditam mesmo.

Ainda tenho um longo processo pela frente e muito que aprender e ensinar, mas Acredito que estamos na Nova Era, a era em que é NECESSÁRIO que tomemos consciência de quem somos e qual o nosso propósito de vida e com isso Fazer o que sabemos que temos de Fazer.

Conseguindo assim servir o máximo de pessoas possíveis, da melhor forma possível…

Se quiseres saber mais, precisares de ajuda, ou simplesmente quiseres partilhar, podes comentar abaixo, ou entrar em contacto comigo através das redes sociais ou através do skype: sandra.galao

Lembra te sempre que estamos aqui para sermos Livre e Felizes.

Vive uma vida Extraordinária na descoberta do teu EU e do teu propósito de vida

~Sandra

 

Conheces O Nick Vujicic? Ele Inspira Milhares de Pessoas a Serem Felizes

Conheces O Nick Vujicic? Ele Inspira Milhares de Pessoas a Serem Felizes

” Se Eu Consigo Ser Feliz, Porque é Que Tu Não Consegues?”

– O Livro que me ajudou imenso a saber servir os outros e a ser mais feliz!

Recomendo te a leitura deste Livro, se não és feliz, mas queres sê-lo.

Conheci a história do Nick em 2010, que se encontra no livro acima  “Vidas sem Limites”,  Foi um ano onde aconteceu muita coisa nova e diferente na minha Vida!

Estava numa altura da minha vida, onde me sentia meio perdida e a reclamar de tudo e de todos, pois não sabia o que queria fazer!!

Foi o ano em que eu fiz o meu primeiro nivel de Reiki (o despertar) mais por curiosidade,  mas isso levou me a fazer outras tantas coisas boas, como descobrir recentemente qual a minha verdadeira Missão aqui na Terra.

Estava desempregada e comecei a trabalhar num Infantário na mesma altura que Iniciei o curso de Técnica de Ação Educativa de três anos.

E foi uma aprendizagem e tanto, tanto a nivel profissional, como espiritual, que irei contar em outros artigos.

Foi também em 2010 que resolvi fazer Voluntariado com Crianças de risco de Exclusão social num CAT (centro acolhimento Temporário).

Aqui descobri, que quero e vou trabalhar com Jovens chamados de rebeldes, delinquentes e que eu chamo de Crianças Carentes.

  • Descobri que temos de ter mais paciência e que temos muito para aprender.

  • Aprendi a Engolir Sapões para conseguir perceber mais aquelas crianças carentes

centro de acolhimento

É engraçado como sempre tive uma vida tão Ativa e ocupada sempre a experimentar coisas novas e a ajudar outras pessoas.

Sempre fui uma pessoa que acreditou que estamos aqui no planeta terra, com um propósito de vida, e para sermos felizes. mesmo nos momentos que andei perdida.

Ter conhecido a história do Nick, fez com que eu desse inicio a uma forma de ver as coisas bem mais leve e de outra perspetiva!

Não te vou contar aqui toda a vida do Nick, mas recomendo te se não sabes como podes SER FELIZ, que leias o livro.

Não, eu não ganho nenhuma comissão de estar a partilhar esta informação aqui contigo, mas este livro influenciou me muito, e fez me olhar para os outros de outra forma (fiz bullying na adolescência inconscientemente, consciente)

Se conseguir fazer com que pelo menos tu tentes Ser Feliz, já vai ter valido a pena, esta partilha, podes ter a certeza.

Tu mereces ser Feliz. Estamos aqui para isso.

Escuta um resumo de quem é o Nick, e do que ele alcançou quando aceitou e percebeu porque tinha nascido sem os braços, nem as pernas, devido à rara síndrome Tetra-amelia,

Chorei muito a ler a história e a imaginar pelo que passou na sua infãncia, neste mundo onde não nos ensinam a respeitar as diferenças dos outros, pelo contrário

Chorei muito a vê-lo ultrapassar cada obstáculo com tanta Sabedoria.

Aprendi muito com a história do Nick

[fancy_box id=2]
O Nick nasceu em 1982, sem braços e sem pernas, tinha apenas um pequeno pé.

Cresceu assim diferente de todos, o menino mais estranho da escola.

Enfrentou uma enorme e sufocante solidão, pensamentos depressivos, chegou a tentar o suicidio

Depois de uma Infância particularmente dificil, começou a frequentar escolas “normais” a partir dos oito anos, sendo frequentes vezes vitima de bullying.

Nick percorreu um longo caminho desde sua infância conturbada.

Por causa de suas limitações físicas, aos oito anos de idade ele pensou em suicídio.

Um dia, porém, apercebeu se de uma coisa EXTRAORDINÁRIA.

Nascer assim não fora obra do acaso.

Havia um plano à sua espera, tudo o que precisava era aprender a viver com o que tinha.

Nick aprendeu. Começou a erguer o seu pequeno corpo, a pô-lo à prova, a dar-lhe vida.

Aprendeu a andar de skate, a fazer Surf e a tocar bateria.

Nick vujicic a andar de skate

E descobriu que o seu exemplo, valia mais que mil palavras.

Apercebeu se de que, sem querer, se tinha tornado num exemplo para todos os que o Rodeavam:

Ele era FELIZ

E se ele era FELIZ, perguntou se, porque é que as outras pessoas não podiam ser?

Hoje, Nick leva essa mensagem aos quatro cantos do globo.

Percorre o Mundo munido apenas do seu infinito otimismo e da sua contagiante ALEGRIA DE VIVER.

E em todos os paises é recebido por multidões, milhares e milhares de pessoas que apenas o querem ouvir, que apenas o querem abraçar, que apenas querem conhecer os segredos de uma vida sem Limites.

Aos 17 anos, Nick fundou a Life Without Limbs,

uma Organização sem fins Lucrativos que dirige desde então..

Aos 21 anos, concluiu duas Licenciaturas, uma em contabilidade, outra em Planeamento Financeiro.

No entanto, como disse, a sua Vocação estava no contato com as pessoas, pelo que hoje em dia é um bem- Sucedido orador Motivacional, que percorre o mundo a dar palestras e a contar o seu percurso de vida.

 

palestras que faz por todo o mundo a motivar multidões
palestras que faz por todo o mundo a motivar multidões

Em 2012, Nick casou-se com Kanae Miyaharae, “a mulher de seus sonhos”.

No ano seguinte, o casal teve o primeiro filho, Kiyoshi. E recentemente chegou mais um bebê na família.

És tu quem decides. Vitima ou criador?
És tu quem decides. Vitima ou criador?

 

Quando descobres PARA QUÊ e não PORQUÊ que te aconteceu isto ou aquilo, consegues saber qual a tua missão.

A verdade é esta:

– Cada um de nós tem algum DOM, um talento, uma habilidade, uma arte, uma aptidão – que nos dá prazer e nos absorve.

E o caminho para a nossa felicidade, assenta precisamente nesse Dom.

[/fancy_box]

Se ainda estás à procura, a tentar perceber onde te hás de “encaixar” e o que é que faz com que te sintas Realizado, sugiro que faças uma auto-avaliação:

Senta te com uma caneta e papel, ou mesmo no computador e faz uma lista das tuas atividades preferidas, coloca todas as que te lembrares que gostas de fazer.

[fancy_box id=6]

Agora responde:

  • O que é que te sentes inclinado a fazer?

  • O que é que ficas horas a fazer e perdes a noção do tempo e do local onde estás e, mesmo assim, queres continuar a fazê-lo uma e outra vez?

Já está?

Agora, o que é que as outras pessoas veem em ti?

Elogiam o teu talento para o quê?

Se não tiveres a certeza absoluta acerca do que outros veem em ti, pergunta a tua familia e aos amigos o que é que eles pensam que fazes melhor.

[/fancy_box]

Estas são algumas pistas para encontrares o caminho para a tua vida, um caminho que continua em segredo dentro de ti.

Todos chegamos a este mundo nus e cheios de promessas, não é verdade?

Chegamos carregados de presentes à espera de serem abertos.

[fancy_box id=1]

Quando encontrares alguma coisa que te faça sentir tão intensamente realizado, que o farias de Graça todos os dias, então estás encaminhado(a).

Quando encontrares alguém que te queira pagar por isso, tens uma carreira

[/fancy_box]

a tua visao
Fazer a diferença na vida de outras pessoas

 

Como disse Confucio:

[fancy_box id=1]

“Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.”

Imaginas te a fazer aquilo que mais Amas e ainda seres pago por isso?

[/fancy_box]

Sensação muito boa, que tenho a certeza que também gostarias de ter, verdade?

Lembra te que a Decisão e a Acão pertencem te, só tu podes fazer a diferença na tua Vida.

Faz como o Nick, como eu e milhares de pessoas que escolheram ser Livres de tudo e fazer a diferença na vida de outras pessoas,  mesmo com um processo que nem sempre é o desejado, mas é o necessário, para que sejamos bem sucedidos na vida?

Escolhe a vida que queres ter!

“Ouviste” com atenção a história do Nick?

Vê o video abaixo e deixa te contagiar pela energia e pelas palavras do nick quando nos mostra o quão maravilhosos Somos!

Tu podes não ser capaz de ver o caminho agora, mas isso não quer dizer que ele não esteja lá!

Sugiro que faças o exercicio de auto avaliação, acima proposto.

Começa a descobrir quem és e transforma te na tua melhor versão

Poderás deparar te com tempos dificeis. Poderás cair e sentir que não tens forças para te Levantar. Conheço essa sensação, todos conhecemos.

A vida nem sempre é fácil, mas, quando superamos desafios, tornamos-nos mais fortes e mais Gratos pelas nossas oportunidades.

O que realmente importa são as vidas que tocas ao longo do teu caminho e a forma como acabas a tua caminhada.

Vive uma Vida Fantástica!

Se eu consigo ser feliz, porque é que tu não consegues?”

~Sandra

 

 

 

 

 

 

Ser Mãe! O Maior Milagre.

Ser Mãe! O Maior Milagre.

Seis anos após ter começado os “treinos”, nunca imaginei que fosse passar por tantas adversidades e tantas mudanças na minha vida para poder ter o meu filho… Dos tratamentos de infertilidade à gravidez ectópica, onde quase morri!

 

Conto te aqui um pouco a minha história onde aconteceu o verdadeiro Milagre da vida:

Em 2000 casei me com pompa e circunstância, com direito a tudo a que uma “princesa” tem direito, não que quisesse, mas o meu marido fazia questão, e minha mãe e a sogra, e eu acabei por casar na igreja com 12 damas de honor, oito adultas e as minhas quatro sobrinhas (quis partilhar o dia com outras amigas que ainda não tinham  casado na igreja)

Quando casamos é porque queremos ser princesas por um dia, não é?

As minhas damas de honor
As minhas damas de honor

Ao fim de três anos o meu marido já queria ter filhos, mas assim como adiei o casamento durante sete anos (comecei a namorar em 1993), também não me sentia preparada para perder a minha Liberdade, queria aproveitar ao máximo pois tinha consciência pelas minhas amigas mães, que quem quer ser mãe tem de abdicar de muitas coisas e ter muito trabalho, e eu ainda não estava disposta a isso

Como já te disse no meu artigo quem sou eu, gosto muito de viajar e experimentar coisas novas, mas ter um filho não estava nos meus planos, pelo menos não três anos após ter casado.

Achava um piadão quando ouvia as pessoas a dizerem-me aquela célebre frase:

Não achas que já está na hora? e eu respondia muito rapidamente:

– Eu e o meu marido é que sabemos quando está na hora, afinal de contas quem vai tomar conta do bebé somos nós.

Finalmente decidi

Em 2006, achei que estava na hora de ter um filho… pensei eu que deixava a pilula que tomei durante muitos anos e que ficava grávida a seguir, iludi me, como quando trabalhava na “Fábrica dos meus sonhos”

Depois de um ano a tentar engravidar, o meu ginecologista disse me que já não me podia ajudar e encaminhou nos para uma médica numa clinica particular de infertilidade em Cascais.

E lá fomos, e começamos os exames para descobrir qual o problema de não conseguir engravidar, desde analises ao sangue, ecografias e um exame chamado contraste (ver se existe algum problema nas trompas)… Posso dizer te que fiz todos os exames possiveis.

Não sei se sabes mas se não detetarem nenhum problema em ti mãe, o pai também tem de fazer exames…

Espermograma, análises e pouco mais, confesso te que desejei que não fosse nada com ele, sabes que os homens têm mais dificuldade em aceitar que o problema é deles…Rs.

Acabaram por descobrir que tinha ovários poliquisticos, ou seja quistos nos ovários por ter tomado a pipula tanto tempo sem paragens, e por isso não conseguia fazer a ovulação.

Fomos encaminhados para o Hospital de Santa Maria em Lisboa que é especializado nestes tratamentos de infertilidade e é publico, nãos sei se tens ideia mas “fazer um filho” no particular custa muitooo dinheiro, não que no publico seja de graça, mas é muito mais acessivel.

O tratamento consiste em fazer injeções na barriga durante um certo tempo, achei horrivél, (nunca gostei de agulhas) mesmo sendo o meu marido a dar-mas, sentes tantas mudanças hormonais a acontecerem no teu corpo, e tens de ser muito disciplinada… ás vezes ia beber o cafézinho com as amigas e esquecia me da hora da injeção.

As injeções eram diárias
As injeções eram diárias

Andamos nisto durante quatro anos, em injeções e idas ao Hospital.

Cheguei a fazer duas inseminações intra uterinas, colocam o espermatozoide  numa seringa e injetam diretamente no óvulo.

Nenhuma das duas foi bem sucedida, confesso te que mesmo querendo nunca tinha visualizado a minha vida com um filho.

Não chorei em nenhuma das duas inseminações fracassadas, nem nunca estive desesperada, sentia lá no fundo que iria ser mãe, nem que fosse adoptiva, nunca me perguntei porquê eu?

Nem nunca me achei menos mulher por ainda não ter engravidado, pois acredito que as coisas acontecem quando têm de acontecer e se tiverem que acontecer, e vais perceber mais à frente porque te digo isto.

No inicio de 2010, quatro anos depois, falei com o meu homem e disse lhe que não queria continuar a fazer mais tratamentos e que ia entregar nas mãos de Deus… E assim foi, o meu marido sempre me apoiou nas minhas decisões.

Fui a viseu, em setembro de 2010, passar uns dias a casa da minha tia, com o objetivo de conhecer o meu pai biológico, ao fim de 37 anos, pois o meu marido estava sempre a perguntar me se não tinha curiosidade, não não tinha muita, o meu pai é o zeca, o que me criou, mas ao longo dos anos tanto falou que fui com a minha best friend Neuza descobri lo, a única coisa que sabia é que ele trabalhava na câmara municipal de Aveiro.

Mas que dores são estas?

No dia da viagem estava cheia de dores abdominais do lado direito, como se estivesse com dores menstruais, o que não era normal, mas não liguei, pois iam e vinham.

Fomos levar os gémeos da Neuza(meus afilhados) para a casa de outra amiga para que pudéssemos viajar descansadas, quando nos estavamos a vir embora, agachei me para apertar o atacador de um dos gémeos, e senti uma dor tão forte que pensei que não me conseguia levantar, tomei dois comprimidos, raramente o faço, mas não estava a aguentar as dores.

Normalmente sou eu que conduzo, mas de repente comecei a sentir me zonza como se a tensão me tivesse baixado e nem sequer consegui chegar a estação de serviço, tive de encostar para trocar de lugar com a Neuza.

Mesmo cheia de dores e pálida, sorri para a foto
Mesmo cheia de dores e pálida, sorri para a foto

Três horas depois chegamos à casa da minha tia, fui ao wc e ao levantar me da sanita, parecia que algo ia rebentar dentro de mim, tal foi a dor intensa que tive.

Chamei a minha tia que é enfermeira e fomos para o hospital de S. Teotónio, mais a minha amiga Neuza.

Quando lá chegamos, estava uma grande confusão, desde pessoas com braços cheios de sangue a idosos cheios de dor, pensei que nunca mais saia dali, a minha amiga foi fazer a ficha.

Fui atendida ao fim de 30m, que me pareceram horas, Lembro me tão bem de ser atendida por uma médica espanhola, que me colocou o dedo no umbigo e eu senti uma dor tão intensa que lhe puxei a mão.

– Que tienes um problema..Disse-me

– Se não o tivesse não estava aqui, respondi sem saber se ria, ou se lhe batia…

Fiz uma analise e descobriram que estava grávida de seis semanas, mas que o bebé não ia vingar pois tratava se de uma gravidez ectópica, o bebé estava a desenvolver na trompa direita em vez do útero.

Nem sei como me senti, triste porque não vingou e feliz porque engravidei naturalmente?!

QUASE MORRI…

Muito Grata aos meus anjos da Guarda

Fui para uma sala onde fui atendida por outro médico, ginecologista, que me explicou a situação da gravidez ectópica e que ia levar uma injeção para as dores e para “limpar” os restos.

Como deves de calcular eu queria era sair dali o mais depressa possível, detesto hospitais, sempre fui muito saudável.

Lembro me de ouvir o médico dizer ao enfermeiro que devia de ir pedir a opinião do médico chefe sobre a minha situação, o que é certo é que me senti muito melhor depois da injeção e tive alta.

Estava a caminho do carro, enquanto ligava ao meu marido, quando o enfermeiro liga e diz que tenho de voltar, pois ia ser sujeita a uma intervenção cirúrgica para ver como estava a trompa.

Fui internada e como tinha comido uma bolacha já não pude ser operada nesse dia, o meu marido queria ir ter comigo de mota…

Tranquilizei o a dizer que não valia a pena (a nossa viagem era só de 4 dias) e que depois ligava.

Não me lembro de nada da operação como é óbvio, levei anestesia geral e fui sujeita a uma laparóscopia, não nos abrem,  mas fiquei chocada com os buracos que tinha, de colocarem as “ferramentas cá dentro”

Evolução na medicina
Evolução na medicina
Fiquei com as marcas de "recordação"
Fiquei com as marcas de “recordação”

 

Estive lá o fim de semana e só saí na 2ªfeira, que foi quando o médico me veio ver para dar alta e ao ler o relatório em voz alta disse que me tinham retirado a trompa direita, e eu interrompi-o?!?

-Como assim? Porquê?- Perguntei

-Ao que me explicou que estava “rasgada” e que poderia ter morrido se não fosse retirada, mas muito sem sal, disse aquilo sem sensibilidade nenhuma.

Podia não estar aqui a contar te esta história, senão fosse o “anjo da guarda” a soprar no ouvido do médico, que devia voltar, ainda não estava na minha hora.

Muito grata mais uma vez. Nesta altura já tinha feito o meu primeiro nível de Reiki e aprendido a agradecer as bençãos recebidas e aquelas que ainda vou receber.

Não sei se tu que me estás a “ouvir”, tens por hábito agradecer.

Ou és daquelas pessoas que só sabe pedir, queixar se,  vitimizar se e achar que a culpa da vida que tens é dos outros ?

A Gratidão é dos sentimentos mais nobre que existe e a vida é Bela, somos nós que damos cabo dela, faz sentido?

Começa por agradecer tudo o que tens e lembra te que há sempre pessoas que estão piores que tu.

Fui para casa da minha Tia e no dia seguinte estava “pronta” para ir cumprir com o meu objetivo, a minha tia recomendou me que não andasse muito, por ela nem sequer ia, voltaria noutra altura.

Sim, é verdade quando me proponho a fazer algo raramente desisto

Conhecer o meu pai biológico, foi para isso que fui lá.

Lembro me que chovia tanto e como não sabiamos onde ficava a tal câmara, andamos demais a pé e apanhamos uma molha

Nem parecia que tinha sido operada há 2 dias atrás… mas nem sequer pensava nas dores (mau estar).

Acabei por encontrá-lo, depois de algumas voltas, porque ia almoçar com um colega de trabalho e iam se encontrar na paragem do autocarro, mas tinha se reformado na semana anterior. Hã?

Já viste como são as situações da nossa vida? Acontecem quando tem de acontecer.

Estive com ele cerca de 15 minutos, pediu me um abraço, dei-lhe e ele pediu me perdão, disse lhe que não era a mim que tinha de pedir perdão.

Queres mesmo saber o que senti?

Em termos emocionais, nada. não tive vontade nem de chorar, nem de nada, não me perguntes porquê, mas estou a ser sincera, sou daquelas pessoas que acredita que “Pai é quem cria”, meu paizão Zeca.

O meu pai biológico é uma pessoa humilde, mas que deve ter aprontado muitas, e tudo o que fazemos aos outros volta e normalmente em dobro

Conheci o e estava cumprido o meu objetivo, ainda trocamos de numero de telefone, ele ainda ligou passado uns 20 minutos para podermos almoçar juntos e falar mais um pouco, mas já tinhamos entrado na auto estrada de regresso a casa.

Sabes, tenho dois irmãos mais novos, um rapaz e uma rapariga, e esses sim, eu quero conhecer e envolver me, pois nós não temos a culpa das histórias dos nossos pais, concordas?

Só que o meu pai não me soube dizer muito sobre eles, diz que não se falam, mas não disse o motivo.

Eu e a Neu, passamos em Fátima(santuário) para acender uma velinha de agradecimento.
Eu e a Neu, passamos em Fátima para acender uma velinha de agradecimento

 

Voltamos em Outubro, eu e o maridão ao hospital de Santa Maria (onde fazia os tratamentos), para ouvir a opinião do médico que disse:

– Engravidou naturalmente, e isso é bom, mas agora tem menos 25% de probabilidades de engravidar, devido à remoção da trompa direita.

O que o Drº quis dizer foi que agora óvulo um mês, e outro não, mas eu foquei me no “engravidou naturalmente”

Ficamos inscritos para a consulta da FIV – Fertilização in vitro (inseminação) que normalmente tem a duração de dois anos.

Estava a boicotar a vinda do meu filho

Desde 2008 o ano em que me envolvi com o Marketing de Rede, que usava e uso muito a Lei da atração e sempre acreditei que nós somos aquilo em que pensamos e nem sequer andava muito stressada…O meu marido também estava a usar a Lei da atração, mesmo que diga que não acredita muito nisso, vê o postal que me ofereceu no ano anterior quando fizemos 11 anos de casados, vê o objetivo para 2012:

2015-11-13 13.19.51

 

…Andava um pouco ansiosa, pois no fundo sabia que andava a boicotar me, e não sabia como reverter a situação, se por um lado queria muito ser mãe, por outro não estava disposta a abrir mão da minha Liberdade e dizia que não me sentia preparada, eu tinha era Medo… o tal que nos paralisa, o antidoto é Ação, não penses, age.

Nunca vamos saber se estamos preparados, senão dermos o primeiro passo, só na prática, no dia-a-dia  é que vais ver que estavas preparada para algumas coisas e para outras precisarás aprender, como eu, todos os dias,

Nós estamos sempre em constante mudança, quer queiramos ou não.

Esta mensagem pode ser para ti, mulher que queres ser mãe e não consegues, e para ti mãe que gostavas de ter mais tempo para os teus filhotes e não sabes como … 

Tinha muito MEDO de perder a minha Liberdade que adquiri desde muito nova, a liberdade de poder fazer o que quero e não ter ninguém dependente de mim e ser mãe ia “roubar me” essa Liberdade.

Esta é a minha ideia quando decidimos ser mães
Esta é a minha ideia quando decidimos ser mães

 

 Fomos Chamados Iniciar o tratamento

No dia 27 de Janeiro de 2012,( estivemos à espera menos de um ano na lista) fomos chamados para uma consulta no hospital das Lusiadas, onde iríamos dar inicio a um novo ciclo de tratamentos para que pudessemos fazer a inseminação in vitro. 

Não queria nada passar por aquele processo outra vez, mas não queria descartar nenhuma hipótese, afinal de contas, há mulheres que gostariam de ter esta oportunidade e continuam à espera de poder ser mãe.

Para começares um tratamento, tens de estar menstruada, e a médica perguntou me quando tinha estado menstruada a ultima vez, acreditas que me tinha aparecido no dia anterior?

A Dra passou o tratamento, com a recomendação que deveria começar as injeções quando o periodo voltasse a aparecer.

Assim foi, ainda fomos à consulta de anestesia, e agora era só esperar o periodo aparecer, para dar inicio ao tratamento que confesso não queria mesmo fazer.

[fancy_box id=2]

No dia dos namorados,14 de Fevereiro, o meu “namorado” escreveu um miminho no espelho da casa de banho. e no final um

ps: O MATEUS VEM AI…

Adorei, e não limpei o ps, o meu marido perguntou porquê, rindo-se…

Respondi,

-Para visualização, e lembro me nessa noite de olhar para o quarto que seria do Mateus e dizer pra mim mesma:

Como é que queres que ele (bebé) venha se nunca imaginas te a tua vida com ele?

E pela primeira vez, pus me a imaginar onde seria a cama, os quadros, a decoração e a minha vida com o meu menino, E lembro me que todos os dias que lia o Ps, lembrava me o quanto queria o meu menino…

[/fancy_box]

O MILAGRE ACONTECEU

Desde que tinha parado com os tratamentos que o meu periodo se tornou bem regular, e estava a estranhar estar tão atrasado, estavamos em Março e a última vez que ele apareceu, foi quando fui chamada para a consulta a 27 de Janeiro, lembras te? Ainda pensei que fosse da ansiedade, mas resolvi fazer o teste.

No dia 19 de Março (engraçado que só depois reparei que era dia do pai), fui fazer o teste de farmácia, e é verdade, deu positivo, não cabia em mim de contente e Chorei e AGRADECI imensas Vezes pelo meu pedido ter sido atendido, o meu marido nem sabia o que dizia, abraçou-me e ahahahah, parece que estou a ver a  cara dele, tipo: A sério? Conseguimos?

Marquei nova consulta no Hospital de Santa Maria e depois de confirmada a gravidez através da ecografia, fizeram um teste com análises ao sangue e primeira eco para saber se fazia amniocentese para despiste de trissomia 21 no bebé e decidimos não fazer, pois o resultado deu que havia poucas probabilidades de ter algum problema, eles aconselharam mais devido á idade, estava com 37 anos, mas falei com o meu marido e se por acaso, viesse um menino especial”, é porque tinha de ser.

Cancelamos todas as consultas nos Lusiadas pois o Milagre já tinha acontecido.

A primeira ecografia do meu bebé
A primeira ecografia do meu bebé

 

A gravidez correu sem problemas, tirando o sono que tinha e alguma azia, nunca tive enjoos nem desejos.

No dia 11 de Julho fomos fazer a eco das 23 semanas e lembras te que era o Mateus que ai vinha? Confirmou-se:

Era um Rapaz, com percentil 50 e estava tudo bem com ele e comigo.

Tive uma gravidez tão tranquila
Tive uma gravidez tão tranquila

 

 

Fiquei muito assustada na ecografia das 32 semanas

No dia 14 de Setembro, sexta feira, fui fazer a ecografia das 32 semanas, com o meu marido e o Drº Victor disse que o nosso bebé, tinha ausência da onda distolica (não sei bem se é este o nome), sei dizer te que o meu filho não se estava a alimentar através do cordão umbilical e que o percentil tinha baixado para os 20%, e que segundo o Drº tinha de nascer.

Fomos às urgências onde me transferiram para o Hospital Garcia da Horta pois em Setubal só faziam partos a partir das 34 semanas, Ficámos tão aflitos.

Fiquei em vigilância no fim de semana, e fiz duas ecografias, onde a Dra Antónia confirmou que o Mateus tinha de nascer, pois o fluxo continuava revertido, e teria de ser feita a indução.

Estava com muito medo pois ele ainda era tão pequenino.

No dia 18 de Setembro, fiz exames e induziram o parto com um gel para esse efeito, e deram me uma injeção para maturação dos pulmões do Mateus.

O meu menino tinha mesmo de nascer.

A noite foi agitada e às 7horas da manhã do dia 19, as águas rebentaram, e assim que o meu marido chegou começaram as contrações de dois em dois minutos e precisei de assinar o documento para tomar a epidural, fui picada 6 vezes, pois tenho as vertebras muito juntas e a Dra Cláudia teve de chamar a Dra Ana.

Passei o dia com contrações, mas não tinha dores nenhumas, estive ligada o tempo todo para vigiar o batimento cardiaco do bebé, não conseguia passar dos quatro dedos de dilatação, e não podiam colocar oxitocina (ajuda a acelerar a dilatação) pois acelerava o coração do meu menino.

Vieram não sei quantos enfermeiros fazer o toque… Estava tão cansada, que implorei que deixassem o meu bebé nascer…

[fancy_box id=2]

Ás 23h45 fomos para a sala de partos, o meu menino ía nascer de cesariana, o pai não pode assisitir.

Levei mais uma dose de epidural e à 0.05 do dia 20 de Setembro, o meu Mateus estava cá fora, com 34cm e 1430kg.

Só  pude vê-lo 3 segundos e levaram no para limpar e depois voltaram e deixaram me pegá-lo 2 minutos, lembro me que assim que disse:

-olá filho, bem vindo, ele agarrou o meu dedo, Chorei tanto e agradeci a Deus pela Dádiva e pelo milagre.

Fiquei muito triste por não ter dado maminha ao meu filho assim que nasceu, e por ele ser encaminhado para a incubadora na neonatologia (prematuros), mas sabia que era o melhor para ele, apesar de não ter nascido com problemas nenhuns, tinha muito pouco peso e era tão pequenino.

O pai João acompanhou o  e a madrinha Neuza conheceu o afilhado.

O pai pôde ficar 40 minutos com ele.

[/fancy_box]

Quase não dormi, só queria ver o meu menino.

 No dia seguinte estava muito ansiosa e nervosa pois nunca mais apareciam, nem médicas e nem  enfermeiras, para poder ir ver o meu Mateus. Só pude ir vê-lo á tarde, diziam que tinha de esperar o efeito da anestesia passar e que tinha levado 13 agrafos e que tinha de ter calma para que os pontos não rebentassem

Fui de cadeira de rodas, mas foi só a primeira vez, depois fui pelo meu próprio pé… E quando lá cheguei, emocionei me outra vez, o meu filho estava a beber leite pelo copo, e eu queria era dar lhe maminha. 

Como ainda não tinha feito maminha, bebeu leite pelo copo. Que lindo
Como ainda não tinha feito maminha, bebeu leite pelo copo. Que lindo

Sempre fui a favor da amamentação.

Adorei todas as dicas que as enfermeiras/os me deram sobre amamentação, esclareceram me em muita coisa, e em muitos mitos que tinha, eu sabia que a amamentação só tinha vantagens, mas ouvia cada coisa, sobre leite fraco, que não sobe, que seca do nada, e a equipa ajudou me a ultrapassar as frustrações de não conseguir que o Mateus pegasse a maminha à primeira.

Adorei toda a equipa médica que me ajudou desde o nascimento do Mateus até a transferência para outro hospital.

O Mateus tinha uma sonda colocada no nariz, para poder beber o leitinho, mas a mamã estava ali já pronta para dar mama.

Foi uma estranha e ótima experiência, apesar de ele só ter mamado um pouco a primeira vez, pois ainda se cansava muito.  Mas eu não desisti e ele habituou se muito bem. mamou até os 15meses.

O objetivo é não desistir á primeira.
O objetivo é não desistir á primeira.

 

Precisas ser persistente e não desistir ao primeiro obstáculo

 [fancy_box id=2]

  • É preciso que aja uma boa pega, ou seja o bebé, não pode apanhar só o mamilo e sim parte da auréola,
  • O bebé deve de ter a barriga encostada a barriga da mãe, e não ficar com a barriga voltada para o “céu”
  • Pode também mamar sentado, de frente para a mãe ( já tens de ter alguma experiência)
  • Não existe leite fraco, nem tão pouco, pouca quantidade, são tudo mitos, e que tem haver com o psicológico e falta de informação e falo te por experiência própria e por pesquisas que fiz posteriormente por curiosidade.
  • A mãe tem de ter vontade e prazer em amamentar, não pode ser um sacrificio.

[/fancy_box]

 

Deixo ficar aqui este link de vários videos sobre amamentação, para que não desistas á primeira, e que saibas que só depende de ti a amamentação acontecer, isto claro, senão houver nenhum outro problema que te impeçam de fazê-lo.

O que aprendi é que devemos seguir o nosso instinto mãe, que é poderoso, e se continuarmos com duvidas procurar ajuda de especialistas sobre o assunto e não da “vizinha” que teve uma má experiência e não te pode ajudar, pelo contrário.

Tive alta e apanhei um grande Susto

A fazer fototerapia por causa da Icterícia
A fazer fototerapia por causa da Icterícia

 

Cheguei ao quarto e vi o meu Mateus a fazer fototerapia por causa da icterícia, que não sabia o que era até aquele momento.

Qual é a causa da icterícia?

A icterícia aparece no bebê saudável quando o sangue fica com excesso de uma substância chamada bilirrubina, que é produzida durante o processamento pelo organismo dos glóbulos vermelhos de que ele não vai precisar mais.

Os recém-nascidos tendem a ter níveis de bilirrubina mais elevados porque possuem hemácias (glóbulos vermelhos) extras no corpo, e seu fígado ainda não consegue metabolizar o excesso de bilirrubina.

Nunca tinha sentido tanto MEDO na minha vida

[fancy_box id=1]

Tive alta, e soube que o meu menino também ía ser transferido para o hospital perto de casa, estava cheia de Medo, pois já tinha ouvido tantas coisas sobre esse hospital, que não conseguia controlar a minha ansiedade de não saber como ia ser feita a transferência, mas a acreditar que ia correr tudo bem, mas não deixava de sentir aquele friozão na barriga.

Fui falar com as enfermeiras que tomavam conta do meu pestinha (como carinhosamente tratavam o Mateus), para saber todos os detalhes:

 Ia chegar uma ambulância, com bombeiros e  uma incubadora, para fazer a transferência, e lembro me de perguntar muito depressa:

– Eu vou sozinha com o meu filho?

– Claro que não, mãe. Vai ser acompanhada pela enfermeira Rita.- Respondeu

Estava tão nervosa, que só fazia perguntas disparatadas, elas riam, e eu respondia que só tinha estado num hospital, na gravidez ectópica e que não gostava nem percebia nada de hospitais

Sempre fui uma pessoa muito saudavel, brinco e digo muitas vezes que tenho aversão as doenças, e por isso elas não aparecem, mas é porque estou de bem com a vida, e raramente penso em doenças, eu  sou aquilo que decidi ser.

Estive ao lado do meu filhote o tempo todo, a dizer lhe que ele é um guerreiro, para ter força, e que a mãe estava ali, mesmo um pouco, muito nervosa…

Tu acreditas que a enfermeira Rita, tinha fobia de ambulâncias e pediu para ir à janela, fiquei mais aflita ainda, mas disse que não havia problema, assim estava mais perto do meu filho…

 

Foi a primeira vez que me senti tão aflita e impotente. Só me apetecia pegá-lo ao colo
Foi a primeira vez que me senti tão aflita e impotente. Só me apetecia pegá-lo ao colo

De vez em quando, a máquina apitava, a “casinha” estava a escaldar, dizia a enfermeira sempre com a cabeça encostada a janela.

Não via a hora de chegarmos e o Bombeiro ao ver me a mim e a enfermeira tão nervosas, por motivos diferentes,  que ligaram a sirene e 15 minutos chegamos ao hospital, o pai João já lá estava à nossa espera.

Correu tudo muito bem, fomos recebidas pela enfermeira Alexandra, e tive de voltar a fazer fototerapia.

As regras aqui são diferentes, os papás só cá podem vir das 9h da manha as 22h…

Claro que eu adorava ficar com o meu Mateus, melhor, leva lo comigo, mas entendi , não tinham condições para que ficassemos lá todas (as mães dos prematuros), mas era sempre uma dor no peito, cada vez que tinha de o deixar…

[/fancy_box]

O meu Mateus esteve na neonatologia durante 25 dias, cheios de ansiedade e determinação em ganhar peso  para poder ir para casa, tinha de ter pelo menos 2kilos, mas como é um guerreiro. deixaram nos vir para casa com 1840kg no dia 15 de Outubro, e no meu 38º aniversário foi na presença dele e do maridão que agradeci mais uma vez..

Com um mês de vida. Ser mãe, é uma verdadeira DÁDIVA de DEUS
Com um mês de vida. Ser mãe, é uma verdadeira DÁDIVA de DEUS

 

Irei contar te num outro artigo, as aventuras que tem sido ser mãe e como aconteceu  a gravidez da minha Luana, onde andamos à chuva e ela apareceu depois de 20 meses do nascimento do Mateus, foi uma gravidez diferente, também tranquila, mas diferente …

A “liberdade” que  eu tinha MEDO de perder…

…foi só isso que andou a bloquear a minha mente durante tantos anos e que me impediu de ser mãe mais cedo…

Nada acontece por acaso, Acredita.

Deixo ficar aqui um video que fiz com a familia para que conheças o Mateus com três anos e a Luana com um ano e meio, e lembra te que mesmo com obstáculos na vida, o importante é estarmos de bem com a vida e acreditarmos que vai dar certo.

 

Espero ter sido útil de alguma forma,  gostava muito de saber a tua opinião

Beijinhos

Tem uma Vida Magnifica

~Sandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quem Sou EU?

Quem Sou EU?

 

QUEM SOU EU? De onde venho e para onde vou?

Sandra Maria dos Santos Pais da Silva Galão
Sandra Maria dos Santos Pais da Silva Galão

 

Nasci em Moçambique e vim para Portugal com 4 anos, com os meus pais e a minha irmã mais velha, a Céu.
Lembro me de ter estado na casa de uns tios (família do meu pai) em Braga quando chegamos a Portugal.

Depois disso, fomos para os Balteiros (vale do Jamor) e vivemos lá uns quantos meses, senão estou em erro 1 ano.

Lembro-me de gostar muito de lá estar, pois tinha muita liberdade, e podia andar com a minha irmã e primas a passear á vontade pois todos se conheciam,  foi quando comecei a ser rebelde.
A minha mãe ficou grávida novamente, e nasceu a minha irmã caçula, Silvinha que só me veio dar trabalho, a minha mãe queria um menino, ficou triste quando viu que era mais uma menina.

Deixei de poder brincar tanto pois tinha de olhar por ela, eu e a minha irmã Céu, e se lhe acontecesse alguma coisa, levávamos, mesmo que a culpa não fosse nossa. Adorava o leite em pó, mas não podia comer às colheradas porque era da mana…e o dinheiro era curto… Que chatice, mas ia lá na mesma.

 

Hoje entendo e sei que ela não tinha culpa nenhuma, na altura só me fazia achar que a minha mãe gostava mais dela que de mim e da minha irmã Céu

eu com 4 anos, silvinha com 7 meses e céu com 6 anos
eu com 4 anos, silvinha com 7 meses e céu com 6 anos

Comecei a perceber que a minha mãe não tinha muito tempo, nem paciência para nós e que gritava muito, chegando mesmo a bater-nos por coisas absurdas.

Não conseguia entender, e achava que a culpa era nossa, minha e das minhas irmãs. Mas não deixava de aprontar.
Sempre que me portava mal e sabia que ia apanhar, fugia de medo para casa da minha madrinha, e depois levava mais ainda, pela asneira e por ter fugido.

Mas não me emendava, queria era Ação, fazer e experimentar coisas novas, mesmo que erradas.
Cresci a ouvir que era malcriada e respondona, pois bem, foi exatamente isso que me tornei durante muitos anos, Malcriada quando queria e sempre respondona, não levava desaforos para casa.

Levava sempre que respondia e supostamente não deveria responder, ou seja, quase sempre.
Cresci num bairro social chamado Vale de Amoreira, e como a maioria das crianças dos bairros sociais, também eu fiz coisas que não me orgulho.

Era uma “Maria vai com as outras”, e estava sempre metida em sarilhos e com más companhias.
Levei grandes lições e sanfanões para acordar para a vida, mas sou daquelas que gosto de pagar para ver.
Hoje sei que fizeram parte do meu processo de crescimento.

Para saber que queria o caminho do Bem , tive de experimentar o caminho do Mau.
Tive de passar por tudo o que passei como criança carente, adolescente rebelde e mulher independente.

Sei dar valor a tudo o que consegui durante a minha vida, pois nada me foi dado de ‘mão beijada’, apesar da minha mãe, com aquele jeito dela autoritário e sempre séria, sem nos dar um miminho, nem abraço, conseguiu orientar-nos muito bem a mim e minhas irmãs..

É graças a ela, mesmo com o seu jeito “torto”, menos pedagógico de EDUCAR que hoje sou quem sou, pois ela esteve sempre alerta.

 

Tudo o que consegui: a minha carta de condução (grande Conquista), o meu carro, casa, foi tudo graças a minha vontade de crescer como pessoa.
Sou uma pessoa que sabe gerir muito bem o seu dinheiro, e nunca passei fome (a minha mãe sim), nem problemas de grandes dividas. Os meus pais fizeram nos uma conta poupança em crianças, e ainda hoje é a conta a prazo que me ajuda quando preciso de investir em mim. O pai Zeca geria as contas cá de casa.

Concerto Bruno e Marrone
Concerto Bruno e Marrone

Vou contar aqui no meu blog Kalatum  muitas dessas histórias, para que TU possas ver, que para as coisas Mudarem, TU tens de Mudar 1º, não há outra forma. Ninguém pode fazê-lo por ti.

Deixa-te influenciar pelas pessoas certas, ou seja,  aquelas que te vão ajudar a realizar os teus sonhos e não por aquelas pessoas que insistem em roubá-los, porque não conseguem realizar os deles, ainda conseguem acabar com o dos outros.

Fui rebelde e revoltada durante muitos anos.

Achei que podia mudar o mundo, sem me mudar a mim 1º, aprendi isso a “duras penas”

 

Conheci o Amor, carinho, cuidado quando conheci o meu principe. João Galão em 1993. Ele estava na tropa e eu nas vindimas. O nosso encontro foi no comboio… Muito diferente dos rapazes que estava habituada a namorar e a ficar… Namorei muito até encontra-lo.

E não é que os opostos se atraiem?
E não é que os opostos se atraiem?

Viagei por duas vezes com a minha amiga Aguarela, 1ª fomos a Benidorm (Espanha) e depois fomos a Londres. Muito fixe.

Em 1999 realizei um sonho que tinha há muitos anos e fiz a minha 1ª viagem ao Brasil em Salvador da Bahia (Fui 3 vezes seguidas).
A 1ª vez fui só conhecer com a minha amiga Sofia e Susana, a 2ª fui para o Carnaval com a melhor amiga Neuza.

Casei-me em 2000 com pompa e circunstância, com o meu principe, claro. E fomos passar a nossa lua de mel à Republica Dominicana. Amei.

A 3ª vez fomos para a passagem do ano (Brutal) e fomos conhecer o Rio de Janeiro com a Ema e novamente com a Sofia. Uma viagem muito atribulada e cheia de maus agouros… Quase andamos à porrada no avião.

Nesse mesmo ano fui para Cuba com o meu marido (2ª lua de mel)

Viajei algumas vezes a trabalho, para a Alemanha em 2000 Aproveitamos para conhecer Amesterdão e as suas montras de meninas, fomos a Disco na Belgica.

Fui nessa viagem com 3 colegas técnicos e a minha amiga Sofia e a Isa (fez me mudar a minha forma de ver muitas coisas, na vida e nas pessoas) e curtimos á brava nessa viagem…

”Não sabem o que é o Teorema de Pitágoras?”…sexy shops, coffee shops, musica hotel california na rua, penetras no cruzeiro”… ahahah… Muito bom.
Depois fui uma semana a Cadiz (Espanha) com o meu colega e engenheiro Miguel (era cromo, sem ofensa) que quase não falava. Fomos “buscar” e aprender a fazer o dvd que iria para a Visteon Palmela (retenção de custos)

Eu sou uma tagarela e adoro falar, coitado, deve ter apanhado grandes secas, mas como é tão educado não dizia nada. Faz parte.

A Itália (Casino) fui com duas colegas da área A que mal conhecia e que foram acompanhadas pelos maridos, quase que fui enganda.  Afinal não fomos de férias
Depois que mudei para o 1º turno, em 2004, fui convidada pelo meu querido chefe João Carlos Ribeiro (agora diretor da Dyrup) para ir à Turquia resolver um problema de software dos Clusters (conta km dos carros).
Fui com a Rita catita, que uma semana antes tínhamos estado a discutir sobre fofoquices (coisas de quem trabalha com muitas mulheres).

Adorei a Viagem, desde a 1ª boleia que tivemos de dar a um Turco porque não conseguiamos  sair do parque de estacionamento, aos 400km (não me enganei não) em que nos perdemos e fomos para aquela terriola para colocar gasóleo, onde ninguém falava Inglês , tivemos de ligar para o nosso responsável, para conseguirmos sair dali, Precisava do recibo do gasóleo para apresentar nas contas e ser pago pela empresa mas deram me um post it como recibo… Fala a sério. Nesse dia passei-me, de tão cansada que fiquei de tanto conduzir.
Hei de contar esta minha viagem brutal com uma cultura tão diferente da nossa e com tantas aventuras, mais uma vez choquei e mudei algumas pessoas e a mim também.

Adoro viajar e conhecer outras culturas. Deves ser o exemplo que queres ver na tua vida
Adoro viajar e conhecer outras culturas. Deves ser o exemplo que queres ver na tua vida

Para conseguir estar onde estou hoje precisei muito de mudar a minha maneira de ser e estar, mas não porque os outros achavam que eu devia Mudar, que achavam e diziam me muitas vezes, mas porque EU percebi que precisava Mudar, pois não estava satisfeita com certos aspetos na minha pessoa.

Sei quem sou, de onde venho, quais os meus defeitos e qualidades, e sei muito bem para onde quero ir, quer dizer, para onde vou.

E Tu, sabes quem és? E de onde Vens? Espero que saibas para onde Vais, pois descobri que quando não sabemos para onde vamos, qualquer caminho serve… 

Estou na descoberta das minhas Competências Inconscientes, o que aperfeiçoar e o que retirar da minha vida.

Estou no processo de lapidação do meu Diamante bruto.
Estou num processo de evolução como pessoa, como ser humano. E tu? também estás à procura de evoluir? 

Trabalhei 14 anos na fábrica que dizia ser dos meus sonhos durante 10 anos como coordenadora de linhas de montagem, e depois 4 anos como operária fabril, cresci imenso como pessoa e profissionalmente.

Vesti a camisola durante muitos anos e no final descobri que também era um numero?!? (Em que mundo vivia eu?)
Passei de Bestial a Besta num instante. 

Não conseguia de forma alguma entrar naquele sistema,Vai contra tudo o que sempre acreditei e defendi.

Faltava injustificadamente, levei um processo disciplinar, fui para tribunal lutar pelos meus direitos, entrei em acordo e vim-me embora.

Foi o melhor que me podia ter acontecido. Tive oportunidade de começar uma nova profissão

Como te disse acima, só entro em sistemas legais que me podem fazer crescer, evoluir como pessoa, e ganhar muito dinheiro, fazendo aquilo que realmente quero, gosto e sei fazer.

Como diz o meu grande Mestre Rui. Nós já temos tudo para ter sucesso, só temos de ter a humildade de aprender e re aprender a contar a nossa historia

Em 2008 conheci o Marketing de rede, ou Marketing Multinivél, fiquei fascinada com o método de trabalho, e a forma de ganhar dinheiro, parecia fácil demais para ser verdade… Mas não foi bem assim…

…Aprendi a lidar com a frustração dos nãos, conhecido muitas pessoas interessantes e outras malandras  e depois de várias tentativas de investimento, sem retorno, quase a perder o meu marido, resolvi ausentar-me do mundo dos negócios de investimento sempre alerta para novas oportunidades, e voltei a ter patrão.

UAU. A minha primeira promoção a BC (business Consultant)
A minha primeira promoção a BC (business Consustant)

 

Não estava preparada para ser empresária. Tinha estado muitos anos a trabalhar como empregada.

Tenho o curso EFA de Técnica de ação educativa, nível IV que tirei em 2010, onde adorei as professoras dos 2 primeiros anos, a Professora Ana e a Joana, muito criativas, inspiradoras e que adoram o que fazem.

E no último ano onde demos (deveríamos ter dado) as N.E.E (Necessidades educativas especiais), com outras duas professoras que não deveriam estar no ensino.

Posso dizer vos que uma delas era tão desinteressada no que fazia (fazia pelo dinheiro) que quando copiava trabalhos feitos por alguém na internet, nem sequer tinha o cuidado de corrigir os erros… 🙁

A outra aceitava todas as sugestões que davamos, sem sequer se dar ao trabalho de ser criativa…

Bahhh. Até hoje não percebo porque não deixaram as nossas  prof’s fazer o último ano.
Tudo o que aprendi nesse ultimo ano, tive de usar o método que usamos na Universidade Tribo, senão não teria aprendido nada que me trouxesse Valor acrescentado, e é uma área tão fixe, posso dizer te que fez com que muitas colegas desistissem, eu passei a faltar muito…. mas Desistir se ainda não sabes, Raramente desisto de algo.

Mentira, ainda fizemos uma peça de teatro onde abordamos o tema Todos diferentes, todos iguais e no final até correu muito bem.

Pessoas brilhantes têm resultados fascinantes. Muito grata a todas
Pessoas brilhantes têm resultados fascinantes. Muito grata a todas

 

QUANDO ME VI A QUESTIONAR, QUEM SOU EU AFINAL?

Trabalhei 1 ano e meio como auxiliar de ação educativa num Infantário particular,onde levei mais umas quantas lições de vida sobre pessoas más que me trouxeram experiência, pessoas boas, outras inspiradoras como a Antónia (Foi a única quando entrei que conseguiu “ver” a minha essência).

As piores eram as manipuladoras e fracas de espirito, que sem se aperceberem davam importância ao que não é de todo importante,  pelo menos para mim e foi por isso que muitas  se ofuscaram e chocaram com a minha personalidade incomum, tentando “entalar me” várias vezes.

Muito grata aos meus “anjinhos da guarda”

Sim é verdade eu sei que gosto de provocar um bocado, mas é para ver se a malta começa a questionar quem realmente é, pois cada vez mais, vejo pessoas que querem mas não sabem como sair dessa frequência de julgar pela aparência e vou dar te um bom exemplo:

Havia uma educadora que se preocupava demasiado com a sua aparência externa, sempre arranjadinha, make up, unha de gel enorme, veste se bem, mas a parte psicológica está muito maltratada… 

Lembro me que todos os dias quando íamos almoçar no mesmo horário, eu ouvia ela dizer nem me lembro em que contexto:

Eu sou uma desgraçada! Ela fazia o inconscientemente, até eu começar a perguntar- lhe porque o fazia e é engraçado que ela mudou esse padrão dela num instante, quer dizer, pelo menos deixou de dizer que era uma desgraçada

Foi uma das meninas que tentou humilhar me achando que pelo facto de ser educadora podia achar se superior a mim que na altura era auxiliar.

Olha que eu conto isto sobre ela, mas eu até gosto dela… tenho um pouco de pena pois tem os valores e principios estranhos… a meu ver.

Não era a única… Não tens ideia das situações que passei e do que fui obrigada a ouvir.. em certas situações e a calar para não ser malcriada e prejudicada.

Também aqui era um número como deves calcular.

Foi com muita tristeza que descobri mais uma vez que estamos sempre em julgamento, pela aparência, pelo comportamento, façamos bem ou mal.

Ninguém consegue agradar a todos, por isso desafio te a seres tu mesma(o),

Sabias que tens um valor incalculavél?

Só te digo que umas mudaram , outras continuam a se sujeitar (tem de ser, dizem elas). Claro que não tem de ser…. As que mudaram começaram a aperceber se que não tinham tanta importância como a patroa aparentava… Numeros…

Cada uma no seu processo, assim como eu.

Fui dispensada no 3º contrato sairam 40 crianças para um infantário novo de raiz e IPSS, eu estava grávida do meu Mateus e ou passava a efetiva… a minha patroa já não estava aguentar o meu feitio incomum e eu o dela de dona da verdade.

Foi a oportunidade certa, e mais uma vez agradeço.

pelo menos para mim e que se ofuscaram e chocaram com a minha personalidade incomum, sabes que só agora que te conto esta passagem é que percebi isso, no inicio foi bem duro estar sempre em reuniões por causa dos meus porquês e de pessoas más!!

No final todas acordaram menos as patroas… Essas continuam com o seu foco principal..DINHEIRO e nós somos os números.

2010 um ano com muitas Mudanças

Porque decidi fazer Voluntariado?

Também em 2010 enquanto tirava o curso de T.A.E, senti necessidade de fazer algo mais e comecei o voluntariado com crianças de risco de exclusão social num centro de acolhimento  aqui perto de casa

Estive lá até agosto de 2012, depois nasceu o meu Mateus em Setembro…

Futebol Humano. Adorava quando estavam dispostos
Futebol Humano. Adorava quando estavam dispostos

Adorei a experiência. Ensinou-me a engolir SAPÕES, a passar me da “marmita” a ter mais paciência, enfim…

Ajudou-me a ajudar e orientar outras crianças a acreditarem mais nelas e a serem elas sem revolta nem culpa, e a mim ajudou me a saber que é isso que quero fazer no futuro

Sabes que crescemos adultos infelizes porque acreditamos em muita coisa que não é verdade, como cheguei a ouvir algumas funcionárias dizer quando os “miudos” as provocavam ao extremo:

[fancy_box id=2]

Não vales nada, por isso é que vieste aqui parar, quem é que te atura…. e coisas do genero.

A única coisa que eles queriam era chamar de Atenção. Revi me neles muitas vezes

Sei e entendia os muito bem pois fui uma menina bem rebelde, como alguns que conheci…

No meu tempo ainda não existiam os centros de Acolhimento… Ainda bem… 

[/fancy_box]

Foi em 2010 que fui conhecer o meu pai biológico estava com 37 anos. (Descobri aos 12 anos que o meu pai Zeca era afinal meu padrasto, assim como a minha irmã Céu, que é minha irmã de criação).

A educação que os meus pais nos deram a todas era a mesma mas o apelido que tinhamos no nosso nome não, uma amiga minha questionou me sobre isso e intrigadas perguntamos os meus pais que contaram a verdade.

Senti necessidade de voltar a Mudar, continuava a faltar me algo, se reparares estou sempre a fazer coisas bem diferentes, só assim posso saber para o que vim..

E tu? não tens sentido necessidade de mudar ? Presta atenção às Mensagens… Elas estão em todo p lado

Foi também quando descobri e fiz o meu 1º nível de reiki

Reiki é energia, é amor incondicional por nós e pelo próximo.

Em 2012 recebi a dádiva de Deus e consegui ser mãe de um menino (Mateus) depois de 6 anos a tentar, com imensos tratamentos de fertilidade e depois de uma gravidez ectópica e uma trompa retirada.

Descobri o que é o amor incondicional.
Em 2014 voltei a ser mãe novamente, desta vez de uma menina (Luana).

Não estava prevista, mas andamos há chuva sem chapéu…

Desde que acredites e sintas, estas pronta(o) para receber, seja o que for
Desde que acredites e sintas estas pronta para receber, seja o que for

Andei à procura da minha missão durante estes anos de vida, e quem procura acha. E tu? Estás satisfeita(o) com a tua vida? Procuras uma nova oportunidade?

Em setembro de 2015 decidi que não voltaria a ter mais patrão e juntei me a um projeto que já acompanhava desde o lançamento mas sem me aprofundar muito, pois seguia era o meu agora Mentor Rui Gabriel, pois estava a curtir o papel de mãe em grande.

Sempre considerei abençoada, mesmo carente na infância e adolescência.
Sei que é com este meu novo negocio na empower e na tribo dos power bloggers que vou conseguir ajudar outras pessoas que tenham necessidade de Mudar, mas não saibam como.

Se assim é, SEI que vou conseguir a minha realização profissional e com isso cumprir com a minha missão que é ajudar os outros a mudar de vida também, e a sair da sua zona de conforto

Todos Podem, Nem todos Conseguem.

Ao fim de 5 anos (2015) fiz também o curso de reiki nível II (o transformar).
Lembro-me de ter uma foto sobre o  curso de reiki II no meu quadro de sonhos, e há uns anos que o queria fazer, não tinha data, ainda não me tinha identificado com nenhum mestre, mas quando queremos as coisas acontecem.

E descobri a mestre Andreia Mascarenhas no facebook e nesse mesmo fim de semana fui fazer o curso que me tem ajudado a evoluir como pessoa juntamente com o meu negócio da empower

Sou agora além de empreendedora, terapeuta de reiki e estou pronta a  ajudar muitas pessoas que assim o desejem a livrarem-se dos seus bloqueios emocionais e a viverem uma vida mais plena e rodeados de Harmonia e Amor Incondicional.

Em 2016  faço o ultimo nível do curso, e torno me mestre de Reiki.

É boa demais esta sensação de ser Livre para poder ser e fazer o que quiser.

Espero que tenhas gostado e tirado alguma informação útil deste artigo.

Desejo te muito sucesso na tua vida, e lembra-te mais uma vez.

Podes sempre comentar no artigo abaixo e tirar alguma duvida comigo.

Lembra te que estou aqui para te ajudar no que precisares.

Aprecio te muito e terei todo o prazer em saber se posso ser a solução para o teu problema.

Muita Luz e AMOR na tua vida

DEVES SER A MUDANÇA QUE DESEJAS VER NO MUNDO

Sandra Galão
skype: sandra.galao

 

%d bloggers like this: