Porquê e Quando em “A mudança está DENTRO de SI!”

Porquê e Quando em “A mudança está DENTRO de SI!”

2ª Conversa

«PORQUÊ»  E « QUANDO»: AS RESPOSTAS

Expande a tua mente e vamos lá a mais uma conversa com DEUS… Lembra te que isto é a transcrição do livro ” A Mudança está dentro de si”, as imagens são da minha autoria.

Ao olharmos para tudo o que está acontecer atualmente no Planeta é legitimo perguntarmos:

-” Isto tem mesmo de acontecer? Porque está tudo isto a acontecer?”?

A resposta é: sim, tem de acontecer. Tudo isto está acontecer porque é a própria vida a acontecer – e a vida é feita de ciclos, de acordo com uma fórmula.

Esta fórmula exige que a vida progrida por fases, com base nos princípios da funcionalidade, adaptabilidade e viabilidade.

fecham se os ciclos da vida
A vida é feita de ciclos

Sempre que a funcionalidade da vida, sob as suas muitas formas.fica ameaçada, adapta essa manifestação, tornando se viável, numa nova forma.

Não tenhas medo da Morte

Esta é a razão para a experiência humana que designamos como morte, 

A morte não é, de todo, o fim da vidamas sim a continuação desta através da adaptação da manifestação de uma determinada forma de vida, tornando essa vida viável numa nova forma.

Tal aplica se a tudo na vida. Nada “morre” e não é possível “matar” o que quer que seja.

Não é possível matar uma pessoa, não é possível matar um animal, não é possível matar uma planta.

[fancy_box id=2]

É importante entender isto, em especial nesta época, pois há quem tenha morrido e há quem vá morrer no decorrer desta Reformulação da Humanidade, pelo que é útil e tranquilizador saber que a morte não é um processo que ceifa a vida, mas antes um processo que muda uma vida.

[/fancy_box] 

Sentimos falta das pessoas que “morreram” -, temos imensas saudades – mas não é preciso chorarmos.

A nova forma que elas adotaram trouxe lhes grande regozijo.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Será que isto significa que é boa ideia pormos fim à nossa vida nesta forma atual?

É-me feita essa pergunta inúmeras vezes, por pessoas de vários publicos e culturas.

A minha resposta é sempre “não”. A partida da alma desta vida terrena nunca é triste, é sempre uma alegria, onde quer que aconteça e seja qual for o momento em que aconteça.

Porém, tal não significa que seja “boa ideia” sair, pura e simplesmente, desta vida fisica.

O programa da alma é aquele que está a ser cumprido aqui na terra e, caso se cumpra na totalidade, são cocriadas as circunstâncias, no entanto  jamais serão produzidos artificialmente pela mente.

Tal como a é uma alegria deixar o corpo terreno, também é uma alegria permanecer nele; se a vida física não é um prazer, é porque não a encaramos sob a perspectiva da alma, tentando ao invés, entendê-la com a mente.

A vida jamais fará sentido para a mente. Fará tão-só, sentido; da mesma forma, poderá apenas produzir felicidadeviável, a longo prazo, além de paz e alegria, quando encarada pela perspetiva da alma.

Sendo assim quando não se está feliz na vida, o truque não é abandonar o corpo, mas sim unir se à alma, o que pode conseguir se enquanto se está ainda na posse do corpo.

Contudo, a maior parte das pessoas não trás a alma para as suas experiências diárias

Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO
Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO

Antes de darmos esta conversa por terminada, dir-lhe-ei como fazê-lo.

Quando comunicar com a sua alma, entenderá plenamente o que se passa aqui – no nosso Planeta.

Ficará a saber que quando a capacidade de qualquer forma de vida adapta essa expressão, tornando a novamente viável. É desta forma que a vida se torna eterna.

Ora, não resta qualquer dúvida de que a expressão de vida que designamos como terra (que alguns começaram a denominar como Gaia) tem visto  comprometida a sua capacidade de progredir na expressão que apresenta nos dias de hoje.

As condições que levam a esta circunstância ameaçadora foram criadas, em parte, pelas formas de vida humanas que habitam a Terra.

Essas formas humanas, por sua vez, também viram ameaçada a sua própria expressão

[fancy_box id=2]

RESUMINDO:

Nem o Planeta nem os seus habitantes podem continuar como até agora.

Não se preocupe. Isso não acontecerá

[/fancy_box]

Tendo alcançado o limite da sua capacidade de criar viabilidade no ambiente terreno nestas condições atuais, o Ciclo da Vida está agora a fazer se sentir, adaptando todas as formas de vida deste ambiente, para que todas as expressões de vida existentes possam voltar a ser viáveis.

Por outras palavras, a vida na terra está a mudar para poder continuar.

O facto de estar a mudar representa a garantia de que irá permanecer.

Faço parte desta nova História Cultural.
Faço parte desta nova História Cultural.

 

É este o Porquê de tudo o que está a suceder. Antes de passar para o Quando, permitam me que explique de onde veio a pergunta que acabou de ser respondida.

VOZES DIVERGENTES

Uma conversa não é “conversa” se for um monólogo.

Desde o momento em que ponderei ter esta conversa consigo, por meio deste artigo(livro) soube que queria evitar uma peça oratória de uma única voz, um solilóquio, um sermão ou homilia.

Fica muito bem convidá-lo a mergulhar numa discussão online mas isso não muda o que está aqui a manifestar se – isso seria, efetivamente um monólogo.

A menos que não fosse.  A menos que conseguisse descobrir uma forma de converter o que poderia acabar por ser uma “palestra”  numa conversa real, precisamente nestas páginas.

Eis a ideia que tive: criar um diálogo” que se tivesse desenvolvido de conversas que já ocorreram.

Poderia aqui incluir os pensamentos, perguntas e comentários de outras pessoas que não os meus – apresentado nas suas vozes.

Há já algum tempo que partilho publicamente as ideias aqui exploradas.

No decorrer de uma extensa séir de palestras e workshops de fim de semana, participações em programas televisivos e convites para talk-shows, foram me colocadas questões extremamente dificeis e envolvi me em muitas trocas de ideias energéticas, atrevidas, por vezes exigentes e ocasionalmente agressivas – que sempre acolhi de bom frado, pois sabia que todas me seriam uteis.

Através delas percebi onde o meu raciocínio era confuso, onde a minha lógica era, quiçá, errónea, em que pontos os meus comentários acertavam no alvo e, no geral, de que forma as pessoas ponderavam essas mesmas questões.

Ao longo de 20 anos em que trabalhei na imprensa, treinei a minha mente para que recordasse tais encontros, muitas vezes palavra por palavra – sobretudo os mais memoraveis – e sabia que tinha a capacidade para dar vida à essência desses intercâmbios sem grande esforço.

Por isso pensei que, se aquilo que anotasse ao escrever este livro me avivasse memórias de uma dessas conversas, poderia então incluir a minha memória desse momento.

Assim este livro, não seria somente um monólogo, comigo a falar ininterruptamente com base no meu ponto de vista, e sim um “monoconversólogo” – um monólogo que inclui conversas derivadas de diálogos anteriores.

Conversas, não fossem só meras citações, mas que se inserissem no fluxo narrativo como se estivessem a acontecer no momento. Poderia dialogar com uma voz combinada de muitas pessoas que dialogaram comigo no passado.

Uma conversa com a Humanidade

Vamos aprender a ouvir?
Vamos aprender a ouvir?

 

Quanto mais pensava nisso, mais a ideia me agradava.

Decidi, então, avançar! Foi daí que surgiu a pergunta anterior.

Ouvirá muito mais desta voz composta? Quem é representado nestas trocas de ideias relembradas?

Bem as ideias aqui apresentadas, capazes de mudar vidas , advieram de pessoas de todo o mundo: da Dinamarca à Noruega, da Suécia à França. da Coreia do Sul à América do Sul, da Irlanda à Polónia, da Jamaica ao Japão… dos degraus de Machu Picchu aos degraus da grande Muralha da China, da Praça Vermelha em Moscovo à Praça do Vaticano em Roma, do outro lado do mundo  (Austrália e Nova  Zelândia) até bem acima  (Islândia), do centro da áfrica Ocidental à América Central, de todo o Reino Unido e dos Estados Unidos .

As questões e opiniões que ouvi nestes lugares e fontes refletem uma grande diversidade de culturas, meios, credos. convicções politicas e convenções sociais, criando um monoconversólogo animado e nada parcial.

Mais tarde,  quando acrescentar o seu ponto de vista na discussão online, teremos aquilo de que a nossa espécie poderá verdadeiramente beneficiar a partir deste momento: uma Conversa coma Humanidade.

Nas páginas que se seguem deparar-se-á com o que as pessoas de todo o mundo têm pensado e questionado sobre esta época conturbada e sobre as mensagens que partilho e que acredito serem capazes de Mudar o Mundo.

Apresentarei os pontos de vista sob a forma de diálogo, para que possa vivenciar as trocas de ideias quase como quando decorreram.

Voltemos, então, ao ponto em que ficamos….

Quando se deu a REFORMULAÇÃO

Várias previsões indicam que o momento do próximo grande passo evolutivo da nossa espécie é o presente.

Em retrospectiva, vimos que os Ciclos da Vida não são assim tão dificeis de prever. Já nas civilizações antigas as pessoas observam determinados ritmos nos acontecimentos.

Os sábios ouviam com atenção as histórias que passavam de geração em geração, e registavam os ciclos. Através das suas observações, calculavam o timing dos ciclos futuros.

Este cálculo é aquele que encontramos nos vaticínios de Nostradamus, nas profecias de grandes figuras religiosas por todo o mundo, nas previsões do Calendário Maia,, etc; Em que muitas apontam para este preciso momento na história da Humanidade, como sendo significativo.

A wikipédia diz-nos “que existem vários casos de profecias entre os povos nativo-americanos” e que “os Onondaga e os Hopi, entre outros, têm profecias que parecem relacionar se com a época que estamos agora a iniciar.

[fancy_box id=1]

Por exemplo, os Onondaga falam de um tempo em que não se poderá beber a água dos riachos. Este acontecimento, dizem, significará o inicio de um periodo a que chamam a grande Purificação, durante o qual os povos sofrerão grandes provações para que se purifiquem das influências corruptas que os assolaram.

onondaga

[/fancy_box]

“Esse periodo, diz o povo, será encarado como uma época de alegria, para aqueles que entendam o que está acontecer e o vejam como um tempo de purificação. Será um período de grande sofrimento para quem se agarrar as suas visões do mundo e aos seus estilos de vida.”

Ao ler esta profecia, fiquei com um brilho nos olhos e sorri de orelha a orelha, pois não teria dito melhor. É precisamente o que vim aqui dizer-lhe.

Aguarda nos um período de Júbilo.- Porém, será uma época que incluirá sofrimento, caso continuemos a insistir em manter a nossa visão do mundo e os nossos estilos de vida.

Veja o que a antiga visão do mundo produziu nos escassos meses que antecederam a publicação deste livro:

  • Vários paises viram o seu futuro alterado para sempre devido a Revoluções.
  • Outros países foram devastados pelas piores catástrofes naturais em décadas.
  • Várias pessoas por todo o mundo viram as suas vidas destroçadas por uma crise financeira global que teve inicio 24 meses antes.
  • bannercorreiodoblog-tnprt-131

Acrescente tudo o que aconteceu no nosso mundo desde entãoe é bem possível que consigamos entender o MOTIVO pela qual grande parte da Humanidade vê o futuro de uma forma inquieta, interrogando-se:

– Será isto o começo daquilo que o último mês do aguardado 2012 trará? O que nos espera em Dezembro de 2012 e dai para frente?

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • A Reformulação da Humanidade faz parte de um processo natural pelo qual a própria Vida se defende a si própria.
  • Neste momento seria benéfico que se desenrolasse uma conversa com a Humanidade.
  • O âmbito e a extensão de acontecimentos indicam- nos que a Reformulação da Humanidade já teve inicio, chegou o momento.

A FAZER:

  • Pense  Naquilo que o prende a uma visão antiga do mundo e a um  antigo estilo de vida. O que significa para si? O que sente?
  • Medite sobre o que se tem passado neste mundo e na sua vida entre o tempo de escrita deste livro (no inicio do verão de 2011) e a atualidade.
  • Questione se Parece estar a decorrer alguma “viragem”? Permita me uma sugestão: escreva um diário o que vai observando, como parte do processo pessoal.
  • Comece a pensar naquilo que colocaria numa nova História Cultural da Humanidade, caso lhe fosse pedido que a escrevesse. 
  • É aliás, o que lhe estou precisamente a pedir neste artigo/livro)

[/fancy_box]

E assim termino a terceira conversa, incentivando te a partilhares aqui e lá no web site  a tua opinião sincera!

Fica o video do dia de Hoje, e espero que estas conversas te ajudem na tua Evolução e no encontro do teu EU.

Só hoje apercebi me que o livro já foi escrito no verão de 2011, falando do futuro em Dezembro de 2012 e dai para a frente! Como foi o teu? Como tem sido dai para a frente?

Foi o MELHOR NATAL de todos os tempos: o primeiro com o meu filhote milagre

primeiro natal mateus

Deixo ficar qual vai ser a nossa 3ª conversa de amnhã

A única certeza que existe!

Vemos nos amanhã.

Vive uma Vida Extraordinária

Sandra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ao publicar um comentário neste site, concordas com a politica de privacidade do site acerca de como os teus dados são guardados e geridos.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: