Categoria: Despertar da Consciência

Quando Descobres que Podes Ser quem realmente és

Queres Saber o Sentido Da Vida? Para a Frente!

Queres Saber o Sentido Da Vida? Para a Frente!

 

Levantar se Da Cama Para Começar Mais Um Dia Deveria Ser Motivo de PRAZER e ENTUSIASMO na nossa vida?

 

Para algumas pessoas, porém isso parece mais um sacrificio.

Elas já se levantam cansadas e desanimadas para enfrentar mais um dia de batente.

Quem se sente assim, provavelmente perdeu o contato com o seu ideal de vida.

Sem uma meta à qual dedicar a sua existência, o ser humano dificilmente encontra motivação para fazer as coisas, para prosperar, para realizar sonhos.

Só quem tem um  Ideal (visão)  pode conhecer a Verdadeira Realização pessoal.

Um Ideal de vida é querer “ser” alguma coisa:

  • Um Médico reconhecido na sua especialidade;

  • Uma esteticista que adora deixar as clientes mais bonitas;

  • Uma empregada doméstica prendada;

  • Um pedreiro caprichoso;

  • Uma mãe e mulher Presente

  • Um canalizador Competente;

  • Um artista talentoso;

  • Uma cozinheira que delicia os outros com as seus pratos;

  • Um empresário próspero;

  • Uma dona de loja onde as pessoas gostam de comprar;

  • Uma vendedora de Sucesso;

Uma pessoa motivada a “ser” alguma coisa orienta, naturalmente as suas ações em direção ao seu Ideal

Se alguém  quer atingir o Cume de uma montanha, mesmo que não saiba como fazê-lo, vai procurar os caminhos que a levem até lá.

Uma pessoa com uma visão clara da vida é objetiva, sabe o que tem de fazer e considera o”fazer” como um meio para alcançar a sua meta.

Depois de idealizado na nossa mente, tudo é possivel

 

Quem tem um ideal, tem tendência a investir em si mesmo e a considerar conhecimentos adquiridos como o seu grande patrimônio.

Pode perder o emprego, ou ter que mudar de cidade ou mesmo de país, mas facilmente se adapta às novas situações, porque sabe quem é e conhece o seu valor.

Para alguém orientado a “ser”, os bens que tem ou a posição que acaba por conquistar, vêm como consequência daquilo que se é.

Quando temos e perseguimos um Ideal de vida, o “ter” é só um resultado natural do “ser”.

Adorei aprender isto, pois nem sempre foi uma realidade na minha vida.

Eu acredito que todos somos divinamente destinados a ser algo, todos temos dons, mas infelizmente nem todas as pessoas conseguem realizar o seu ideal de vida, nem tão pouco descobrem o que andam cá a fazer.

Quando somos crianças, costumamos dizer o que queremos ser quando formos “grandes”, conforme crescemos, vamos nos ajustando às exigências do nosso mundo competitivo, incorporando os valores e todos os condicionamentos sociais que nos levam a dar prioridade ao “ter”:

  • Ter uma carreira;
  • Uma casa
  • O carro do ano
  • O melhor telemóvel do mercado

Muitas vezes a pressão do “fazer para ter” afasta nos do nosso Ideal de Vida e quando damos por nós, estamos a fazer tudo menos o que deviamos para conseguir ir ao encontro desse Ideal, right?

Não vivas emocionalmente agarrado ao dinheiro
Não vivas emocionalmente agarrado ao dinheiro

O Problema de orientar a nossa existência para o “ser” é que ficamos muito dependentes e apegados ao que temos.

No mundo atual, em que a corrupção continua em grande escala, em que o dinheiro não passa de um “monte” de números na memória de um computador, em que as coisas são cada vez menos palpaveis, , e tudo muda tão rapidamente e constantemente, basear a realização pessoal no “ter” conduz nos facilmente à preocupação, à insegurança e à incerteza quanto ao futuro.

Passa se a vida numa corrida contra o tempo, num esforço constante de fazer coisas para “ter” cada vez mais, de modo a que nos sintamos seguros.

Mas é importante saber que quanto mais temos, mais é preciso fazer para manter o que temos.

A viver assim, nenhuma fortuna é capaz de nos proporcionar realização e plenitude.

E quando chegamos aos 50 ou 60 anos, por muito bem sucedidos que tenhamos sido na nossa vida de fazer para ter, sentimos que falta algo.

[fancy_box id=5]

Como estás a conduzir a tua vida:

Baseado no Ser ou no Ter?

[/fancy_box]

 

Se tu és daquelas pessoas que perdeu o Ideal da vida, ao tentares enquadrar te neste jogo da sobrevivência Social, , gostava que soubesses que a qualquer momento é possivel tomares o caminho que te leva ao cume da tua montanha.

O teu Ideal de vida está ligado ao que tu tens prazer em fazer e à visão mais grandiosa que tens de ti mesmo(a)

[fancy_box id=2]

Por um momento, volta ao teu estado de simplicidade em que vivias quando eras criança e pergunta te:

– ” O que eu quero ser quando for grande”?

– O que eu sonho ser na vida?

O teu Ideal está ligado aos teus talentos(dons) e capacidades com que foste abençoado(a) ao nascer.

[/fancy_box]

Tens com certeza muitas coisas que fazes com mais facilidade e espontaneidade, pois recebes te de Deus, os dons para seres o que é o teu destino e assim realizares te.

Lembro me que quis ser advogada, pois não gosto de injustiças e achei que poderia defender muitas pessoas, desmotivei quando vi as imensas leisssss que tinhamos de saber, (risos)

Também quis ser Jornalista, pois gosto muito de falar e achei que era uma  forma de passar a mensagem. 

Depois quis ir para a tropa. Ainda fiz os testes, mas não me identifiquei nada com aquele excesso de autoridade exercida sobre as patentes mais baixas.

Quis ser muita coisa e experimentei muita coisa, e tudo me encaminhou para chegar onde estou hoje, como blogueira profissional e terapeuta de reiki, depois de ter estado muitos anos a trabalhar como empregada e a ser vista como um número por todos os patrões por onde passei.

[fancy_box id=2]

Reconhece a tua vocação.

Pergunta te:

– “O que para mim, é natural fazer?”

– “Quais são as minhas habilidades?”

[/fancy_box]

Tens de compreender que por muito naturais e desenvolvidos que sejam os teus talentos, é preciso aperfeiçoa-los.

É preciso desenvolver técnicas.

Tu podes ter o melhor ouvido para a musica, mas precisas aprender a ler partituras e a tocar o instrumento

– E isso, quando nasces, não sabes. Aprendes.

Acredita que se estiveres no caminho que te leva à realização do teu Ideal, os factos e as circunstâncias da vida vão te “empurrar” para a frente, aconteceu comigo de uma forma bastante natural, quando comecei a fazer as perguntas que coloquei acima.

Não te limites, ou desanimes caso não vejas, em determinado momento, as soluções para as dificuldades que surgirem.

Mantém te firme na tua escolha e a vida te trará, com toda a certeza, tudo o que precisas, mas se continuas a resistir, parece que nada vai dar certo, mas é Deus a testar te, para saber se é isso que realmente queres.

– Não tens tempo para ler? Tu é que fazes o teu tempo e certamente arranjarás um jeito.

Gostavas de começar um negócio com pouco dinheiro, mas não sabes como começar?

Acredita que alguém te pode ajudar, e se não puder, continua a procura, vais encontrar um que te sirva e te satisfaça todas as tuas necessidades.

As portas abrem se para quem sabe o que quer, assume o papel que lhe cabe neste mundo e tem FÉ.

Só tu podes saber o que é melhor para ti, certo?

Que tenhas discernimento nas tuas escolhas.

Não te deixes contaminar pelo pessimismo e pela amargura das outras pessoas, nem te deixes influenciar pelos modelos de Sucesso Alheio.

Sucesso e Fracasso são fatores muito relativos.

Avalia te em relação à tua realidade e não te compares aos outros.

Por fim, não tenhas medo de experimentar.

Se tu não te permitires experimentar, nunca vais saber no que as coisas vão dar… É como teres uma ideia brilhante e não aproveitares para transformá-la em rendimento, ou porque não sabes, ou porque não acreditas que ela possa ser tão boa assim

Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te
Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te

As oportunidades que temos na vida não aparecem por acaso, pelo menos é o que tenho aprendido ao longo desta minha caminhada

Há sempre um propósito por trás delas.

Não deixes de te focar em ti e no teu ideal de vida.

Termino com uma pequena história sobre o sentido da vida e que espero que consigas tirar a melhor parte para ti.

[fancy_box id=1]

As sandálias do discípulo fizeram um barulho especial nos degraus da escada de pedra que levavam aos porões do velho convento.

Era naquele local que vivia um homem muito sábio.

O jovem empurrou a pesada porta de madeira, entrou e demorou um pouco para acostumar os olhos com a pouca luminosidade. Finalmente, ele localizou o ancião sentado atrás de uma enorme escrivaninha, tendo um capuz a lhe cobrir parte do rosto.

De forma estranha, apesar

do escuro, ele fazia anotações num grande livro, tão velho quanto ele.

O discípulo se aproximou com respeito e perguntou ansioso pela resposta:

Mestre, qual o sentido da vida?

O idoso monge permaneceu em silêncio.

Apenas apontou um pedaço de pano, um trapo grosseiro no chão junto à parede.

Depois apontou seu indicador magro para o alto, para o vidro da janela, cheio de poeira e teias de aranha.

Mais do que depressa, o discípulo pegou o pano, subiu em algumas prateleiras de uma pesada estante forrada de livros.

Conseguiu alcançar a vidraça, começou a esfregá-la com força, retirando a sujeira que impedia a transparência.

O sol inundou o aposento e iluminou com sua luz estranhos objetos,  instrumentos raros, dezenas de papiros e pergaminhos com misteriosas anotações.

Cheio de alegria, o jovem declarou:

– Entendi mestre.

Devemos nos livrar de tudo aquilo que não permita o nosso aprendizado.

Buscar retirar o pó dos preconceitos e as teias das opiniões que impedem que a luz do conhecimento nos atinja. 

Só então poderemos enxergar as coisas com mais nitidez.

Fez uma reverência e saiu do aposento, a fim de comunicar aos seus amigos o que aprendera.

O velho monge, de rosto enrugado e ainda encoberto pelo largo capuz, sentiu os raios quentes do sol a invadir o quarto com uma claridade a que se desacostumara.

Viu o discípulo se afastando, sorriu levemente e falou:

Mais importante do que aquilo que alguém mostra é o que o outro enxerga. 

Afinal, eu só queria que ele colocasse o pano no lugar de onde caiu.

[/fancy_box]

Vou repetir o que o sábio disse:

Mais importante do que aquilo que alguém mostra é o que o outro enxerga. 

 

Se andas à procura de mudar o sentido da tua vida, vê o Webinario Grátis que me permitiu hoje transformar me na minha melhor versão e fazer aquilo que mais amo e inspirar outros a fazer o mesmo.

Vê se pode ser para ti:

 http://bit.ly/webinar-pt-smt

 

Vive uma vida Fantástica em busca do sentido da tua vida

~Sandra

Skype: sandra.galao

Ser Diferente é Normal?

Ser Diferente é Normal?

Enquanto Não Aceitares Quem És, Não Vais Cumprir Com a Tua Missão!

Eu Gosto de ser Diferente, afinal, de cópias o mundo está cheio!

Somos educados assim: a tentar ser igual a fulano e a beltrano, a ser comparado com “todos” os que nos rodeiam, e na maioria dos casos Obrigados a ser quem não somos, e a fazer o que não queremos, verdade?

Eu, desde que fui mãe do Mateus, em 2012 e 20 meses depois da Luana, duas crianças especiais, completamente diferentes uma da outra, mas que me escolheram a mim e ao pai João como cuidadores, orientadores e mestres, nesta jornada para que possamos evoluir juntos! Prometi a mesma que irei ser a mãe que não tive, e deixar os meus filhos serem quem realmente são.

São muitas as vezes que fico receosa e triste com alguns comportamentos que tenho, mas estou ciente que tenho de seguir o meu coração para me tornar na melhor versão e ajudá-los com a sua missão aqui na terra

São muitas as crianças especiais e diferentes que ai andam à espera de serem aceites por quem são, infelizmente, os pais, educadores, cuidadores, preferem chamar de seres esquisitos, rebeldes, crianças difíceis, mal educadas, revolucionárias, e há mesmo quem diga que não “batem bem da cabeça”…

Depois admiram-se dos comportamentos  menos corretos…

Sempre fui uma menina muito rebelde, por ser diferente, levei muita porrada e castigos, e fui educada na base da autoridade!

A minha mãe, minha amada mãe, que nunca soube o que era o amor, e por isso não soube dar, sei que fez muito sacrificios por nós, mas não foi uma mãe presente, foi uma mãe orientadora, que sempre trabalhou, e não deixou que nos faltasse nada, o dito essencial.

A minha mãe sempre foi autoridade lá de casa, sempre disse o que deviamos fazer e como o deviamos fazer, ficava tão danada com aquela imposição de regras…

Sabes que descobri neste meu processo, que tinha uma aversão à Disciplina,  imposta pela minha mãe, que me irritava tanto, que preferia levar porrada do que  fazer as coisas tão certinhas como ela achava que tinha de ser.

– Já não sei o que hei-de fazer a esta rapariga. Dizia ela vezes sem conta, sem perceber o que podia fazer com esta filha “difícil” e especial.

Nós Somos o Reflexo dos Nossos Pais (de quem nos educa e orienta ao longo da vida).

Tudo o que fazemos reflete-se nos nossos filhos, eles admiram-nos, e eu vejo isso hoje muito claramente nos meus filhos e já tinha visto em outras crianças, o que é certo é que o nosso subconsciente está sempre a absorver a informação como uma esponja, seja essa informação boa ou má, como viste no video…

Eu gosto muito de experimentar, testar para ver se tudo o que oiço corresponde à verdade. Porque falar todos podemos falar o que quisermos, por isso temos tantas crenças incutidas, já pensaste nisso?

Nós temos o dever de analisar e ver se faz sentido para nós, seguir o nosso sexto sentido, normalmente está sempre certo.

Deixo te uma sugestão de um exercicio que faço hoje em dia, mas que aprendi antes de ser mãe, quando tirei o curso de Técnica de Ação Educativa, com duas professoras Sensacionais, e que me Ensinaram muito na minha Evolução, que nem sempre foi consciente.

Faz como te sintas melhor, mas faz, se queres começar a entender quem são os teus filhos, refletidos nos teus exemplos;

O objetivo do exercicio é que comeces a ser mais consciente das tuas ações para que tenhas um filho que sabe quem realmente é e não uma cópia dos pais (Tu) que já tens crenças e hábitos incutidos dos teus pais e de todas as pessoas que influenciaram a tua personalidade…

O exercicio é simples, mas só se torna eficaz se for consciente:

[fancy_box id=1]

“Se tens filhos começa a observá-los com ATENÇÃO, vais perceber tantas coisas tuas, ações, “falas”, gestos que eles repetem e que nem sempre gostamos, e nem tão pouco sabíamos que  tínhamos”

[/fancy_box]

Eu nem sempre gosto do que vejo no meu filho Mateus que é também uma “versão Índigo da mãe, mas em masculino”.Mas tendo isso consciente ajuda-me a controlar melhor as minhas ações e os exemplos que quero dar, que nem sempre é fácil.

E se eu fui privada de mimo, carinho, diálogo, o Mateus aproveita-se da sua história para ter muito mimo (não sou contra muito mimo) mas faltam-lhe algumas regras, e isso faz com que por vezes, se torne um menino mimado sem Limites.

Não tenho a pretensão de ser a mãe perfeita, pois nem sei o que isso quer dizer,  mas quero sim ser uma mãe melhor todos os dias, aquela com que sempre sonhei, e sei que sendo presente na vida dos meus filhos e entendendo quais são as suas principais necessidades, vão crescer muito mais saudaveis e a saberem que são seres únicos, cheios de capacidades e sem problemas de assumirem quem são. Todos diferentes, todos iguais

Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo
Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo

Saber que estou aqui neste Planeta com uma Missão e que posso ajudar a inspirar outras pessoas que querem Muito descobrir quem são e mudar a sua forma de estar, de pensar, de agir, de julgar, de não se aceitar, de saber que tem o PODER,  faz me sentir que sou realmente abençoada, pois nem sempre quis acreditar nisso.

Temos uma forma muito estranha de justificar as nossas ações, tudo serve de desculpa, right?

Nem sempre percebi porque era tão Diferente da maioria das pessoas que conheci ao longo da minha vida, tão “aparências”, isso resultou em muitos conflitos ao longo do meu processo

Na realidade fui muito questionada sobre esta forma que chamava de expontânea e sobre este feito incomum.

“-Ou te amam  ou odeiam-te”, diziam me algumas amigas minhas!

Eu como Criança/adulta Índigo (mesmo não sabendo o que isso queria dizer) nunca deixei de Acreditar que podemos Fazer a Diferença na Vida de outras Pessoas,.

Não sabia que podíamos viver numa comunidade onde é permitido dar a opinião, participar, aprender  e ensinar os outros, ou seja Ir de encontro à nossa melhor versão, juntando o Melhor de todos Nós! 

 Sempre Soube Que Era Diferente, Mas Com Uma Conotação Negativa

Depois de me iniciar no nivel I do Reiki em 2010, foi quando descobri que era uma Criança Índigo, não fazia ideia do que isso queria dizer exatamente, o que sabia é que essas Crianças, nomeadamente EU tinhamos carateristicas que nos fazem ser Diferentes no meio de uma sociedade cheia de pessoas comuns.

Confesso-te que não fazia ideia que era um ser Iluminado com uma missão Grandiosa aqui no Planeta Terra, sabia que era diferente e estava sempre a querer saber o que devia fazer agora com aquela informação.

Quando descobri, quis saber mais, e comecei a pesquisar e a estudar muito, pois muitas das carateristicas destas crianças, faziam com  que andasse metida sempre em grandes conflitos, a impor a minha Verdade!

[fancy_box id=2]

Sabes que se aceitares que tens filhos especiais, diferentes, mesmo que algumas das suas atitudes pareçam de meninos “delinquentes” ou mimados sem limites, o processo de Educação e Evolução vai ser muito melhor e menos doloroso, tanto para quem educa como para quem é educado. 

O segredo é o diálogo, tens de esclarecer como são as coisas, quais são as regras a seguir, ouvir o que eles têm para dizer e  não fazeres comparações, nem impor o que acreditamos ser verdade, muito menos dizer que “somos”  malucas, “anormais”… Apesar de ser um pouco verdade… (eu a falar como criança)

[/fancy_box]

Vou propor-te aqui outro exercicio, que se o fizeres com honestidade, vai te ajudar a descobrires como és diferente das pessoas a quem te comparas, e que tens muitos padrões que podes e deves mudar para conseguires aceitar quem és, e entenderes melhor quem educas.

Qual a Finalidade de Sabermos Quem Somos?

Quando assumes quem és, vives muito mais Feliz e deixas de estar preocupada em agradar os outros, e a viver a vida que os outros querem que tu vivas, e começas a descobrir que és muito mais poderosa do que imaginavas!

Fica o exercicio que me tem ajudado muito a melhorar os meus defeitos, mas que grande parte nem considerava como defeito (por isso não conseguia melhorar). Risos…

Espero que te seja útil de alguma forma, aqui vai:

Escreve, grava (como te sentires melhor), todas as  qualidades e defeitos que tenhas e que te lembres (tens de ser o mais sincera possível, só tu vais ver).

Se não conseguires identificar nenhum defeito ou qualidade, toma coragem e pergunta com sinceridade às pessoas mais próximas e que te conhecem bem! Vais ficar surpreendida(o) com as respostas!

Escreve/grava coisas que gostas e não gostas de fazer, conquistas que te fizeram sentir orgulhosa(o), coisas que és mesmo bom/boa e que se calhar nunca olhaste para elas como tal, escreve muito sobre ti, e tudo aquilo que te lembrares que te ajudem a ir de encontro à pessoa que realmente és e não há pessoa que te transformas te.

Nem sempre gostamos daquilo que descobrimos sobre nós, a verdade é sempre dura para quem a ouve, e é por isso que poucas pessoas estão dispostas a desafiar-se, mas é uma forma de conseguirmos R-educar a nossa mente e sabermos educar os nossos filhos especiais, que só precisam de Atenção e muito Amor…

Claro que não és obrigada(o) a fazer os  exercicios que te propus, mas se chegas te até aqui, permite te e descobre quem és.

Ser Diferente, ajuda-te a destacares-te dos “normais”, sabias?

david wood

Como sabes, ou não, sou mãe de dois e empreendedora online, que trabalho a partir de qualquer lado que tenha uma ligação à internet, com a Empower Network (empresa de afiliados em treino e educação em Marketing Digital & Coach), juntamente com a Universidade da Tribo  que é uma comunidade de empreendedores, empresários e particulares de vários setores onde somos todos diferentes da maioria, porque fazemos o que a maioria não faz e por isso nos intitulamos como Empreendedores Anormalmente bem Sucedidos.

O que podes aqui aprender connosco além de te descobrires, é como podes ganhar dinheiro através da Internet, a fazeres aquilo que realmente Gostas, ajudar outros a fazer o mesmo, mas tens de te identificar com a nossa missão e os nossos valores, que são bem diferentes daquilo que estás habituada a ver no mercado, com toda a certeza.

 

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Não tenhas Medo daquilo que desconheces, nem do que podes descobrir sobre Ti, a vida é mesmo assim, um grande mistério, assim como nós mesmos, onde nos é permitido errar e aprender com esses mesmos erros, cair e levantar, dar dois passos atrás se for preciso, para poder dar um à frente e continuar…

O processo é estranho e diferente do que estás habituada(o) mas vais aprender tanto sobre Ti, sobre os teus sentimentos e emoções, e vais passar a aceitar os teus Filhotes como o maior presente e não como um Problema.

Ser Diferente é muito mais fixe do que ser igual aos outros, concordas?

Temos de passar pelo processo, pois só assim iremos perceber a nossa verdadeira Identidade, e é nesse processo que nem todos estão dispostos a passar, que descobres quem realmente és!

O processo nem sempre é simples, nem maravilhoso, o que faz com que muitas pessoas desistam da sua evolução, sem perceberem o quão Gratificante é!

A tua vida só se vai Transformar quando Tu te transformares perante a Vida que tens, quando começares a olhar de outra forma para Ti e tudo o que te rodeia, sem vergonha nem Medo de assumires aquilo que és e quem és.

[fancy_box id=6]

Como dizia Jim Rohn:

“Para que as coisas Mudem, Tu tens de Mudar primeiro”

[/fancy_box]

O momento é agora, se queres mudar, tens de fazer alguma coisa, sabes disso, não é?

Espero ter te sido útil, e que os exercicios aqui propostos te ajudem de alguma forma, contigo mesma, com  o relacionamento que tens com os teus filhos e com as pessoas que te rodeiam.

Lembra-te que nada acontece de um dia para o outro, é um treino diário, afinal foram muitos anos a não acreditar que somos Diferentes da maioria, e com muitas crenças e padrões que não nos pertencem.

E eu continuo a mesma ainda que completamente diferente.

Vive uma vida Fantástica sendo quem és!

Grata por estares ai.

Aprecio te muito

~Sandra

 

 

 

Como Identificar Crianças e Adultos ÍNDIGO?

Como Identificar Crianças e Adultos ÍNDIGO?

Consegues Imaginar te como um ser Iluminado?

Vou contar te aqui neste artigo o que aprendi  ao longo deste anos sobre as crianças Índigo, da melhor forma que puder fazê-lo e espero poder ajudar te de alguma forma!

R-descobri em 2010 quando me iniciei no nívelI de Reiki que sou uma criança/adulta índigo e que tenho uma missão, que até à data não percebia qual era e porque demorei muitos anos até aceitar o meu papel como ser Divino.

28 de Fevereiro de 2010
28 de Fevereiro de 2010

Sempre gostei muito de tudo o que tivesse a ver com as energias e tudo o que é esotérico, mas sem me aprofundar muito sobre o assunto.

Cheguei a ir a imensas cartomantes, mãe de santo e tantas outras formas de saber qual o nosso futuro, fiquei muito surpreendida quando soube que havia pessoas que iam a estes sitios para fazer mal aos outros?!?

Nunca nenhuma me disse que eu era um ser Divino, também é verdade que nunca perguntei, pois nem sequer sabia o que isso queria dizer, hehe…

Durante muitos anos andei perdida a tentar entender o meu papel aqui na terra, sempre fui a menina dos porquês, e levei muita porrada por estar sempre com a resposta na ponta da língua, fui carente de mimo, atenção e amor, o que fez com que enveredasse por caminhos pouco recomendáveis.

Cresci num bairro social e isso teve muita influência no meu desenvolvimento e crescimento, mas sempre acreditei nos anjos da guarda.

Os meus pais cresceram num ambiente onde também foram providos de Amor e carinho, e tinham a crença que para educarem bem deviam saciar as nossas necessidades básicas, assim como a maioria dos pais da minha geração e alguns desta:

  • comer

  • vestir

  • dar boa educação

  • orientar para estudar

Ao longo dos anos pesquisei muito sobre este assunto, pois sentia-me tão perdida, a fazer tantos disparates e sem saber porque não me conseguia encontrar, fui rotulada de:

  • malcriada,

  • criança difícil

  • mal educada

  • delinquente na idade do armário

  • hiperativa e com defice de atenção

  • distraída

  • conflituosa

  • arrogante

  • insensível

  • feitio incomum, entre outros…

Cheguei a roubar, mentir, manipular, enganar, fui muito má para a minha irmã mais velha, e tudo porque não tinha a atenção devida, nem o amor que todas as crianças devem ter para que cresçam saudaveis e equilibradas.

Sou uma Índigo com as suas careteristicas bem intensas e enraizadas em mim, e foi por não entender isso, durante anos que passei pelo processo que passei…

Apesar de tanta rebeldia e falta de amor, sempre muito Feliz, à minha maneira, sempre me senti livre de certa forma, sempre fui muito curiosa e uma Maria vai com as outras, mas sempre fiz tudo o que quis, sem pensar no que os outros vão pensar. Sabes porquê?

Porque no fundo eu sabia que era Especial e que tinha um papel importante aqui na terra… Assim como TU!

A minha mãe como nunca entendeu muito bem quem eu era, e porque tinha certos comportamentos, também passou um processo intenso, mas hoje é a mãe que sempre sonhei, ainda com dificuldades para o abracinho e para os beijinhos, mas muito mais aberta à nova Era e às mudanças e muito carinhosa com os netos.

Já, o meu paizão, só agora está a começar o seu grande processo da mudança de Crenças e Pensamentos Saudáveis.

P1040059

Ora escuta lá então quem são as crianças Índigo e vê se te identificas:

As Crianças Índigo são crianças espetaculares.

E estão aqui para ajudar na transformação social, educacional, familiar e espiritual de todo o planeta, independentemente de fronteiras e de classes sociais.

Elas possuem uma estrutura cerebral diferente no que toca ao uso da potencialidade dos:

  • Hemisférios esquerdo (pensamento lógico e competência Comunicativa), menos desenvolvido,
  • Hemisfério direito, (pensamemto simbólico e criatividade) mais desenvolvido.

Isso quer dizer que elas vão além do plano intelectual.

Elas exigem do ambiente à sua volta certas características que não são comuns nas sociedades atuais.

E elas vão agir, aliás, já estão agir, através do questionamento e transformação de todas as instituições rígidas que as circundam, começando pela família.

Famílias que se baseiam na imposição de regras, sem tempo de dedicação, sem autenticidade, sem explicações, sem informação, sem escolha e sem negociação.

Essas crianças simplesmente não respondem a essas estruturas rígidas, porque para elas é imprescindível haver opções, relações verdadeiras e muita negociação.

Elas não aceitam serem enganadas porque elas têm uma intuição para perceber as verdadeiras intenções dos adultos e não têm medo.

Portanto, intimidá-las não traz resultado, porque elas sempre encontrarão uma maneira de obter a verdade.

Sabes que a minha mãe inventava cada história mais absurda para me meter medo, que algumas surtiram o efeito que ela quis, mas a maioria das vezes, simplesmente não acreditava.

[fancy_box id=2]

A segunda instituição vulnerável à ação dos Índigos é a escola.

Hoje, o modelo de ensino é sempre imposto sem muita interação, um modelo feito para o hemisfério esquerdo do cérebro, o racional, o lógico, incompatível com os Índigos que naturalmente têm o hemisfério direito mais desenvolvido, o que lhes dá o grande poder intuitivo, a grande capacidade de percepção extra-sensorial.

Como elas possuem uma estrutura mental diferente, elas resolvem problemas conhecidos de uma maneira diferente, além de encontrar formas diferentes de raciocínio que abalam o modelo atual de ensino.
Assim, através do questionamento, elas influenciarão todas as demais instituições, o mercado de trabalho, a cidadania, as relações interpessoais, as relações amorosas, as instituições espirituais, pois elas são essencialmente dirigidas pelo hemisfério direito.

[/fancy_box]

Mas porquê índigo? Porque Crianças Índigo?

O nome: Criança Índigo refere-se à cor da sua aura, o azul-índigo, que indica uma aura de Mestre.

São crianças especiais que decidiram encarnar no nosso planeta com uma missão e um objetivo específico: são guerreiros, detonadores de sistemas!

Elas já vêm ao nosso planeta há bastante tempo.

Alguns até argumentam que Jesus e Budha eram índigos, pois a missão deles, numa escala global, era mudar a consciência da humanidade.

Comparando Buda e Jesus (1)
Nos anos setenta, começaram a vir em ondas.

Muitos deles… seres que hoje estão nos seus trinta…quarenta anos, a geração guerreira que começou a desafiar e a mudar os velhos sistemas.

Nos anos oitenta e noventa, mais e mais ondas de índigos chegaram, agora com uma sensibilidade e refinamento maiores ainda!

E no final dos anos noventa e início de dois mil eles estão ganhando a companhia das ” Crianças Cristal “ que chegam também como guerreiros… mas guerreiros espirituais!

Presentemente, nós estamos vendo uma geração de Mestres vindo para o nosso planeta, essas crianças fantásticas também chamadas de ” Crianças das Estrelas”.

Elas são a nossa esperança para o futuro, elas são a nossa esperança para o presente.

Mas como reconhecer um Índigo?

É fácil identificar um Índigo pela sua sensibilidade, criatividade, espiritualidade e padrões gerais de comportamento.

Como crianças, elas se parecem com todas as outras crianças, embora sejam frequentemente bonitas e com olhos penetrantes, o meu Mateus é sem dúvida uma criança Índigo, com carateristicas bem presentes;

Saber isso ajuda-me muito na forma como falo com ele, e me deixo guiar pelas suas ações, tentando sempre ver com os olhos dele.

Nem sempre quer entender, mas é muito inteligente, e é preciso é conhecê-los bem, para saber conduzi-los da melhor forma.

Fui presenteada por uma criança Índigo
Fui presenteada por uma criança Índigo

São sempre altamente inteligentes e cheias de perguntas e exigências.

Têm muita energia, são muito ativas, têm muita força de vontade e um senso forte do seu próprio valor e importância.

Sabem que são especiais e que estão aqui para fazer alguma coisa significativa. Possuem amigos “imaginários” e adoram fadas e golfinhos.

Golfinhos terapia siriana

A inteligência excepcional das crianças índigo pode ser exasperante para os adultos.

Ninguém lhes dirá o que fazer, elas quererão debater e negociar cada instrução, cada ordem, foi por isso que passei por tantas provações, pois os meus pais não faziam ideia porque eu era assim…

[fancy_box id=1]

Até que os pais aprendam que estão a ser ensinados e aprendam a respeitar o direito de escolha da criança e honrar essa escolha, eles continuarão a ser confrontados com lutas de poder e batalhas de força de vontade.

A maneira correta de lidar com um Índigo é de estar disposto a negociar, explicar, dar-lhe escolhas.

Ordens como  “Faça assim porque eu estou mandando” só produzirão hostilidade e indiferença. 

[/fancy_box]

Os Índigos geralmente não gostam nada-nada da escola.

criança carente

Ficam entediados pelo passo vagaroso e pelas tarefas repetitivas.

Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou a serem simplesmente ouvintes.

São hiperativos, distraem-se com facilidade, tendo baixo poder de concentração, sofri muito com estas careteristicas tão enraizadas, e o facto de as salientarem tantas vezes fez com que se entranhassem demais na minha alma.

Têm alta sensibilidade, parece que têm “picos” e não conseguem estar sentados e sossegados, a menos que estejam envolvidos em alguma coisa do seu interesse, sempre que achava a matéria uma seca arranjava maneira de ser mandada para a rua…

Por serem orientados pela parte direita do cérebro, quando adultos, são geralmente atraídos por atividades e ocupações que usam o hemisfério direito, como a música, a arte, a escrita, a espiritualidade.

Adoram cristais, Reiki, meditação e yoga.

São intensivamente leais aos seus amigos, acreditam em honestidade e comunicação nas relações.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Ficam frequentemente desconcertados com a desonestidade, a manipulação e outras formas de comportamento egoísta.

Uma das características-chave dos Índigos é frequentemente a sua ira.

Esta foi das carateristicas que mais me tem custado largar, apesar de estar mais controlada, de quando em vez, ainda vem ao de cima.

As figuras de autoridade não conseguem nada com as crianças Índigo.

Num nível profundo, elas não reconhecem a autoridade,

vi isto quando fui fazer testes para concorrer para a força aérea, estava com 19 anos e não gostei nada daquela forma de mandar dos graduados e o obedecer dos soldados.

Sabem que somos todos iguais e por isso ficam irritados, furiosos mesmo, com aqueles que se comportam ditatorialmente , quer sejam pais, professores ou patrões, foi por isso que decidi ter o meu negócio a partir da internet

São muito compassivos, amam os animais e qualquer forma de vida; têm muitos medos, como medo da morte e perda dos seres amados…

Eu, Sandra, raramente penso na morte e só bem recentemente passei a olhar para os animais com outros olhos, assim como a Natureza, e sou Grata por isso.

Se experimentam muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente, que é quando temos grandes crises existenciais e nos dizem que nunca vamos ser alguém na vida?!?

E Quando são mal Diagnosticados?

crianças diagnosticadas com hiperatividade

Um problema sério quando se trata de Crianças Índigo é o diagnóstico errado habitual dado aos índigos, catalogados como portadores de Transtorno do Déficit de Atenção ou do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Eu, também fui diagnosticada desta forma por uma psicóloga recomendada à minha mãe, para me acalmar, pois eu aprontava demais.

Com isso, dá-se medicação a elas, “adormecendo” toda a sua imensa potencialidade.

Que bom que a minha mãe nunca o fez e optou por me colocar a fazer desporto, escolhi o atletismo, não durei lá muito tempo, mas deu para me ocupar…

Essas crianças estão aqui para nos ajudar na transformação do mundo.

Esta mensagem é para TI que vieste aqui parar e continuas a ler o que estou a partilhar…

[fancy_box id=1]

Se tens um filho/filha que acredites que seja uma destas crianças especiais, não permitas que os mediquem, não vais resolver o problema, pois muitas vezes, a falta de compreensão e crença nestas crianças, faz com que “nos obriguem” (pais e educadores) a “adormecê-los, tudo porque não sabemos como lidar com estas crianças tão especiais…

Falo te como criança e adulta Índigo que SOU.

[/fancy_box]

Nós precisamos aprender com elas, principalmente escutando-as e observando-as. É a melhor Solução, não tenhas dúvidas disso.

brincar muito
As Crianças Índigo chegam aqui para nos dar um novo entendimento, são verdadeiros presentes para os pais, para o planeta e para o universo.

Descobri bem recentemente que fazemos um acordo com os nossos pais antes de encarnarmos, para que possamos vir então aprender e ensinar a viver a vida de outra forma.

Quando honramos estes pequeninos como presentes, nós vemos a sabedoria divina que eles trazem para ajudar a crescer a vibração do nosso Planeta.

O passo mais importante para entender e se comunicar com essas crianças é mudar a nossa forma de pensar a respeito delas, derrubando os nossos paradigmas para honrar os pequeninos como presentes ao invés de problemas.

Assim abriremos as portas para perceber a grande sabedoria que elas trazem.

Os pequeninos honrarão essa intenção, e um caminho para o entendimento aparecerá.

Até aqui, falamos dessas crianças maravilhosas, as Crianças Índigo, onde faço parte.

Serás tu um Índigo adulto?

Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo
Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde, criança Índigo

A Informação abaixo foi retirada do site Casa Índigo

Se queres saber se és um índigo adulto analisa as afirmações que se seguem:

  • São muito criativos ainda que na escola não tenham tirado as melhores notas.

  • Têm algumas características que fazem parte de crianças índigo.

  • Apresentam alguns problemas de concentração e atenção (Sintomas de Desordem de falta de Atenção. Podem apresentar problemas para se concentrarem nas suas tarefas. Podem saltar de tema nas conversas (palestras, dissertações, etc.)

  • Têm uma verdadeira empatia por algumas pessoas e sentem-se bem com pessoas que tenham a sua vibração, mas têm, também, uma profunda intolerância pela estupidez.

  • São muito intuitivos, muito criativos e desfrutam fazendo coisas, mesmo que espalhem tudo à sua volta como um caos, sentem-se bem assim…mesmo que os outros reclamem da desordem.

  • É difícil para eles fazerem um trabalho repetitivo e obrigatório e sobretudo na escola recusavam-se a fazê-lo.

  • Vivem em constante mudança e têm, ainda hoje, problemas com a autoridade. Rejeitam, muitas vezes, a autoridade do professor ou mesmo dos pais quando procuravam impô-la. Questionaram-na e continuam questionando a autoridade.

  • Aprendem rapidamente e quando acham que já sabem o suficiente aborrecem-se e desinteressam-se pelos assuntos?

  • Se uma coisa ou um tema lhes interessa põem aí toda a sua atenção e não se importam de estar horas a fazer o mesmo.

  • Na escola parecia que tinham “picos” e não paravam quietos, quando a matéria não lhes interessava, não lhe servia para nada ou achavam que já sabiam o suficiente sobre o assunto.

  • Por vezes mostra ser extremamente sensíveis, ou emocionalmente instáveis, chorando ao mínimo motivo (sem protecção). Ou podem mostrar uma certa falta de emoção (protecção completa).

  • Por vezes revoltam-se com certas coisas ou pessoas, parecendo que têm problemas com a Ira.

  • Não compreendem e até se revoltam, ou irritam com os chamados sistemas ineficazes que consideram caducos: sistema político, educativo, médico, jurídico, etc.

  • Sentem uma verdadeira irritação e ira quando privam dos seus direitos e detestam que os observem ou controlem os teus passos, ficam irritados quando alguém está sempre a observá-los e a criticá-los.

  • Procuram o significado da vida e sentem uma vontade grande de mudar ou até melhorar o mundo aderindo, por vezes, à espiritualidade, a alguma religião ou a grupos ou livros de auto-ajuda.

  • Tiveram alguma experiência psíquica, premonições (ver anjos, seres extrafísicos, fantasmas…) experiências fora do corpo, ouvir ruídos ou vozes, etc.

  • É sensível à electricidade e por vezes os relógios não funcionam, as lâmpadas apagam-se quando passa por baixo deles, os aparelhos eléctricos funcionam mal ou queimam-se fusíveis ou rebentam lâmpadas… 

  • Já, alguma vez, tiveram consciência da existência de outras dimensões, de extraterrestres ou da existência de outras realidades paralelas.

  • São muito expressivos sexualmente, mas também podem recusar a sexualidade por aborrecimento ou para conseguirem uma ligação espiritual mais elevada. Podem explorar tipos alternativos de sexualidade.

  • Tiveram poucos ou nenhum exemplo índigo para imitar.

  • Se conseguem encontrar o seu equilíbrio podem transformar-se em indivíduos muito realizados, fortes, sãos e felizes.

[fancy_box id=2]

Sabes que tenho praticamente todas estas carateristicas,  mas consegui  encontrar o meu equilibrio, e sinto me muito GRATA por nunca ter desistido de descobrir quem realmente Sou, para agora poder ajudar outras pessoas como eu, talvez TU?

[/fancy_box]

E TU? Também te identificas te com algumas das tantas caraterísticas dos Adultos Índigo?

Mas existe mais… as Crianças Cristal estão a chegar!

Por volta do ano dois mil essas crianças começaram e encarnar na Terra.

Luana Galão. Criança Cristal
Luana Galão.  Será uma Criança Cristal

Elas representam o próximo passo na evolução humana.

Elas seguem as crianças índigo.

A Sua missão é completar o trabalho começado pelos índigos.

Elas também são detonadores de sistemas, são os guerreiros espirituais que vêm desmantelar e remover maneiras velhas e limitadas de pensar e elas vêm para começar o processo de renovação e reconstrução.

A missão primária de uma Criança Cristal é ensinar as maneiras de vida multi dimensional em harmonia, paz e amor.

Elas estão a chegar para nos ensinar como viver vidas emancipadas com o reconhecimento dos nossos plenos poderes.

Elas estão a chegar para nos ajudar a nos ligar novamente com as Energias Divinas. Elas representam o caminho futuro da raça humana.

E uma das dádivas mais mágicas delas para connosco é que elas são catalisadores para a nossa evolução:

– Várias crianças e adultos Índigo estão a fazer a transição para o estado Cristal com a ajuda da elevação energética que essas crianças fornecem pela mera presença delas na Terra…

Irei fazer outro artigo a falar mais das crianças Cristal, arco-íris, e tantos outros seres de Luz que chegam todos os dias ao nosso Planeta para nos ajudarem na nossa Evolução, mas que muitos pais/educadores/cuidadores continuam a desconhecer a sua existência e outras porque não acreditam mesmo.

Ainda tenho um longo processo pela frente e muito que aprender e ensinar, mas Acredito que estamos na Nova Era, a era em que é NECESSÁRIO que tomemos consciência de quem somos e qual o nosso propósito de vida e com isso Fazer o que sabemos que temos de Fazer.

Conseguindo assim servir o máximo de pessoas possíveis, da melhor forma possível…

Se quiseres saber mais, precisares de ajuda, ou simplesmente quiseres partilhar, podes comentar abaixo, ou entrar em contacto comigo através das redes sociais ou através do skype: sandra.galao

Lembra te sempre que estamos aqui para sermos Livre e Felizes.

Vive uma vida Extraordinária na descoberta do teu EU e do teu propósito de vida

~Sandra

 

O Que Não Entendemos Sobre Nós Próprios Em A Mudança Está DENTRO de SI

O Que Não Entendemos Sobre Nós Próprios Em A Mudança Está DENTRO de SI

Olá, olá aqui estamos nós para a 12ª Conversa do desafio que Começou AQUI.

Como sabes todos os dias escrevo aqui uma nova Conversa do Livro “A Mudança está DENTRO de SI”.

REFLEXÕES PESSOAIS

As questões mais difíceis e significativas voltam sempre para nos inquietar. Por mais que nos dediquemos às coisas exteriores e materiais da vida, no final do dia, quando deitamos a cabeça na almofada e fechamos os olhos, voltamos sempre ao nosso EU Interior.

TERCEIRA QUESTÃO:

 

[fancy_box id=1]

Existirá algo que não conseguimos entender plenamente sobre nós, da nossa vida e do seu propósito, e cujo o entendimento mudaria a nossa Realidade para melhor e para sempre?

[/fancy_box]

Claro que sim.

Não compreendemos quase nada sobre nós próprios.

Nem sequer percebemos como pensamos ou o que nos leva a pensar da forma como o fazemos.

Não compreendemos quem somos nem onde estamos, como aqui chegámos e porque raio aqui estamos.

Não entendemos a nossa relação com Deus, a nossa relação uns com os outros, o nosso propósito de vida e… o mais lamentável de tudo…

Não compreendemos o Amor.

o que é o amor

Não entendemos porque tudo acontece na nossa Vida da forma que acontece e não sabemos como lidar com o que acontece quando realmente acontece.

Estamos completamente à deriva no que toca a explicar grande parte daquilo que sucede à nossa volta – e mesmo que encontremos uma explicação, não sabemos dar-lhe um uso funcional, colocá-la em prática .

A propósito, eu já me incluí neste grupo. Por isso consigo dar a resposta tão prontamente.

Lembro-me bem de quando não entendia e sei que ainda resta muito para entender.

Só aos 50 anos consegui perceber que o propósito fundamental  da minha  vida era recriar-me de novo na mais Grandiosa Visão que alguma vez tive acerca de Quem Sou .

Não sabia que cada AÇÃO é uma AÇÃO de auto-definição.

Quando , num momento de profunda ansiedade, perguntei a Deus porque não estava a minha vida a resultar, Deus Respondeu:

“É simples: – JULGAS Que A Tua Vida Tem Só A Ver Contigo.”

Foi-me dado a ver que a minha visão não tem nada a ver comigo, tem, sim, a ver com todas as pessoas cujas vidas toco –  e com a forma como o faço…

Quem dera que alguém me tivesse dito isto há 30 anos…

Não sabia que era Sagrado. Uma vertente Sagrada do próprio Sagrado, julguei que não era nada, que era mais pequeno do que um grão de areia no céu cósmico.

Foi então que Descobri Quem Verdadeiramente SouQuem Todos Somos – e o Que Estamos Aqui a Fazer, e foi isto que Mudou a minha Vida.

Descobri que nada sabia acerca das Verdades autênticas da vida.

Julguei que se tratava de:

  • Ter aquele carro,
  • Conquistar aquela mulher,
  • Ter determinado emprego,
  • Obter um diploma,
  • Casar,
  • Ter filhos,
  •  Ser aumentado,
  • Comprar um carro melhor,
  • Conseguir um emprego melhor,
  • Mudar para uma casa maior,
  • Ficar com o cabelo grisalho,
  • Ter netos,
  • Passar para o gabinete no último piso,
  • Ganhar o relógio da reforma,
  • Passar à reforma,
  • Comprar bilhetes para os cruzeiros,
  • Comprar o apartamento mais pequeno em troca da casa Grande,
  • Adoecer,
  • Ser alvo de comiseração e ir desta para melhor.

Era isto que eu pensava que a vida era.

Mais tarde, soube que tinha na Terra uma Missão Divina, ao serviço do propósito da Alma e que passara 98% do meu tempo ocupado com 98% de coisas que simplesmente não interessam.

[fancy_box id=5]

Agora já sei.

Como dizia o meu pai:

“A Velhice chega demasiado cedo, a sabedoria demasiado tarde”. 

E como a minha costumava dizer:

“Mais vale tarde do que nunca”.

[/fancy_box]

Será que existem coisas que a maior parte de nós não entende  acerca de nós próprios e acerca de quem Somos, e cujo o entendimento poderia alterar as nossas vidas para sempre e para melhor?

Claro que existem.

[fancy_box id=4]

PONTOS FULCRAIS:

  • Pouco entendemos acerca de nós próprios.
  • Não entendemos a nossa relação com Deus, a nossa relação com os outros, o nosso propósito de vida e, o que é mais triste não entendemos o amor.
  • Quando entendemos tudo isto, o nosso mundo muda, a nossa vida nunca mais volta a ser a mesma.

A FAZER:

Empreenda o trabalho da alma. Comprometa-se neste preciso momento, a dedicar 20 minutos por dia à alma. Prometa a si mesmo que o fará.

[/fancy_box]

E assim termina esta conversa bem intrigante, não achas te?

Olá sou eu a Sandra Galão, menina rebelde
Olá sou eu a Sandra Galão, Sou uma menina rebelde e uma Mãe Empreeendedora Online de Sucesso.

Como sabes acredito na Lei da Atração e este livro não podia ter vindo parar às minhas mãos em outra altura.

Poder constatar que tudo o que sempre acreditei se está agora a concretizar, faz me sentir GRATA por todas as Escolhas que Fiz até hoje e por nunca ter parado de perguntar, mas porquê?

Quando ter permites conhecer, coisas e pessoas maravilhosas aparecem na tua vida para que consigas Realizar a Tua Missão na Terra.

Convido te a comentares aqui abaixo se já estás no teu processo, ou se estes artigos te tem inspirado a começares.

Muito Grata por continuares aí.

Vive uma Vida extraordinária

Sandra

 

 

Porque Milhões De Pessoas Não Alcançam a Tão Almejada Felicidade em A Mudança está DENTRO de SI

Porque Milhões De Pessoas Não Alcançam a Tão Almejada Felicidade em A Mudança está DENTRO de SI

E aqui vamos para a 10º Conversa: Lembro te que este desafio Começou AQUI

PRIMEIRA QUESTÂO:

REFLEXÕES PESSOAIS

Ao apresentar as respostas às Sete Perguntas Básicas também pretendo ajudá-lo a dar as suas respostas.

Lembre-se que estas respostas são somente as minhas respostas. Não tenho qualquer dúvida de que não existem respostas “adequadas” ou “certas” e estas perguntas ou respostas que se adequem a toda a gente.

Posso somente partilhar consigo aquilo que sinto que a minha alma diz.

PRIMEIRA QUESTÃO

[fancy_box id=1]

Como é possível que 6,9 mil milhões de pessoas digam que querem o mesmo (paz, felicidade, abundância, segurança e amor) e não o alcancem?

[/fancy_box]

Algumas pessoas responderam que esta situação existe porque nem todas as pessoas querem o mesmo.

Sugeriram que há quem  queira vingança ou violência e que seja tudo feito “à maneira delas”, a todo o custo.

Pois eu discordo. Acredito que no fundo do coração, todas as pessoas são maravilhosas.

Acredito que, no âmago de cada ser humano, não há quem deseje, em tempo algum, magoar os outros, mas por vezes há quem o faça por pensar que não consegue alcançar paz, felicidade, abundância, segurança e amor.

Querem o mesmo que nós, mas sentem que a vida, ou alguma condição da vida, não permite que o alcancem.

Por isso ficam… como hei-de dizer? …Enraivecidos.

Tal não justifica nem perdoa ações que magoam ou destroem – mas explica-as.

Acredito que bastava uma simples pergunta ou destroem – mas explica-as.

Acredito que bastava uma simples pergunta às pessoas enraivecidas para que acalmassem a raiva, evitando as explosões violentas que muitas vezes daí derivam.

Esta é a pergunta:

” O que lhe causa tanto sofrimento a ponto de julgar que tem de me magoar para sarar esse sofrimento?”

O poder de tal pergunta é impressionante .

Não é verdade que haja pessoas “naturalmente más”. As conversas com Deus deixaram isso bem claro.

Uma das declarações mais emocionantes deste diálogo, foi esta:

“Ninguém age de maneira imprópria face ao modelo que tem do mundo “.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Como  é possível que um mundo inteiro não consiga obter aquilo que insiste, em uníssono, querer?

É simples. O modelo que têm do mundo não permite.

Não me agrada estar sempre a bater na mesma tecla, mas a ideia tem de ficar marcada de forma permanentemente: a população  global continua a adotar uma História Cultural antiga, baseada em equívocos primitivos acerca da vida, de Deus, de quem somos e de como “são” neste mundo.

A maioria das pessoas recusa abdicar desta história, ainda que já se tenha revelado não só ineficaz como também autodestrutiva, já que a Humanidade se debate  há milénios para encontrar uma forma de viver em paz e harmonia.

A população mundial, agarrando-se a esta velha história com unhas e dentes, acredita e aprende que precisa de muito mais na sua vida para ser Feliz.

Mais À  frente nesta conversa justificarei que existe o suficiente de tudo o que precisamos neste Planeta para vivermos verdadeiramente felizes – basta encontrarmos uma forma de o partilhar.

O que nos poderia levar a partilhar não seria um novo sistema social, antes  um novo sistema de crenças.

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • No fundo do coração, todas as pessoas são maravilhosas.
  • Ninguém age de forma imprópria face ao modelo que tem do mundo
  • A Humanidade não consegue criar aquilo que diz desejar desesperadamente – paz, prosperidade, segurança, boa vontade, amor, alegria, realizaçãoo pessoal e harmonia – pois o modelo que tem do mundo impede que isso aconteça
  • A maioria das pessoas recusa a abdicar  deste modelo, mesmo que já se tenha provado ineficaz, além de autodestrutivo.
  • Não é preciso um novo sistema social, antes um novo sistema de crenças; ou seja, uma Nova História Cultural.

A FAZER:

  • Num papel, escreva o nome de 5 pessoas que conheça bem e com as quais “não simpatize muito” por circunstâncias que ocorreram ao longo da vida. Para cada uma dessas pessoas, escreva cinco razões que comprovem a afirmação de que, no fundo do coração, todas as pessoas são maravilhosas”
  • Faça mesmo o exercicio  que acabei de lhe pedir. Sentir-se-á bem, pois repará no que existe de bom nas outras pessoas, permitindo que as veja realmente ao colocar de lado a sua apreciação.
  • Teste a afirmação: “ninguém age de forma imprópria face ao modelo que tem do mundo“. Escreva três atitudes que tenha tomado na vida e que foram julgadas pelos outros como “impróprias”. Deixe um espaço a seguir a cada uma delas para adicionar algo mais tarde.
  • De seguida, pense atentamente no modelo do mundo que tinha na altura de cada “infração” e de que forma, em cada um de casos, permitiu que avançasse e agisse dessa forma. Ponha isso por escrito.
  • Da próxima vez que alguém o prejudicar ou irritar, pergunte a essa pessoa: ” O que lhe causa tanto sofrimento, a ponto de julgar que tem de me magoar para sarar esse sofrimento?”

[/fancy_box]

E assim chegamos ao fim de mais uma conversa, que poderá te ajudar a olhar para as pessoas que te rodeiam com outros olhos e com isso começares a olhar para TI de outra forma também.

Lembro-te que de nada resolve estares a ler estes artigos e não colocares ação, ou seja, fazeres os exercicios aqui propostos.

Todos nascemos para ser Livres e Felizes.

Vive uma vida extraordinária.

Sandra

 

Uma Nova Prioridade Para Si e Toda a HUMANIDADE em A Mudança está DENTRO de SI

Uma Nova Prioridade Para Si e Toda a HUMANIDADE em A Mudança está DENTRO de SI

E assim começa a nona Conversa onde vamos aprender o que precisamos fazer para conseguir alcançar tudo o que desejamos até à data, mas que poucos conseguiram.

Lembra te que este artigo é um desafio que começou AQUI

Vamos lá dizer então alguns “disparates”.

Acabei de apresentar as Sete Perguntas básicas e acredito que, colocadas na altura certa e no sitio certo, darão inicio a conversas que poderão mudar a nossa visão do mundo.

Ora eu sei que há pessoas que não estarão interessadas em avançar para além da segunda questão. Se bem se lembram, a questão era:

[fancy_box id=1]

Existirá algo que não conseguimos

entender plenamente sobre Deus e a vida,

e cuja compreensão permitiria mudar tudo?

[/fancy_box]

Se a maioria dos seres humanos disser “não”, pouco mais haverá para discutirmos.

Se a maior parte das pessoas acredita que atualmente, enquanto espécie, sabemos tudo o que precisamos de saber para criar as vidas que desejamos viver, então a procura de novas ferramentas para o futuro revelar-se-á inútil.

Podemos todos abandonar estas questões, continuar a viver as nossas vidas no momento presente, tentar obter tudo o que queremostrabalhar para dar aos que amamos o que eles querem;

  • esperar o melhor para nós
  • para os nossos filhos
  • e para os filhos dos nossos filhos,
  • e deixar andar

No entanto, tenho uma proposta diferente a fazer.

Quero dizer-lhes que o truque não é tentar constantemente obter tudo o que queremos e dar aos outros o que eles querem.

O Truque é Mudar Aquilo Que Se Quer.

O truque é estabelecer um novo conjunto de prioridades para cada um de nós.

Ora, se isto não basta para iniciar uma conversa animada na sua casa e na sua comunidade, então nada resultará.

Pode começar a conversa dizendo:

“O que achas que aconteceria se todos mudássemos aquilo que queremos?

O que quer dizer com “Mudar o que queremos”?

Quero dizer isso mesmo. Significa mudar aquilo que deseja para si e aquilo que quer dar aos seus entes queridos.

Não devíamos querer Paz, Segurança… O que é que tinha naquela lista?

Paz, segurança, prosperidade, felicidade e Amor.

Pois. Não é isso que devíamos desejar?

Não, porque se é isso que quer, estará sempre a tentar produzi-lo.

É lógico.

Bem, como diria o Dr. Phil, parece-lhe que está a resultar? Se aquilo que quer alcançar for algo diferente, e se produzir isso mesmo, então ao produzi-lo resultará nisto….

Perdão,… mas que raio está para ai a dizer?

Estou a dizer que andamos atrás das coisas erradas. A maior parte de nós esforça-se por produzir o que está errado. E é isto que não entendemos… e seria essa compreensão que permitiria mudar tudo.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Quando decidimos alterar o que queremos, quando decidimos produzir aquilo que será mais benéfico, como resultado final também teremos aquilo que antes tentámos criar.

Estou a dizer que tudo isto que todos nós afirmamos querer são coisas que podemos ter – mas não de forma fácil, não sem nos esforçarmos, não se continuarmos a tentar obtê-las da maneira como temos feito até hoje.

Estou a responder À pergunta:

– Como é possível que toda uma espécie deseje o mesmo e seja incapaz de o alcançar após milhares de anos a tentar?

Digo que é bem possível que não tenhamos conseguido obtê-los passados milhares de anos por termos tentado obtê-lo de uma forma que não resulta.

Então e como resultará?

A minha ideia para que resulte é não desejarmos aquilo que sempre desejámos.

Em vez de procurarmos e tentarmos criar paz, prosperidade, felicidade e tudo o resto, há que procurar e tentar criar algo muito mais abrangente

E isso será o quê?

Um conhecimento e uma vivência do EU verdadeiro, de quem realmente somos. Persiga isso e o resto virá por arrasto.

Já disse aqui umas quantas vezes que os humanos são Divinos. É aí que quer chegar?

Não posso dar-lhe conhecimento pessoal da sua própria e verdadeira identidade.

Sim, dei-lhe a minha resposta, mas a minha resposta não é importante; não é pertinente para si e é assim que deve ser.  Para si, só a sua resposta deverá ser relevante.

O problema é que, no passado, muito de nós – a maioria – adotámos as respostas das outras pessoas como se fossem nossas.

No entanto, cada pessoa deve dar a resposta à questão que se adequa a si ou ao seu EU.

Embora saiba a minha resposta, aqui estou para que as pessoas se mostrem recetivas à questão. Porém quando as pessoas iniciam este questionário, incentivo-as a considerarem todas as Sete Perguntas Básicas e não apenas esta, que as explorem uma após outra pela ordem indicada. Tal como eu fiz.

Muito bem, tenho de lhe perguntar… como nos vai dar as respostas? O que o faz pensar que as suas respostas estão certas?

(Espero que este monoconversólogo se tenha revelado um bom instrumento literário, dando-lhe a oportunidade de perceber como poderá reagir quando outras pessoas se dirigirem a si com o mesmo tipo de perguntas. Por exemplo, as perguntas acima são duas das perguntas que oiço mais frequentemente – e também poderá ouvi-las. Respondo sempre como abaixo)

Pois bem, não estou a dizer que as minhas respostas são “corretas”.

Estou só a perguntar:

– Concordamos todos que as respostas que nos deram no passado não resultam?

– Concordamos todos que pode ser benéfico procurar novas perguntas em conjunto?

Por isso esforcei-me por deixar claro que não existem respostas “certas” a estas questões.

As respostas para si são as respostas que dará. (Já agora, também poderá dar respostas diferentes em diferentes alturas da sua vida!)

No entanto acredito que se for o seu desejo avançar na sua própria Evolução, tem de apresentar algumas respostas. Eu darei algumas das minhas respostas  à medida que vamos conversando.

Parece-me que ignoramos estas perguntas por nossa conta e risco.

sete perguntas a serem respondidas

O mundo tem-nos ignorado e corre perigo. Daí eu achar que esta discussão merece a pena.

Talvez mereça, mas o que o leva a julgar que pode assumir a Liderança? Não estou aqui a ser advogado do diabo, mas pergunto-me: de onde apareceu com tudo isto?

A questão não é tanto de onde vim, mas antes para onde vamos todos.

O nosso Planeta e os seus habitantes encontram-se num processo de evolução e esse processo está a acelerar.

Se não formos cautelosos, vai-nos levar precisamente para onde nos dirigimos desde há séculos.

“Apareci” com tudo isto fruto de um desejo genuíno de ajudar a Humanidade a evoluir, fazendo-nos avançar com a Conversa do Século.

Quero iniciar essa discussão, pois vejo pessoa aturdidas, que vivem como sonâmbulas.

Observo um mundo que não sabe o que fazer a seguir. Vejo toda uma espécie baralhada quanto ao caminho a tomar.

Não, está confusa com muito mais. A nossa espécie está indecisa quanto ao caminho a tomar, mas também não sabe como aqui chegou.

Se não entendermos o passado, não temos grandes hipótese de criar o futuro de uma forma mais vantajosa.

Daqui a pouco convidá-lo-ei a dar uma vista de olhos ao passado partilhando consigo os elementos básicos da Antiga História Cultural. É importante atentarmos nisto.

Uma parte da Humanidade está a despertar e uma parte ainda maior está prestes a fazê-lo, por isso gostaria de ajudar nesse processo.

Julgo que são muitos os que gostariam de o fazer. Muitos estão a sentir este mesmo ímpeto: a vontade de ajudar.

Só que não sabem como proceder.

Não sabem que tipo de ajuda podem oferecer.

Estou somente a criar um veículo através do qual todos possam fazê-lo. Todos nós possamos fazê-lo.

Ofereço o Movimento das Conversas e coloco na mesa um debate como a Conversa do Século.

Apresento a na página TheGlobalConversation.com.

Vejo tudo isto como um começo, uma forma de darmos um pontapé de saída, um modo de fazermos movimentar a energia.

Corre atrás dos teus sonhos
Corre atrás dos teus sonhos

 

Agora permita-me que repita que as ideias de que falo aqui não me pertencem, foram-me oferecidas nas Conversas com Deus. A verdade é que ajudaram enormemente.

Como poderia deixar de as transmitir a outros se afirmo que somos todos companheiros nesta viagem?

Tenho de lhe dizer que muitas outras pessoas ao longo da história da Humanidade alegaram que Deus lhes falou diretamente…

…Ou que, por uma outra razão qualquer, foi-lhes dada a liderança de todos nós.

Estava com esperança de que esta nossa conversa fosse diferente da que se ouve.

Mas é diferente. Acredite em mim, é diferente.

O que a torna diferente  – completamente diferente – é que não alego que as ideias aqui apresentadas são as “melhores” ou as “únicas”capazes de resolver os problemas da Humanidade.

No entanto, temos de começar por algum lado e eu acho qu tem que ser algo novo.

O que vejo é que, ao tentarmos resolver os nossos problemas, partimos sempre do mesmo lugar, começamos as nossas reflexões precisamente no mesmo ponto:

Nas profundezas da Antiga História Cultural. Por isso não estamos a conseguir resolver nada.

E não resolvemos nada porque não estamos a mudar nada.

Como hamsters num roda, corremos sem parar e não chegamos a lado algum.

Não resolvemos nada, porque não estamos a mudar nada
Não resolvemos nada, porque não estamos a mudar nada

Temos de sair da roda.

O propósito do Movimento das Conversas é precisamente mudar esse facto. Não é avançar com as ideias “Para Acabar Com Tudo”, mas sim colocar perante a Humanidade as ideias “Para Tudo Começar”!

Daqui a cem anos, queremos olhar para trás e dizer que foi aqui que tudo começou, foi neste momento que finalmente mudámos a nossa abordagem, foi o tempo em que pessoas de todo o mundo disseram:

“BASTA! O que estamos a fazer não está a resultar! Tem de haver outra forma!”

Agora, o nosso dever, a nossa oportunidade, a nossa entusiasmante tarefa é apresentar ao mundo um conjunto de ideias a partir do qual poderá iniciar-se uma conversa completamente nova.

Vou propor algumas dessas ideias aqui mesmo, nas conversas deste livro.

Seguidamente, os leitores de todo o mundo poderão apresentar os seus pensamentos e as suas ideias. É para isso que o site existe.

Em breve, teremos uma conversa Global a decorrer. Será a….

Eu sei, eu sei. A “Conversa do Século”

Isso mesmo! E oferecerá à Humanidade um novo refrescante inicio, com contribuições de pessoas de todo o mundo.

Este novo começo iniciará uma nova era. Por falar nisso, parece-me um slogan jeitoso.

Um novo começo… para iniciar uma nova era.

Uma ideia em particular poderia fazer isso mesmo.

21 Palavras Que Viram Tudo Do Avesso

Das 3000 páginas dos diálogos das Conversas com Deus, houve uma especifica que me saltou à vista.

Assim que a ouvi, soube que era Revolucionária. Foi aquilo a que chamo Ideia Que Vira Tudo Ao Contrário. 

Se fosse adotada mudaria tudo, mesmo tudo por completo. Isto é que seria começar de novo.

Muito bem mordo o isco, Do que se trata?

Deus convidou – desafiou, para ser mais preciso:

  • Todos os pastores;
  • Padres;
  • Rabinos;
  • Teólogos árabes;
  • Todos os partidos políticos;
  • Chefes de estado
  • Diretores de empresas;

Todos os lideres de todas as áreas da vida a partilharem o Novo Evangelho do púlpito, de todos os pódios dos congressos dos partidos e de todas as secretárias das salas de aula.

Deus também previu que nenhuma dessas pessoas, nenhuma delas, o faria.

  • Nem um papa
  • Nem um presidente
  • Nem um primeiro-ministro,
  • Nem um Teólogo árabe
  • Nem um presidente de um partido político
  • e muito menos um professor….
  • Ninguém o faria pois é suposto, na sociedade atual, ensinarmos às crianças.
  • Não é suposto dizer aos nossos paroquianos.
  • E não é algo que nos passasse sequer pela cabeça colocar nos programas eleitorais dos partidos políticos.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Ora, por amor de Deus, do que se trata então para ser um Impedimento tão grande?

São duas simples frases, somente 21 palavras. Mas se essa mensagem fosse adotada pelo mundo, o mundo sofreria uma Magnifica alteração.

O novo Evangelho proposto nas Conversas com Deus é:

SOMOS TODOS UM SÓ. A NOSSA FORMA DE VIDA NÃO É A MELHOR, A NOSSA FORMA DE VIDA É SIMPLESMENTE DIFERENTE.

Certo. Muito bem.

Pois. Isso é Interessante.

Especialmente a última parte.

É uma ideia interessante.

Mas se as pessoas ou os partidos políticos não acreditam que têm uma forma melhor, para quê darmos-nos ao trabalho de lhes oferecer uma?

Será uma conta justa?

Se as pessoas sentem um convicção profunda, não devem expô-la?

É justíssima, essa pergunta.

Por isso deixe que responda dizendo que o problema de as pessoas falarem sobre essas convicções mais profundas não é o ato de falarem por si só, mas a mensagem implícita que nem sempre se consegue ocultar muito bem essas convicções – a mensagem de que têm toda a razão, que a forma delas é a melhor.

Quando coloquei a mesma questão que acabou de me colocar, sabe a resposta que obtive no diálogo das Conversas com Deus? Foi esta:

[fancy_box id=2][/fancy_box]

“Só porque não podes ter uma religião “melhor” ou um “melhor” partido político, ou um “melhor” sistema económico, quer dizer que não podes ter nenhum?

Tens mesmo de saber que o teu quadro será “o melhor” quadro antes de pegares no pincel e nas tintas?

Não pode simplesmente ser outro quadro? Ou outra expressão de beleza?

Será que uma rosa tem de ser “melhor” que uma íris para justificar a sua existência?

Isto te digo: São todas flores no Jardim dos Deuses. Devemos revolver a terra do jardim só porque uma é mais bonita do que as outras?

Foi isso que fizeste. Depois, lamentaste-te:

‘Para onde é que foram as flores? ‘

flores variadas

Somos todos notas na Sinfonia Celestial. Devemos recusar tocar a música porque uma nota é mais importante que a outra?”

Mas aqui estamos a falar de resolver problemas. Isso é tudo muito poético, mas a verdade é que temos de implementar ideias e não somente falar sobre elas. Obviamente que gostaríamos de implementar a melhor ideia. Se acharmos que a nossa é a melhor, temos de ser capazes de o dizer, não é verdade?

Mas é claro. No entanto, dizer  que “acha que é” é uma coisa, outra muito diferente é insistir nesse ponto. Será que me dá licença que traga aqui um pouco da sabedoria antiga?

O meu pai costumava dizer-me:

“Filho, duas cabeças pensam melhor do que uma”

Se as pessoas exprimissem as suas convicções mas admitissem que são necessariamente donas de todas as respostas ou das melhores soluções, dissessem que veem os mesmos problemas que todos nós, e se deixassem bem claro que estão realmente interessadas em encetar um diálogo para que se perceba se essa combinação de ideias pode vir a produzir respostas espantosas, o resultado seria de grande utilidade.

Contudo, a situação muda de figura  se as pessoas exprimem as suas convicções relevando-se convencidas de que aquilo em que Acreditam acerca de está, sem sombra de dúvida, absolutamente certo.

Além disso, se tratam as opiniões dos outros, não como diferentes, mas como inválidas – ou, pior ainda, perversas – então o caso não muda apenas de figura: estamos perante outro problema.

Criámos um problema ao resolver um problema.

É isso que está a acontecer presentemente. É a polarização de que falámos antes.

É normal no processo de conclusão de uma era, mas isso não significa que avancemos do mesmo modo.

Por isso o Novo e Evangelho mostra uma forma diferente de avançar.

O que aqui está a ser revelado nesta Conversa, é “outra forma” de fazer as coisas, “outra forma” de sermos humanos.

Não se trata de uma “forma única”, nem da “melhor forma”, trata-se apenas de “outra forma”.

Falo aqui de uma análise e não de uma declaração; é um convite e não uma proclamação;

Trata-se de uma reflexão e não de uma comunicação.

A nossa delicada reflexão é a seguinte: – O que temos feito até agora não está a resultar.

Existem mesmo dúvidas de que algum vez tenha resultado.

O que nos leva a perguntar: devemos persistir?

Reuni excelentes sugestões como alterarmos o modo de agir – são ideias que advieram de várias fontes ao longo dos anos – e registei-as na Segunda parte deste livro. Espero que as analisem comigo.

Mas antes julgo que é justo que responda às Sete Perguntas Básicastal como lhe peço a si que o faça.

Não é que as minhas respostas sejam mais importantes do que as de qualquer outra pessoa (e decerto que não são mais “exatas” nem “certas”), mas se lhe peço que entre no jogo tmbém tenho de entrar. Assim, seguem-se as minhas respostas

 

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • A forma de a Humanidade fazer com que a vida resulte é muddar aquio que deseja.
  • Seria extremamente benéfico conhecer e vivenciar o seu eu genuíno.
  • Não resolvemos nada no mundo porque não mudamos nada no mundo, pela forma como pensamos em quem somos e sobre como deveriamos agir.
  • Existe um Novo Evangelho capaz de mudar tudo – basta adotá-lo.

A FAZER:

  • Muda aquilo que deseja da vida. Decida neste preciso momento que não se trata de segurança, estabilidade, felicidade, prosperidade ou amor. Decida, de imediato, que o que quer é conhecer-se e expressar-se como realmente é – recorde e adote o Novo Evangelho. Repita-os muitas vezes a outras pessoas… e convide-as a repeti-lo muitas vezes a ainda mais pessoas.

[/fancy_box]

E assim chegamos ao fim da nossa Conversa, incentivo-te a comentares e a participares nesta conversa.

Lembra te que estamos aqui para sermos Livres e Felizes.

Vemos-nos amanhã para a 10ª Conversa: Primeira Questão: Reflexões pessoais.

Vive uma vida Extraordinária.

Sandra

 

Não Te Parece Que Este Assunto é IMPORTANTE em A Mudança está DENTRO de SI

Não Te Parece Que Este Assunto é IMPORTANTE em A Mudança está DENTRO de SI

Aqui estamos nós para a Oitava Conversa do desafio de 28 dias a blogar em “A Mudança está DENTRO de SI”, que teve Inicio  AQUI.

Nesta Conversa vão existir perguntas e respostas que podem ser consideradas disparates, espero que expandas a mente e venhas descobrir como podes fazer a diferença na vida de outras pessoas começando por TI.

Muito bem, estamos no caminho certo. Não tenho duvidas que estas questões lhe terão despertado a curiosidade.

Despertar o interesse é uma coisa. Mudar o mundo é outra. É disso que se trata. Fiquei consigo até aqui para que me dissesse: – “Agora saia e converse sobre Sete Perguntas básicas” É só isso? Esperava mais.

Não o censuro por pensar assim.

Não parece uma solução muito eficaz para os problemas prementes, pois não? Posso dizer-lhe uma coisa?

São as conversas, pequenas conversas, que dão inicio a grandes Revoluções.

E olhe que estamos a falar aqui da Conversa do Século.

É a conversar que mudamos as mentalidades das pessoas e as ajudamos a tomar decisõesAs conversas em redor destas questões incisivas podem desencadear um movimento global que gere significativos desenvolvimentos sociais capazes de mudar verdadeiramente o mundo.

Faço parte desta nova História Cultural.
Faço parte desta nova História Cultural.

 

 O Impacto Do Diálogo Simples

Deixe-me aqui partilhar algo de Margaret J. Wheatley, autora de turning to One Another: Simple Conversations to Restore Hope to the Future (2002)

Margaret J. Wheatley

Trata-se de uma famosa consultora em comportamento organizacional.

Fez doutoramento na Universidade de Harvard, possui um mestrado em pensamento sistémico pela Universidade de Nova iorque e tem desenvolvido o seu trabalho em todos os continentes, em praticamente todo o tipo de organizações.

Por outras palavras, Meg sabe do que fala. Diz o seguinte:

– “Não há forma mais Poderosa de iniciar Mudanças sociais significativas do que iniciando uma conversa.”

Caramba. Nem que lhe pagasse teria conseguido uma afirmação que se adequasse melhor àquilo que estou a explicar.

Numa artigo de 2002 da Utne Reader, Weathley observou que: “a conversa genuína é uma forma intemporal e fiável para se pensar em conjunto.

Antes da existência de salas de aulas, reuniões ou grupos de apoio, havia pessoas que se juntavam para falar.

“Ainda para mais é algo que todos sabemos Fazer. E é algo que muitas pessoas estarão ansiosas por recuperar.

Estamos sedentos de conversas. As pessoas querem contar as suas histórias e conhecer as dos outros.

Estamos a despertar para uma prática antiga, uma forma de reunião que todos conhecemos profundamente.

[fancy_box id=2]

“A Mudança não acontece porque alguém anuncia o Plano.

A Mudança começa no interior de um sistema, quando algumas pessoas reparam em algo que já não toleram ou quando reagem ao sonho de alguém sobre o que é possível.

[/fancy_box]

Sabes que mais, fizemos isso nos anos 60. Nessa época, falávamos muito a sério. Pensávamos  nos nossos filhos, estávamos preocupados com o Planeta, organizávamos ocupações, Fazíamos marchas de protesto, pensávamos com uma antecedência de Sete Gerações… e falávamos, falávamos, falávamos.

Mas, na verdade parece que temos retrocedido desde então.

Pelo menos nesse tempo podíamos Conversar.

Hoje, parece que há menos tolerância, menos aceitação, menos vontade de ouvir um ponto de vista contrário; mais terríveis divisões, mais discórdias.

A Geração da “Paz e do Amor” bem que tentou e onde é que isso nos levou?

Mais do que nunca, sem dúvida que hoje em dia existe uma polarização da sociedade. Mas é disso mesmo que estou a falar.

O que você fez nos anos 60 trouxe nos aqui.

Excelente, agora a culpa é minha.

Não é isso. Quero dizer que os louros são seus. Seus e de muitos outros da geração de 60 que ajudaram a concretizar o Fim de uma Era.

A polarização é o resultado natural de tudo isso. Trata-se do sinal de que uma era está mesmo a chegar ao fim.

O final, de era pode não ter acontecido com a rapidez que desejava há 40 anos, mas, acredite, esse foi o impulso que lançou a bola de neve pela encosta abaixo.

Agora, já é uma Avalanche.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

As eras sempre chegaram ao fim com divisões mais acentuadas entre pontos de vista, entre as ideias  de ontem e as esperanças de amanhã, pois é no final das eras que aqueles que não conseguem abandonar a Antiga História Cultural se sentem mais ameaçados, e se agarram com todas as forças .

 

Muitos dos que entre nós são um pouco mais velhos falam muitissimo nos anos 60.

Sentávamos-nos e falávamos pelos cotovelos, por vezes até o sol raiar.

E assim começou uma mudança de 50 anos na forma de pensar da Humanidade.

Fazer um barco dar uma volta de 180º é um processo demorado.

A Humanidade não podia tê-lo feito mais depressa visto não possuir as ferramentas de amplificação e a “fixação” que existe hoje em dia.

Não éramos capazes de fazer ouvir as nossas palavras nem de “fixá-las”.

Não existia o facebook , Twitter, Youtube e Myspace.

Não tinhamos emails, nem SMS, nem tão pouco motores de busca.

Todo esse mecanismo das redes sociais foi usado em 2011 para amplificar e “fixar” conversas individuais, tendo resultado, como já referi, na mudança absoluta dos Governos de alguns países.

Essas poderosas e amplas ativações e mobilizações teriam sido completamente impossíveis nos anos…

As nossas pequenas conversas podem crescer; as conversas comunitárias podem globalizar se.

Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO
Os nossos filhos não entendem a Importância que damos ao DINHEIRO

Além disso, temos ainda mais pessoas a quererem juntar-se.

Temos a juventude. Temos as pessoas nas casas dos 20, 30, e 40 anos. Ora, imagine-nos a todos a alinharmos nessa ação.

Imagine ainda que cada pessoa envolvida em grupos de discussão vai para casa, senta-se ao computador e partilha com a comunidade das redes sociais tudo o que acabou de ouvir e explorar.

De repente, uma conversa entre quantro ou seis pessoas pode tornar-se numa conversa entre quatrocentas ou seiscentas pessoas.

O que fizemos nos anos 60 foi um Bom Começo.

Foi o “começo do começo”.

No entanto, o que se está a passar agora é o Começo com Maiúsculas.

O objetivo do Movimento das Conversas passa por envolver 250 milhões de pessoas na Conversa do Século., num período de 3 a 4 anos.

Hoje em dia o Poder da Comunicação de massas foi aproveitado pelas próprias massas.

E é aí onde reside a diferença. Além disso também não tinhamos as Sete Perguntas Básicas.

Mas acha mesmo que um simples convite para conversar, mesmo nos dias de hoje e numa época de ligações electrónicas, podrá atrair 250 milhões de pessoas para um diálogo?

Se o facebook consegue atrair 500 milhões para falarem daquilo que tomaram ao pequeno almoço, metade desse número poderá certamente ser Motivada a falar de assuntos que realmente importam.

Tudo o que bastará para re-escrever a nossa História Cultural será alcançar a massa critica , nas energias em redor da ideia.

Temos de alcançar um determinado nível no número que esteja minimamente interessada na suas vidas e no Futuro da Humanidade para dispensarem tempo a Explorar aquilo em que todos acreditamos, para depois  proporem aquilo em que poderemos acreditar que possa produzir resultados diferentes.

Impressionam me as palavras de Robert Kennedy:

“Se os tempos que atravessamos são dificeis e desconcertantes, também é verdade que nos apresentam desafios e são criadores de oportunidades”.

Não basta entender ou ver com clareza.

[fancy_box id=1]

“Há aqueles que olham para as coisas tal como são e perguntam: PorquÊ? 

Eu sonho com coisas que nunca existiram e pergunto: Porque não?

[/fancy_box]

 

O Problema não é que as pessoas não tenham vivido aquilo em que acreditam. O problema é que têm mesmo vivido assim.

Essa é uma afirmação muito forte.

As pessoas tem crenças muito arreigadas.

As principais são as crenças de que existimos separados de Deus, de que existimos separados uns dos outros, de que nascemos separados uns dos outros, de que não “temos o suficiente” para sermos felizes, de que precisamos de competir uns com os outros para termos o suficiente, de que é necessário um grande crescimento da economia para produzirmos o suficiente e de que temos de fazer algo para “ganharmos” o direito de ocupar espaço no Planeta, de dizer o que pensamos, de ter o nosso quinhão, de dar a nossa oferenda – e, acima de tudo, de estar junto de Deus no Paraíso.

qual é o teu motivo

 

Tudo deriva daqueles dois primeiros pensamentos: que Deus existe separado de nós e que existimos separados uns dos outros…

(Tive esta conversa real num programa de rádio recentemente. Respondi como está abaixo).

Parece que eu e vocÊ temos uma visão diferente de quem e do que é Deus.

 

Certamente que sim.

Julga que Deus existe fora de si e eu digo que você é Deus – Deus e todos nós – Somos Um só.

Digo também que a ideia de que Deus existe à parte de nós está no topo da lista de crenças que Provocam a Infelicidade da Humanidade.

Como assim? Como é que a Crença de que Deus é Grandioso, é bondoso, pode causar Infelicidade à Humanidade?

Peço perdão.  Não queria dar a entender que Deus não é Grandioso nem bondoso.

Disse, simplesmente, que Deus não está separado de nós ou que não é “outro” diferente de nós.

 

Está a dizer-me que isto é o mais “grandioso” e o “melhor” que se pode esperar de Deus, é isso? 

Deus não é alguém ” diferente” de nós, por isso NÓS somos “Deus” que devemos adorar?

Essa é forte.

É algo que não posso aceitar.

Acreditamos que os seres humanos poderiam sentir que são tão grandiosos e bondosos quanto Deus se ao menos parassem de dizer a si próprios que não é possível…

Não podemos ser tão grandiosos e bondosos quanto Deus. Não podemos e pronto. Isso é ser arrogante.

Sei que acredita nisso e respeito a opinião, mas pergunto me se não se tratará de uma questão de escala.

Não sei se estou a perceber. Agora perdi-me.

 

Bem, eu percebo que não podemos ser tão grandiosos quanto Deus, isso seria Impossível. Uma gota de água do oceano não é um Oceano.

Isso mesmo.

Mas é igual ao oceano, só que uma parte mais pequena.

Assim a gota e o oceano são a mesma coisa . E proporcionalmente ao seu tamanho, a gota pode ser tão grandiosa quanto o Oceano.

Mas permita que lhe faça uma pergunta.

Como julga que seria o mundo se “adorássemos” realmente outras pessoas como se fossem Deus? Acha que as guerras aumentariam ou diminuiriam?

Acha que teríamos mais discussões, mais luta, mais terror, mais violência, ou teríamos menos?

Não é isso que está em causa.

Ai, não é? Então o que é?

O que está em causa é que a forma de diminuir a violência e as guerras, e de conseguirmos um mundo melhor é escutar o que Deus diz e não tentarmos ser Deus. O problema da Humanidade é que é muito egocêntrica e não ao contrário!

Quer que andemos por ai a pensar que somos Deus?

Haja paciência.

Deixe-me tentar uma abordagem diferente. Sinto vontade de salientar que muitos seres humanos não são felizes. Na verdade, a maior parte não é feliz. Nisso estamos de acordo, certo?

Certo, nisso estamos de acordo. O mundo é uma confusão.

Assim sendo, vivemos numa sociedade cujos membros explodem de frustração e raiva para se defenderem, pois ficam desnorteados. Sentem que vivem num mundo que não para de atacar – ou,  pelo menos, de impedi-los.

Impede os de terem o que querem.

A maior parte das pessoas não vê a Humanidade como contribuinte para a criação desse mundo.

Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te
Recebe aqui o EBOOK GRÁTIS que te pode ajudar a Teres a vida que sonhas te

 

O que podemos fazer nas conversas globais que aqui sugiro é falarmos continuamente de quem somos e da nossa capacidade de Recriar o mundo, bastando para tal aceitarmos a mais plena verdade sobre quem somos.

Se está para ai a referir-se que devíamos andar por ai a proclamar que somos   ” Deus”, desculpe, mas não serei capaz. Consigo apoiar a tentativa de fazer do mundo um lugar melhor, mas não posso apoiar que andemos por aí a deizer disparates.

Agradeço a honestidade. Mas como George Bernard Shaw indicou:

“Todas as Grandes Verdades começam como Blasfémias”.

Bem sei que o que aqui está a ser dito (que somos todos Divinos) vai contra a noção da atual História Cultural, do nosso entendimento atual . Viola os nossos valores. Abana nos.

Chega até a causar irritação. No que me diz respeito, analiso sempre com atenção as ideias que me enfurecem.

A raiva é o primeiro sinal de que talvez estejas a deparar me com algo que não quero encarar; de que sou capaz de estar a enfrentar algo que desafia alguam das minhas ideias fundamentais.

Não acontece sempre, mas descobri que se verifica muitas vezes quando alguém diz algo ou propõe algo que me enfurece.

Por isso não viro costas a uma ideia que me deixa zangado.

Enfrento-a de peito aberto. Exploro-a

Talvez aja algo ali para mim. Talvez encontre algo que precise analisar com mais atenção.

Caso contrário, Que mal faz?

Se nada mais fiz para reafirmar a minha crença prévia e acreditarainda com mais fervor, não será isso positivo?

É por isso que aqui proponho que não tenhamos receio de dizer alguns “disparates”  de vez em quando, pois integrando as nossas conversas em torno desses pensamentos podemos chegar a algo que faça “sentido”, ou então… podemos descobrir que o “disparate” não era disparate nenhum…

Por exemplo, gostaria de lembrar que parte do problema da humanidade nos dias que correm é o conjunto errado de prioridades que assumiu.

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • Pequenas conversas dão inicio a grandes revoluções
  • A mudança começa quando algumas pessoas tomam consciência de algo que já não conseguem tolerar ou quando reagem ao sonho de alguém de que é possivel.
  • As opiniões vincadamente divergentes, tal como as que se veem maioritariamente no mundo de hoje, são sinais claros de que uma era está prestes a acabar.
  • A raiva é um bom indicador de que pode haver algo que tem de analisar com mais atenção.

A FAZER:

  • Faça uma lista das ultimas 5 opiniões, comentários ou ideias das quais se lembra de ter discordado veemente, Volte a analisá-los e veja se encontra algo importante que a Vida lhe esteja a tentar dizer.
  • Recorra ao facebook, Twitter, Youtube, Myspace e outras redes sociais para espalhar a palavra acerca da Conversa Global e do respetivo site em:

www.theglobalconversation.com

[/fancy_box]

E assim chega ao fim mais uma conversa desafiadora, que espero que te esteja a ser útil.

Lembrando te sempre que estamos aqui para Viver a vida na sua plenitude e ser Feliz.

Vemos-nos amanhã, desejando te um dia Iluminado…

Sandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Questões que é PRECISO Responder em a Mudança está DENTRO de SI

Questões que é PRECISO Responder em a Mudança está DENTRO de SI

7ª CONVERSA

QUESTÕES QUE É PRECISO RESPONDER?

Olá, olá, aqui estamos nós para a sétima conversa onde vai começar o verdadeiro desafio…

Escuta com ATENÇÃO, mas se ainda não viste o video no meu canal vê o video que eu fiz esta manhã antes de colocar o artigo no ar:

Muito bem. Os desafios começam agora.

Deixo aqui uma série de questões cujas respostas requerem CORAGEM.

Eu tenho Coragem, pois as únicas respostas que as pessoas podem oferecer são inquietantes – não importa quais sejam.

São as próprias perguntas que têm um teor inquietante.

(A menos que não seja assim, São inquietantes para aqueles que não querem mudanças, que não querem desafiar o presente.

No entanto, não inquietam aqueles que já estão preparados para dizer

“BASTA. Estamos fartos do estado atual do mundo.

Tem de haver outra forma.”)

Muito bem… Parto do princípio de que “alinha”, pois continua por aqui.

Boa.

A sério. Boa opção

A Maior Revolução

Estamos aqui a abordar perguntas e respostas que podem desencadear a maior revolução que este Planeta alguma vez já presenciou.

Ao pesquisar “revoluções” na wikipédia, surge um catálogo virtualmente interminaável de sublevações que começa com a revolta popular na cidade suméria de Lagash,cujo resultado foi a destronação do Rei Lugalanda, levando o reformador Urukagina ao trono em 2820 AC, e termina com as revoluções que depuseram Governos no mundo árabe em 2011.

Deixe que enumere parte da lista, de modo  a ficar com uma visão abrangente de como as pessoas deste mundo têm reagido à forma como são orientadas..

Ao longo da nossa História, temos assistido a centenas de revoltas e revoluções, incluindo a Queda do Império Romano, a Primeira Guerra da Independência Escocesa, a Revolução Americana, a Revolução Francesa, a revolução na Índia, a Revolta dos Boers, as revoluções por toda a América do Sul, as Revoluções Europeias de 1848; as revoluções recentes na Hungria, Jugoslávia, Haiti, a dissolução da União Soviética em 1991…

…Acreditem em mim. Esta é apenas uma pequena amostra de uma lista interminável.

Desde o inicio dos tempos que nos “revoltamos” agregando-nos em clãs e tribos e posteriormente, em nações.

Já pensou no significado disto?

Na sua opinião, qual é a causa? 

Porque será que não tem fim? 

Já agora, o que acha que poderia levar ao fim dessas revoluções?

Posso dizer lhe o que se trata.

Também posso dizer-lhe como pôr fim: por meio de uma Revolução Final.

Na verdade, este livro pretende mesmo chegar a essa resposta. O que tem causado todas essas revoluções ao longo dos séculos é o exposto abaixo.

terminar com o caos
Terminar com o Caos

 

Os seres humanos há muito que sabem claramente que a forma como a vida é “ditada” neste Planeta não é a forma como devia ser vivida.

Por isso desde sempre – há séculos e milénios -, as pessoas de todos os pontos do mundo têm-se mexido. 

Sempre quiseram uma nova forma de vida – Uma nova forma de se ser humano:

A forma que sabem que lhes foi atribuída.

As agitações prosseguiram até ao presente.

Até no momento que estou a escreve, pessoas de muitas partes da Terra, continuam a dizer NÃO!

Ao estado das coisas e a exigirem MUDANÇAS.

Estão dispostos a morrer por elas. TÊm morrido por elas. estão a morrer agora mesmo, enquanto lÊ estas palavras.

Mas estamos preparados, e como comunidade global, para que essas mortes cessem.

BASTA. Estamos Fartos.

Tem de haver uma forma melhor. Perguntamos nos porque razão aqueles que nos governam não entendem.

A verdade é que não entendem, dai a estarmos a assistir aquilo que aqui tem denominado de Reformulação da Humanidade.

Esta é uma Revolução que não pede as pessoas que morram pela causa, existe simplesmente que se questionem a si próprias e aos outros e, por este processo, mudem tudo para que, o fim, cessem as revoluções violentas.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Assim sendo, vamos atentar nas Sete Questões “Perigosas”.

Gosto de as agrupar em dois blocos.

Para mim, é mais fácil entendê-las desse modo. Por isso, dividi as naquilo que denomino de As Três Questões Persistentes e as Quatro Questões Fundamentais da Vida.

Não são rasteiras, pensadas para enganar ou levar alguém a fazer alguma coisa.

São perguntas genuínas colocadas (e terá de o fazer) com sinceridade, com o coração puro, não por uma questão de rectidão nem por se procurarem discussões.

São aqui descritas com delicadeza, pois reconheço que a maioria das pessoas, por todos os motivos que descrevi anteriormente, não se sente à vontade para discutir estes temas.

A estrutura de poder no nosso Planeta estava bem satisfeita com esta falta de à-vontade, pois uma exploração verdadeira e exaustiva das questões poderia levar a uma análise verdadeira e exaustiva do que estamos a fazer presentemente aqui – e que poderia resultar numa mudança verdadeira e exaustiva da forma como agimos… e da forma como fazemos as nossas escolhas.

No que respeita a estrutura de poder, se isso acontecesse seria o fim.

A vida como a temos vivido até aqui passaria à História.

As Sete Perguntas Básicas

As perguntas que se seguem, feitas no intimo da nossa alma e alargadas aos outros, poderão Mudar o mundo.

As três Questões Persistentes :

  1. Como é possivel que 6,9 mil milões de pessoas digam que queiram o mesmo ( Paz, Segurança Prosperidade, Felicidade e Amor) e não o consigam alcançar?
  2. Existirá algo que não conseguimos entender plenamente sobre Deus e a Vida e cuja a compreensão permitiria mudar tudo?
  3. Existirá algo que não conseguimos entender plenamente acerca de nós próprios, da nossa vida e do  seu propósito, e cujo o entendimento mudaria a nossa realidade para melhor e para sempre?

São questões Poderosas que merecem resposta.

Ao menos merecem que se façam essas perguntas. Mas haverá muita gente a fazê-las?

Os políticos colocam essas questões?

Não.

Presidentes e primeiros ministros reis e cabeças de estado?

Não.

Figuras religiosas?

Não.

Educadores?

Poucos.

Generais e almirantes?

Não.

Diretores de empresas e das industrias?

Não.

Pessoas que partilham uma casa?

Bem, sim, é provável. A partir de agora. Talvez. a partir de agora.

Pessoas comuns, como você e eu passaram a colocar estas questões por todo o mundo.

Quando acabarmos de fazer as primeiras três perguntas, poderemos então passar ás…

As Quatro Questões da Vida

  1. Quem sou?
  2. Onde estou?
  3. Porque estou onde estou?
  4. O que tenciono fazer quanto a isso?

Quando acredito que se possa ignorar estas questões e evoluir depressa.

Nenhum de nós conseguirá.

Temos de acabar com alguma confusão pessoal em redor destas perguntas, (há muitas outras questões na vida, mas estas são fundamentais), caso contrário passaremos os nossos dias e noites sem fazer ideia daquilo que fazemos, e pelo motivo pelo qual o fazemos.

É esta a situação atual das pessoas no Mundo.

E é esse o Motivo pelo qual o Mundo está como está.

Não consegui avançar na vida até responder às 4 questões fundamentais da vida (já agora, todos os dias respondo a essas perguntas. Por vezes, durante o dia, no decorrer dos acontecimentos. Estas questões não são unicamente informativas, são também transformadoras).

sete perguntas a serem respondidas

 

 

A primeira é a Chave. Destranca tudo. Convida nos a analisar com profundidade o maior dos mistérios:

O mistério da nossa Identidade. Não me refiro, obviamente ao nosso nome próprio.

Refiro me me a nossa identidade no cosmos.

Não há “resposta” certa a esta pergunta.

Há, tão só a sua resposta.

A segunda questão parece simples, mas a resposta pode não ser.

Onde Estou?

Onde se considera como ser vivo?

Ou seja, que lugar é este onde vivenciamos a nossa existência?

Como é que o realiza?

De que forma é que o integra na sua Realidade?

Não estou a falar da descrição fisica desse lugar (“vivo no Planeta Terra. É o terceiro planeta a contar do Sol…, ” etc.), mas do seu entendimento conceptual desse espaço.

É o lugar onde aprende, uma escola?

Considera o como o lugar onde é testado, uma sala de exames?

Será um lugar onde se prestam provas, onde se compete, como uma gigantesca pista de corridas ou um campo de jogos, onde uns ganham e outros perdem?

Não possui qualquer ponto de referência conceptual para este lugar, acabando por considerá-la apenas uma localização física, num sistema mais abrangente do Planetas, a rodopiarem em volta de uma estrela?

Que lugar é este onde nos encontramos?

A mente implora pela resposta… 

Onde Estou?

Uma vez mais, não há resposta certa a esta pergunta.

No entanto, até lhe dar uma espécie de resposta, não possuía qualquer estrutura conceptual na qual sustentará a minha experiência de vida.

Na sequência de tal estrutura, essas experiências pareciam-me desprovidas de sentido, pouco diferentes de uma formiga ou de uma mosca.

Senti que era somente uma forma de vida mais aprimorada.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Tinha uma esperança de vida e, salvo circunstâncias imprevistas, sabia que estaria cá por X  anos, mas que Lugar é este?

Segue-se a questão seguinte, ameaçadora:

Porquê?

Porque estou onde estou?

Porque não estou em outro lugar?

Haverá “outro Lugar”?

Qual é o objectivo de existir neste campo e neste lugar?

Haverá algum objetivo?

Quem determina esse objetivo?

Não sei como poderá uma pessoa avançar na sua evolução sem pensar nestas questões, dando-lhes algum tipo de resposta.

Muitas pessoas respondem com um curto e seco “sei lá” e ficam se por ai.

Eu não poderia fazer isso.

Também não encorajo nenhum verdadeiro estudante da vida a fazê-lo.

Se realmente não tiver resposta, incito-o a criar uma.

Ou seja, a decidir a resposta pela simples intenção.

Deste modo, viverá a sua vida de acordo com a intenção e não por predefinição

Uma vida por predefinição é uma vida que se vive de acordo com as respostas Predefinidas pela maioria das pessoas do mundo.

Espero que nenhum de vocês volte alguma vez a escolher viver a vida dessa forma.

A maioria de nós viveu dessa forma, pelo menos partes da vida, mas nunca mais precisaremos de o fazer se assim não o quisermos.

A ULTIMA QUESTÃO

Chegamos assim, à pergunta final.

Não só a pergunta final neste conjunto de Sete, mas aquela que poderia ser, metaforicamente:

A importante Questão Final da Vida.

Tenho respondido a todas as outras perguntas, é convidado a decidir:

O que tenciona Fazer?

Esta é sempre a derradeira questão da vida.

Em todas as situações, em todas as circunstâncias, em todos os momentos que a nossa experiência nos apresenta, a questão omnipresente e eterna é: O que tenciono Fazer?

A vida avança a prtir das suas intenções.É este o combustivel que move o motor da criação.

É crucial perceber que a vida não passa de energia.

Energia Organizada. Ora quem se encarrega dessa organização?

Nós, por mais surpreendente que isso seja.

A vida é energia pura que realiza um ciclo de retorno a si própria.

trabalho profundo na análise da alma
trabalho profundo na análise da alma

Ou seja, a vida é um processo que se alimenta a si próprio, é autossustentável, tem determinação própria e autocriação.

A vida só depende de si, só conta consigo e olha para si própria de modo a saber qual será a próxima expressão a adotar.

 

Trata se de uma verdade Universal, global e nacional, verifica-se a nível local e individual. É uma simples questão de proporção.

Assim, podemos ver o Universo a Tomar decisões sobre si Próprio deste modo, o nosso país a tomar decisões sobre si mesmo deste modo, a nossa cidade ou comunidade a tomar decisões sobre si própia deste modo e a nossa pessoa a tomar decisões sobre si própia.

A vida informa a Vida acerca da Vida por meio do próprio decurso da vida.

As infomações da Vida criam vida em formção.

Está constantemente  a formar se e a Re-formar-se, a moldar-se e a Re-moldar-se, a criar-se e a recriar-se  .

Na Verdade afunção da vida é recriá-lo de novo em cada momento áureo do presente, tornando-o na melhor versão da melhor visão que alguma vez teve de Quem é.

É tudo, em poucas palavras.

è isto que se passa aqui.

Toda a Humanidade está envolvida no processo.

Estamos a fazê-lo:

  • a nível político;
  • a nível económico;
  • a nível cultural;
  • a nível racial;
  • a nível Social;
  • a nível sexual;
  • a nível espiritual.

É tudo o que estamos a fazer e nada mais.

Isto é o que DEUS está a fazer.

DEUS está a recriar-se no único e singular momento que se chama Agora – e a vida é Deus, a fazer tudo isto.

A vida é Deus, a expressar-se numa multiplicidade infindável de formas. Você é uma das formas de Deus.

Todos nós somos informações de Deus. Portanto, somos Deuses… em formação.

[fancy_box ]

PONTOS FULCRAIS:

  • As Sete Perguntas Básicas são inquietantes . Esse é o seu Poder
  • As revoluções são uma forma de vida neste Planeta.
  • Tudo o que precisamos é de uma Revolução Final para acabar com tais convulsões sociais para sempre

A FAZER:

  • Leia as Sete Perguntas Básicas vezes sem conta até consguir recitá-las de cor.
  • Faça a si prórpio estas perguntas e vá até ao fundo da sua alma em busca das respostas .
  • Escreva as respostas num bloco de notas para que fiquem bem definidas e para que possa consultá-las ao longo do tempo – por exemplo, daqui a um ano – para conferir o que Mudou, ou se mudou alguma coisa, na sua perceção.
  • Esteja preparado para dar as respostas a que chegou ao analisar estas questões com outros.

[/fancy_box]

E assim chegamos ao fim de mais uma conversa bem desafiante;

Espero que respondas as perguntas e descubras como podes fazer a Diferença na Vida de outras pessoas começando pela Tua.

E vemos nos amanhã com a 8ª Conversa: Não lhe parece que este assunto é Importante?

A partir da Conversa de amanhã vou começar a colocar palavras mais simples nestes textos, pois Deus além de nos tratar por você ainda utiliza palavras que nem todas as pessoas entendem…

Lembro te sempre que Todos podemos ser Livres de tudo incluindo de dinheiro

Conquista a TUA Liberdade… Valoriza te Mais e vais ver coisas maravilhosas a acontecer na tua Vida.

Somos Capazes de muito mais do que ACREDITAMOS ser

Sandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É da Sua EVOLUÇÃO Que se Trata em A MUDANÇA está DENTRO de SI

É da Sua EVOLUÇÃO Que se Trata em A MUDANÇA está DENTRO de SI

Olá, olá aqui estamos nós para a nossa 6ª Conversa  do desafio 28 dias a blogar.

Ora vamos lá então a esta conversa que só te vai fazer sentido se acreditares na Evolução da alma.

Estas são as boas noticias:

Para influenciar o rumo da História da Humanidade não precisa de ser um orador ou um escritor de Sucesso, um apresentador de televisão, um dinamizador, um formador ou quem quer que julgue que tem de ser para marcar a diferença.

Não precisa de ser uma figura pública nem alcançar a superioridade espiritual, nem sequer de dedicar horas a fio e aplicar dinheiro a rodos.

Caso se decida aceitar o apelo, estará a trabalhar não só em prol da Humanidade em geral como também para seu próprio benefício.

Estas são as grandes noticias:

A sua participação na Evolução da espécie está relacionada com o trabalho que fizer com a sua alma.

evoluçao da alma

Falava a sério quando dizia que a Humanidade poderia ser uma conversa do paraíso que começa por um diálogo consigo próprio, questionando a crença anterior – todas as crenças que possa ter de si próprio e da própria vida.

Poderá, depois iniciar uma conversa semelhante com os outros. É este o Movimento das Conversas.

Adoro esta ideia de trabalhar com a minha alma para evoluir a nível pessoal…. mas como se consegue alcançar esse patamar a falar dessas matérias com os outros?

O trabalho da sua alma não se limita a si.

A alma também tem a tarefa de cuidar da alma dos outros.

De cuidar de todas as almas.

A sua alma compreende que, na verdade, existe Somente Uma Alma, individualizada sob inúmeras formas. Assim sendo, cuidar de todas as almas é cuidar de NÓS próprios; trabalhar em conjunto com  todas as almas é trabalhar com a nossa própria alma.

É por isso que o instinto de nos ajudarmos uns aos outros está inculcado nos genes; encontra-se no código da espécie.

Preocupamo-nos uns com os outros e fazemos o possível para o demonstrar. Temos um “contrato da alma”para que seja assim.

Estou absolutamente convencido de que todos e cada um de nós sente esse instinto.

[fancy_box id=1]

A sua participação na evolução da espécie está relacionada com o trabalho que fizer com a sua alma.

[/fancy_box]

Há uma forma muito fácil de demonstrar que nos preocupamos uns com os outros: iniciar com outras pessoas a mesma conversa animada e crucial que temos individualmente.

Por outras palavras, realizar a análise à alma pode tornar-se numa experiência solitária e não tem de ser assim.

Quando se inicia a análise, a pessoa pode mudar.

Quando um grupo analisa em conjunto a alma, esse grupo pode mudar. Quando toda  uma sociedade inicia conjuntamente a análise à alma, toda essa essa sociedade pode mudar.

Pouco depois, muda a cultura coletiva de muitas sociedades. Posteriormente, Todo o Mundo.

Tudo começa quando você se questiona intimamente, levando depois essas questões a outros.

A Escolha é SUA

É a isto que me refiro quando falo do “trabalho que faz com a sua alma”.

Essa é uma forma de trabalho da alma. Como é óbvio, não é única, embora possa ser poderosa, tão poderosa que tem a capacidade de transformar uma pessoa, uma sociedade, uma cultura e todo um mundo.

 Não lhe é “exigido” que faça todo este esforço, claro está.

Também não lhe é exigido que o faça de uma forma específica. Poderá concretizar esta tarefa com a sua alma individual ou poderá concretizá-la com a sua alma individual e com as almas coletivas de outros. A Escolha é SUA.

Como trabalha com a sua alma? Como consigo ligar me à alma para realizar a tal “análise”?

trabalho profundo na análise da alma
trabalho profundo na análise da alma

São perguntas pertinentes. Ninguém nos ensina na escolaPouco se escreve acerca do assunto. As igrejas abordam o tema muito superficialmente.

Aqui, iremos aprofundá-lo. Nesta conversa, partilharei consigo tudo  o que sei sobre a ligação com a alma, diariamente, de uma forma maravilhosa que o conduzirá à experiência da alma e lhe permitirá aceder à sua sabedoria

Por isso fique por aqui, Trata-se de um processo em três fases que já mudou a vida de muita gente.

Posso fazer-lhe uma pergunta que pode parecer arrogante?

Claro. Pergunte o que quiser.

Para si, quais são as bases de tudo? Está sempre referir as Sete Perguntas Básicas.

  • Quem as inventou?
  • De onde vieram?
  • O que as torna tão importantes?

Já agora, onde foi buscar os conceitos de “reformulação” e de “nova história cultural”?

A Base de Tudo neste Livro

Não é uma pergunta arrogante. É mais do que natural que queira saber. Por isso, agradeço a Oportunidade para explicar.

Há mais de 15 anos, passei, por uma experiência inspirada pelo Divino. Escrevi um livro sobre essa experiência a que dei o título: Conversas com Deus.

Esse livro criou um fenómeno no mundo editorial, a nível global, com vendas superiores a um milhão de exemplares, foi traduzido em 35 línguas e permaneceu na lista de mais vendidos do New York Times durante 137 semanas.

Desde então, foram editadas mais oito livros deste diálogo contínuo, seis dos quais também estiveram na lista de mais vendidos do Times.

Não pretendo com isto gabar-me, mas contextualizar o que tenho estado aqui a dizer – e tudo o que direi a seguir.

Deus trouxe uma mensagem de mudança ao nosso mundo e, tendo em conta o Sucesso dos livros da série Conversas com Deus, milhões de pessoas foram afetadas por essa mensagem. Há uma razão para isso. Não acontece por acaso.

A reformulação da Humanidade (recorde a definição de reformulação: a formular, reestruturar) está a decorrer e eu acredito que o projeto das Conversas de Deus também faz parte.

Quer isso dizer que sou, de certa forma um messias?

Não.

Significa que todos somos messias, já que a mensagem mais importante, mais expressiva e mais repetida  das Conversas com Deus é que todos nós estamos continuamente a Conversa com Deus, só que o nomeamos de outra forma.

Chamamos-lhe momentos de “inspiração.

  • Ou “intuição feminina”.
  • Ou “pressentimentos”.
  • Ou ideia Brilhante.
  • Ou profunda compreensão.
  • Ou Revelação.

Apelidamos certos encontros como “feliz acaso”, “coincidência” ou “Sorte”.

Negamos e voltamos a negar que podem mesmo interagir com o Divino, pois a nossa cultura ensina nos considerar indignos de tais experiências.

Na verdade, anunciar um contato direto com Deus é tido por muitos como uma autênctica heresia.

No entanto, ao longo da História da Humanidade, homens e mulheres viveram momentos de profunda ligação ao coração, alma e essência da vida, seja lá qual for o nome que lhe dermos.

Ao longo dos tempos, pessoas comuns sentiram despertares extraordinários que levaram ao conhecimento e a previsões.

Chegou o momento de exigirmos tudo isso, de darmos inicio a uma nova Conversa no nosso íntimo. E de alargarmos aos outros.

Chegou o Momento de Iniciar as Conversas Com a Humanidade

Hoje em dia por todo o lado as pessoas procuram sabedoria, clareza, soluções, na tentativa de descobrir o que correu mal connosco para agirmos desta maneira.

Andamos a matar-nos e a estropiar-nos uns aos outros, ignorando as carências desesperadas dos nossos companheiros humanos e o instinto básico de cuidarmos uns dos outros; arruinamos o Planeta apesar de afirmarmos que o amamos, constante e infinitamente a tentar alcançar Mais e Melhorenquanto centenas de milhares se revoltam por não terem o que os outros têm.

As conversas que proponho podem fornecer uma avenida para a sabedoria, uma estrada para a lucidez, um caminho para as soluções que tantos procuram.

Têm de ser verdadeiros diálogos e não simplesmente os ditames daqueles que julgam ter algo importante a dizer.

Devem ser introduções ao entendimento mútuo, e depois, à criação mútua.

[fancy_box id=6]

PONTOS FULCRAIS:

  • A sua participação na evolução da espécie está relacionada com o trabalho que fizer com a sua alma.
  • Esse trabalho tem por base uma busca profunda ou, como chamamos uma “análise à alma”
  • O trabalho da alma não está limitado ao próprio, podendo implicar a elevação de todas as outras almas ao estado de paz e lucidez.
  • Não é obrigado a realizar qualquer destas tarefas.

 

A FAZER:

  • Envolva-se no processo de análise profunda da sua alma recorrendo às Sete Perguntas Básicas, descritas na conversa seguinte deste livro.
  • Tome iniciativa de fomentar o diálogo com os outros, centrado na forma como todos encaram estas questões.

[/fancy_box]

E assim chegamos ao final de mais uma conversa com Deus, lembra te que é importante se sentires que deves, participar nesta conversa, pois só participando poderemos fazer chegar esta mensagem a muitas mais pessoas que desejam o seu despertar mas não sabem como.

E deixo ficar o tema da próxima conversa: Questões que é preciso responder

Só nós temos o poder de alcançar a nossa Liberdade e sermos Felizes

Tem um dia MAGNIFICO com TU.

Muito grata por estares aí.

Sandra

 

 

A ATITUDE mais OUSADA da HUMANIDADE em A Mudança está DENTRO de SI

A ATITUDE mais OUSADA da HUMANIDADE em A Mudança está DENTRO de SI

Olá olá, aqui estamos nós para a nossa 5ª Conversa com Deus, no desafio 28 dias a blogar sem parar, onde nos é pedido que tomemos uma ATITUDE que até à data foram muito poucos os que Tiveram CORAGEM.

Ora vamos lá,

Envolve te e vais ver como podes TRANSFORMAR a tua Vida  e levá-la para outro patamar.

Vamos lá então:

Não sei bem de onde veio este artigo, mas alguém enviou por email e exprime, com inteligência e na perfeição, aquilo que quero transmitir:

[fancy_box id=5]

Havia uma tarefa importante a fazer e TODOS tinham a certeza de que ALGUÉM haveria de o fazer. Qualquer um podia tê-lo feito, mas NINGUÉM a fez. ALGUÉM zangou-se por causa disso, pois era trabalho de TODOS. Todos julgavam que Qualquer um podia ter feito, mas NINGUÉM se deu conta de que TODOS não o fariam.No final, TODOS culparam ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que TODOS poderiam ter feito.

[/fancy_box]

Convido -o a tomar uma decisão de não ficar “sem fazer nada” – Opte por fazer “algo”.

Espero não estar a ser demasiado repetitivo quando digo que a vida não será a mesma depois da Reformulação da Humanidade; porém, se todos fizermos “algo” as mudanças serão para melhor.

É verdade que algumas almas terão abandonado o nosso Mundo (e honramo-las profundamente pelo sacrifício que fizeram na vida atual pelo bem de todos), mas a maioria estará por cá e levará a evolução para a frente neste ambiente, ajudando no rescaldo dos acontecimento e fazendo-o de tal forma que as mudanças serão para melhor.

Pessoalmente, não tenho grandes dúvidas  de que você e eu faremos “algo”.

Estamos preparados para assumir a posição que nos foi atribuída, para segurarmos as pontas, para desempenharmos o nosso papel. Somos a maioria. Só precisamos que nos seja atribuida uma tarefa.

Muita gente não sabe aquilo que pode Fazer, por isso parte do principio que não consegue fazer nada. Isso não é verdade

[fancy_box id=2]

Grande parte de nós

está a adotar doutrinas

que não têm qualquer

fundamento de verdade

[/fancy_box]

Temos muitos assuntos para discutir e é isso que precisamos de fazer.

Será fácil e DIVERTIDO.

Trago mais boas noticias: Não estará sozinho(a).

Estamos aqui. Todos nós que estamos envolvidos nesta conversa.

Daqui a pouco escreverei sobre uma forma possivel de tirar partido do facto de estarmos aqui todos reunidos.

Depois poderemos perguntar em unissono: “PORQUÊ?”

O que levou às condições atuais no Planeta?

Ninguém está a fazer esta pergunta, pois já foi feita vezes sem conta, sem Grandes resultados, ou pior ainda, por se julgar que se conhece a resposta.

Alguns julgam que a resposta está relacionada com a sua doutrina politico de outras pessoas. Se ao menos as pessoas adotassem a sua doutrina politica, tudo se resolveria.

Outros julgam que a resposta está relacionada com a doutrina económica de outras pessoas. Se ao menos as pessoas adotassem a sua doutrina económica, tudo se resolveria.

Estão todos enganados.

A razão pela qual a nossa espécie continua sem capacidade de criar neste Planeta a vida que dizemos querer é a maioria estar a adotar doutrinas que não têm qualquer fundamento de verdade.

É isto que temos de parar de Fazer. É a nossa História Cultural que tem de Mudar.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

 

Já usou a expressão “história cultural” umas quantas vezes. Ajude me a entender exatamente ao que se refere. Estava a referir-se Às nossas religiões, certo?

É muito mais do que isso.

Uma História Cultural é um conto extenso que narramos aos nossos filhos e que eles narram aos filhos deles, de “como é”, de “quem somos”, da “forma como tudo funciona” e da finalidade de tudo.

Trata se da história que nos foi contada a nós – e que foi contada aqueles que no-la contaram.

É a narrativa que ouvimos todos os dias das nossas vidas, de uma forma ou de outra.

[fancy_box id=2]

É o Conhecimento Transmitido de Geração em Geração.

É a Hipótese Herdada.

É a Suposição Comum.

É o Mito da Memória.

[/fancy_box]

É a história que nos dá as bases das religiões – bem como dos processos políticos, do sistema económico e de todas as formas de interação social.

Influencia as nossas vidas a todos os níveis: os rituais de namoro e de sedução, os hábitos sexuais, os modelos de acasalamento e casamento, as abordagens educativas, as amizades… Tudo.

Precisamente por ser tão Universal, é desta história que deviamos falar.

Contudo, é sobre isto que muita gente não quer falar.

Porquê?

Parece que sabem que é este o verdadeiro problema. O problema é a história deles.

No entanto consideram na sagrada, um conto narrado vezes sem conta que aceitam fervorosamente e ao qual não tencionam renunciar nem querem abandonar.

Fazê-lo equivaleria a abandonarem os antepassados, a desvalorizarem as tradições , a desonrarem a História.

Uma pastora maravilhosa cuja a igreja eu frequentava há quase 20 anos, a Reverenda Terry Cole-Wittaker, costumava perguntar nos sermões dominicais:

“A quem teriam de tirar a razão para ficarem vocês com ela?”

Que pergunta mais pertinente!!

As pessoas sabem que, se mudarem a sua história – a história do grupo ou a Individual – significa que mudaram de opinião sobre o que lhes foi dito de importante pelas pessoas importantes nas suas vidas.

Além disso, sabem como tal afetará a noção de quem são, do que está instituido, dos seus planos e estratégias para o destino que planearam.

Uma mudança tão Grande, é extremamente complicada para muitas pessoas. Talvez até para a maioria, que prefere manter tudo igual mesmo que o presente não seja o melhor, pois a mudança traz o desconhecido – e aquilo que não se conhece muitas vezes é temido.

É o Medo que IMPEDE a Mudança.

As pessoas podem não Gostar da situação atual, mas pelo menos sabem com o que contam.

Daí que o Diálogo pode levar a mudanças significativas que nem sempre seja bem recebido ou tolerado.

Julgo que vai além do simples Medo do desconhecido.

A humanidade parece estar presa… É urgente uma conversa para o paraíso.

 

Há Que Fazer O Que Nunca Foi Feito

vale a pena trocar o certo pelo duvidoso

Imagine uma conversa capaz de mudar tudo. Muitos – creio até até que a maioria – talvez nunca venham a ter essa conversa, a  menos que sejam convidados a tomar parte nela. É aí que conto consigo.

Mas o que poderá uma conversa revelar ou implicar a ponto de nos levar ao paraíso?

Seria uma conversa com muitas pessoas. Se centenas, digamos, milhares, muitos milhares, estivessem envolvidos na mesma conversa no seio dos seus pequenos grupos sociais, paróquias ou encontros familiares, onde quer que fosse, ou se muita gente começasse, de repente , a falar sobre o mesmo assunto nas redes sociais, por exemplo, esta conversa única envolvendo muitas pessoas em muitos lugares poderia, em última análise, dar origem ao paraíso na terra – de uma forma relativamente rápida.

A semente desta ideia surgiu quando uma conversava tranquilamente com algumas pessoas em Ashland, no Oregon, a passar cinco dias comigo e com a minha mulher por ocasião de um acontecimento a que chamamos Regresso a Casa.

(Cada ano um grupo diferente – entre seis a dez pessoas – reúne-se connosco durante cinco dias para refletir sobre a vida a um nível muito pessoal)

Foi durante o regresso a casa de Agosto de 2010 que alguém fez um comentário sobre o poder absoluto de algumas das questões que eu tinha estado a colocar durante as nossas conversas.

[fancy_box id=6]

Chamei-lhes as Sete Perguntas Básicas.

– O mundo inteiro devia ser convidado a colocar essas perguntas e a responder-lhes! – alguém exclamou.

– Sim – concordei – Às vezes parece me que se andássemos por aí a colocar estas Sete Perguntas básicas seríamos uma geração do paraíso.

A ressonância dessa frase atingiu-nos logo a todos. Depois de um silêncio pasmado, alguém do grupo, um britânico, disse:

Neale, isso devia ser dito por todo o lado. Podias dar inicio a um movimento global em redor deste tema.

E assim fizemos. Foi o que todos naquela sala fizeram, ali naquele momento.

Tinhamos tão-só de estimular toda a gente a ter uma conversa simples com o maior número possível de pessoas, colocando aquelas Sete perguntas básicas.

[/fancy_box]

A partir dessa ideia, criámos o chamado Movimento  das conversas.

Aquele homem do reino unido, Steve Minchin, tornou-se no coordenador Mundial voluntário do movimento. E é assim, meus amigos que acontece.

É assim que se começam Grandes que mudam o mundo.

Quer dizer, será que basta fazer as Sete perguntas?

Depois de uma profunda reflexão, eis a conclusão a que cheguei:

Sim, basta. Estas perguntas em particular estinmulam explorações de novas ideias acerca de quem somos, acerca da verdadeira finalidade da vida, sobre quem é Deus e acerca da verdadeira relação entre todos.

Além disso, o objetivo de uma tal conversa não seria marginalizar, ridicularizar nem abandonar crenças antigasmas simplesmente convidar à consideração de novas crenças.

Para considerarmos novas crenças, temos de fazer o que se faz nas ciências, na medecina, e na tecnologia, mas que ainda não tivemos coragem de fazer na religião nem em muitas outras questões de crença pessoal.

Temos de estar dispostos a questionar pressupostos anteriores.

Esta seria a ATITUDE mais ousada que a Humanidade poderia tomar no presente.

bannercorreiodoblog-tnprt-131

Uma fórmula que resulta

Seja em que área for, a mudança nunca é bem aceite. Como assinalou Max Plank, um dos pais da Fisica Quântica:

Uma nova verdade cientifica não triunfa porque convenceu os seus oponentes e fê-los ver a Luz, mas antes porque esses oponentes acabam por morrer e uma geração cresce já familiriazada com essa verdade.

Ou, de uma forma mais Bizarra: ” A ciência avança um funeral de cada vez”.

(Fonte: Wikiquotes: http://en.wikiquote.org/wiki/Max_Planck).

Ainda assim, mais tarde ou mais cedo, a ciência acaba por questionar o que esteve na origem de uma conclusão cientifica e  por chegar a mais respostas, a soluções ainda mais brilhantes, a resultados ainda mais magnificos.

Também acontece com a Medicina e o mesmo com a tecnologia.

É uma formula que resulta.

No entanto, com respeito Às respostas que retiramos da Religião e de outras Crenças Culturais, não importa quantos funerais foram realizados.

Não importa quantas gerações passaram. A maior parte das pessoas recusa questionar a hipótese anterior.

Na verdade, sabemos que muitos declararam que fazê-lo seria uma ato de apostasia.

É esta a Grande tragédia da Humanidade. É este o grande empecilho da nossa espécie.

Conseguimos avanços impressionantes, quase inacreditáveis, na tecnologia, medicina e ciência precisamente porque aqueles que se dedicam a estas disciplinas evitaram esse empecilho, mesmo que tivesse levado algum tempo.

Ao longo de décadas e séculos, mostraram se dispostos a fazer uma afirmação crucial que a maioria das pessoas ligadas Às crenças religiosas ou culturais não se atreve a fazer:

É bem possível que tudo o que julgamos saber esteja errado. Pelo menos, pode estar incompleto.

Se a Humanidade se envolvesse numa conversa global acerca das religiões, das crenças e da História Cultural, que começasse por esta afirmação essencial, essa conversa poderia resultar em novas ideias e dai poderiam surgir novas soluções que alcançariam os mesmos ou mais avanços da Medicina, da ciência e da tecnologia.

Poderiamos ter a vida com o qual sempre sonhámos, os resultados para os quais estávamos destinados, a experiência humana  para a qual fomos concebidos.

Constrói a Vida Que Tu Queres, utilizando os Recursos da Era Digital

Presentemente já são muitos os que estão a vivenciar estes resultados, a nível individual.

Seria mesmo maravilhoso se todos conversássemos!

Vou usar um tom mais urgente: TEMOS MESMO DE CONVERSAR.

Sem desavenças, sem brigas nem discussões, sem contradizer, contestar nem barafustar, simplesmente conversar;

– falar com paixão dócil;

-ouvir com mente aberta;

– partilhar com um coração tolerante e terno;

– explorar com um espírito generoso e concluir deixando um convite pleno de boa vontade para que a conversa não termine, para falar e voltar a partilhar, como parte de uma troca incessante que não tem de acabar.

O papel que estamos destinados a desempenhar

Agora quero dizer algo mais ousado.

Acredito aqui – À forma física, a este lugar chamado Terra, a este momento especifico e grave da história – para participar na evolução da nossa espécie.

Compreendo que tudo isto possa parecer pomposo, mas, acredito profundamente na sua veracidade. Não é única razão pela qual está aqui.

Está aqui por razões associadas à sua própria evolução, à sua própria experiência. O que no final de contas, se perceberá serem estas razões uma só.

Mas falemos. Vejamos o que pensa acerca disto.

Julga que chegou aqui, a este preciso momento, por acaso? Parece-lhe que os acontecimento que estão,  de certa a ocorrer à sua volta estão, de certa forma desordenados?

Acredita mesmo que o periodo da sua vida na terra neste momento crucial nãopassa de uma coincidência?

Está certo de que a sincronização perfeita da sua chegada com a chegada Deste Momento foi mero acaso?

Participa, responde.

Isto é o que eu Penso: não.

Não é assim que a vida funciona. Na vida, nada acontece por acaso. São os nossos desígnios para a vida que a fazem avançar.

Inclusive os nossos designios antes de nascermos.

Possuimos uma alma

janela-da-alma

Somos muito mais do que um corpo com uma mente, a “vida” vai muito para além dos limites da nossa atual encarnação física.

Se não acreditar no que acabei de dizer, será difícil aceitar, com facilidade e sem desconforto, a ideia de que parte da sua viagem na terra será dedicada a auxiliar a evolução da sua própria espécie.

Pode parecer uma tarefa gigantesca, fora do seu alcance, para além das suas capacidades, mas não é assim.

Está perfeitamente apto a prestar o auxilio que a vida lhe está a pedir.

Se estiver disposto a prestá-lo, poderá realmente -vou repetir:

AJUDAR A MUDAR O MUNDO.

Vê o video que Fiz hoje a falar sobre esta Conversa

[fancy_box id=5]

PONTOS FULCRAIS:

  • Se todos concordamos que não podemos ficar “sem fazer nada” durante a Reformulação da Humanidade, as mudanças que se avizinham serão para melhor.
  • Grande parte das pessoas tem adotado doutrinas que não tem qualquer fundamento de verdade.
  • É urgente questionar essas doutrinas.
  • Poderá tornar-se numa conversa do paraíso – se todos conversarmos entre nós
  • Está destinado a desempenhar um papel na evolução da espécie.

A FAZER:

  • Aprenda o mais possível sobre a antiga História Cultural para a podermos debater
  • Envie propostas para a nova História Cultural, visitando o site:

                   www.theglobalconversation.com

  • No seu grupo de conhecidos, fomente conversas sobre a HISTÓRIA ANTIGA E A NOVA HISTÓRIA – e em especial, coloque as Sete Perguntas Básicas que aqui discutiremos em breve

[/fancy_box]

E porque será que é tão dificil acreditar que TODOS podemos ser Livres e Felizes?

Até amanhã com a próxima Conversa:

É DA SUA EVOLUÇÃO QUE SE TRATA

Vive uma vida Extraordinária Como TU.

Sandra

 

%d bloggers like this: